Serie A

22ª rodada: Entrando na turma

Pedindo passagem: Milan bate Atalanta e, pela primeira vez, entra na zona de classificação à competições europeias (Caughtoffside.com)

Na última rodada do mês de janeiro, quem comemorou mesmo foi o Milan. A equipe coroou o ótimo início de ano com mais uma vitória e, graças aos tropeços dos rivais, assumiu a quinta posição, que vale vaga à Liga Europa. É a primeira vez no campeonato que os rossoneri ocupam posição tão alta na tabela – e a impressão é de que o time continuará crescendo. O Napoli, também em crescimento, se aproximou novamente da Juventus na briga pelo título, com a vitória que tirou a invencibilidade caseira do Parma. Juve e Fiorentina, por sua vez, tiveram balanço negativo em janeiro, que foi de baixa para ambas as equipes. Se a líder venceu apenas um jogo, a equipe toscana passou em branco. Por sua vez, Inter, Lazio e Roma seguiram em sua irregularidade. Acompanhe o resumo da rodada.

Atalanta 0-1 Milan

No primeiro turno, a Atalanta visitou o Milan e venceu por 1 a 0. Neste fim
de semana, o clube rossonero foi ao Atleti Azzurri d’Italia e deu o troco: gol
solitário de El Shaarawy, que fez o Milan subir ao 5º posto da classificação
geral, ficando entre os classificados à competições europeias pela primeira vez na temporada. O time da casa criou uma boa chance no início do jogo, com Denis, mas
Abbiati conseguiu defender. Aos 29’, após passe de Niang, o Pequeno Faraó pôs
fim ao seu jejum de quatro jogos sem marcar ao girar para cima de Raimondi, que
entrou no lugar de Ferri, machucado minutos antes, e finalizar na saída de
Consigli. A equipe de Bérgamo voltou a oferecer perigo ao Milan com Denis, que
não conseguiu acertar o chute em assistência de Bonaventura.

 

A Atalanta segurou o Milan como pode durante a segunda etapa, uma vez que
Brivio foi expulso (segundo cartão amarelo). Flamini quase deixou sua marca,
porém Consigli salvou o que seria o segundo tento rossonero. A partida
ficou tensa: o técnico Colantuono foi expulso e Robinho, que entrou no lugar de El
Shaarawy, deu uma cabeçada em Carmona. O chileno revidou com um soco. Na próxima
rodada, o Milan recebe da Udinese no San Siro; a Atalanta, 14ª colocada após a
derrota, encara o Palermo, no Renzo Barbera. (Murillo Moret)

Parma 1-2 Napoli
O Napoli continua forte na caça à Juve. Em
jogo complicado, com campo em condições ruins, o time de Walter Mazzarri
acabou com a invencibilidade do Parma em seu território e chegou aos 46
pontos na classificação, três a menos que a líder. O retorno de
Cannavaro na linha defensiva foi muito importante, apesar do gol contra,
em lance de azar do defensor. O gol que inaugurou o placar foi de
Hamsik, trequartista com os melhores números na Serie A: oito gols e 10
assistências.

Depois, os azzurri tiveram outras boas chances de fazer 2 a 0 e
matar o jogo, mas não aproveitaram. O Parma, muito organizado
taticamente e com ótimas jogadas pelas alas, não estava morto em campo,
porém. E aos 30 da etapa final, alcançou o gol de empate em boa jogada
de Sansone, que cruzou para área e viu Cannavaro desviar contra a
própria meta. O Napoli, então, teve que sair da defesa e partir para
cima. E Cavani já tinha errado duas vezes na partida. A terceira o
Matador não perdoa: 2 a 1 para o Napoli. O time de Mazzarri mostra força
de campeão, assim como a Juve, mas tem a vantagem de não ter uma
cansativa Liga dos Campeões pela frente. O campeonato está aberto.
(Rodrigo Antonelli)

Juventus 1-1 Genoa
Em Turim, a Juve perdeu mais uma chance de
ampliar a vantagem na liderança. A Lazio já tinha tropeçado mais cedo e
uma vitória colocaria a Velha Senhora em situação ainda mais confortável
no campeonato. Porém, o time da casa não conseguiu sair do empate
contra o Genoa e ainda viu o Napoli, outro rival direto, vencer sua
partida no dia seguinte e diminuir a diferença para três pontos: 49
contra 46.

