Serie A

33ª rodada: Fogo dentro e fora de campo

Em uma rodada cheia de gols, o destaque ficou para os litígios entre Icardi, Maxi López e Samp (Getty Images)

40 gols em 10 jogos, média de quatro por partida. Sem dúvidas, esta foi uma das rodadas mais agradáveis de toda a Serie A. Na manhã de domingo, quem assistia o jogo entre Napoli e Lazio pela RAI, na famosa Giostra del Gol, ouviu por mais vezes que o normal o barulho da tétrica cornetinha que toca na transmissão no momento de cada gol que acontece nos outros jogos, que acontecem simultaneamente – ao todo, a sonoplastia acionou o artifício 21 vezes.

Se a maior parte dos vereditos do campeonato está quase definida há um tempo, ao menos os times tem mostrado hombridade nas partidas e não tem decepcionado no quesito entretenimento. Até mesmo no extracampo, como no caso envolvendo Icardi, da Inter, Maxi López, da Sampdoria, e a modelo Wanda Nara (namorada do primeiro e ex-esposa do segundo), as coisas tem esquentado. Acompanhe o resumo desta fogosa rodada.

Sampdoria 0-4 Inter
O espírito “Pazza Inter” parece não ter fim. Entre tantos tropeços, dúvidas e contestações, o time de Mazzarri não jogou bem, mas fez até mais que o bastante para garantir três pontos fundamentais e seguir em posição mais confortável na zona de classificação para a Liga Europa, já que Parma, Lazio, Verona e Atalanta tropeçaram. A Sampdoria, por sua vez, já fez até mais que o previsto e com Mihajlovic no comando pode comemorar (goleada à parte) uma temporada sem sustos no final. Mas ‘pazzo’ mesmo foi o primeiro tempo, recheado de cartões, faltas, empurrões, discussões e emoção. Icardi, bastante vaiado desde o primeiro toque na bola – por motivos óbvios: ex-jogador da Samp e a confusão com Maxi López, que o ignorou antes do jogo -, Icardi abriu o marcador após jogada de Palacio e não perdeu a oportunidade de provocar a torcida, o que lhe rendeu um amarelo. O jogo, aliás, foi marcado pelos cartões: ao todo Valeri distribuiu dez amarelos e um vermelho, além de ter marcado 39 faltas.

A Sampdoria, por sua vez, não se abateu e manteve o ritmo de início, criando muitas chances contra uma Inter apática, mesmo com um a menos – Éder foi expulso após simulação e confusão com Samuel. Ranocchia cometeu pênalti bobo e Maxi López teve a chance de se redimir. Porém havia um Handanovic no caminho, o que se tornou a máxima do jogo. O goleiro esloveno foi o grande protagonista numa partida marcada pelo extracampo, salvando os chutes de Maxi (outras duas vezes), Sansone, Soriano e Regini. Devagar na primeira etapa, a Inter dessa vez evitou dar chances ao azar e imprimiu bom ritmo na volta do intervalo. Os nerazzurri pressionaram até abrirem vantagem, em três minutos, com Samuel, em escanteio perfeito de Hernanes, e Icardi, em jogada de Kovacic e nova assistência de Palacio – Maurito chegou ao oitavo gol no campeonato. E como só os argentinos marcam gols pelos nerazzurri (quase dois terços, em verdade), Palacio tabelou com Álvarez e guardou o seu 15º na Serie A, decretando o placar final. (Arthur Barcelos)

Udinese 0-2 Juventus
A Roma até sonhou com um tropeço da Juventus, após ter passado pela Atalanta, mas mesmo sem contar com Barzagli, Tévez e Vidal, a Velha Senhora não deu a menor chance à Udinese, no Friuli. Com o resultado, a Juve galopa não só rumo ao título, mas ainda sonha em superar a marca dos 100 pontos no campeonato, algo possível com quatro vitórias e um empate nos últimos cinco jogos do certame. Em campo, a partida foi decidida ainda no primeiro tempo, graças a um bonito gol de Giovinco, o melhor em campo, com muita movimentação e um chute na trave, e outro marcado pelo bomber Llorente, que chegou aos 14 gols na Serie A.

