Serie A

6ª rodada: Clima quente para o segundo turno

Gol de Bonucci decidiu partida quente entre Juve e Roma (BT Sport)

Em fim de semana de eleições no Brasil, a Serie A tem um novo líder isolado. Ou melhor, nem tão novo assim, já que é a tricampeã Juventus. Em jogo tenso e cheio de animosidades, tal qual o jogo político, a equipe bianconera fez 3 a 2 sobre a vice-líder Roma e derrubou a invencibilidade da rival, e decretou: “apenas nós, juventinos, temos o direito aos 100% de aproveitamento até agora”, poderiam dizer os jogadores. O encontro dos times, no segundo turno, promete ser ainda mais quente.

Além da vitória da Velha Senhora, o destaque da rodada ficou para a surra aplicada pela Fiorentina sobre a Inter, em uma partida na qual a Viola dominou do início até o fim, sem sentir dificuldades. Milan, Napoli e a nova terceira colocada, a Sampdoria, também venceram. Tropeço para a Udinese, que ainda segue bem na tabela, na quarta posição. Acompanhe o resumo da rodada.

Juventus 3-2 Roma
O grande jogo da rodada terminou só nesta segunda-feira, nos tribunais: Rudi Garcia foi multado por ironizar a arbitragem de Gianluca Rocchi, Manolas e Morata foram julgados e suspensos pelas expulsões, e a Juve terá de pagar multa por confusão entre torcedores. Nos bastidores, Totti também criticou a arbitragem e recebeu dura resposta de Nedved, dirigente da Juve. Consequências de uma partida jogada com emoções à flor da pele entre as duas melhores equipes do campeonato. No fim, a Velha Senhora confirmou os três pontos dentro de casa e continua firme no caminho rumo ao tetracampeonato italiano. Agora, o time de Allegri é o único 100% na competição e abre três pontos de vantagem sobre a Roma, principal rival pelo título. A partida foi disputada em ritmo alto do início ao fim, mas teve seus principais momentos na etapa inicial.

Aos 27, a bola bateu em Maicon após cruzamento na área e, após deixar o jogo seguir, o árbitro Rocchi voltou atrás na marcação e deu pênalti para os bianconeri. O técnico Rudi Garcia protestou simulando o toque em um violino e foi expulso, depois que Tévez converteu a cobrança. Cinco minutos depois, Totti sofreu penalidade e igualou o placar. Iturbe virou para a Roma ainda no fim do primeiro tempo, mas viu Tévez empatar, nos acréscimos, após mais um pênalti polêmico – no replay, é possível perceber que Pjanic derrubou Pogba fora de área, não dentro. Na volta dos vestiários, com ânimos acalmados, o jogo ficou mais organizado. Quando o empate parecia decidido, Bonucci acertou belo chute de fora da área, em rebote, e fez 3 a 2 para a equipe de Turim. A derrota, no entanto, não deve abalar a Roma, que faz sua melhor campanha em anos e provavelmente continuará no encalço da Juve até o fim. (Rodrigo Antonelli)

Fiorentina 3-0 Inter

Até a última rodada, a Fiorentina tinha marcado apenas dois gols no campeonato. E, antes do domingo passado, a Inter havia sofrido apenas um. O mundo muda muito em pouco mais de sete dias e hoje a equipe violeta já soma cinco gols, enquanto os nerazzurri sofreram oito – além dos três neste fim de semana, outros quatro diante do Cagliari, na rodada anterior. A acachapante vitória florentina neste domingo, inclusive, fez com que a equipe comandada por Montella superasse a de Mazzarri na tabela: é a nona, com 9 pontos, enquanto a Inter é a décima, com 8.

Em nenhum momento do jogo a Inter esteve perto de vencer. Com 19 minutos, o time da casa já vencia por 2 a 0, graças a dois bons chutes de fora da área e bonitos gols de Babacar e Cuadrado. Os dois, porém, tiveram espaço demais para finalizarem, resultado de uma Beneamata débil na marcação em todo o jogo. Assim, Cuadrado, o melhor em campo, tocou o terror na defensiva nerazzurra e não foi mais incomodado. Impotente e sem movimentação, a Inter criou pouco na partida inteira, salvo por uma bola recebida por Palacio, que bateu para fora, e com D’Ambrosio, que obrigou Neto a fazer uma boa defesa. Ainda houve tempo para Tomovic avançar sozinho, sem ser importunado, e bater forte para fazer o 3 a 0. E, não fosse Juan Jesus, Brillante teria feito o quarto – o brasileiro tirou em cima da linha. Ânimo renovado para Montella e um fim da linha que parece cada vez mais próximo de Mazzarri. (Nelson Oliveira)

Milan 2-0 Chievo

Terceira vitória para Inzaghi em seis partidas e o melhor ataque do campeonato. Pelo menos aquele que faz mais gols. Nesta rodada, o Milan não teve grande apresentação no San Siro, mas, com dois chutes felizes de Muntari e Honda, fez o bastante para conquistar pontos importantes. A defesa, por sua vez, foi bem contra um Chievo muito pouco criativo, mas que tem Paloschi e Maxi López na frente. Foi, também, a primeira vez que o time rossonero utilizou o 4-2-3-1 no início de uma partida.

