Serie A

3ª rodada: O mesmo filme

O de sempre: Tévez resolve para a Juventus (AFP)

Temos apenas três rodadas de Serie A, mas a impressão passada pelas equipes até o momento é de que é bem provável que o mesmo filme de 2013-14 seja exibido nas telinhas italianas em 2014-15. Pelos desempenhos e resultados, Juventus e Roma vão confirmando a pecha de favoritas a brigarem pelo scudetto, com um mar de coadjuvantes que não apresentam a mesma regularidade, como Napoli, Inter, Fiorentina e Milan. Após três partidas, somente juventinos e romanistas tem 100% de aproveitamento. A surpresa deste início de temporada é o Verona, que aparece na terceira posição, com 7 pontos. Acompanhe o resumo da rodada.

Milan 0-1 Juventus

Pela primeira vez desde que deixou o Milan, Allegri retornava a San Siro como adversário. Desprezado pelos torcedores rossoneri, o treinador ganhou o duelo tático com Inzaghi e viu a sua Juventus dominar a partida em Milão, em um duelo entre duas equipes que tinham duas vitórias na Serie A até o momento. Do início ao fim, os bianconeri tiveram o controle da partida e viram o Milan se lançarem apenas em contra-ataques. Pouco para incomodarem Buffon que fez poucas defesas durante a partida. Com o resultado, a Juve se mantém na ponta da tabela, ao lado da Roma, como as duas únicas equipes que tem 100% de aproveitamento.

No primeiro tempo, o Milan assustou apenas em uma cabeçada de Honda, defendida por Buffon. O início do jogo, morno, também teve chances da Juventus, com Llorente e Marchisio, que carimbou a trave. No meio-campo da Juve, Pereyra voltou a fazer um bom jogo e foi bom coadjuvante a Pogba, dono do setor. Após o intervalo, o francês fez linda tabela com Tévez e o argentino marcou novamente no Giuseppe Meazza contra o Milan, que quase o contratou cerca de três anos. Dali para frente, a Juventus seguiu com o domínio da bola e as tentativas de Inzaghi para buscar o empate nem assustaram Buffon. (Nelson Oliveira)

Roma 2-0 Cagliari
Outro reencontro no fim de semana foi o de Zeman com a Roma. Porém, ao contrário de Allegri, que dominou a sua antiga equipe, o checo ainda não conseguiu aplicar o seu jogo ultraofensivo de forma eficiente e viu o Cagliari pouco ameaçar a Roma ao longo do jogo. O jogo foi marcado, ainda, por uma coisa bonita e outra horrorosa. De bela, a comemoração de Florenzi, que marcou um gol e escalou as tribunas do Olímpico para abraçar e beijar a sua avó, de 82 anos – ganhou até amarelo e multa, mas não ligou.. De horroroso, o visual de Gervinho, que perdeu a faixa que cobre sua cabeça e revelou algo que ele certamente gostaria de manter escondido.

Dominante, a Roma resolveu a partida ainda no primeiro tempo. O primeiro gol surgiu do lado direito, quando Florenzi avançou em velocidade e cruzou rasteiro para Destro rebater para as redes. Pouco depois, Gervinho recebeu sozinho, quase se embolou, mas a bola sobrou para Florenzi encher o pé e partir como um louco para as arquibancadas. Com o resultado já em mãos, a Roma apenas administrou, mas impressionou a marcação muito aguerrida mesmo com tal vantagem. Impressionou, ainda, a rápida adaptação do grego Manolas ao time. Benatia não tem feito falta. E, assim, a Roma vai acompanhando a Juventus no topo da tabela, como em 2013-14. O encontro das duas equipes já está marcado: acontece no dia 5 de outubro, dia das eleições brasileiras. Em quem você vota? (NO)

Palermo 1-1 Inter
Temporada nova, velha Inter. Seja o que for, o time de Milão jamais consegue emendar uma sequência de bons resultados. Depois da goleada sobre o Sassuolo e a vitória segura sobre o Dnipro na Ucrânia, se esperava uma Inter que mantivesse a ascensão, mas a instabilidade de jogar fora de casa voltou. Mazzarri, tão conhecido por seu lado motivador, não consegue motivar o time nesses momentos, e a preparação para o jogo também não parece ter ido bem.