A Udinese, por sua vez, foi apática novamente – foram sintomáticas a permissividade da defesa em permitir a entrada de Chiellini na área, em um lance no qual o zagueiro correu por 20 metros sem ser perturbado, e a quase nulidade de chutes a gol. A equipe vive seu mais fraco ano desde a temporada 2009-10, quando Guidolin ainda não treinava a equipe – chegou logo após a má campanha –, segue em 14º. O treinador, que levou a equipe a duas Ligas dos Campeões, costumava dizer que a meta inicial dos bianconeri era escapar do rebaixamento, com 40 pontos, algo que aconteceu com facilidade em três temporadas. Desta vez, em 33 rodadas, a meta ainda não foi batida (a Udinese tem 38). Melhor termômetro para avaliar a má campanha não há. (Nelson Oliveira)

Roma 3-1 Atalanta
Depois do recorde de vitórias consecutivas em toda sua
história na Serie A, a Atalanta que parecia tão perto de lutar por uma vaga na
Liga Europa, sucumbiu. Após ter sido derrotada na última rodada, a equipe
bergamasca foi até a capital, mas foi presa fácil para a Roma, que não teve
dificuldade em vencer os nerazzurri. O resultado deixou a Roma a três pontos da
Champions League (já está garantindo ao menos na fase preliminar) e ainda sonhando
com o título, apesar da vitória juventina.
O domínio giallorosso se deu desde os primeiros minutos.
Gervinho, inspirado, deu trabalho ao goleiro Consigli. A pressão deu resultado
aos 12 minutos quando Taddei acertou um belo chute de fora da área para abrir o
placar. O jogo estava a bel-prazer para Roma, que atacava como e quando queria e
não levava sufoco algum da Atalanta. O segundo gol veio já no final da primeira
etapa. Após linha de passe na área, De Rossi deixou Ljajic livre e sem goleiro
para ampliar o placar. Com o mesmo ímpeto, a Roma chegou ao terceiro gol, com
Gervinho, e a Atalanta, numa das poucas vezes que foi ao ataque, chegou ao gol com
Migliaccio, definindo o placar em 3 a 1. (Caio Dellagiustina)

Napoli 4-2 Lazio
Em jogo que valia muito para as duas equipes – o Napoli tenta manter a Fiorentina a uma distância segura, enquanto a Lazio ainda buscava vaga na Liga Europa -, o time da casa se deu melhor e venceu com três gols de Higuaín e ótima partida de Mertens. O primeiro tempo foi muito equilibrado, com chances para os dois lados, mas foi a Lazio quem marcou primeiro: Lulic fez finta bonita sobre Albiol, dentro da área e chutou cruzado para abrir o placar. A equipe romana ainda teve chances de ampliar, mas não conseguiu. Do outro lado, o goleiro Berisha fazia boas defesas para evitar o empate. Ele parou Higuaín três vezes, mas não conseguiu desviar o chute perfeito de Mertens, que acertou o ângulo e fez 1 a 1.

No segundo tempo, o equilíbrio desapareceu logo no início, depois que Cana derrubou Mertens dentro da área. Higuaín converteu o pênalti e começou seu show particular. Aos 22 minutos, ele recebeu lançamento longo, venceu disputa contra o desastroso Novaretti e chutou para fazer 3 a 1 para o Napoli. Pouco depois, a Lazio achou um gol com Onazi e voltou a dar emoção ao jogo. A equipe da casa, porém, se fechou bem e não sofreu grandes ameaças. Para fechar o placar, Higuaín marcou mais um nos acréscimos. A tripletta do argentino encerrou um jejum de quatro jogos sem marcar e o colocou com 17 gols no campeonato, apenas dois atrás de Immobile, o artilheiro. Com a derrota, a Lazio fica cinco pontos distante da zona-LE. (Rodrigo Antonelli)

Verona 3-5 Fiorentina

Verona e Fiorentina protagonizaram mais um belo espetáculo na Serie A, com um gol a mais que o jogo do primeiro turno. O time da casa saiu na frente, com Sala. Ele aproveitou a bola espalmada de Neto, em finalização de Iturbe, para balançar a rede. Após perder a primeira, Cuadrado fez: tabela com Borja Valero e emendou um chute potente no espaço mínimo entre a trave e Rafael. O goleiro do Verona ainda fez boas defesas antes de ser vazado novamente. Pasqual cruzou da esquerda, a zaga não afastou e Aquilani aproveitou sozinho, na pequena área.

