Serie A

32ª rodada: A volta à “Europa de verdade”

Implacável, Destro se candidata a uma vaga no grupo italiano para a Copa (Getty Images)

A Roma de Rudi Garcia tem 76 pontos em 32 jogos. O time campeão com Fabio Capello, em 2001, fez 75 em 34. Luciano Spalletti levou a sua Roma a 82 em 38, mas não foi campeão, em 2008, porque a Inter virou uma partida contra o Parma, nos minutos finais, e garantiu o título. Estes números mostram como, em situações normais, a Roma deste ano poderia ser campeã, mas tem os feitos reduzidos porque a Juventus de Antonio Conte é fenomenal em solo italiano. Ao menos, como um alento, os romanos praticamente garantiram a volta à Liga dos Campeões, competição que não disputa há três temporadas. Acompanhe o resumo da rodada.

Cagliari 1-3 Roma
18 partidas, 12 como titular, substituído em 10, e 13 gols. Ninguém marca como Destro, na Serie A, em tão pouco tempo: um gol a cada 85 minutos – na Europa, somente Messi e Agüero tem médias melhores. Vítima de lesões e desconfiança, o garoto formado na base da Inter tem superado os problemas em alto estilo e mostrado seu potencial, como já mostrara no seu primeiro ano na capital italiana. Sonhando com um vaga para a Copa de 2014, o atacante deu boa amostra para Prandelli e marcou os três da fundamental vitória giallorossa na Sardenha. Agora os romanos estão 12 pontos à frente do Napoli, praticamente confirmando a vaga para a fase de grupos da Liga dos Campeões, competição que a Roma não disputa desde 2010-11. 

O time de Garcia não foi brilhante, muito menos foi superior, mas mostrou objetividade e soube aproveitar bem o bom posicionamento e faro de gol de Destro. Todos os gols saíram ou em contra-ataques ou triangulações rápidas. O primeiro veio aos 32, quando o próprio Destro puxou contragolpe, abriu para Gervinho e este devolveu para o italiano abrir o placar. O seguindo saiu pouco depois da volta do intervalo, quando após bola parada adversária, Nainggolan recuperou e lançou Destro com um campo inteiro para correr, ajeitar e fuzilar Avramov. E enquanto o Cagliari perdia suas oportunidades, Gervinho fez novo ataque contra a defesa sarda desmontada, abrindo para Florenzi na esquerda e este centrando para Destro fazer sua tripletta. Os donos da casa só foram mexer nas redes de De Sanctis aos 89, após pênalti contestável de Benatia em Pinilla. O próprio chileno descontou para os sardos, em posição mais tranquila que os adversários na briga contra o rebaixamento. Ainda assim, o bastante para Cellino demitir López e chamar Pulga novamente, treinador do time em 2012-13 e vice-treinador nesta temporada – ele havia se demitido dois meses atrás. (Arthur Barcelos)

Juventus 2-0 Livorno
Fácil como tirar um doce da boca de uma criança. Jogando em casa, a líder do campeonato dominou a partida contra o Livorno e, com dois gols de Llorente no primeiro tempo, definiu a parada. O resultado mantém a Juve na ponta, com 84 pontos, oito sobre a Roma, mas segundo o técnico Antonio Conte, o campeonato ainda está aberto. Após o jogo, o treinador reconheceu a grande campanha da equipe romana, que só não lidera porque a Juventus tem números extraterrestres e ainda sonha em superar os 100 pontos. O Livorno, muito mais modesto, segue na 18ª posição, com 25 pontos, dois abaixo de Chievo e Bologna, que estão fora da zona do descenso.

No Juventus Stadium, a equipe bianconera deu as cartas desde os primeiros minutos, buscando muito as jogadas pelos flancos, acionadas por um Pirlo novamente sólido, após prestações opacas. Porém, foi em uma chance criada por Tévez que Llorente recebeu e girou para o gol, abrindo o placar, aos 32 minutos. Três minutos depois, após cobrança de escanteio de Pirlo, o espanhol cabeceou para baixo e contou com uma falha de Bardi para ampliar e chegar ao seu 13º gol na temporada. No restante do jogo, a Juventus manteve a bola quase o tempo inteiro no campo de ataque e Buffon só trabalhou após chute de Duncan, quando fez a única (e grande) defesa nesta segunda. (Nelson Oliveira)

Parma 1-0 Napoli
O Parma conseguiu voltar a vencer após três derrotas consecutivas na Serie A. Os crociati bateram o Napoli por 1 a 0, no Ennio Tardini. A partida não foi lá muito corrida; as duas equipes não tiveram tantas chances de gol. O time visitante começou o jogo melhor e, aos 10 minutos, teve um gol corretamente invalidado. Insigne bateu falta e Fernández, impedido, tocou por debaixo de Mirante. O único tento anotado na disputa foi de Parolo, num chute violento da entrada da área após cruzamento rasteiro de Cassani. A bola entrou no ângulo esquerdo.

