Serie A

29ª rodada: Os caras

Sob o signo de Balotelli, Milan cresce cada vez mais (Reuters)

O grande crescimento do Milan no campeonato tem nome e sobrenome: Mario Balotelli. Se El Shaarawy está jogando menos do que está, é o seu companheiro de ataque na seleção italiana que está conduzindo o Diavolo a uma arrancada importante na Serie A – que pode acabar valendo ao menos uma vaga direta na Liga dos Campeões, se a equipe conseguir ultrapassar o Napoli. Outro time tem o seu cara: é a Roma, de Totti. Melhorando a cada rodada, a equipe agora tem a honra de contar com o segundo maior artilheiro de toda a história do campeonato, depois que o Pupone chegou aos 226 gols, ultrapassando Nordahl. Para encerrar, a Juventus, por sua vez, sem grandes destaques individuais, continua na sua trajetória rumo ao bicampeonato. Acompanhe o resumo da rodada.

Milan 2-0 Palermo

Apesar da semana complicada, após
perder por 4 a 0 para o Barcelona e ser eliminado da Liga dos Campeões,
Balotelli recuperou o Milan no fim de semana: 2 a 0 contra o rebaixável
Palermo, em casa. Logo no primeiro lance de perigo da partida, El
Shaarawy bateu escanteio e Aronica cometeu pênalti bobo em Balo. O
atacante converteu. No retorno de Sannino ao comando técnico rosanero, o
treinador não teve à disposição Miccoli, Mantovani, Barreto, Dossena e
Hernandez; Nelson e Fabbrini perderam vaga no time e começaram o jogo no
banco. Os jogadores do Palermo ficaram bravos com a arbitragem pela
decisão em lance de Zapata. O zagueiro colocou a mão na bola após o
passe de Dybala para Ilicic, que deixaria o meia-atacante livre em
direção ao gol. Sebastiano Peruzzo mostrou apenas o cartão amarelo ao defensor
milanista.

Dybala tentou empatar a partida, mas Abbiati não
deixou. Do outro lado do campo, Sorrentino salvou a finalização de
Boateng, em contra-ataque rossonero, e Morganella o chute seguinte do
ganês. No entanto, após jogada de Niang pela esquerda, Aronica não
aliviou, Sorrentino não defendeu e Balotelli empurrou a bola para o
fundo do gol. O atacante já soma sete gols em seis partidas pelo Milan
que continua em franca ascensão na Serie A – a última derrota aconteceu
em 22 de dezembro, contra a Roma. Desde que Balotelli chegou ao clube, o aproveitamento é superior a 80%, maior que o da Juventus, que chega a pouco menos de 74%. Na próxima rodada, o Milan encara o
Chievo; o Palermo recebe a Roma. (Murillo Moret)

Bologna 0-2 Juventus

Sem pompa, mas com muita eficiência, a Juventus continua sua caminhada rumo ao título. Desta vez, contra um bom Bologna, a líder do campeonato fez um jogo morno, mas contou com ótimas atuações e o poder de decisão de Vucinic e Marchisio para sair do Renato Dall’Ara com os três pontos. A equipe fez uma boa partida defensiva, praticamente anulando Gilardino e Diamanti, e só marcou no segundo tempo.

O primeiro gol surgiu depois que Vucinic recebeu um bom passe de Marchisio na área e girou bem sobre o zagueiro Naldo antes de bater com decisão e vencer o goleiro Curci. A parceria se repetiu minutos depois, no segundo gol. O montenegrino saiu da área e descobriu Marchisio com um belo passe, dentro da grande área. O meia tocou com precisão na saída de Curci e partiu para o abraço. No final do jogo, uma cena bonita ainda tomou conta de um estádio com mais de 30% do público tomado por juventinos: Conte interagiu com os torcedores por mais de 2 minutos, se entusiasmando com eles, enquanto a bola ainda rolava.

Napoli 3-2 Atalanta

A fase
ruim pode piorar ou melhorar. Na rodada passada, a do Palermo piorou;
nesta rodada 39, a do Napoli – e de Cavani – passou (ao menos por enquanto). Os partenopei
ganharam da Atalanta por 3 a 2, com dois gols do artilheiro uruguaio.
Zúñiga sofreu pênalti discutível de Giorgi logo no terceiro minuto de
partida. Cavani chutou e Consigli bateu na bola, que acabou entrando. O
Matador não marcava um gol há oito jogos na Serie A. Ainda no primeiro
tempo, Giorgi lançou ótima bola para Denis, que foi ao fundo e cruzou.
Bonaventura falhou de maneira bizarra e Cannavaro, de forma mais tosca
ainda, marcou gol contra. 