Depois de um primeiro tempo de domínio milanês, Muntari abriu o placar no início da segunda etapa na primeira chance clara, acertando raro chute da entrada da área após bola sobrada. Sem reação do adversário, o Milan seguiu com a posse de bola e chegando ao ataque algumas vezes. Mas a vantagem só veio na bola parada, aos 78, em cobrança de falta de Honda no canto de um mal posicionado Bardi. (Arthur Barcelos)

Napoli 2-1 Torino
Como tem sido difícil ser napolitano
ultimamente, hein? Depois das vitórias contra Sassuolo e Slovan
Bratislava, o Napoli recebeu o Torino no San Paolo e precisou virar para
conquistar mais três pontos na Serie A. O primeiro gol do jogo foi
marcado por Quagliarella, que recebeu belo lançamento de Maksimovic e bateu cruzado para marcar contra a sua equipe do coração. As câmeras
mostraram, depois, que o atacante estava em posição irregular. Durante o
primeiro tempo, Insigne perdeu três chances (uma finalização pra fora e
outras duas defendidas por Gillet) e Higuaín também perdeu dois gols feitos, no mesmo lance – foi extremamente displicente.

O goleiro do Torino fazia excelente
apresentação, negando também Inler, mas nada pode fazer para frear
Insigne na segunda etapa. Ele, de cabeça, escorou o cruzamento de
Zúñiga, marcou o gol e chorou copiosamente. Callejón virou o jogo, e o
Napoli viu Rafael fechar o gol após remate de Gazzi, nos acréscimos,
para salvar a vitória. Os partenopei subiram para a 7ª colocação, com 10
pontos; o Torino permaneceu com cinco. (Murillo Moret) 

Sampdoria 1-0 Atalanta

Se a Udinese despontava como surpresa
nessa temporada, a Sampdoria mostrou que também quer fazer companhia à
equipe friulana. Embalados após a vitória no dérbi genovês, os
blucherchiati tiveram dificuldades, mas bateram a Atalanta com um gol
solitário de Gabbiadini e chegaram à terceira colocação, um ponto abaixo
da Roma e a quatro da Juventus.

A partida teve amplo domínio da
equipe da casa e, após inúmeras chances criadas, abriram o placar.
Obiang fez lançamento de sua própria intermediária, na medida para
Gabbiadini sair na frente do goleiro Sportiello e abrir o marcador. A
Atalanta voltou melhor na segunda etapa, mas somente nos acréscimos o
jogo ganhou em emoção. Cigarini desperdiçou cobrança de falta na entrada
da grande área. Na sequência, foi a vez de Okaka perder a chance de
definir o jogo. E já no quinto minuto de acréscimo, Denis cabeceou com
perigo, assustando, mas depois aliviando os torcedores dorianos,
especialmente seu presidente, que entrou em campo para comemorar após o jogo, com direito a
aviãozinho e tudo mais. (Caio Dellagiustina)

Udinese 1-1 Cesena

Surpresa do campeonato, a Udinese entrou em campo como terceira colocada para enfrentar o Cesena, que subiu para a primeira divisão. Pelo bom futebol praticado pelos friulanos, se esperava uma partida fácil, mas a equipe romanhola soube se fechar bastante bem e sair nos contra-ataque, assustando o goleiro Karnezis, melhor em campo.

No primeiro tempo, a Udinese esbarrou na forte (e às vezes dura) marcação do Cesena, e não conseguiu chutar uma bola sequer no gol defendido por Leali. Os visitantes, porém, tiveram duas boas oportunidades, com Marilungo e Brienza, mas Karnezis respondeu à altura. Apenas aos 17 do segundo tempo, em jogada individual de Bruno Fernandes, a Udinese conseguiu furar o muro e abrir o placar. Precisando do gol, os cavalos marinhos se lançaram ao ataque e Karnezis fez boa defesa frente a Rodríguez. Porém, o espanhol se jogou na área nos acréscimos e a arbitragem marcou pênalti erroneamente. Cascione converteu e levou ao Cesena aos 6 pontos. A Udinese está na quarta posição, com 13. (NO)

Lazio 3-2 Sassuolo
A Lazio conquistou sua segunda vitória
seguida no campeonato e subiu à oitava colocação na tabela, mas não teve
vida fácil contra o lanterna Sassuolo, em casa. A equipe de Pioli
perdeu muitas oportunidades, principalmente no segundo tempo, e deixou
os cerca de 32 mil torcedores que foram ao Olímpico de Roma roendo as
unhas até o apito final. Mauri e Djordjevic fizeram 2 a 0 para os donos
da casa com menos de 25 minutos, no melhor período da equipe no jogo. O
incansável Berardi, porém, não deixou os biancocelesti se acomodarem
sobre o resultado e passarem a controlar o jogo.

