Liga Europa

Liga Europa: Italianos agendam encontro na próxima fase

Juve passava dificuldades, mas gol de Pogba deixou a equipe em boa condições contra Trabzonspor (AP)
A Itália tem levado a sério a Liga Europa, e não é de hoje, como já afirmamos aqui várias vezes. Desta vez, apenas Fiorentina e Juventus conseguiram bons resultados, e deram enormes passos para a classificação às oitavas do torneio – onde, caso se classifiquem, se enfrentarão. Napoli e Lazio (mais os romanos) tropeçaram e terão de conseguir o resultado na partida de volta. Acompanhe as análises.

Juventus 2-0 Trabzonspor

Já pensou entrar em campo sabendo que seu adversário não venceu uma partida em 2014? Ajuda na mesma proporção que pode desmotivar. Se vencer, era obrigação; se perder, é um Deus nos acuda. Os gols de Osvaldo e Pogba deram a Juventus a chance de largar na frente por  uma vaga nas oitavas da Liga Europa. O time fez um bom primeiro tempo e precisa agradecer  ao adversário, que não ofereceu tanto perigo nos piores momentos bianconeri em Turim. O novo atacante da Juve pegou a sobra, entrou na área e chutou por entre as pernas de Kivrak para comemorar com a torcida. Em 20 minutos, o 1 a 0 no telão não representava o que as equipes faziam. Só dava Juventus. O Trabzonspor estava com muita dificuldade para sair de seu campo. Pirlo, Pogba e Marchisio forçavam a marcação e induziam o rival ao erro. Tévez perdeu boa chance, dentro da área, após cruzamento de Isla. Daí o chileno, depois do gol de Osvaldo, recebeu um bolão do argentino, deixou Demir sentado e parou em ótima defesa do goleiro. 

Apareceram, então, outros dois jogadores no ataque da Velha Senhora. Pogba inverteu o jogo, Peluso tocou para o meio e Tévez, livre de marcação próximo à marca do pênalti, pensou,  ajeitou o corpo, chutou tirando do goleiro e… Tiro de meta. A bola passou muito perto da trave esquerda. O camisa 10 voltaria a aparecer antes do intervalo com um corte no zagueiro, após receber a bola de Isla, e chutar no meio do gol. No segundo tempo, Osvaldo enfrentou Kivrak novamente. Desta vez, o goleiro venceu o atacante e fez uma boa defesa para manter o resultado. A Juventus deixou de pressionar, contudo, e deixou o adversário com a posse de bola. 

Passe pra cá, passe pra lá. E chegou. Foi numa jogada estranha. Paulo Henrique foi desarmado por Vidal, porém, a bola ficou com o seu companheiro. De letra, ele recebeu dentro da área e bateu cruzado. Na segunda trave, Erdogan salvou e tocou para Adin empatar o jogo. Mas não valeu. A bola já tinha saído de campo, e a única coisa conquistada pelos turcos foi um escanteio. A partida chegou ao final após o gol de Pogba, no quarto minuto de acréscimo. O francês, que já tinha acertado a trave, pegou de primeira e fez um bonito gol para dar a vantagem ao seu clube na Liga Europa. Na próxima quinta-feira tem mais. Pode rolar um Juventus x Fiorentina nas oitavas. Bom jogo? (Murillo Moret)

Esbjerg 1-3 Fiorentina
Equipe
italiana mais tranquila em competições europeias até o momento, a
Fiorentina não teve dificuldades na fase de grupos e, com seriedade,
voltou a encaminhar bem as coisas para as oitavas de final. Nos 16 avos
de final, o time de Montella foi até a Dinamarca enfrentar o Esbjerg e
conquistou importante triunfo ainda na primeira etapa. Os 3 a 1 fora de
casa deixam os viola em posição confortável para o jogo em Florença, a
ser disputado no dia 27 de fevereiro.

