Serie A

29ª rodada: Ainda há briga aberta

Gol de Joaquín, no final, reabriu a briga por uma vaga na Liga dos Campeões; Inter não aproveitou (Sky)

Com os 14 pontos de vantagem da Juventus, as atenções na Serie A estão voltadas para a briga por vagas europeias, e contra o rebaixamento. Nesta rodada, o Napoli tropeçou frente a uma Fiorentina aguerrida, em partida que “antecipava” a final da Coppa Italia, e reabriu de vez a luta por uma vaga na Liga dos Campeões – para a Liga Europa, dificilmente Lazio, Atalanta, Torino, Verona, Sampdoria e Milan ameaçam os seis primeiros, o que deixa claro que três entre Napoli, Fiorentina, Parma e Inter brigam pelas quatro vagas europeias, uma delas na LC. Na parte baixa da tabela, alguns confrontos diretos também movimentaram a rodada. Acompanhe a análise da rodada.

Napoli 0-1 Fiorentina
Na briga que realmente importa nesta reta final de temporada do futebol italiano, o Napoli fraquejou pela segunda vez consecutiva na mesma semana e, contando com os mesmos erros da partida que lhe valeu a eliminação na Liga Europa, também em casa, diante do Porto, sucumbiu à uma Fiorentina que jogou por mais de 50 minutos com um homem a mais, após a expulsão de Ghoulam, ainda no primeiro tempo. Com o resultado, o Napoli (58 pontos) vê a Roma abrir seis pontos na vice-liderança e a própria Fiorentina, quarta colocada, ficar apenas sete pontos atrás. A luta pela terceira posição, que dá vaga na Liga dos Campeões, segue aberta, até pela dificuldade que os azzurri encontrarão em sua tabela.

Em campo, o Napoli demonstrou muito nervosismo para concluir suas jogadas. Hamsík, mais uma vez, decepcionou, e fez todos se perguntarem mais uma vez por onde anda aquele jogador insinuante de anos atrás. Higuaín, nervoso, também não foi bem. Quem jogou muito foi o goleiro Neto, da Fiorentina, que fez sete defesas, algumas delas muito importantes para manter o zero no placar e se confirmar, mais uma vez, como uma ótima aposta de Montella, que foi pressionado a contratar um goleiro mais experiente por toda a temporada. Depois da expulsão de Ghoulam, aos 38, a Fiorentina cresceu (principalmente quando Ilicic entrou em campo), mas só foi marcar aos 88, quando Joaquín aproveitou falha de Réveillère e marcou, de cabeça. Antes, Matri havia perdido gol feito e Gómez havia lesionado o joelho. A viola não poderá contar com o alemão contra Milan e Sampdoria. (Nelson Oliveira)

Inter 1-2 Atalanta
Mais cedo do que o jogo no San Paolo, a inter teve uma boa chance de tentar se aproximar de vez da briga por uma vaga na Champions. Porém, os interistas jogariam diante de uma de suas asas negras históricas, a Atalanta, rival local, sediada em Bérgamo, distante 50 km de Milão. O equilíbrio está nos números: antes do jogo deste domingo, eram 21 vitórias da Beneamata, 19 empates e 15 vitórias atalantinas. A Inter não vence a Atalanta desde abril de 2010 (quando fez 3 a 1), e conquistou apenas duas vitórias nos últimos nove jogos contra o time comandado pelo atacante Denis. Desta vez não foi o argentino, autor de quatro gols sobre a Inter na última temporada, que acabou com o jogo: Bonaventura, meia cotado para a seleção italiana, marcou os dois gols do jogo, no qual a Inter foi melhor.

