Serie A

37ª rodada: Dolorosas despedidas e um recorde

Em sua última partida no Giuseppe Meazza como profissional, Zanetti foi ovacionado (Skysports)

A penúltima rodada teve um quê de melancolia para os apaixonados pelo futebol italiano. O mundo viu a última partida em casa de uma das maiores lendas do futebol: Javier Zanetti, que se aposentará após 19 anos em Milão e com quase 41 anos de idade. Os torcedores da Inter também deram o adeus a ídolos como Milito, Samuel e, muito provavelmente, Cambiasso, que também fazem sua última temporada pelo clube. A melancolia não foi compensada nem mesmo pela conquista da vaga na Liga Europa, pouco para o planejamento da temporada. Tristeza também para Livorno, Bologna e Catania, que acabaram rebaixados para a Serie B.

Porém, também teve gente que ficou feliz. Como toda a comunidade juventina, que, com a vitória sobre a Roma, pode comemorar o alcance da marca de 99 pontos, recorde histórico em todas as temporadas da Serie A – nunca um time fez tantos pontos quanto esta Juve. Também comemoram os torcedores do Chievo e do pequeno Sassuolo, que garantiram a permanência na elite por mais uma temporada. Continuam tensos, ainda, Torino, Parma, Milan e Verona, que entram na última rodada brigando por uma vaga na Liga Europa.

 

Inter 4-1 Lazio

No dia da festa para Zanetti, tudo começou mal para a Inter, que sofreu o primeiro gol do jogo com menos de dois minutos, quando uma falha em jogada aérea permitiu que Biava inaugurasse o placar. Porém, os nerazzurri reagiram ainda no primeiro tempo, graças a uma noite excepcional de Kovacic, que deu duas assistências fenomenais para Icardi e Palacio virarem o jogo. O terceiro gol chegou novamente a partir de uma jogada iniciada pelo croata, que passou para Nagatomo encontrar Palacio, autor de 17 tentos no ano. No segundo tempo, Kovacic se tornou o único jogador do campeonato a dar três assistências num único jogo e Hernanes marcou contra seu antigo clube. A Lazio tentou reagir, mas Handanovic segurou o placar. 

Com o placar, a Lazio não tem mais chances de se classificar à Liga Europa e pode trocar Edy Reja por outro treinador, no verão. A Inter, por sua vez, conquistou a 5ª posição e a vaga europeia. Porém, nada mais simbólico do que, na despedida da velha guarda interista, Kovacic brilhar e Icardi marcar – justamente os dois mais importantes jogadores na equipe que está se formando. Outras peças importantes, como Handanovic, Nagatomo e Ranocchia, também fizeram partida sólida. No entanto, o destaque ficou mesmo para Zanetti, que aceitou começar no banco (um sinal de sua grandeza), entrou no segundo tempo e foi ovacionado toda vez que tocou na bola, quase sempre buscando arrancadas. Dificilmente um jogador se aposenta com uma idade tão elevada e em tão alto nível. (Nelson Oliveira)

Torino 1-1 Parma

No Olímpico de Turim, Torino e Parma fizeram confronto direto por vaga na Liga Europa, que poderia definir o último italiano classificado ao torneio. Porém, o Toro acabou bobeando, cedendo o empate nos minutos finais, e a disputa pela vaga ficou em aberto para a última rodada – é a única pendência para a 38ª jornada. O resultado deixou o Torino com 56 pontos, na 6ª posição, seguido por Parma (55), Milan (54) e Verona (54).