O jogo começou em ritmo lento e pouca coisa aconteceu no primeiro
tempo. Vucinic e Quagliarella não funcionaram como dupla de ataque hora
nenhuma e a Juve não conseguia produzir chances de perigo. Na melhor
oportunidade, Quagliarella recebeu de Lichtsteiner em boas condições,
mas concluiu para fora. Do lado do Genoa, o 3-5-2 de Ballardini, de
volta ao comando do time, cumpriu bem sua função de reduzir os espaços.
No segundo tempo, a Velha Senhora voltou um pouco melhor e abriu o
placar com Quagliarella, após outro bom cruzamento de Lichtsteiner.
Minutos depois, porém, Borriello entrou e empatou, de cabeça. No fim da
partida, Giovinco ainda acertou a trave e os juventinos reclamaram muito
de um suposto pênalti de Antonelli sobre Vucinic. (RA)

Lazio 0-1 Chievo

Sem Hernanes e Klose, os
principais destaques laziali na temporada, o time de Petkovic tentou de todas
as formas, mas não conseguiu furar o bloqueio do Chievo no Olímpico. Além
disso, deixou o Napoli abrir três pontos e a Juventus, seis, e agora a três de
vantagem sobre a Inter. E o Chievo, por sua vez, comemorou a primeira vitória sem o bom goleiro Sorrentino, que depois de seis anos no clube se transferiu ao Palermo.
Com a retranca de Corini, a equipe
do Vêneto conseguiu aproveitar uma de suas poucas chances criadas numa rara
falha defensiva da Lazio, quando após jogada de Théréau, Jokic recebeu e
acertou a trave de Marchetti. Na sobra, o garoto Paloschi fez seu sétimo
gol na Serie A. Hernanes chegou a entrar na etapa final, mas o dia não estava
bom para Floccari, que acabou consagrando a defesa dos gialloblù, especialmente
Puggioni e Andreolli. (Arthur Barcelos)

Inter 2-2 Torino
Fechando a 22ª rodada, um
clássico dos anos 30 e 40 no Giuseppe Meazza. O bom futebol, entretanto, ficou
esquecido na época de Meazza, Frossi, Campatelli, Ferraris II, Mazzola, Loik,
Gabetto, Grezar e outras figuras. O empate em Milão acabou sendo lucro
pra Inter, que se deixou ser dominada pelo Torino de Ventura, que mesmo sem um
material humano “à altura”, deitou e rolou durante boa parte do jogo.

Com a vantagem favorável logo no
começo depois de ótima cobrança de falta de Chivu, o time de Stramaccioni
relaxou e o 4-2-4 piemontês desmontou a Beneamata, que não tinha sobra nem
saída de bola depois da lesão de Chivu, mas especialmente pelo dia ruim de
Guarín, Palacio e Cassano. O primeiro, inclusive, perdeu a bola para o
brasileiro Barreto, estreando como titular, que passou para Meggiorini vencer
Handanovic. Na segunda etapa, o mesmo Meggiorini, cria de Appiano Gentile,
ampliou. Na base de abafa e na força de vontade dos veteranos Zanetti e
Cambiasso, o gol de empate saiu após jogada de Cassano, que abriu para o quase
quarentão da Inter cruzar para Cuchu. Com o resultado, a Inter se mantém na 4ª posição, enquanto o Torino permanece em 12º. (AB)

Bologna 3-3 Roma
No Renato Dall’Ara, Bologna e Roma
fizeram um dos melhores jogos da rodada, com direito a belos gols, erros
dos dois lados, bolas nas traves e muita emoção. O empate, porém, não
foi bom para nenhum dos times: o Bologna permanece próximo da zona de
rebaixamento, com apenas 22 pontos somados, e a Roma continua sem vencer
em 2013 na Serie A (dois empates e duas derrotas). A partida começou em
ritmo forte, do jeito que Zeman gosta. Florenzi abriu o placar para o
time da capital logo aos 9 minutos, mas não teve nem tempo de se
acomodar. Aos 16, Gilardino empatou para o Bologna. Dois minutos mais
tarde, Osvaldo recolocou a Roma na frente e viu o filme se repetir:
Gabbiadini empatou logo em seguida.

No segundo tempo, a Roma deixou seu calo exposto mais uma vez e não
conseguiu repetir o bom ritmo de jogo da primeira etapa. Logo aos nove
minutos, então, Pasquato aproveitou falha defensiva para marcar seu
primeiro gol na Serie A virar o jogo para o Bologna. Gabbiadini ainda
teve chance de ampliar, mas não conseguiu. Aos 29, Tachtsidis desviou
cobrança de falta de Totti e empatou tudo de novo. No fim, o jogo
continuou aberto e os dois times tiveram boas chances de sair com a
vitória, mas o placar continuou igualado. (RA)  

 
Catania 2-1 Fiorentina
Na Sicília, o Catania confirmou
sua boa fase na temporada, e agora está a dois pontos do Milan,
que está na zona de classificação pra Europa League. A equipe acabou conquistando a terceira
vitória consecutiva em cima da Fiorentina de Montella, que, ao contrário, vive
péssimo momento, e não vence uma partida desde dezembro, sofrendo três derrotas
e um empate neste ano. Um janeiro pra se esquecer.
Com um time equilibrado, os
comandados de Maran não fizeram feio contra a equipe de seu ex-treinador,
aproveitando os vacilos defensivos da Viola. Migliaccio, emprestado à
Fiorentina pelo Palermo, abriu o placar em jogada aérea, e do mesmo jeito o
veterano Legrottaglie empatou ainda na primeira etapa. Suportando a pressão
toscana, o gol da virada siciliana saiu no final e ao melhor jeito do time de
Maran: no contra-ataque, abusando da qualidade de seu trio ofensivo, quando
Barrientos cruzou na medida para Castro subir mais alto que Roncaglia. (AB)

