Liga Europa

Não foi tão ruim assim

Tévez acabou com jejum na Europa, mas Juve acabou derrotada

No primeiro duelo da semifinal da Liga Europa, melhor para o Benfica. Mas não tão ruim para a Juventus. O time de Conte mostrou melhoras no comportamento em relação ao que vinha apresentando além-Itália, foi superior no jogo e, apesar da derrota, conseguiu importante gol fora de casa – basta uma vitória simples em Turim para ir à final.

O gol sofrido logo aos dois minutos, quando Garay aproveitou a indecisão de Bonucci para subir, enquanto o italiano ficou pregado no chão, e completar o escanteio de Sulejmani, facilitou as coisas para o Benfica, que teve o controle até o primeiro quarto. A partir de então, os encarnados diminuíram o ritmo e a Juventus equilibrou o jogo, que se resumiu a boa disputa de intensidade, mas com muitas imprecisões. Foram vários contra-ataques e tabelas rápidas, porém ambos erravam no último detalhe, seja num passe ou finalização, o que explica o alto número de bolas perdidas de Tévez, Marchisio e Asamoah pelo lado juventino, Sulejmani, Markovic e Rodrigo pelo lado benfiquista.

No ataque, Vucinic tentava, mas ficou clara a falta que Llorente (14 gols na Serie A) fez à equipe juventina: sem o espanhol, poupado nesta reta final de temporada, a Juve sentiu falta de uma presença de área e de profundidade. Vidal, outro desfalque do dia, já que não se recuperou de uma lesão no joelho, não teria feito tanta falta se Marchisio fosse o mesmo de 2010-2012 e entrasse ligado no jogo. Não foi o caso.

A volta do intervalo fez bem para a Juventus, que mais organizada e concentrada, passou a controlar o jogo da sua maneira, com amplo domínio da posse de bola, alas espetados, Pirlo e Bonucci mais ativos na organização e o restante em rotação maior. As chances passaram a surgir com maior naturalidade, mas os bianconeri ainda pecavam no último momento. Até que Asamoah desceu pela esquerda, centrou para Tévez, o camisa 10 cortou Pereira, Luisão e Garay com um drible e chutou entre as pernas de Artur para empatar a partida e tirar um tabu de mais de cinco anos sem marcar em competições europeias – a última vez havia sido pelo Manchester United, diante do Porto, em abril de 2009 (!).

Então sem a vantagem, o Benfica voltou a pressionar e buscar o gol, enquanto a Juventus aceitou e recuou. Recuou e cochilou. Em erro primário da marcação italiana, Pérez avançou com tranquilidade, Cavaleiro puxou Chiellini e Bonucci não cobriu a movimentação de Lima, que recebeu do camisa 35 e soltou o pé da entrada da área, sem chances para Buffon. A Vecchia Signora ainda tentou com Marchisio e Chiellini, mas já era tarde demais – as chances perdidas pelos dois foram valiosas e muito claras, especialmente a do defensor que, egoísta, preferiu chutar ao invés de cruzar para quatro companheiros, livres e de frente para o gol. As chances perdidas podem fazer falta, mas, ainda assim, os comandados de Conte têm boas chances de avançar para a final.

Benfica 2-1 Juventus
Garay 2′, Tévez 73′, Lima 84′ – veja aqui

Benfica (4-4-2): Artur; Pereira, Luisão, Garay, Siqueira; Markovic, Pérez, Gomes (82′ Cavaleiro), Sulejmani (61′ Almeida); Cardozo (63′ Lima), Rodrigo. T.: Jorge Jesus

Juventus (3-5-2): Buffon; Cáceres, Bonucci, Chiellini; Lichtsteiner, Pogba, Pirlo, Marchisio, Asamoah; Vucinic (66′ Giovinco), Tévez (83′ Osvaldo). T.: Antonio Conte

Árbitro: Cüneyt Çakır (TUR)

Deixe um comentário