No segundo tempo, Rafael parou a cabeçada de Aquilani, mas nada pode fazer no rebote de Borja Valero. O Verona ainda perdeu Donadel, expulso cometer fala em Cuadrado, que ia livre em direção à baliza. Dois dos gols seguintes foram de pênalti: o primeiro, de Toni, foi concedido em cima de Iturbe; pela Viola, Matri converteu a punição. Logo na sequência, Aquilani guardou mais um, seu segundo na tarde. Por último, Iturbe ainda deixou a sua marca – depois de Toni ter um gol invalidado por impedimento. Por conta dos outros resultados, o Verona caiu para a 10ª colocação. A Fiorentina permanece em 4º.  (Murillo Moret)

Milan 1-0 Catania

Um tiro de longa distância, de Montolivo, deu a vitória ao Milan ante o Catania, no San Siro. O meio-campista rossonero marcou seu 3º gol na competição – dois deles foram marcados exatamente contra os elefantini. Em suma, o Milan conseguiu a quarta vitória consecutiva – esta sem Honda, Essien, Muntari, El Shaarawy e De Sciglio – e segue buscando uma vaga em competições europeias. Ao derrotar a Sampdoria, a Inter continua com cinco pontos de vantagem para o Milan. Vantagem esta que é possível tirar nas rodadas restantes da liga.

Por outro lado, o Catania segue na lanterna e praticamente está certo na Serie B da próxima temporada. Oito pontos separam os elefantini do Bologna, primeiro time fora da zona do rebaixamento. Não somente a equipe não melhorou em campo com o técnico Maurizio Pellegrino; o time da Sicília ainda enfrenta Roma, Verona, Atalanta e o próprio Bologna. (MM)

Torino 2-1 Genoa
Foi um jogo sem muitas emoções até os 41 minutos do segundo tempo. Torino e Genoa faziam partida ruim, com muitos passes errados e pegada forte no meio de campo. Quando todos pensavam que o 0 a 0 já estava definido, porém, as equipes parecem ter acordado. Gilardino, que tinha acabado de entrar, aproveitou um dos únicos passes certos da partida para fazer 1 a 0 para os visitantes. Desesperado, o Torino se lançou ao ataque e, já nos acréscimos, conseguiu empatar, com bonito chute de Immobile de fora da área. Com 19 gols, ele se isola na artilharia da Serie A.

No minuto seguinte, os cerca de 17 mil presentes no estádio Olímpico de Turim foram ao delírio em um lance muito parecido com o de Immobile: Cerci carregou a bola e, do mesmo lugar de onde saiu o primeiro gol, arriscou novo chute. A bola entrou no mesmo canto que Immobile tinha acertado, mas foi um balaço no ângulo. Um gol que levou a torcida e o banco granata à loucura, pois deu a vitória ao Torino, que agora sonha em jogar a Liga Europa no ano que vem. A equipe de Ventura chegou a 48 pontos na tabela, cinco atrás da Inter, quinta colocada. O Genoa, por sua vez, continua com campanha mediana e ocupa a 13ª posição na tabela, sem mais objetivos no campeonato, uma vez que a salvezza está garantida. (RA)

Bologna 1-1 Parma
O dérbi emiliano já decidiu até vaga na Serie B, em partidas-desempate, que existiam na Serie A até a década passada. Porém, o jogo que abriu o domingo não foi um “spareggio”. Bologna e Parma, maiores times da Emília-Romanha, estão em situações bastante diferentes nesta temporada: enquanto os rossoblù brigam para não caírem, os parmenses tentam voltar a disputar competições continentais. Neste contexto, o empate não serviu a nenhuma das duas equipes, e nem pode ser muito comemorado pelo Bologna, que até poderia ficar satisfeito com o pontinho, mas vencia até os minutos finais da partida. Com o resultado, o Parma, 6º colocado com 51 pontos, viu a Inter abrir dois pontos de vantagem e também viu Torino e Milan, com 48 pontos, ficarem a apenas uma vitória para alcançá-lo. O Bologna, por sua vez, é o 17º, com 28 pontos, e está três pontos acima da zona de rebaixamento.

