Serie A

23ª rodada: Você acredita em milagres?

Profecias, divindades e milagres: a Inter não sofre gol e um muro lhe dá a primeira vitória de 2014 (inter.it)

Há algumas rodadas, o Campeonato Italiano tem tido poucas alterações na sua classificação. Nesta rodada, não foi diferente. Os resultados pouco alteraram a tabela, e apenas a Inter pode sorrir mais, já que conseguiu vencer e voltar à zona de classificação para a Liga Europa. Houveram algumas alterações no meio da tabela, e na parte de baixo, o Bologna se afastou um pouco do sufoco. Acompanhe o resumo da rodada.

Inter 1-0 Sassuolo

Juan Jesus, o Divino Jonathan e, agora, o Profeta Hernanes. Com tantos apelidos ou nomes que evocam fé, não foi surpresa que a Inter tenha conseguido um pequeno milagre e tenha voltado a vencer, e jogando bem, nesta Serie A. Frente ao pequeno Sassuolo, a equipe nerazzurra mostrou compactação e vontade de vencer e, sem dar chances ao adversário, ficou pela primeira vez com os três pontos em 2014. A última vitória dos milaneses datava de dezembro, quando a equipe fechou 2013 com uma vitória no dérbi contra o Milan. De lá para cá, a equipe conquistou apenas dois pontos, e tinha o pior retrospecto entre as 20 equipes do campeonato. Com o resultado, a Inter recuperou a quinta posição, ultrapassando o Verona pelos critérios de desempate – ambas as equipes tem 36 pontos. Já o Sassuolo permanece na penúltima posição, com 17 pontos.

Em campo, uma Inter voraz entrou no San Siro com um time ofensivo, com Palacio e Milito na frente e o estreante Hernanes fazendo uma interessante dupla com Guarín, novamente relacionado após a novela de mercado com a Juventus. Na volância, Kuzmanovic era um cão de guarda improvisado, mas fez bem o seu papel. Durante todo o jogo, só deu a Beneamata, que poderia ter feito alguns gols no primeiro tempo, não fossem a falta de ritmo de jogo de Milito, a boa atuação do goleiro Pegolo e a falta de sorte de Hernanes, que quase marcou o seu primeiro pelo novo time. Atrás, Juan anulava o ótimo Berardi, e Floccari sofria com Samuel. O argentino, apelidado The Wall, também foi ao ataque e, em ótima cobrança de escanteio de Hernanes, cabeceou para definir o placar. A Inter poderia ter ampliado, depois, mas Pegolo seguiu evitando que o placar fosse mais elástico. (Nelson Oliveira)

Verona 2-2 Juventus

O Verona não se cansa de surpreender nesta Serie A. Nem depois de estar perdendo de 2 a 0 para a poderosa Juventus, a equipe de Mandorlini desiste. Guiados por um incansável Luca Toni, os gialloblù conquistaram mais um bom resultado no campeonato e permanecem na briga por vaga na Liga Europa, ocupando agora a sexta posição, com os mesmos 36 pontos da Inter, quinta colocada. Mas o ponto conquistado em casa não veio com facilidade. A Juve dominou amplamente o jogo durante a primeira etapa e, aos 20 minutos, já vencia por 2 a 0, com dois gols de Tévez. O argentino já tem 13 no campeonato. 

Com o resultado já construído e um bom domínio territorial, a Velha Senhora voltou para o segundo tempo menos atenta e logo aos sete minutos viu Luca Toni diminuir, com cabeçada perfeita no meio da zaga. Chamando a responsabilidade, o ex-atacante juventino apareceu bem em pelo menos mais três oportunidades e quase empatou. O gol decisivo, porém, só saiu nos acréscimos: Rômulo cruzou e o argentino Gómez cabeceu para empatar e levar abaixo o estádio Marcantonio Bentegodi. Com o empate, a Juve permanece nove pontos à frente da vice-líder Roma, que não saiu do zero contra a Lazio. (Rodrigo Antonelli)

Lazio 0-0 Roma

Normalmente, o dérbi romano é mais do que quente. Gols, discusões, cenas lamentáveis e cartões a rodo são típicos. Dessa vez, Lazio e Roma decepcionaram e não proporcionaram um manancial de emoções. Pelo contrário, a partida no Olímpico foi morna e teve poucas emoções. Melhor para a Lazio, que praticamente não assustou os romanistas e, em fase de recuperação, conseguiu um bom empate contra uma equipe mais capacitada. O resultado não alterou a tábua de classificação: mantém a Roma na vice-liderança, com 51 pontos, 9 atrás da Juventus, e a Lazio na nona posição, com 32.

