Liga dos Campeões

Parou na trave

Não deu para o Milan (Fifa.com)
Trinta e sete minutos do primeiro tempo, Montolivo teve a
bola sob pressão dentro da área de defesa, se virou bem e deu um chute para o
meio campo. Mascherano tentou cortar mas apenas resvalou e a bola caiu nos pés
de Niang que teve meio campo pela frente até encarar Valdés. Talvez o peso de
substituir Pazzini e ser o segundo jogador mais novo da história do Milan a
jogar uma Champions League tenha sido decisivo na finalização. Apesar de ter deslocado
o goleiro blaugrana, viu a bola bater na trave. A trave que foi uma aliada
milanista no confronto do San Siro, dessa vez foi não só a vilã como também
decisiva para a eliminação do Milan. 
A chance de ouro do Milan apareceu depois que o placar já
estava adverso. Aos cinco minutos, Messi recebeu cercado por seis milanistas e
arranjou um mínimo espaço para chutar no ângulo, deixando Abbiati vendido. Toda
força defensiva apresentada em Milão passou longe dos jogadores milanistas.
Nem mesmo o bom futebol apresentado pelo Barcelona justificou a apatia
descomunal de jogadores que foram fundamentais como Ambrosini e Montolivo e
Boateng.
Com mais de 80% da posse de bola, nada mais natural do que
uma pressão culé, que deixou o Milan
todo acuado. A chance de Niang deixou claro como o time espanhol se expunha,
mas também mostrou como uma bola pode ser crucial. O castigo veio um minuto
após a incrível chance desperdiçada. Uma saída de bola errada por Ambrosini e a
bola sobrou nos pés de Iniesta que entregou a Messi na entrada da área. Bastou
uma ajeitada para a perna esquerda e um chute forte entre as pernas de Mexès
para que a virada se consumasse.
Os únicos minutos em que o Milan não sofreu pressão do
Barcelona foram os do intervalo, pois bastou a bola voltar a rolar no segundo
tempo para que Messi já criasse mais uma chance de perigo. O terceiro gol veio
após mais uma saída de bola errada, dessa vez de Zapata, de quem Mascherano roubou a bola.
O argentino a mandou nos pés de Xavi, que fez um lindo lançamento para Villa, sozinho dentro da
área após erro de marcação de Constant, chutar no canto direito de Abbiati.
Apesar do placar adverso, um gol daria a classificação ao
Milan. Assim, Allegri mexeu no time, mas as entradas de Robinho e Muntari pouco
deram resultado. Somente após Bojan vir a campo é que o Milan enfim criou
algumas chances. Na melhor, o ex-barcelonista cruzou para Robinho, que foi
travado por Alba.
Já nos acréscimos, uma trapalhada entre Robinho e Bojan
deixou um contra-ataque armado para o Barcelona. Dos pés de Messi, a bola
chegou em Sánchez, que lançou Alba. O lateral só teve o trabalho de tocar
para o gol e sacramentar a classificação barcelonista e a eliminação do Milan.
Novamente eliminado pelo Barcelona, o Milan, mesmo após o
grande resultado da partida de ida, evidenciou a fragilidade da equipe em
âmbito europeu e deu nova vida a um Barcelona que tinha a temporada
comprometida. Resta aos rossoneri se qualificar à próxima edição do campeonato
europeu e armar um time capaz estar a altura das tradições rubro-negras e de ir
mais longe na próxima temporada.

Deixe um comentário