Em campo, o Torino começou melhor, mas a partida foi, no geral, muito igual, baseada no erro dos adversários. Ainda no primeiro tempo, a trapalhada de Paletta, que errou atraso de bola para Mirante permitiu que Immobile abrisse o placar e marcasse seu 22º e último gol na temporada – de forma boba, o atacante recebeu o segundo amarelo após o intervalo e foi expulso. Dez minutos antes da expulsão do goleador, o zagueiro Lucarelli já havia ido para o chuveiro mais cedo, mas o Parma reagiu, aos 26: Casano desperdiçou pênalti, mas Biabiany marcou no rebote. Importante observar que a boa fase das equipes teve frutos na pré-convocação da Itália para a Copa do Mundo. Três granata (Darmian, Cerci e Immobile) e quatro parmenses (Mirante, Paletta, Parolo e Cassano) estão na lista de 30 nomes escolhidos por Cesare Prandelli.

Roma 0-1 Juventus

Em termos de tabela, Roma e Juventus não valia nada para o campeonato. Porém, digam isso aos jogadores e aos técnicos, que foram ao gramado do Olímpico com a faca nos dentes, apesar de contarem com alguns reservas nos times. Os dois goleiros, Skorupski e Storari, tiveram chance de começar jogando – é uma tradição que os reservas ganhem chances nos jogos que não valem nada – e tiveram atuação destacada, segurando o zero no placar até o quarto minuto dos acréscimos do segundo tempo. 

 

No último lance do jogo, em boa jogada tramada pela direita, Lichtsteiner cruzou para Osvaldo acertar o ângulo e decretar a vitória juventina, se vingando de sua antiga equipe, que o negociou para ter jogadores mais jovens. Jovens que, diz a imprensa italiana, são desejo de Conte para a próxima temporada, caso ele renove contrato com a Juventus. O treinador, ambicioso, gostaria de vencer a Liga dos Campeões, e acredita que o ciclo de muitos dos atletas da sua equipe está encerrado. Ele ficaria caso não tivesse o compromisso de vencer nos próximos anos e ganhasse peças novas. Por sua vez, a Roma muito provavelmente continuará brigando no topo da tabela em 2014-15. (NO)

 

Atalanta 2-1 Milan

O
Milan praticamente disse adeus às chances de Liga Europa na próxima
temporada. Encarando a Atalanta, em Bérgamo, a equipe começou bem, mas
se expôs demais e acabou levando a virada, com um gol já nos acréscimos.
O resultado só não foi pior porque Torino e Parma empataram, deixando
vivas – porém mínimas – as esperanças rossoneras. Em campo o time até
começou melhor, mas pecava no passe final. Ainda assim, foram do time de
Milão as principais chances do primeiro tempo, ambas com Balotelli em
cobranças de falta. Na primeira, ele carimbou o travessão e na
sequência, obrigou Consigli a defender com dificuldade. 

A
segunda etapa começou novamente com o Milan atacando, tanto que, logo
aos cinco minutos, o gol saiu. Muntari arrancou pela esquerda e cruzou
para Balotelli, mas Bellini antecipou e marcou contra. O jogo parecia
controlado até que Constant cometeu pênalti em Cigarini. Na cobrança,
Denis não desperdiçou e igualou o placar. Como o resultado não mudava em
nada a situação milanista, Seedorf ousou, sacando Muntari e Kaká para
colocar Taarabt e Pazzini, em companhia de El Shaarawy e Balotelli. Mas
as alterações não melhoraram a ofensividade e ainda deixaram a defesa
desprotegida. Já nos segundos finais, Brienza acertou um belo chute de
fora da área e virou o placar para os nerazzurri. Fora de campo, chamou a atenção o fato de as câmeras terem flagrado Galliani chamando Seedorf de louco – desrespeito a uma bandeira do clube. Os fatos lamentáveis da
partida foram os atos racistas contra Balotelli (com cânticos no final
da primeira etapa) e Constant (quando atiraram bananas em campo). A torcida atalantina foi suspensa. (Caio
Dellagiustina)

Festa: Juventus bate recorde de pontuação na história (AP)

Sassuolo 4-2 Genoa

O
final do primeiro turno reservou ao Sassuolo uma chance enorme de
rebaixamento. Porém, com contratações pontuais, o time, mesmo demorando a
engrenar, se acertou na última parte do campeonato, venceu quatro das últimas seis partidas e conseguiu aquilo
que poucos imaginavam: a salvezza, que foi confirmada no domingo, com a
goleada sobre o Genoa e o tropeço do Bologna contra o Catania. O jogo da
salvação começou bem no Mapei Stadium, com o gol de Floro Flores logo
aos 15 minutos. Os neroverdi seguiram atacando e criaram boas
oportunidades, mas quem chegou ao gol foram os genoveses. De pênalti,
Gilardino teve a chance, mas quem marcou, no rebote, foi Calaiò.