No primeiro tempo, a Roma até chegou ao gol, depois que Gervinho aproveitou rebote de Berisha em chute de Maicon – o gol, porém, foi bem anulado por impedimento. A Lazio, por sua vez, não tinha um bom desempenho ofensivo, sobretudo porque o jovem Keita estava sumido – a equipe melhorou com a entrada do capitão Mauri, que voltou aos gramados após 8 meses de suspensão por não haver denunciado manipulação de resultados. Porém, apesar da leve melhora laziale, a Roma seguiu dando as cartas do jogo, mas pecando nas finalizações. Michel Bastos, estreante, e Gervinho, atazanaram a defesa biancoceleste, mas o gol não saiu. Na única chance da Lazio no segundo tempo, Onazi errou passe que deixaria Klose na cara do gol, e De Sanctis deixou o gramado sem sujar o uniforme. (NO)

Napoli 3-1 Milan

Porque o jogo foi frenético. Antes do primeiro minuto da partida, Higuaín já tinha testado Abbiati. O Milan, contudo, saiu na frente com Taarabt, estreante, que puxou contra-ataque e bateu bonito para vencer Reina – o marroquino ganhou chance porque Kaká começou no banco, por não estar 100%, e Honda ficou de fora por conta de uma gastroenterite. Pouquíssimo tempo depois, Abbiati defendeu o remate de Hamsík e Mexès bloqueou o chute de Higuaín. Só que o goleiro rossonero nada pode fazer quando a bola desviou em De Jong, após finalização de Inler. Na verdade, fez: buscou a redonda no fundo do gol. Em 11 minutos, o telão no San Paolo mostrava 1 a 1. 

Os outros dois gols do jogo saíram apenas no segundo tempo. Higuaín aproveitou a linha de impedimento do Milan para desviar, de cabeça, o lançamento de Inler. Ele tocou no cantinho de Abbiati. Sem chances. Depois, Maggio recebeu de Hamsík e rolou para Higuaín marcar novamente e decretar o resultado final do jogo em Nápoles. Antes disso, Balotelli foi figura central no jogo. Substituído durante a segunda etapa, as câmeras flagraram o jogador chorando no banco de reservas. Cogitaram cantos racistas, mas o atacante do Milan estava triste porque não marcou um gol para sua filha. (Murillo Moret)

Fiorentina 2-0 Atalanta

Depois de duas derrotas consecutivas (uma na Serie A e outra na Coppa Italia), a Fiorentina volta a respirar com um resultado positivo conquistado com dificuldade. O time de Montella não jogou tão bem quanto pode e até foi dominado pela Atalanta em partes do jogo, mas mostrou ser superior tecnicamente e decidiu a partida em dois lances individuais. Primeiro, aos 16 minutos do primeiro tempo, Ilicic cobrou falta perfeita no ângulo de Consigli. Depois, já aos 41 da etapa final, Wolski puxou contra-ataque sozinho e, cercado por três, conseguiu driblar bonito antes de chutar para o fundo do gol. 

Do outro lado, a Atalanta não contou com um Denis tão decisivo quanto costuma ser e teve problemas para chegar com grande perigo, apesar da maior posse de bola. Os nerazzurri ainda reclamaram de um pênalti sobre o argentino, mas o juiz não marcou nada. Com 27 pontos, o time de Colantuono ocupa a 13ª colocação. Já a Fiorentina permanece no quarto lugar, três pontos atrás do Napoli, último da zona Liga dos Campeões. Na rodada que vem, os viola recebem a Inter, em jogo que pode distanciar ainda mais a rival, que tenta entrar nessa briga. (RA)

Torino 1-2 Bologna

No primeiro jogo sem Diamanti, vendido ao Guangzhou Evergrande, o Bologna conseguiu sua primeira vitória ante o Torino fora de casa desde dezembro de 1980: 2 a 1, no Olímpico. Logo no início do jogo, Darmian cruzou na cabeça de Immobile, que marcou o primeiro. Foi o sétimo gol nos últimos sete jogos da Serie A. Daí, o gol do Bologna. Vamos com calma: Darmian vacilou na saída de bola. Glik e Maksimovic fecharam na marcação, mas os zagueiros trombaram e nada fizeram. Padelli saiu do gol desesperadamente e a bola sobrou para Cristaldo, que não tinha nada a ver com isso e estufou a rede. O mesmo Cristaldo ainda aproveitou uma defesa para o meio da área de Padelli para virar o jogo, ainda na etapa inicial.

Nervoso, o técnico Gian Piero Ventura mudou sua equipe duas vezes no intervalo: Kurtic e Basha nos lugares de Darmian e El Kaddouri. O ponta Cerci quase empatou o jogo numa cabeçada aos cinco minutos do segundo tempo, mas a bola tocou no travessão e saiu. Ibson, reforço contratado junto ao Corinthians, debutou neste jogo pela Serie A. (MM)