Zapata entrou no lugar de Higuaín na etapa final (foi a terceira vez que o argentino foi substituído nos últimos quatro jogos), e foi o protagonista de um lance polêmico. O jogador driblou Mirante e caiu dentro da área. O árbitro Mauro Bergonzi não marcou pênalti e ainda mostrou cartão amarelo ao atacante – de forma acertada, o que é quase um milagre, para um dos piores apitadores do campeonato. Para o Parma, a rodada foi ótima, uma vez que a Inter não venceu e os crociati pularam para a 5ª colocação pelo número de vitórias. O Napoli permanece em 3º lugar, 12 pontos atrás da Roma. Nada deve mudar para os azzurri até o final desta temporada. (Murillo Moret)

Fiorentina 2-1 Udinese
A Udinese não é a mesma sem Di Natale. E isso
ficou ainda mais claro logo no início do jogo contra a Fiorentina. A
equipe de Guidolin começou bem o jogo no Artemio Franchi e teve duas
chances de abrir o placar contra os donos da casa. Mas quem estava no
ataque era Muriel, não Di Natale: em dois bons contra-ataques, o
colombiano não soube aproveitar as chances e o placar continuou zerado.
Quem comemorou primeiro foi outro colombiano. Melhor homem em campo mais
uma vez, Cuadrado chutou de longe, aos 25 minutos, para abrir o placar.

Depois, já na metade do segundo tempo, ele apareceu
decisivamente de novo, sofrendo o pênalti que Rodríguez converteu para
consolidar a Fiorentina na quarta colocação do campeonato. A marcação do
árbitro Celi indignou os friulanos, que ainda diminuíram no final da
segunda etapa, em chute malicioso de Bruno Fernandes. Assim, a Udinese
permance na 14ª posição, com 38 pontos e sem objetivos na competição,
enquanto a Fiorentina vai a 55 e abre cinco de vantagem sobre a Inter,
quinta colocada. A vaga na Liga Europa está praticamente garantida, mas o
sonho pela Liga dos Campeões ainda não foi deixado de lado. Pelo menos é
isso que afirma Montella, mesmo com o Napoli nove pontos à frente: “O
futebol reserva surpresas”. (Rodrigo Antonelli)

Inter 2-2 Bologna
 A Inter não desaponta na arte desapontar. Após a derrota para a Juventus, o time de Mazzarri emplacou sequência de seis jogos de invencibilidade, mas a partir da 29ª rodada, o time voltou a falhar. A equipe conquistou míseros três pontos em quatro partidas, sendo três confrontos em casa – e o jogo fora de casa, contra o freguês Livorno. Nesse sábado, pela décima vez no campeonato os nerazzurri cederam o empate e perderam outra oportunidade de confirmar a vaga na Liga Europa, hoje ameaçada por Lazio, Verona, Atalanta, Torino e Milan. São mais de 20 pontos perdidos, que poderiam colocar a equipe na terceira colocação. Para o Bologna, apesar de seguir a apenas dois pontos da zona de rebaixamento, um ponto
inesperado, e, portanto, importante – especialmente para o psicológico do time.
 
