Dérbis

Dérbis: Inter x Juventus

A rivalidade entre Inter e Juventus não tem precedentes no futebol italiano. Duas das maiores equipes do futebol nacional em termos de título e torcidas, a Beneamata e a Velha Senhora protagonizam o duelo que ficou conhecido a partir de 1967 como Derby d’Italia. A expressão, cunhada pelo importante jornalista Gianni Brera, é curiosa. A palavra “dérbi” é utilizada normalmente para confrontos entre equipes de uma mesma cidade, mas a rivalidade entre Inter e Juventus era tão grande (e crescia naqueles anos), que a expressão ganhou força e é utilizada até hoje. Hoje, sobretudo depois do Calciopoli, os juventinos certamente tem nos interistas os grandes rivais e vice-versa – uma vez que a rivalidade com o Milan é bastante pacífica.

Significado do atual dérbi

Quinta colocada no campeonato, com 47 pontos, a Inter busca uma vaga na Liga dos Campeões e, para isso, somar pontos contra a líder do campeonato seria importantíssimo. Além disso, a vitória contra uma rival pode dar moral para os nove jogos restantes no campeonato. Por sua vez, a Juve vai a Milão com 65 pontos (9 de vantagem para o Napoli, vice-líder), e o resultado do jogo, qualquer que seja, pouco deve influenciar na sua trajetória no campeonato.

A Inter vem em momento de muita irregularidade, mas descansada – uma vez que a partida contra a Sampdoria, na última rodada, duas semanas atrás, foi adiada. Nos últimos três jogos, os nerazzurri conquistaram uma vitória, um empate e uma derrota. A partida mais recente, no entanto, deu gás para a equipe: 4 a 1 sobre o Tottenham. Além disso, a equipe conta com o fato de ter perdido apenas um jogo entre os últimos 18 disputados em casa.

Para este dérbi, que será o primeiro disputado durante o dia desde 1997, a Juventus chega com tranquilidade e buscando não se desgastar muito para enfrentar o Bayern de Munique, pelas quartas de final da Liga dos Campeões, nesta terça. A equipe ainda está invicta há quatro jogos, nos quais sofreu só um gol.

Os dérbis mais recentes

11ª rodada – Juventus 1-3 Inter

Este foi um dos dérbis mais marcantes dos últimos anos, pela quantidade de aspectos envolvidos. Em primeiro lugar, o jogo começou alucinante, com um gol irregular da Juventus com 18 segundos de bola rolando. A Inter, que costumava se descontrolar com erros de arbitragem após o Calciopoli, não reclamou e virou o jogo na bola. A escolha de Stramaccioni, que colocou Palacio para marcar Pirlo, e a entrada de Guarín ajudaram a Inter a virar, com dois de Milito e um do próprio Palacio, e conquistar o 3 a 1. A partida encerrou uma série de 49 jogos de invencibilidade da Juve e ainda decretou a primeira derrota bianconera na Arena Juventus.

29ª rodada da Serie A 2011-12 – Juventus 2-0 Inter

No campeonato anterior, a Juventus teve melhor sorte e venceu a Inter em casa pelo placar de 2 a 0. Contra uma Inter nada brilhante, a Juve fez dois gols no segundo tempo, com Cáceres e Del Piero, para definir o placar e provocar a demissão de Ranieri do comando da Inter e permitindo a Stramaccioni iniciar seu trabalho. No outro jogo da temporada, outra vitória da Juve: 2 a 1 em Milão, com gols de Vucinic e Marchisio; Maicon descontou.

Estatísticas gerais

Os rivais já se enfrentaram 186 vezes no campeonato italiano, com ampla vantagem de resultados para a Juventus. A Velha Senhora venceu 83 vezes, contra 57 da Inter – outros 46 jogos acabaram empatados. São 265 gols a favor dos alvinegros e 236 aqueles favoráveis ao time azul e preto. No total, as estatísticas confirmam 219 partidas oficiais entre os clubes, com 98 vitórias juventinas, 68 interistas e 53 empates; 313 gols turinenses, 274 milaneses.

Platini caçado por Beppe Baresi, nos anos 80 (LaPresse)

A partida com maior número de gols entre os dois times aconteceu em 1961. Naquela ocasião, a Juve bateu uma equipe de juvenis da Inter por 9 a 1, e também conquistou sua maior vitória sobre o time de Milão. A maior vitória da Beneamata sobre a Juventus aconteceu em 1954: 6 a 0.

Personagens históricos

Inter e Juventus sempre tiveram jogadores muito ligados aos clubes e que, naturalmente, sentiam mais os dérbis. Casos de Javier Zanetti, Giuseppe Bergomi ou Giuseppe Baresi pela Inter; Alessandro Del Piero, Gaetano Scirea ou Carlo Parola pela Juve. No entanto, dois deles representam muito mais: o juventino Giampiero Boniperti e o interista Sandro Mazzola. No dia em que o primeiro encerrava sua vitoriosa carreira, o outro iniciava uma era na Inter. A partida, inclusive, foi o já citado 9 a 1 de 1961, sobre o qual falaremos melhor já já. Naquele jogo, o argentino Omar Sivori acabou se tornando o maior goleador em um único dérbi, com seis gols realizados numa mesma partida – no mesmo ano, ele receberia a Bola de Ouro.