Mesmo
desperdiçando boas chances, o Sassuolo chegou ao segundo gol, com
Biondini. Mas na sequência, Gilardino colocou a igualdade de volta ao
placar, aproveitando a indecisão entre Pegolo e Cannavaro. A
tranquilidade só veio nos minutos finais quando Sansone marcou mais um gol importante em sua carreira e Floro Flores completou o marcador, pra felicidade da
torcida emiliana que festejou a permanência na elite, uma façanha incrível para a equipe de uma cidade de menos de 40 mil habitantes. Na conta do
Genoa, mais um fisaco. (CD)

Livorno 0-1 Fiorentina 
Giuseppe
Rossi entrou no segundo tempo e logo mandou um recado para Prandelli,
técnico da seleção italiana. Com grande passe para Cuadrado marcar o
único gol do jogo e protagonismo imediato, o atacante mostrou que tem
futebol para estar na Copa e que, se não fosse sua contusão no meio da
temporada, talvez a Fiorentina lutasse por algo mais do que a vaga na
Liga Europa, que confirmou com a vitória do fim de semana. Sem Rossi na
primeira etapa, a equipe foi uma. Com ele, na segunda etapa, foi outra. 
Enquanto a viola comemorou ao menos a vaga direta na
Liga Europa – não precisará jogar os play-offs – O Livorno teve o
rebaixamento confirmado com mais uma derrota em casa. Com apenas 25
pontos somados em 37 jogos, a equipe não pode sequer sair da lanterna da
competição. O time de Nicola que jogou contra a Fiorentina foi o resumo
da temporada: sem criatividade e uma única boa chance no jogo, em bola
parada. (Rodrigo Antonelli)
Bologna 1-2 Catania
O esforço do
Catania, que conquistou sua primeira vitória fora de casa na temporada
exatamente contra o Bologna, não foi suficiente para manter o time vivo
na luta contra o rebaixamento. Com as vitórias de Chievo e Sassuolo, não
havia resultado que salvasse a dupla que estava em campo no Renato
Dall’Ara. O rebaixamento veio após uma temporada muito fraca, com apenas
sete vitórias em 37 jogos e a terceira pior defesa da competição, com 65
gols sofridos. 
Do lado do Bologna, o lamento é ainda maior: após
seis anos na Serie A, a equipe emiliana volta à segunda divisão
exatamente no ano que comemora os 50 anos do último scudetto e 40 anos
da última conquista da Coppa Italia. A partida, jogada por todos com os
nervos à flor da pele, teve gols de Monzón e Bergessio pelo Catania e de
Morleo pelo Bologna. No fim, Peruzzi e Paponi ainda foram expulsos.
Após o jogo, torcedores do Bologna protestaram, pedindo a cabeça do
presidente Guaraldi. O presidente de honra, Morandi, já pediu demissão.
(RA)
 
Verona 2-2 Udinese
O Verona ainda sonhava com uma vaga na Liga
Europa, mesmo depois de tantos tropeços? Bem, se sonhava, pode continuar
nas nuvens, porque dificilmente terá vaga na competição europeia em
2014-15. Isso graças aos três pontos que foram para o espaço aos 91
minutos, quando o time do Vêneto levou empate da Udinese nos acréscimos e
ficou apenas com um ponto, tropeçando, como seus concorrentes Parma,
Torino, Milan e Lazio. E a Udinese, bem, fecha uma temporada pra lá de
decepcionante, abaixo da casa dos 50 pontos e sem chances de estar entre
os dez primeiros da tabela desde 2009-10, quando interrompera boas
temporadas do time de Marino, antes da era Guidolin.