Na Sicília, nem mesmo faltou perna, que poderia ser uma das justificativas por ter jogado na quinta, mas sim atitude, concentração e um plano de jogo. O guerreiro e agressivo Palermo de Iachini entrou pilhado no jogo, conseguiu o gol em erro individual de Vidic com o destaque Vázquez. Mesmo com a posse de bola, os nerazzurri foram incapazes de dominar e controlar o jogo, com muito nervosismo no primeiro tempo e complacência no segundo, mesmo com as mudanças táticas. O gol de empate saiu em jogada de Kovacic, que aproveitou um drible mal feito de Osvaldo, e acertou chute de fora da área. Por outro lado, o árbitro Valeri cometeu três erros fatais para o placar final. Acertou ao anular um gol da Inter e outro do Palermo, mas anulou um legal dos visitantes. No final, Sorrentino ainda fez defesaça para garantir o empate. (Arthur Barcelos)

Udinese 1-0 Napoli

O técnico Rafa Benítez optou por rodar o elenco por conta da participação na Liga Europa. O mistão do Napoli não deu conta da Udinese e sofreu a segunda derrota consecutiva, por 1 a 0, no Friuli. No primeiro tempo, poucas chances. A etapa inicial foi extremamente fraca. Nas duas oportunidades criadas pelo Napoli, Michu praticamente recuou para Karnezis e David Lopez finalizou pra longe. A entrada de Callejón na etapa final, no lugar de Zúñiga, deu ânimo aos partenopei. Higuaín e o próprio espanhol pararam no goleiro da Udinese.

A Udinese, basicamente, criou três oportunidades de gol. Na primeira, Albiol travou a finalização de Bruno Fernandes. Na segunda, Koulibaly afastou mal a falta cobrada por Di Natale e deu a bola de presente para Danilo, que venceu Rafael. Théréau quase marcou nos acréscimos, porém, faltou dominar melhor a bola. O Napoli deixa o Friuli sem conseguir vencer o adversário desde 2007 – quando goleou por 5 a 0 -; desde então, três empates e uma derrota. (Murillo Moret)


Atalanta 0-1 Fiorentina

Depois de vencer pela Liga Europa, a Fiorentina desencantou também na Serie A. Fora de casa, em Bérgamo, a viola sofreu mas venceu a Atalanta, por contagem mínima e, mesmo sem convencer, somou os primeiros pontos. Em campo, os nerazzurri começaram melhor, aproveitando os espaços dados pela zaga visitante. Na melhor chance Boakye acertou a trave de Neto.

Organizada, mas com o ataque – entenda Mario Gómez – ainda improdutivo, a Fiorentina deu trabalho à Sportiello e, depois de tentar, Kurtic balançou as redes. Após receber na intermediária, o meio-campista avançou e chutou cruzado no canto do goleiro bergamasco. A viola recuou e a Atalanta tentou ser ofensiva, mas sem a mesma lucidez do primeiro tempo. Boakye ainda acertou a trave já nos minutos finais, mas não impediu a primeira derrota da equipe lombarda. (Caio Dellagiustina)

Torino 0-1 Hellas Verona
Uma das principais surpresas do último campeonato, o Hellas Verona começou a atual temporada mostrando que pretende brigar na parte de cima de novo. Em três jogos, duas vitórias e um empate. Os bons resultados rendem a terceira colocação na tabela para o time veronês. A vítima da vez foi o Torino, no Olímpico de Turim. A equipe visitante nem foi melhor no jogo, mas soube aproveitar a oportunidade que teve. Ionita marcou o único gol da partida.

Do outro lado, o Torino viu mais uma cobrança de pênalti errada decidir o resultado. El Kaddouri teve a chance de empatar, mas errou a cobrança faltando menos de dois minutos para o apito final. O ataque, aliás, vem sendo o principal problema da equipe granata no Italiano. Com Amauri e Quagliarella fora de ritmo e desentrosados, a dupla Cerci e Immobile parece, cada vez mais, insubstituível. A derrota coloca a equipe de Ventura na última posição, com só um ponto marcado em três partidas e nenhum gol marcado. (Rodrigo Antonelli)

Genoa 1-0 Lazio
Após uma derrota e um empate na arrancada da Serie A, o Genoa finalmente venceu. Os três pontos vieram na partida mais difícil dos rossoblù até agora, contra uma Lazio melhor em campo na maior parte do tempo e que até mereceu a vitória. Os cerca de 18 mil torcedores que foram ao estádio viram um primeiro tempo ótimo, com muita movimentação do início ao fim. O goleiro Perin foi o melhor do Genoa em campo, com grandes defesas que seguraram o empate.