O atacante do
Sassuolo fez 2 a 1 logo após o gol de Djordjevic e forçou a Lazio a
permanecer atenta na partida. Candreva fez 3 a 1 aos 35 minutos da etapa
inicial e tudo parecia que ficaria mais tranquilo a partir dali. Logo
no início do segundo tempo, no entanto, Berardi apareceu de novo e
diminuiu o placar, em cobrança de pênalti – os laziali ficaram com um a
menos no lance, pois Cana foi expulso. O Sassuolo chamou a Lazio para
seu campo e explorou os contra-ataques, levando perigo e exigindo boas
defesas de Marchetti. Do outro lado, Consigli também mostrou estar em
boa forma, pegando bolas difíceis de Parolo, Klose e Djordjevic. O
esforço do arqueiro, contudo, não adiantou e sua equipe acabou
derrotada. Com apenas três pontos marcados em seis jogos, o Sassuolo é o
último colocado. (RA)

Empoli 3-0 Palermo

Depois de três empates seguidos e duas derrotas na sua volta para a elite do futebol italiano, enfim o Empoli venceu sua primeira partida. E como venceu. Com ampla superioridade, em termos defensivos e ofensivos, técnico e tático, o time de Sarri passou o carro sobre o Palermo de Iachini, que sequer levou perigo com seu trio Vázquez, Dybala e Belotti.

Como tem mostrado nos jogos em casa, o Empoli é um time que depende da posse de bola e da participação de seu regista, Valdifiori. E assim os azzurri dominaram, com quase o dobro de passes trocados pelo Palermo e mais de 20 chances criadas. O primeiro gol saiu logo aos 4 minutos, quando após cobrança de lateral Mário Rui cruzou para o desvio de letra do veterano Maccarone. A vantagem aumentou aos 34, em situação na qual o time de Sarri tem mostrado força: bola parada/aérea. Após escanteio curto, Valdifiori cruzou no segundo pau para Tonelli cabecear firme. O terceiro veio em momento importante, quando o visitante tentava reagir. Pucciarelli conferiu após lançamento de Valdifiori e enterrou o antigo rival da segundona, que está atualmente na zona de descenso. (AB)

Verona 1-0 Cagliari

Com belo gol de Tachtsidis já no minuto 44
do segundo tempo, o Verona superou o Cagliari e as chances que pararam
na trave e o gol mal anulado de Toni, ainda no primeiro tempo. Bem
montado, o time de Zeman deu trabalho, sobretudo no primeiro tempo, mas
não soube aproveitar as oportunidades tal como fez contra a Inter, em
pleno Giuseppe Meazza. Ibarbo desperdiçou as duas mais claras, ainda na
primeira parte do jogo.

Na segunda etapa, o Verona melhorou e
passou a criar as principais ações, sobretudo com as entradas de
Jankovic e Hallfredsson. Após duas bolas na trave, uma de Jankovic e
outra de Toni, além de uma boa defesa de Cragno, os veroneses chegaram ao
gol. Após cobrança de lateral, a bola sobrou na entrada da área para o
grego Tachtsidis acertar um petardo no canto do goleiro rossoblù. A
vitória colocou o Verona na sexta colocação, com os mesmos 11 pontos do
Milan. Os sardos ficam na parte de baixo, a um ponto da zona de
rebaixamento. (CD)

Parma 1-2 Genoa
O Genoa conseguiu uma incrível vitória nos acréscimos contra o já desesperado Parma, no Ennio Tardini. Bem verdade que os dois goleiros pouco fizeram durante a etapa inicial. O Parma chegou com perigo apenas duas vezes, com Mauri (não acertou o alvo) e Coda (Perin defendeu). O Genoa, com Matri, Lestienne e Antonelli, não fez Mirante suar o uniforme. No segundo tempo, contudo, a partida mudou. Em contra-ataque rápido, os visitantes balançaram a rede com Perotti. Ele marcou seu primeiro gol na Serie A.

Logo na sequência, Roncaglia recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Foi a segunda vez, em seis partidas da liga de 2014-15, que ele foi para o chuveiro mais cedo – nessa, porém, por erro da arbitragem, que inventou que ele havia colocado o braço na bola. O Genoa continuou pressionando e não dobrou a vantagem porque Mirante fez excelente intervenção para barrar Perotti. A equipe parmense empatou com Coda, de peito. Matri, aos 48 minutos, novamente em contra-ataque, marcou o gol e deu a vitória ao Genoa, que subiu aos oito pontos. Os crociati seguem com três, na penúltima posição da tabela. (MM)

Relembre a 5ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Karnezis (Udinese); Tomovic (Fiorentina), Bonucci (Juventus), Rugani (Empoli); Cuadrado (Fiorentina), Candreva (Lazio), Obiang (Sampdoria), Valdifiori (Empoli), Insigne (Napoli); Babacar (Fiorentina), Tévez (Juventus). Técnico: Vincenzo Montella (Fiorentina).

Deixe um comentário