No primeiro tempo, a Inter mostrou que daria as cartas do jogo. O domínio territorial era todo dos milaneses, que, no entanto, não levavam mais perigo do que os bergamascos, que chegaram a acertar a trave e obrigar Handanovic a duas defesas complicadas. Ainda no primeiro tempo, em um contra-ataque, Bonaventura abriu o placar, mas Icardi, no lance seguinte, respondeu. Na segunda etapa, a Inter se lançou completamente ao ataque, e chegou a ter sete jogadores dedicados quase que exclusivamente a marcar gols. A equipe acertou a trave quatro vezes, a mais incrível delas com Jonathan e, na sequência, com Icardi, que errou o gol, que estava a um metro de si. Na sequência, Jonathan, que havia salvado um lance em cima da linha, não marcou Bonaventura, que fez o gol do 2 a 1. Agora, a Inter continua com 47 pontos, 11 atrás do Napoli, e vê sua vida dificultada – hoje o time é o 6º, com o mesmo número de pontos do Parma. Já a Atalanta, com 40 pontos, já pode relaxar e continuar fazendo o bom campeonato que está realizando. (NO)

Chievo 0-2 Roma
As chances desperdiçadas por Totti (em chute de longa distância) e Gervinho (após cruzamento da direita) não foram um problema para a Roma. Os giallorossi decidiram o jogo contra o Chievo ainda no primeiro tempo. O ponta-direita fez o primeiro antes das jogadas de ataque citadas no início do parágrafo. Cesar vacilou no recuo, Gervinho chegou antes de Agazzi e tocou para o fundo do gol. Dainelli certamente ficou com inveja de seu companheiro de zaga, afinal, deu um passe curto perto da área que Destro não conseguiu aproveitar – com uma ótima defesa do goleiro do Chievo. Minutos depois, o atacante converteu em gol o passe recebido de Taddei, que fez ótima partida atuando como regista, substituindo De Rossi e Strootman e agradando, após meses encostado – o jogador revelou que passou este período se adaptando à nova função.

Enquanto a Roma continua com seis pontos na frente do Napoli, 3º colocado, a equipe de Verona perdeu uma posição. O Ceo caiu para 17º lugar e só não entrou na zona do rebaixamento porque supera o Livorno no saldo de gols. O segundo pior ataque da Serie A passou mais um jogo sem criar perigo ao goleiro adversário e, na próxima rodada, tem um duro confronto contra o Bologna, que luta contra o rebaixamento e vem de vitória. (Murillo Moret)

Catania 0-1 Juventus
Apesar de ter o melhor ataque disparado da Serie A, com 65 gols em 29 jogos, a Juventus tem se mostrado bem econômica nesse quesito nos últimos jogos. A equipe de Antonio Conte encntrou dificuldade para balançar as redes nas quatro últimas partidas que disputou – incluindo aqui o jogo contra a Fiorentina pela Liga Europa – e só conseguiu vencê-las pelo placar magro de 1 a 0. E não foi nessa rodada, contra o lanterninha Catania, que o ataque juventino conseguiu se recuperar. O único gol da partida saiu já na segunda etapa, em chute de Tévez que Andújar não conseguiu segurar.

Antes disso, o Catania não vinha mal na partida e até merecia o empate. O time de Maran não se limitou a defender e, tentando chegar ao ataque, acabou repelindo um pouco a Juve. Em um primeiro tempo sem grandes chances de gol, porém, o destaque ficou para as expulsões dos dois técnicos, após diversas reclamações com o árbitro Damato, muito confuso em campo. Depois do gol, a Juve não teve problemas para controlar o resultado e até teve chances de ampliar. A vitória mantém a Velha Senhora 14 pontos à frente da vice-líder Roma e não tira o Catania da última colocação. (Rodrigo Antonelli) 