Na etapa final, Cavani voltou às redes: Hamsík
ajeitou, o atacante driblou Lucchini durante o domínio da bola e chutou
cruzado para marcar seu 20º tento no campeonato. Na sequência, em bola
longa de Carmona, Denis ganhou de Behrami (que beijou o gramado), driblou
De Sanctis e finalizou para empatar o jogo novamente. A partida no San
Paolo foi decidida por Pandev. Após boa jogada de Insigne e Armero, o
ala tocou para o meio e o macedônio empurrou a bola para o gol vazio. O
Napoli permanece na vice-liderança da Serie A, com 56 pontos, e encara o
Torino na próxima rodada; a Atalanta, 16º colocada, tem 33 pontos e
enfrenta a Sampdoria. (MM)

Roma 2-0 Parma

A torcida da Roma teve um domingo muito positivo. Primeiro, pela
vitória do próprio time na partida contra o Parma, por 2 a 0. Depois,
pelo fato de Totti ter marcado mais um gol e ter se isolado
como segundo maior artilheiro de toda a história da Serie A, com 226
tentos assinalados. Para colocar a cereja no bolo, a rival Lazio perdeu
por 1 a 0 para o Torino e agora está empatada em pontos com a própria
Roma. A Roma abriu o placar logo no início, aos 7 minutos, depois de uma
boa jogada iniciada por Marquinho. De Rossi pegou um belo chute
após o cruzamento do brasileiro e Lamela desviou para as redes,
chegando ao seu 13º no campeonato. Depois, aos 20 minutos,
Perrotta acertou o travessão com um chute forte.

No segundo tempo, um Totti inspiradíssimo, que já havia
distribuído passes de calcanhar e acertado o travessão em bela cobrança
de falta, definiu o placar. Aos 25 minutos, o capitão bateu falta e viu a
bola atravessar a barreira antes de entrar. Foi o gol de número 226 do
atacante em toda a sua carreira no campeonato, o que o fez ultrapassar Nordahl como segundo maior artilheiro da Serie A. O Parma ainda
tentou diminuir, mas em sua melhor chance, o meia Parolo acertou a
trave. Com os resultados, a Roma ocupa a 6ª posição, com 47 pontos, empatada
com a Lazio, que pelos critérios de desempate é a 7ª colocada. O empate
entre as equipes apimentará ainda mais o clássico romano, que acontecerá
em duas rodadas – no mínimo, as equipes estarão muito próximas na
tabela. O Parma ocupa a 12ª posição, com 35 pontos.(NO)

Fiorentina 3-2 Genoa
E a Viola não para. Depois do
início ruim em 2013, o time de Montella vai se recuperando no campeonato e
chegou a três vitórias consecutivas. Mesmo sem grande atuação, com muitas
chances desperdiçadas (como sempre, o time criou muito), a Fiorentina
conquistou três pontos importantíssimos na briga por uma vaga na Uefa Champions
League – o que não acontece desde a temporada 2008-09, quando o time ainda tinha o comando de Prandelli. O Genoa, por sua vez, vê a diferença para o Siena voltar a
diminuir depois de um leve suspiro com a chegada de Ballardini. Já são
quatro jogos sem vitórias, sendo três derrotas seguidas.
No Artemio Franchi, depois de
algumas chances criadas, Aquilani abriu o placar no primeiro tempo, após jogada
individual de Ljajic pela linha de fundo. Com o jogo mais equilibrado no
segundo tempo, o Genoa conseguiu o empate com Portanova em escanteio cobrado
por Jorquera. Contudo, quatro minutos depois Pasqual levantou a bola na área do
time lígure e Tzorvas falhou feio, soltando a bola para Cuadrado voltar a colocar
a Viola em vantagem. Movimentado e com seguidas falhas nas bolas aéreas, o jogo
ainda contou com gols de Antonelli – voltando a ser convocado para a Nazionale após
três anos – e Cassani, contra seu próprio time e a favor do time que detém seus
direitos. (Arthur Barcelos)

Torino 1-0 Lazio
Jogando fora de casa, sob neve, a Lazio perdeu por 1 a 0 para o
Torino no outro jogo da noite de domingo na Itália – Sampdoria e Inter
foi adiada por causa de fortes chuvas. O gol da partida foi marcado aos
32 minutos do segundo tempo pelo brasileiro Jonathas, ex-Cruzeiro, que
foi contratado pelo Toro na janela de janeiro. A Lazio jogou com um a
menos desde os 15 minutos, quando o zagueiro Ciani foi expulso. Kozák, principal jogador do time na Liga Europa, continua sua sina de não marcar na Serie A. São 13 jogos sem gols (na competição europeia, é o artilheiro, com 10).