Com a bola rolando, apesar da superioridade e favoritismo, a Inter não foi mais perigosa que o Bologna, que pela terceira vez consecutiva arrancou pontos em Milão – duas vitórias e este empate. O 3-4-3 de Mazzarri, com Hernanes regendo para o trio Álvarez-Icardi-Palacio foi pouco criativo e produtivo, e novamente as principais chances saíram dos pés dos alas, inclusive o primeiro gol, em cruzamento de Nagatomo completado por Icardi. O time bolonhês, por sua vez, era perigoso nos contra-ataques puxados pelos gregos Lazaros e Kone. Mas foi numa bela jogada de Garics, concluída com dois chutes fortes ao gol de Handanovic que Cristaldo desviou o segundo petardo, de Pazienza, que o empate chegou. Na volta pra segunda etapa, com mais jogo entre linhas e controle da posse, após a entrada de Kovacic no lugar de D’Ambrosio, reposicionando o time no 3-5-2, as chances foram criadas pelos meias. Assim saiu o segundo gol de Icardi (na verdade, um golaço, em chute colocado e forte de fora da área) e o lance que originou o primeiro pênalti a favor do time milanês nesta Serie A, em erro do árbitro Mazzoleni. Milito perdeu a oportunidade de garantir três pontos, já que naquela altura o adversário tinha chegado a novo empate, com Kone, em falhas individuais de Cambiasso e Rolando. Vale registrar que Juan Jesus rompeu o ligamento colateral de um dos joelhos e só volta em 2014-15. (Arthur Barcelos)
Lazio 2-0 Sampdoria
As esperanças de voltar à Liga Europa permanecem vivas para a
Lazio. Com a confiança de Reja, a equipe laziale bateu a Sampdoria, no estádio
Olímpico e se aproximou da Inter, última equipe classificada para o torneio
europeu. Sem Klose e com Postiga, a Lazio teve dificuldades para criar e
finalizar, até que Candreva conseguiu o gol de alívio para a equipe. Keita, um dos melhores jovens do campeonato, fez
bela jogada na lateral da área e cruzou para o meia italiano que deu um leve
toque, para tirar de Da Costa.

A expulsão de Biglia na segunda etapa quase complicou a equipe
romana, mas Lulic tratou de definir o resultado com um belo chute de direita,
aproveitando cruzamento de Mauri e consolidar a vitória. A Samp ainda reclamou
de um pênalti não marcado em cima de Éder e lamentou a bola tirada em cima da
linha por Biava, mas pelo pouco que criou, o resultado foi merecido. O destaque
no final do jogo ficou pela estreia de Joseph Minala, que ficou muito conhecido
pela polêmica envolvendo sua verdadeira idade. O jogador entrou em campo com a camisa 58 e não faltaram piadinhas daqueles que diziam que aquela era sua verdadeira idade – seus documentos dizem que ele tem 17, mas uma polêmica surgida em Camarões levantou suspeitas de que ele tem, na verdade, 41. (Caio Dellagiustina)

 
Atalanta 0-2 Sassuolo
Depois de receber, no treino de sábado,
mais de mil torcedores entusiasmados com a possibilidade de ingressar
na zona de classificação para a Liga Europa, a Atalanta decepcionou
jogando em casa e perdeu para o penúltimo colocado Sassuolo. A derrota
encerrou uma sequência de seis vitórias seguidas dos nerazzurri e deixou
o sonho europeu um pouco mais distante. Sexta colocada no início da
rodada, a equipe caiu para a oitava posição e agora está quatro pontos
atrás da zona-LE. O Sassuolo, por sua vez, volta a somar pontos após
três derrotas seguidas e já pode sonhar de novo com a salvezza. Agora,
apenas três pontos o separam de Bologna e Chievo, logo acima da zona da
degola.

A equipe visitante soube se portar muito bem
defensivamente e deu poucas chances para a Atalanta, que criou só duas
oportunidades de gol, ainda no início do primeiro tempo. Aos 32 minutos,
Sansone fez boa jogada individual e invadiu a área pela direita para
chutar cruzado e abrir o placar. Já no segundo tempo, aos 25, o jogador
apareceu bem de novo e marcou 2 a 0 em cobrança de falta, chegando ao
seu quinto gol no campeonato. Apesar da derrota, o técnico Colantuono
não jogou a toalha e afirmou, em coletiva após o jogo, que a Atalanta
continuará lutando por vaga na Liga Europa até a última rodada. O
próximo desafio é contra a Roma. (RA)

Chievo 0-1 Verona
No primeiro turno, o Chievo venceu o Verona no dérbi exatamente na estreia do técnico Eugenio Corini. No último sábado, o Hellas devolveu: 1 a 0, no Marc’Antonio Bentegodi. A velocidade do ataque do Ceo foi o destaque da primeira parte de jogo. Obinna e Paloschi deram muito trabalho a Moras e Maietta. O nigeriano finalizou duas vezes pra fora, sendo uma delas no um-a-um contra Maietta. Se a pontaria do Chievo estava péssima, a do Verona… Hallfredsson, antes do intervalo, quase marcou um golaço do meio de campo. A bola explodiu na forquilha.