Os artilheiros do confronto são dois jogadores que vestiram a camisa de ambos os clubes: Giuseppe Meazza e Roberto Boninsegna, com 12 gols. Meazza marcou 10 vezes pela Inter e outras duas no único ano em que passou em Turim. Já Bonimba marcou nove pela Inter e outros três pela Juve.

Meazza é um dos três únicos jogadores a terem marcado três gols num mesmo dérbi, chegando ao feito em um 4 a 0 aplicado pela Inter em 1935-36. Os outros jogadores são Franco Causio (de grande história pela Juve, mas também ex-jogador da Inter), e Alessandro Altobelli (de grande carreira na Inter, mas ex-jogador da Juve). Causio liderou a vitória da Velha Senhora sobre a Beneamata em 1971-72, marcando os três gols da vitória, fundamental para o primeiro dos nove scudetti que a equipe conquistou nas décadas de 70 e 80. Já Altobelli deixou sua marca em 1979, dez anos antes de se transferir à Turim, num 4 a 0 da Inter, em temporada que acabou com título nerazzurro.

Entre os artilheiros da atualidade, o destaque é Del Piero, que sempre crescia muito em jogos contra a Inter. Além de fazer excelentes partidas, o principal goleador da história da Juve deixou 10 gols nas redes azuis e pretas. Do lado da Inter, o grande artilheiro dos últimos anos é o argentino Julio Cruz, com sete gols marcados entre 2003 e 2007. Besta negra da Juventus, o útil reserva da Inter crescia muito em partidas decisivas e, por isso, sempre foi muito respeitado pela torcida nerazzurra. Em 2007-08, marcou quatro vezes contra a Juve, e ajudou a equipe a conquistar a Serie A e a Coppa Italia.

Algumas curiosidades: o atacante Pietro Anastasi, ex-Juve, marcou nove gols no confronto, e era madrugador. Destes gols, cinco saíram nos 10 minutos iniciais de jogo. O atual técnico da Juventus, Antonio Conte, foi expulso duas vezes em sua carreira, ambas em partidas realizadas com a Inter em Milão.

Dérbis marcantes

Um dos grandes dérbis da história de Inter e Juventus foi, justamente, o terminado em 9 a 1, vencido pela Juve. Não bastasse ser a última partida de Boniperti e a primeira de Mazzola, as duas equipes disputavam o scudetto cabeça a cabeça e houve um episódio que acendeu as diferenças políticas entre os clubes. O jogo, disputado em Turim, teve a invasão de milhares de torcedores ao gramado, e a vitória foi dada à Inter no tapetão. A Juventus, presidida por Umberto Agnelli (também presidente da Federação Italiana de Futebol – FIGC), entrou com recurso e a partida teve de ser disputada novamente dois meses depois. Em protesto, o presidente Angelo Moratti ordenou que a Inter entrasse em campo com jogadores do time juvenil, o que facilitou a goleada por 9 a 1.

Iuliano faz pênalti em Ronaldo, em lance polêmico (Il Post)

Outras vitórias marcantes da Juventus foram a já citada vitória por 3 a 0, com tripletta de Causio, e outra conseguida em 1977, no auge da grande equipe treinada por Giovanni Trapattoni nos anos 70. Com dois gols de Boninsegna, a equipe bianconera fez 2 a 0 na Inter e acabou se sagrando campeã italiana – no mesmo ano, levou também a Copa Uefa.

No quesito polêmicas, um outro jogo muito lembrado é o 1 a 0 da Juve sobre a Inter em Turim, em 1998. A quatro rodadas do fim do campeonato, as duas equipes disputavam o título e a Velha Senhora tinha um ponto de vantagem sobre a Beneamata. A Juve vencia por 1 a 0, com gol de Del Piero, até que Ronaldo, contratado junto ao Barcelona naquele ano (acabaria como vice-artilheiro do campeonato, com 25 gols), foi derrubado de maneira irregular por Mark Iuliano. O árbitro Ceccarini não marcou nada e os jogadores da Inter se revoltaram. Taribo West chegou a cometer pênalti, desperdiçado por Del Piero, e a Inter perdeu a cabeça e também o campeonato. Não seria naquele ano que o jejum de títulos (àquela época, de nove anos), seria quebrado. A partida gerou, ainda, problemas políticos no parlamento italiano, já que alguns deputados brigaram por causa de desavenças futebolísticas.

Para os nerazzurri, um dos jogos marcantes foi um 2 a 0 conseguido em Turim em 1983. Pouco antes do jogo, o meia Giampiero Marini foi atingido por um tijolo lançado por um torcedor bianconero e se feriu. Em campo, a partida acabou 3 a 3, mas o júri esportivo concedeu a vitória por 2 a 0 devido ao acontecimento. No ano seguinte, outro dérbi lembrado é o da vitória da Inter por um sonoro 4 a 0,no mesmo ano em que a Juve de Scirea e Platini seria campeã europeia.

Para a Inter, também é lembrada a vitória na Supercoppa Italiana em 2005, com gol de Juan Sebastián Verón nos acréscimos. Após o título da Coppa Italia no ano anterior, a Inter começava seu período de supremacia na Itália e a vitória sobre a Juventus foi importante para a disputa do campeonato (depois da revelação do esquema Calciopoli, dado à Inter), e da Coppa Italia, ambos os campeonatos vencidos pelos nerazzurri. O dérbi vencido nesta temporada, por 3 a 1, com gols de Milito (2) e Palacio, também está na memória dos interistas pela quebra da invencibilidade da grande rival.

Deixe um comentário