Coppa Italia

Nada definido

Com bela atuação, Marchetti garantiu empate para a Lazio e deixou decisão para o jogo de volta. Na outra semifinal, entre Roma e Inter, tudo em aberto também (FocusCalcio)

Pelo jogo de ida da semifinal da Coppa Italia, a história se repetiu: a Lazio deu trabalho para a Juve e conseguiu bom empate na casa do adversário, graças às boas defesas do goleiro Marchetti, assim como aconteceu na Serie A. Para os donos da casa, o empate ficou com gosto de derrota, uma vez que, apesar do equilíbrio, o time teve boas chances de ampliar o placar enquanto ainda estava vencendo. Para a Lazio, o empate com gols fora de casa se mostra muito útil e dá esperanças para a equipe voltar a uma final de Coppa. Com o empate, a equipe de Petkovic chega a 16ª partida de invencibilidade.

O jogo começou muito equilibrado e Conte surpreendeu escalando a Juve em um 3-5-1-1 inédito, com Matri isolado no ataque. A Lazio, na mesma formação, dava espaços pelas alas do campo, mas Isla e Peluso não conseguiam aproveitar. Ao fim do primeiro tempo, poucas chances claras de gol: Marchisio teve uma para a Juve, mas Marchetti salvou; e Mauri chegou perto para a Lazio, mas foi desarmado por Barzagli no último momento.

No segundo tempo, a Velha Senhora cresceu na partida e teve mais chances de gol. Primeiro, Matri acertou bom voleio, mas viu Marchetti, em noite inspirada, fazer outra ótima defesa. Logo depois, porém, o goleiro não conseguiu salvar a cabeçada de Peluso, que aproveitou bom cruzamento de Giaccherini. Foi o primeiro gol do garoto, formado na Lazio, pela Juve. Antes do fim, Vidal acertou a trave e parou em defesaças de Marchetti em pelo menos duas outras ocasiões.

E quem não faz, leva: aos 41 minutos do segundo tempo, Mauri castigou os donos da casa aproveitando falha de marcação após cobrança de escanteio e fez 1 a 1. O empate com gols dá a vantagem à Lazio, que se classifica para a final da competição com um empate por 0 a 0 no jogo de volta, no dia 29 de janeiro.

E em Roma… 

Deu Roma. O time de Zeman levou a melhor sobre a Inter depois do empate no domingo pela Serie A. Mas ao contrário do último confronto entre os rivais, o jogo dessa quarta-feira foi mais movimentado, onde cada equipe dominou uma etapa. A decisão de quem irá para a final, porém, ainda vai demorar: por intervenção da Roma, o jogo no Meazza foi adiado para o dia 17 de abril, e não mais 30 de janeiro, devido ao confronto pela Serie A contra o Cagliari dois dias depois (1º de fevereiro).

Os giallorossi, que desperdiçaram gols à rodo no domingo, não falharam dessa vez e aproveitaram duas chances em cochilos defensivos da Inter, mal disposta taticamente no 3-5-1-1, que mesmo com a variação para a defesa com quatro homens, permitia as triangulações romanas. Na primeira, cruzamento de Piris para a antecipação do “baixinho” Florenzi marcar seu segundo gol de cabeça contra a Inter. Na segunda, triangulação na direita e Piris, novamente nas costas de Pereira, levantou a bola na área e, desta vez, foi Destro, ex-Inter, quem se antecipou a Ranocchia.

Ainda na primeira etapa, a Inter conseguiu diminuir a vantagem. Depois de tanto tentar, Palacio recebeu lançamento de Cambiasso nas costas da defesa romana e marcou seu 14º gol na temporada. Mesmo vários desfalques, a equipe interista se acertou na segunda etapa, com as entradas de Nagatomo, Gargano e Álvarez, efetivando o 4-4-1-1 (que, por sua vez, variou para o 4-4-2 losango com os avanços de Cambiasso, no suporte a Guarín e Palacio), mas os chutes de longe de Guarín (amarelado, não jogará a partida em Milão) e as tentativas de Palacio não bastaram para o empatar a partida. No fim das contas, bom para a Roma, pela vantagem, mas não tão ruim para a Inter, pelo gol fora de casa. (Arthur Barcelos)

Deixe um comentário