Lazio 1-1 Milan

De acordo com a imprensa italiana, Galliani teria dado a
Seedorf dois jogos para mostrar que deveria e poderia continuar como treinador
rossonero. E o primeiro aconteceu neste domingo, frente à Lazio, no Olímpico, ante outra equipe que vive um momento conturbado, tendo novos protestos da torcida
contra Lotito. Apesar do momento ruim da equipe milanista, Balotelli iniciou a partida no
banco, aumentando os rumores sobre seu futuro – longe de Milão? E sem o atacante, coube à
Pazzini ser o titular, mas quem balançou as redes foi Konko, contra. Kaká fez
jogada pela esquerda e tentou o cruzamento, a bola desviou no lateral laziale e
enganou Berisha, já no final da primeira etapa.
Após um fraco primeiro tempo, a segunda etapa foi em um
ritmo totalmente diferente. As duas equipes buscavam o gol, sobretudo com
chutes de longa distância. O gol de empate dos biancocelesti saiu após
cruzamento de Candreva, que Biglia desviou e González completou ao gol. Já com
Balotelli em campo, o Milan partiu desesperadamente em busca pela vitória e criou
chances com Pazzini e com o camisa 45, que acertou a trave da Lazio. O placar, porém, seguiu empatado até o final e complicou as duas equipes na classificação, ficando a Lazio a cinco pontos da zona de Liga Europa e o Milan ainda na parte de baixo da tabela. (Caio
Dellagiustina)

Parma 1-1 Genoa
Este resultado e exibição não estava muito bem nos planos de Donadoni, mas o Parma conseguiu mais um ponto, contou com tropeços de Inter, Lazio e Verona, aumentou sua invencibilidade para 17 jogos e subiu uma posição na tabela antes de duro confronto contra a Juventus, nesta quarta. Para o Genoa, agora há quatro pontos da salvezza, importante empate fora de casa contra uma equipe superior na temporada. 

Com a bola rolando, um jogo muito equilibrado e também marcado por excesso de faltas (41, 60% delas por parte dos visitantes, uma marca registrada do time de Gasperini) e bolas laterais (55). Foram poucas oportunidades claras, e boas exibições dos goleiros Mirante e Perin, cotados para a seleção de Prandelli. A despeito da exibição abaixo da média de Cassano, o Parma ainda criou algumas chances, geralmente com Cassani e Schelotto pela direita, buscando Amauri, ou nos chutes de fora da área de Parolo. O gol do Genoa, aos 21, saiu em raro cochilo da defesa crociata, com boa tabela entre Konaté e Cofie, resultando no gol do ganês. A resposta dos donos da casa veio dez minutos depois, quando após cobrança de falta de Cassano e bate-rebate, Schelotto marcou seu terceiro gol no ano. (Arthur Barcelos) 

Sampdoria 5-0 Verona
Uma história não muito romântica envolvendo Verona. Na verdade, vimos um verdadeiro massacre em Gênova. Pelo menos no placar, a superioridade da Sampdoria foi enorme e o time de Mihajlovic deu passo importante para garantir a salvezza, uma vez que terá sequência complicada com Fiorentina, Lazio, Inter, Parma e Napoli. Por isso será importante vencer confrontos diretos contra Sassuolo, Catania, Chievo e Udinese. Já o Verona, bem, parece não se importar mais em fazer resultado, com quatro jogos sem vencer, sendo duas derrotas para adversários diretos por vaga na Liga Europa (hoje praticamente impossível) e um empate e uma derrota contra times que brigam pela salvezza. 

Apesar do placar exagerado, foi uma partida movimentada e até certo ponto equilibrada, mas que evidencia bem a diferença de simplesmente atacar, e atacar e fazer gols. A Samp fez o segundo, e dos dez chutes a gol, cinco passaram por Rafael – longe daquele goleiro do primeiro turno. O Verona, que até finalizou mais vezes, acertou sete vezes o gol, e Da Costa foi muito preciso nas conclusões do trio Iturbe-Toni-Jankovic. O problema do time de Mandorlini foi não ter aproveitado suas chances e exposto a frágil defesa, que Mihajlovic explorou bastante, inclusive mudando seu esquema tático (saiu do 4-2-3-1 e “espelhou” o 4-3-3 gialloblù), sendo que os cinco gols saíram ou de bola parada, ou em rebotes de chutes de longe, ou em tabelas rápidas com participações dos laterais. Marcaram Soriano, duas vezes, Renan, Palombo e Sansone. (AB)

Torino 3-1 Livorno
Em casa, a dupla de ataque do Torino acabou com mais um adversário: 3 a 1 no Livorno, no sábado. A primeira oportunidade de gol do Toro saiu dos pés de Cerci, que recebeu ótimo passe de Kurtic; Bardi defendeu. O goleiro também fez boa intervenção para salvar sua equipe num voleio do esloveno. Com o domínio do jogo, os mandantes saíram na frente aos 25 minutos. Immobile, de cabeça, conseguiu vencer Bardi. O arqueiro do Livorno protagonizou cenas de melhores momentos no Youtube depois de salvar três finalizações num curto espaço de tempo – duas de Glik e uma de Cerci.