Lulic fez grande partida e foi o principal responsável pela boa partida da Lazio, que agrediu menos na segunda etapa, mas ainda assim esteve melhor em campo. Só na metada do tempo final que os donos da casa conseguiram equilibrar o jogo, principalmente por causa da entrada de Pinilla. O chileno melhorou muito o time e teve duas chances para marcar. Na primeira, não aproveitou passe de Bertolacci. Depois, porém, cabeceou bem e superou o goleiro Berisha para garantir a primeira vitória do Genoa na temporada, que o leva para a 9ª colocação. A Lazio amarga a segunda derrota e cai para a 14ª posição. (RA)

Chievo 2-3 Parma

Com show da dupla Massimo Coda e Cassano, além de uma homenagem à Biabiany (que deu uma pausa na carreira devido a problemas cardíacos), o Parma conquistou sua primeira vitória na atual temporada. Mas os crociati tiveram trabalho contra o Chievo, e precisaram reverter a desvantagem e ainda se segurar no final da partida, após o gol de Paloschi. Os veroneses começaram melhor o jogo e logo aos 4 minutos, Lazarevic fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Izco abrir o marcador. O Chievo prontamente se retraiu e chamou o Parma para o ataque.

Apesar das chances criadas, o gol de empate só veio na segunda etapa, com Cassano, que aproveitou contra-ataque puxado por Coda e acertou o ângulo de Bardi. A virada veio dez minutos depois, com Coda, completando belo lançamento de Galloppa. O atacante também participou do terceiro gol, novamente deixando a bola na medida para a finalização de voleio de Cassano. O Chievo ainda descontou com Paloschi, e alimentou o sonho do empate mas, mesmo com os quatro atacantes, terminou derrotado. (CD)

Cesena 2-2 Empoli

Primeiro confronto entre times que subiram para a Serie A neste campeonato, e um jogo com alguns traços interessantes, mas que deixou a evidente falta de qualidade e ambição de ambas as equipes nesse retorno para a elite. Depois de 20 minutos sem nenhuma chance clara, o time da casa acelerou o ritmo e passou a criar perigos, até que chegou ao gol. Ou melhor, gols. Em dois minutos, dupla vantagem para os Cavalos Marinhos, com gols de Marilungo e Defrel, aproveitando falhas de posicionamento da defesa azzurrra.

Mas o Cesena se acomodou, e o Empoli acordou. Com muita posse de bola – terminou em 63% e mais que o dobro de passes trocados pelo adversário -, as chances passaram a surgir com mais frequência no segundo tempo. Dez minutos após o intervalo, veio o primeiro, após Verdi trombar em Lucchini dentro da área e o árbitro assinalar a penalidade, convertida por Tavano. Depois disso, muita pressão dos visitantes e o empate veio 17 minutos depois. Após escanteio fechado, o jovem Rugani aproveitou rebote dentro da área e igualou o marcador. Com 30 minutos de jogo faltando, o Empoli poderia continuar pressionando e o Cesena deveria reagir, porém ambos aceitaram o empate e o placar assim seguiu até o apito final. (AB)

Sassuolo 0-0 Sampdoria
Os torcedores presentes no Città del Tricolore presenciaram o único 0 a 0 da rodada. A partida, no entanto, foi recheada de lances perigosos e chances de gol – sobretudo do Sassuolo. Após os donos da casa afastarem o perigo em cima da linha do gol, o goleiro Viviano, da Sampdoria, fez boa defesa em remate de longa distância realizado por Magnanelli. Floro Flores também testou o arqueiro adversário e Taïder jogou sua chance pra fora. Gabbiadini e Brighi também tiveram oportunidades de balançar a rede, mas não foram efetivos.

A principal nota da partida foi o retorno de Francesco Acerbi aos gramados de forma integral. Ele atuou o jogo inteiro pelo Sassuolo após vencer duas vezes um câncer nos testículos. O zagueiro já tinha atuado em parte do confronto diante a Inter, pela segunda rodada. Na próxima jornada, o Sassuolo pega a Fiorentina em Florença; a Sampdoria, por sua vez, recebe o Chievo. (MM)

Relembre a 2ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Rafael (Verona); Allan (Udinese), Danilo (Udinese), Manolas (Roma), Terzi (Palermo); Florenzi (Roma), Pogba (Juventus), Mati Fernández (Fiorentina); Cassano (Parma), Coda (Parma), Vázquez (Palermo). Técnico: Massimiliano Allegri (Juventus).

Deixe um comentário