O começo de jogo na Blue Water Arena foi eletrizante. Com 15 minutos
o placar já marcava 2 a 1 para os italianos. Aos 8, Mati Fernández descolou
bonito e preciso lançamento para Matri, que teve categoria para dominar e
finalizar, abrindo o marcador. Aos 10, em cruzamento da direita,
Roncaglia falhou no posicionamento, afastou mal e a bola sobrou para o
centroavante Pusic, que deu bastante trabalho à defesa florentina,
igualar. Aos 15, contudo, Aquilani lançou e Roncaglia se redimiu fazendo
boa jogada pela direita. No cruzamento do argentino, Drobo-Ampem também
afastou mal e a bola sobrou para Ilicic chutar colocado.

O Esbjerg
tentou reagir, criou chances, mas em contra-ataque a Fiorentina matou o
jogo. Na ponta esquerda, Ryder foi calçado ao entrar na área e o pênalti
marcado. Aquilani cobrou com perfeição e definiu o placar final. O
segundo tempo, então, foi marcado por um Esbjerg que tentava diminuir a
desvantagem, mas não apresentava qualidade e parava nas defesas de Neto
ou no bom desempenho da defesa viola. O time de Montella, por sua vez,
controlou bem e levou algum perigo, como na cabeçada de Gómez em
cruzamento de Ilicic. Os viola estão quase lá. (Arthur Barcelos)

Swansea 0-0 Napoli
Apesar de entrar em campo sem poupar e ter deixado claro que tem o interesse de brigar pelo título da Liga Europa, o Napoli não largou bem na competição. Mas, pelas circunstâncias do jogo, o 0 a 0 no País de Gales foi muito bom para os azzurri. Tanto o Swansea, quanto os italianos atuaram no 4-2-3-1, porém, na execução da proposta de jogo, os galeses foram melhores. Por isso, o 0 a 0 na ilha pode ser considerado muito bom para os azzurri. O Napoli teve alguns bons momentos na partida, principalmente, logo no início de cada tempo. Inclusive, nos primeiros 15 minutos da partida, se viu muita intensidade e troca de ataques constantes entre as equipes.

Porém, após o início movimentado, o Swansea controlou o jogo, com muitas trocas de passes e muita posse de bola (limitou o Napoli a 31% de posse). O controle da bola também resultou em muitas finalizações para os Swans: 21, destas, oito no alvo. O bombardeio fez com que Rafael saísse como herói do primeiro tempo. O goleiro brasileiro só não deixou a partida mais consagrado, pois foi substituído no intervalo por conta de uma lesão. Pepe Reina, que o substituiu, também fez ótimas defesas e conseguiu manter o zero no placar. Já os azzurri só acertaram um chute no gol adversário e pouco criaram na partida. A falta de criatividade foi um reflexo da participação dos trio de meias, pois apenas Callejón teve bom jogo, enquanto Hamsík e Insigne foram nulos na criação. Além disso, Higuaín não conseguiu colaborar muito com a criação da equipe. Ao final da partida, Benítez reconheceu a boa atuação dos galeses e, por isso, gostou do empate: “fomos bravos por não termos tomado gol”. A decisão ocorre na próxima quinta, no San Paolo. (Pedro Spiacci)

Lazio 0-1 Ludogorets
Seis vitórias em sete jogos. Esse é o retrospecto dos búlgaros do Ludogorets, maior surpresa da segunda maior competição de clubes da Europa. Indo contra a corrente, a equipe búlgara perdeu um pênalti (mal marcado) no primeiro tempo, com Dyakov, que atrasou cavadinha para Berisha. O goleiro albanês, porém, falhou no gol balcânico: o chute de fora da área, do esloveno Bezjak, era defensável.

O escrete búlgaro levou sorte na segunda etapa: logo aos 3 minutos, Felipe Anderson desperdiçou penalidade e deixou os romanos perplexos. O mesmo Dyakov, que perdeu o pênalti, acabou expulso, sete minutos depois, mas os laziali não aproveitaram. Em Sofia, será complicado bater o Ludogorets, inclusive porque a fase dos italianos não é boa. (Nelson Oliveira)

Deixe um comentário