Na segunda etapa, Cerci não dobrou a vantagem do Toro porque chutou fraco. Quem balançou a rede novamente foi Immobile, que aproveitou o lançamento de Kurtic para tocar por cima de Bardi. Sete minutos depois o atacante completou a tripletta com um chute potente de longa distância, mostrando seu vasto repertório, na busca por convencer Prandelli a levá-lo para a Copa – com 16 gols, lidera a tábua de artilheiros, ao lado de Tévez. Siligardi, de voleio, descontou para o Livorno, 18º colocado que enfrenta a Atalanta na quarta-feira. Já os turinenses viajam para enfrentar a Roma, e podem ajudar a rival Juventus a ficar mais tranquila na ponta da tabela. (MM)

Udinese 1-0 Sassuolo
No jogo que coroou Di Natale como o jogador que mais vestiu
a camisa da Udinese em jogos da Serie A (foram 324 partidas, superando Valerio
Bertotto) a Udinese teve tudo para vencer com tranquilidade, mas pecou nos erros
e teve de se virar no final para suportar a pressão do Sassuolo e segurar o
placar mínimo. O resultado aliviou a situação da equipe friulana, que chegou
aos 34 pontos, abrindo dez de diferença para a zona de rebaixamento, mas deixou
os emilianos cada vez mais próximos da Serie B.

O jogo não contou com muitas emoções. Aos 26, Di Natale fez
o gol decisivo do jogo, aproveitando a sobra do chute de Pinzi, chegando aos 10
na tabela de artilheiros. Dez minutos depois, porém, o atacante bianconero
teve um pênalti a seu favor, mas mandou a bola para o “espaço”, se revoltando com o gramado mal colocado do Friuli. Mantendo o
placar mínimo e criando pouco, a Udinese sofreu nos minutos finais e só não
levou o empate pois Floccari também desperdiçou uma penalidade. O jovem Scuffet também apareceu bem, defendendo um chute forte do atacante Zaza. (CD)

Bologna 1-0 Cagliari
Após uma sequência de cinco jogos sem vencer, o Bologna conseguiu un triunfo importante, contra o Cagliari, nessa rodada, e saiu da zona de rebaixamento. A distância ainda é curta – apenas dois pontos à frente do 18º colocado -, mas pelo menos até quarta-feira os emilianos podem respirar mais aliviados. Em uma partida tensa, com muitas faltas no meio de campo e sem boas chances de gol, foi um pênalti que salvou o Bologna, já no final do segundo tempo.

Méritos exclusivos para Christodoulopoulos, que cavou, conseguiu e converteu a cobrança, aos 33 minutos da etapa final. A vitória marcou também o reencontro da torcida rossoblù com a vitória: o Bologna não vencia no Dall’Ara há três meses. O Cagliari, por sua vez, continua em ritmo ruim e acumula a segunda derrota seguida na competição – são três jogos sem vencer -, que o coloca em perigo. Despreocupado com a degola até pouco tempo, o time de Lopez agora pode começar a se preocupar, com apenas cinco pontos de vantagem. São só três na frente do ameaçado Bologna. (RA)

Relembre a 28ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui

Seleção da rodada
Neto (Fiorentina); Basta (Udinese), Bovo (Torino), Glik (Torino), Pasqual (Fiorentina); Taddei (Roma), Palombo (Sampdoria), Bonaventura (Atalanta), Soriano (Sampdoria); Christodoulopoulos (Bologna); Immobile (Torino). Técnico: Gian Piero Ventura (Torino).

Deixe um comentário