Sampdoria 6-0 Pescara

Nada melhor do que uma goleada para homenagear o falecido presidente Riccardo
Garrone: a Sampdoria destruiu o Pescara no Luigi Ferraris e amenizou a perda do seu dono. O destaque da partida
foi o jovem Icardi, autor de quatro dos seis gols da equipe da casa. Era óbvio que a pior defesa do campeonato sofreria pressão
nos minutos iniciais. E, assim, Éder perdeu a chance no um-contra-um com Perin, que
salvou, na sequência, um chute forte de De Silvestri. O placar foi aberto
aos 32’, quando o árbitro marcou pênalti de Terlizzi em Gastaldello e Éder
converteu. A Sampdoria não aumentou a vantagem na sequência porque Icardi errou
o gol ao driblar Perin. E também, aliás, porque o goleiro do Pescara fez milagre
em cabeceio de Costa. Antes do intervalo, no entanto, Icardi, após confusão na
área, deixou a sua marca.
 

Os jogadores do Pescara protestaram demais contra a arbitragem no último
lance da primeira etapa, com pedidos de pênalti de Gastaldello em Terlizzi – não
marcado. Logo no começo do tempo final, Obiang marcou seu primeiro gol na Serie
A. No quarto tento, Icardi se aproveitou de uma atitude juvenil da zaga dos golfinhos, que ficou parada e apenas observou o jovem avançar da intermediária
até Perin. O argentino também marcou os outros dois gols da partida, depois de apagões defensivos do Pescara. Assim, ele
se tornou o primeiro jogador nos últimos 62 anos a fazer quatro gols numa mesma
partida de Serie A com menos de 20 anos de idade. Empolgada e na 13ª colocação,
a Samp encara o Torino, fora de casa, na próxima rodada; o Pescara, ainda fora
da zona do rebaixamento (tem dois pontos a mais que o Genoa), recebe o Bologna
no Adriatico. (MM)

Cagliari 1-1 Palermo
Mais um empate com sabor amargo para o Palermo. Depois de desperdiçar a chance de vitória ante a Lazio, na última rodada, após pênalti convertido por Hernanes já no final da partida, foi a vez de outro brasileiro estragar a festa rosanera. O gol de Thiago Ribeiro, já nos minutos finais do confronto, estragou não só as estreias de Sorrentino (que fez boa partida) e Formica como mantém os sicilianos na zona de rebaixamento. Os palermitanos reclamaram demais ao fim da partida e, por isso, terão desfalques nos próximos jogos: o técnico Gasperini pegou gancho de uma partida e o capitão Miccoli ficará fora de dois jogos.

Ainda que o futebol do Palermo não seja o mais vistoso, ficou claro que apesar dos reforços que vieram não serem os sonhados por todos os torcedores, melhoraram o elenco. Após cruzamento de Dossena, um dos novos contratados, o esloveno Ilicic acertou um chute fortíssimo, sem chances para Agazzi. O Cagliari bem que tentou, mas tanto Sau quanto Pinilla pararam em Sorrentino. Somente no final do jogo é que o arqueiro do Palermo não conseguiu evitar o gol de Thiago Ribeiro, que apareceu livre, para completar de cabeça o cruzamento de Diego Avelar, empatando o jogo. Um resultado que não agradou a ninguém, pois ainda mantém os sicilianos na zona de rebaixamento e não afastam o perigo do Cagliari. (Caio Dellagiustina)

Udinese 1-0 Siena
Em Údine, o time friuliano conseguiu mais uma vitória importante. Mas, embora jogando contra o Siena, lanterna e com um péssimo retrospecto fora de casa, não teve vida fácil. Só não saiu perdendo no confronto pois Rosina desperdiçou a primeira grande chance. Minutos depois, Muriel mostrou como se faz e com um leve toque na saída do goleiro, abriu o placar para a Udinese.


Já no segundo tempo, novamente o Siena teve chance nos pés de Rosina, que mais uma vez desperdiçou e mostrou que o destino do clube parece mesmo a segunda divisão. Além disso, o jogo foi fraco. A Udinese com seu futebol burocrático, mas que vem dando resultado, estando a quatro pontos da zona classificatória para Liga Europa e o Siena com sua 10ª derrota fora de casa, se afundando cada vez mais na lanterna da Serie A. (CD)

Relembre a 21ª rodada aqui.

Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui

Seleção da rodada
De Sanctis (Napoli); Granqvist (Genoa), Zapata (Milan), Legrottaglie (Catania); Castro (Catania), Kucka (Genoa), Obiang (Sampdoria), Hamsík (Napoli); Éder (Sampdoria), Icardi (Sampdoria), Meggiorini (Torino). Técnico: Delio Rossi (Sampdoria).

Deixe um comentário