Nesta sexta-feira, 11, o treinador da seleção principal italiana Cesare
Prandelli convocou 42 jogadores para avaliação física. Os testes serão
realizados nos dias 14 e 15, segunda e terça-feira da próxima semana, no
centro de treinamento da Federação Italiana de Futebol (FIGC), em Coverciano, Toscana.

Por causa do calendário, os jogadores foram divididos em dois grupos,
nos quais os de Juventus, Udinese e Milan, que entrarão em campo pela
33ª rodada da Serie A nas noites de domingo (13) e segunda (14),
treinarão no dia 15. Jogadores que não joguem na Itália não foram
convocados, por não se tratar de data Fifa.

A lista não tem a
pretensão de definir os convocados para a Copa do Mundo, mas apenas avaliar a
condição física de jogadores e observá-los para a sequência do
trabalho. São os casos, por exemplo, de Baselli, Bernadeschi,
Bertolacci, Bonaventura, Rômulo, Berardi, Gabbiadini e Zaza. Estes não
têm a menor chance de ir para o Brasil. Salvo em caso de lesões ou se Prandelli resolver inovar demais.

Também há muitos
presentes que estão quase certos no Mundial, casos de Buffon, Barzagli,
Bonucci, Chiellini, De Sciglio, Paletta, Aquilani, Candreva, De Rossi,
Marchisio, Montolivo, Pirlo, Balotelli, Cerci, Gilardino, Osvaldo e
Insigne. Sirigu, Criscito, Motta, Verratti e Giaccherini, os
“estrangeiros”, também deverão estar em terras brasileiras. Maggio, fora
da temporada por uma pneumotórax, não foi chamado e sua condição está
sob avaliação.

Algumas considerações: Bardi, Mirante, Perin e
Scuffet disputam a última vaga de goleiro. Astori e Ranocchia brigam por
um lugar na zaga, enquanto Abate, Darmian, De Silvestri e Pasqual na
lateral. Entre os meias, Florenzi, Parolo e Poli são concorrentes. No
ataque, Cassano, Destro (que treinará separado em Roma sob observação;
porque agrediu Astori e foi vetado da convocação, segundo o código ético da Nazionale) e Immobile esperam por um “milagre”: a(s)
ausência(s) de Gilardino e/ou Osvaldo, presenças constantes nas
convocações desde 2011, mas ambos em má fase nesta temporada e sem
grandes desempenhos pela Nazionale. 

Prandelli não comenta nada, mas informações de bastidores dão conta de que Gilardino tem perdido espaço nos planos do treinador e tanto Destro quanto Immobile podem ganhar vagas. Na Serie A, quem tem os melhores números é Destro (18 jogos e 13 gols; com média de um gol a cada 85 minutos – só Messi e Agüero tem mais, no futebol europeu), mas Immobile (28 jogos e 18 gols) é o artilheiro do campeonato. Gilardino (29 jogos e 13 gols) é homem de confiança do treinador, mas a grande fase dos jovens pode fazer Prandelli descartá-lo.

Rossi e El Shaarawy, que
voltaram a treinar normalmente neste mês, são nomes que agradam
Prandelli – o primeiro sempre foi convocado quando esteve 100%, em 2010,
2011 e 2013; o segundo fez parte do grupo da Copa das Confederações – e
suas condições físicas deverão ser melhor avaliadas. Podem estar
presentes na Copa, especialmente ‘Pepito’ Rossi, em tese o parceiro de
ataque de Balotelli. El Shaarawy precisará de uma reta final de campeonato espetacular para ter seu espaço de volta. Parece improvável, visto que ele vinha jogando mal antes de se lesionar.

O fato de Prandelli ter convocado Cassano, mas não Totti ou Toni ainda não exclui a presença dos dois últimos, veteranos e remanescentes do time que foi tetracampeão mundial em 2006 – se juntariam, assim, a Buffon, Barzagli, De Rossi, Pirlo e, quem sabe, Gilardino entre os heróis de Berlim. A não-convocação de Toni e o chamado de Rômulo, ambos do Verona, chamou atenção por uma questão: se esperava que, caso Prandelli convocasse um jogador do Hellas, Toni seria o primeiro jogador dos butei a vestir azzurro desde Gigi De Agostini, em 1987. Porém, Rômulo é quem conseguiu o feito.

Confira os convocados no site da FIGC.

Deixe um comentário