Em campo, jogo bem equilibrado, a despeito das situações diferentes
dos times. O Verona, contudo, teve as chances mais claras e abriu o
placar com Toni, de pênalti, fazendo seu 20º gol na Serie A. E só não fez o
21º porque Danilo cortou em cima da linha. A Udinese tentou com o
criativo Pereyra e Di Natale, mas só chegou ao gol na segunda etapa.
Hallfredsson, antes, fizera 2 a 0 no início da segunda etapa. Totò, o
melhor em campo, descontou logo depois, com um golaço após passe de
Pereyra. Depois de muita pressão, os visitantes chegaram ao empate aos
91, quando após cobrança de escanteio, o ganês Badu, que acabara de
entrar, recebeu de Lazzari e chutou firme contra o gol de Rafael.
(Arthur Barcelos)

Cagliari 0-1 Chievo
E o Chievo garantiu mais uma temporada na
Serie A. Criticado por seu futebol pouco vistoso e produtivo, o time do
Vêneto estará na elite do futebol italiano pela sétima vez consecutiva, a
13ª na sua história. Sabendo da dificuldade que seria bater a Inter na
última rodada, conseguiu antecipar a salvezza ao bater o Cagliari por
vitória mínima fora de casa. O time da Sardenha, que agora busca um novo
investidor, já tinha garantido a salvezza há algumas rodadas, mesmo sem
estar na “margem de segurança” (40 pontos).

O jogo foi bem fraco na ilha, com poucas chances claras e muitos erros
individuais, como era de esperar. Superior no primeiro tempo, o Cagliari
deu campo para o Chievo no segundo e os gialloblù chegaram ao gol
esperançoso só aos 72 minutos, na bola parada. Radovanovic cobrou
escanteio, Rigoni desviou e Dainelli fez o único gol da partida.
Artilheiro do time na time, Paloschi ainda acertou a trave no final, mas
o placar ficou nisso. (AB)

Sampdoria 2-5 Napoli 
Samp e Napoli
entraram em campo já sem objetivos neste campeonato – o Napoli já
garantiu sua vaga na Liga dos Campeões e a Sampdoria não corre mais
risco de rebaixamento -, mas, mesmo assim, fizeram a partida mais
movimentada da rodada, com sete gols. Os visitantes aproveitaram uma
Sampdoria muito desconcentrada em campo para vencer com propriedade e
alcançar a 10ª vitória fora de casa na Serie A, recorde na história do
clube. 
Os blucerchiati começaram o jogo atuando melhor e foram os
primeiros a atacar com perigo. A exposição excessiva, porém, abriu
espaço para o contra-ataque napolitano funcionar muito bem. Zapata, aos 19 minutos, e Insigne, aos 27, aproveitaram a velocidade e fizeram 2 a 0
para o Napoli. Éder descontou, mas os donos da casa mal tiveram tempo
de comemorar: Callejón marcou dois minutos depois e fechou o primeiro tempo em
3 a 1 para os pertenopei. Hamsík ampliou e Mustafi fez contra, no segundo
tempo. No fim, o único destaque positivo da Samp: Wszolek balançou as
redes pela primeira vez na Serie A, com um golaço de canhota. (RA)

Relembre a 36ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui

Seleção da rodada
Handanovic (Inter); Lichtsteiner (Juventus), Benalouane (Atalanta), Dainelli (Chievo), Nagatomo (Inter); Biondini (Sassuolo), Kovacic (Inter), Hamsík (Napoli); Floro Flores (Sassuolo), Palacio (Inter), Brienza (Atalanta). Técnico: Eusebio Di Francesco (Sassuolo).

1 comentário

Deixe um comentário