Udinese 3-0 Chievo
Com um segundo tempo quase perfeito e um show de bola de Di
Natale, a Udinese não tomou conhecimento do pobre Chievo e conquistou a
terceira vitória na sequência (sendo duas pela Serie A, pela primeira vez na
temporada). Embalado pela vitória no meio de semana, na Coppa, ante a
Fiorentina, o time bianconero buscava uma reação no campeonato nacional, para
se distanciar da zona de rebaixamento e também acabar com a sina do Friuli, onde não vencia desde novembro.
A Udinese foi melhor no início do jogo, especialmente
aproveitando as bobeiras da zaga veronesa, tendo chances com Lazzari e Basta,
mas foi o Chievo, com Théréau quem quase chegou ao gol. Na segunda etapa, um
outro jogo. Apesar de organizado e esforçado, o Chievo sucumbiu à qualidade de Di Natale. Aos 11, Totò acertou um belo chute diagonal para abrir
o placar. Aos 29, o camisa 10 fez bela jogada, deixou para Pereyra que serviu
Bruno Fernandes para ampliar. E já no final, Badu definiu o marcador, após passe
de Fernandes. Ótimo resultado sobretudo lembrando que a Udinese terá a chance de se classificar para a final da Coppa Italia, caso mantenha a vantagem conquistada sobre a Fiorentina na partida de ida. (Caio Dellagiustina)
Sampdoria 1-0 Cagliari
Depois do triunfo no derby, a Samdpdoria recebeu o Cagliari
e conseguiu sua segunda vitória consecutiva na Serie A, batendo o rossoblù com
um gol de Gastaldello, logo no início do jogo. O time blucherchiato começou melhor o jogo e aos 11
minutos abriu o marcador. Palombo recebeu na lateral da área e cruzou na cabeça
de Gastaldello que, sozinho na segunda trave completou para as redes. Na
sequência, a grande polêmica do jogo. Após cobrança de falta, Sau recebeu
dentro da área, dominou no peito e estufou as redes, mas o árbitro Diego Roca
assinalou impedimento para revolta dos visitantes.
Depois das reclamações, as duas equipes tiveram boas
chances, mas tanto Avramov quanto o brasileiro Da Costa realizaram boas
intervenções. Sau e Vecino chegaram perto, mas pecaram na hora da finalização,
fazendo com que a equipe sarda acumulasse à quarta derrota nos últimos
cinco jogos e mantendo ainda o tabu de não vencer longe do Sant’Elia nessa
temporada. Com o resultado, a Samp chegou à 12ª colocação, com 28 pontos,
abrindo 11 para o Livorno, primeiro time da zona de rebaixamento. E o sonho pode
até ser mais alto, afinal a distância para a zona europeia é de oito
pontos. (CD)

Livorno 0-1 Genoa
Após dois resultados úteis com o novo técnico, o Livorno voltou a perder, em casa, e se complica na luta contra o rebaixamento, principalmente por causa da vitória do Bologna sobre o Torino. Com apenas 17 pontos conquistados em 23 jogos, a equipe de Di Carlo ocupa a 18ª colocação na tabela e vê Sassuolo e Catania – os dois últimos – muito perto. Essa derrota, porém, não foi merecida. O time da casa jogou razoavelmente bem e merecia sair pelo menos com o empate. O gol de Antonelli logo aos 10 minutos de jogo, no entanto, foi decisivo. Depois de confusão na área e erros de marcação, a bola sobrou para o lateral genovês, que não desperdiçou. Para o Genoa, o resultado valeu ainda por ter mostrado a reação da equipe após a derrota no dérbi local.

No segundo tempo, o Livorno foi com tudo para cima do Genoa. O 3-4-3 virou um 4-3-3 depois que Di Carlo trocou Piccini por Belfodil e o time alcançou um gol com Emeghara. O atacante, contudo, estava em posição de impedimento. Paulinho também se movimentou bem e criou boas chances para o Livorno, mas o gol de empate não saiu. Di Carlo foi expulso do banco de reservas por reclamação ainda na primeira metade do segundo tempo e seu time caiu de rendimento após sua exclusão. Com o restultado, o Genoa vai a 30 pontos e fica na confortável 10ª posição na tabela. Ainda assim, o segundo tempo bem abaixo da média deve ficar de lição para os rossoblù. (RA)

Parma 0-0 Catania
Apesar do zero no placar, Parma e Catania fizeram um jogo movimentado no Tardini. Apesar de estar jogando fora de casa, foram os sicilianos que chegaram mais perto da vitória, mas dois chutes na trave, de Bergessio e Barrientos, negaram a alegria da vitória para a equipe, que busca deixar a zona de rebaixamento.

Para o Parma, apesar do décimo primeiro resultado útil na temporada, ficou a frustração pela chance perdida de conquistar a quinta vitória seguida e a chance de se aproximar mais da zona europeia. Ao final do jogo, a torcida vaiou a equipe pelo resultado – de forma até injusta, afinal o time de Donadoni faz um excelente campeonato. Os parmenses ficam na sétima posição, com 33 pontos (e um jogo a menos), e o Catania segue na lanterna, com 16 pontos. (NO)

Relembre a 22ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Perin (Genoa); Rômulo (Verona), Gastaldello (Sampdoria), Samuel (Inter), Morleo (Bologna); Inler (Napoli), Pereyra (Udinese); Tévez (Juventus), Di Natale (Udinese), Higuaín (Napoli); Toni (Verona). Técnico: Rafa Benítez (Napoli).

Deixe um comentário