A fase laziale é muito ruim e preocupa os torcedores. A equipe já foi
vice-líder do campeonato, mas entrou em derrocada com o início de 2013.
Entre os últimos 10 jogos pela Serie A, a Lazio perdeu 6 – no três
últimos, além de sair derrotada, não marcou um gol sequer. A volta de Klose está próxima, mas certamente o atacante não estará no máximo de sua forma. O cenário pré-dérbi romano assusta e muito os torcedores biancocelesti. (NO)

Catania 3-1 Udinese
No confronto dos “sonhadores”, o
Catania de Maran provou a melhor solidez frente a jovem Udinese de Guidolin,
com média de apenas 22 anos e sem seu artilheiro, Di Natale (lesionado). No
contra-ataque e nas bolas paradas, o time siciliano voltou a vencer depois de reveses
para Inter e Juventus, chegando aos 45 pontos, agora a três pontos de distância
da Inter, última equipe na “zona  Uefa”.
Mais contundente nas suas chances
criadas e com muita mobilidade na frente, o Catania só foi abrir o placar no
início da segunda etapa, quando após tabela entre Castro e Gómez, envolvendo
Danilo e Benatia, o camisa 17 venceu Brkic. Em nova jogada de Castro, o
argentino lançou seu compatriota Barrientos na linha de fundo, que cruzou para
o cabeceio do também “hermano” Gómez marcar pela segunda vez no jogo. Pouco depois,
Lodi chegou ao seu quinto gol de falta no campeonato, (é, juntamente com Pirlo o
melhor cobrador da Serie A), quando a bola desviou na barreira, enganando Brkic.
A Udinese, que em alguns momentos foi melhor mas não teve contundência na
frente, chegou a descontar com Muriel, marcando seu sexto gol em 11 jogos na
temporada. (AB)

Siena 0-0 Cagliari
O Siena desperdiçou uma chance incrível de se livrar da zona
da degola. Após vencer o Palermo fora de casa na última rodada, recebeu o
Cagliari e não aproveitou o tropeço do Genoa, ficando em um insosso zero a zero
com o time sardo. Assim, os toscanos diminuíram para um ponto a distância dos genoveses,
contra quem fazem um confronto direto no sábado de Páscoa.
Em campo, o resultado foi condizente com o apresentado.
Durante todo o primeiro tempo, a melhor chance veio dos pés de Ibarbo que
avançou quase meio campo, mas chutou fraco para a defesa de Pegolo. No segundo,
o Siena até tentou criar algumas oportunidades com Reginaldo e Emeghara, mas apenas
abriu espaços para os contra-ataques rossoblù, com Pinilla e Ibarbo, que
fizeram o arqueiro bianconeri suar a camisa para garantir um ponto a mais na
luta contra o rebaixamento. (Caio
Dellagiustina)
Pescara 0-2 Chievo
No
Adriático, o Pescara enfrentou o Chievo se complicou
ainda mais em sua busca pela permanência na elite. Não bastasse a
derrota,
ainda sobraram reclamações com o árbitro Mazzoleni
que deixou de marcar dois pênaltis a favor dos abruzzesi. Daniele
Sebastiani, presidente do Pescara, chegou a relatar queixa contra o
árbitro, ao final da partida com promotores federais. Segundo Daniel,
Mazzoleni disse que ele “deveria falar bem durante a semana”, em
referência as criticas feitas contra o árbitro pela má atuação no jogo
Pescara e Torino, no final de janeiro.
Em campo e sem poder contar com D’Agostino, os golfinhos
esbarram na falta de qualidade e pouco criaram. Por outro lado, o Chievo criou
muitas oportunidades, mas pecou na finalização. Logo aos nove minutos, Paloschi
desperdiçou a primeira, Cofie parou na trave aos 25 e Théréau cabeceou com
perigo já no final do primeiro tempo. Apesar de ter boas chances, foi só nos
minutos finais que os gols saíram. Aos 87, Stoian invadiu a área pela esquerda,
fintou Cosic e chutou colocado. Já nos acréscimos, Théréau recebeu de Luciano
e chutou no canto de Pelizzoli definindo o placar do jogo e quase definindo a
permanência dos gialloblù na Serie A. (CD)

Sampdoria-Inter
Jogo adiado por causa de fortes chuvas em Gênova. Deve ser realizado entre os dias 2 e 3 de abril.

Relembre a 28ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui

Seleção da rodada
Buffon (Juventus); De Sciglio (Milan), Marquinhos (Roma), Cesar (Chievo), Zúñiga (Napoli); Cuadrado (Fiorentina), Brighi (Torino), Gómez (Catania); Balotelli (Milan), Cavani (Napoli), Totti (Roma). Técnico: Rolando Maran (Catania).

Deixe um comentário