Em campo, depois de um primeiro tempo morno, o Bologna chegou ao gol após uma bola levantada na área, aos 43 minutos. O zagueiro Cherubin ganhou de Paletta, dominou e bateu forte para vencer Mirante – na comemoração, homenagem a Della Rocca, bom meia da equipe, afastado desde janeiro por lesão no joelho. Sem Cassano, vetado por problemas físicos, o Parma sofreu para empatar e só conseguiu a 11 minutos do fim do tempo regulamentar, frustrando os rivais. Biabiany levantou bola na área e Palladino pegou de primeira e não deu chances a Curci. Apesar do empate, o técnico do Parma, Donadoni, elogiou o resultado. Ao menos a equipe entrará em campo diante da Inter, no Tardini, no próximo domingo, podendo ultrapassar a equipe de Milão no confronto direto. (NO)

Livorno 2-4 Chievo
Jogo maluco na Toscana. Livorno e
Chievo não são equipes exuberantes, que marcam muitos gols e criam
várias oportunidades, mas o peso de fugir da zona de rebaixamento pesou
dessa vez. Foram mais de 30 chutes, a metade no alvo, seis gols, e boas
defesas dos bons Bardi e Agazzi. Mas a estrela do jogo foi Paloschi, que
marcou sua primeira tripletta na temporada e participou de todos os
gols da fundamental vitória gialloblù, que deixa o Chievo em posição
mais confortável, a cinco pontos do próprio Livorno, que já esboçou
reação, mas não poderia ter perdido um jogo de seis pontos como esse.
Situação complicada.

Como o placar indica, o jogo foi
movimentado, e com menos de dez minutos a rede já tinha balançado duas
vezes. Siligardi abriu o placar de cabeça aos 6, mas três minutos depois
Paloschi empatou. Em jogada do bomber revelado pelo Milan, com quem
ainda tem vínculo (co-propriedade), Théréau virou para o time do Vêneto
aos 23. Vantagem que pouco durou, já que dez minutos mais tarde uma
penalidade inexistente foi marcada e Paulinho empatou a peleja. Quando
tudo se encaminhava para o empate antes do intervalo, Paloschi voltou a
aparecer e marcou, de letra, o terceiro do seu time, que seguiu em ritmo
alto no segundo tempo até marcar pela última vez, sempre com ele,
Paloschi, anotando seu 13º gol nesta Serie A, o 10º em 2014. (AB)

Sassuolo 1-1 Cagliari
Abrindo a rodada, o Sassuolo recebeu o Cagliari no Mapei
Stadium. Precisando desesperadamente da vitória na luta contra o rebaixamento,
o time emiliano demonstrou muita vontade na primeira etapa, e só. Mesmo com
o gol de Zaza, aos 35 minutos, o time neroverde demonstrava pouca intimidade
com a bola, próximo do gol. Berardi, empolgado pela convocação de
Prandelli para testes físicos, era o mais voluntarioso, mas ainda está longe do jogador que brigou
pela artilharia na metade do campeonato.
Mesmo ainda correndo riscos, o Cagliari em poucos momentos
se mostrou com gana de vencer, tanto que em toda primeira etapa não incomodou
Pegolo. A ilusão de uma vitória salvadora acabou para o Sassuolo no começo da
segunda etapa, quando Antei cometeu pênalti em Ibarbo, que Ibraimi converteu Sem forças, o Sassuolo se entregou à marcação
rossoblù e com o empate, manteve-se na vice-lanterna, agora há três pontos do
Bologna, primeiro time livre do rebaixamento. (CD)

Relembre a 32ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui

Seleção da rodada
Handanovic (Inter); Cuadrado (Fiorentina), Samuel (Inter), Mexès (Milan), Dodô (Roma); Aquilani (Fiorentina), De Rossi (Roma); Higuaín (Napoli), Icardi (Inter), Paloschi (Chievo), Cerci (Torino). Técnico: Rudi Garcia (Roma).

3 comentários

Deixe um comentário