O Verona voltou mais incisivo para a etapa final. Agazzi fechou o gol em oportunidades de Iturbe (duas vezes) e Rômulo. Porém, o goleiro não foi capaz de negar o tento a Toni, aos 15 minutos. Cacciatore cruzou da direita, o centroavante dominou e chutou rapidamente no canto direito. Luca Toni, de 36 anos, entrou para a história do Hellas como o primeiro jogador a marcar 16 gols numa temporada. Ele é o 3º maior goleador do campeonato e até mandou um recado para Cesare Prandelli: ele quer jogar a Copa! Além de não somar pontos, o Chievo ainda viu Bologna e Sassuolo conseguirem bons resultados na parte de baixo da tabela. (MM)

Genoa 1-2 Milan
Na partida que fechou a rodada, o Milan contou com uma boa atuação do marroquino Taarabt para chegar à terceira vitória consecutiva e ao quarto jogo sem derrotas. Agora, os rossoneri tem 45 pontos e estão apenas cinco pontos atrás de Inter e Parma, respectivamente na 5ª e 6ª posições, atualmente classificadas para a Liga Europa. Nas próximas rodadas, a equipe treinada por Seedorf enfrenta Catania e Livorno, na zona de rebaixamento, além de Atalanta e Inter, concorrentes diretos a uma vaga na competição. Há boas chances de a equipe dar a volta por cima e conseguir a classificação ao torneio. Para o Genoa, o campeonato será para cumprir tabela, uma vez que, com 39 pontos, o time não tem mais objetivos em 2013-14.

No gramado do Marassi, o Milan teve a primeira grande chance com Pazzini, aos 10 minutos, mas o atacante cabeceou para fora – ele substituía Balotelli, que ficou no banco devido a uma gripe e só entrou nos minutos finais. O gol saiu aos 20, depois que Kaká deu passe de calcanhar e Taarabt avançou para marcar o primeiro. Após o gol, apesar do leve domínio rossonero, o Genoa mostrava agressividade, mas não aproveitava as imprecisões de Abbiati – e também não contou com a sorte, depois que Mexès errou corte de cabeça. Na segunda etapa, um Honda apagadíssimo recebeu passe de Taarabt e, com cavadinha, ampliou o placar, marcando seu primeiro gol na Itália. Com a desvantagem, o Genoa se lançou ao ataque e diminuiu depois que, em voleio, Motta contou com um toque na trave e em Abbiati para marcar. Na sequência, o Milan se salvou do empate depois que o goleiro e Mexès afastaram o perigo, em belas jogadas. (NO)

Catania 1-2 Torino
Era o jogo para reavivar o Catania na luta pela salvezza.
Era. Isso porque a vitória escapou em três minutos de desatenção, já no final da
partida e, se não puseram fim às esperanças de permanecer na primeira divisão, deixaram-nas
bem próximas. Logo aos dois minutos de partida, Bergessio trouxe a alegria à
torcida elefantini, mas a falta de qualidade na equipe fizeram com que a equipe
de Maran não soubesse aproveitar o ritmo lento de um Torino que parecia conformado
com o meio de tabela.

Mas na segunda etapa, o jogo foi outro. O Toro voltou
diferente e até achou o gol com Maksimovic, que foi bem anulado. Mas, quando
tudo indicava uma surpreendente derrota,  a superioridade granati se fez valer nos
minutos final e, com El Kaddouri e Immobile (que chegou ao 18º na competição,
igualando a Tevez na artilharia da Serie A), o time de Ventura reagiu e virou a
partida, sacramentando a quinta derrota consecutiva do time rossoblù que o
coloca bem perto da Serie B, de onde seu arquirrival, Palermo, está saindo para
assumir o posto de siciliano na elite do futebol italiano. (CD)

Relembre a 31ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Curci (Bologna); Cacciatore (Verona), Paletta (Parma), Biava (Lazio); Cuadrado (Fiorentina), Biondini (Sassuolo), De Rossi (Roma), Taarabt (Milan), Sansone (Sassuolo); Destro (Roma), Llorente (Juventus). Técnico: Rudi Garcia (Roma).

1 comentário

  • Afinal como ficam as vagas pra liga europa uma vez que 1 vaga é destinada ao campeão da copa da itália e a final é entre Fiorentina e Napoli, que já estão se classificando pra liga europa e liga dos campeões respecitvamente, pela seria A?

Deixe um comentário