Serie A

8ª rodada: Pelotão das surpresas

Jogadores da Sampdoria comemoram empate contra a Roma
Se Juventus e Roma seguem ocupando as duas primeiras posições na tabela, um pouco mais atrás, muitas equipes disputam as vagas restantes para competições europeias. Neste ano, uma parte da tabela em que se esperava que se abrigassem Inter, Napoli, Fiorentina e Milan só tem os rossoneri como ocupantes, na sexta posição. Udinese e Sampdoria dividem a terceira posição seguidas por uma Lazio que se reforçou bem e, após incertezas, mostra que pode brigar pela Europa novamente. Acompanhe o resumo da rodada.
 
Juventus 2-0 PalermoDe uniforme azul e após duas partidas sem vitórias, a Juve derrotou o Palermo por 2 a 0, em Turim, e abriu vantagem na liderança do campeonato por conta do empate da Roma. A partida também serviu para calar os críticos – ao menos para um jogador. Arturo Vidal foi à rede no minuto 32 do primeiro tempo, depois de jogada de Tévez. O meio-campista, ao fim da partida, dedicou o gol aos que “falaram demais”.

Com resultados decepcionantes contra Sassuolo, no Italiano, e Olympiacos, na Liga dos Campeões, o time bianconero saiu da Arena Juventus com Llorente definindo o resultado. Ele desviou o escanteio cobrado por Pirlo e marcou o primeiro gol no campeonato. O 3 a 0 só não saiu porque Marchisio errou o alvo. Pelo Palermo, Dybala teve uma chance de gol solitária, com um remate do meio de campo, porém, Buffon defendeu. (Murillo Moret)

 
Sampdoria 0-0 Roma
No jogo entre terceira colocada e vice-líder, a Sampdoria deu uma prova de força e mostrou que pode não ser fogo de palha em 2014-15. A equipe treinada por Mihajlovic teve atuação sólida defensivamente e contou com ótima partida do goleiro Romero para segurar o zero no placar. A Roma, por sua vez, mostrou que não sentiu a surra de 7 a 1 sofrida em casa diante do Bayern Munique, e partiu para cima. Para azar dos giallorossi, Romero estava inspirado.
Goleiro titular e um dos protagonistas da Argentina na Copa do Mundo, Romero ficou em Gênova para ser reserva do bom goleiro Viviano, mas com a lesão do italiano, foi para campo. E não decepcionou: fez quatro defesas importantes, a mais bonita delas com muito reflexo em cabeçada fulminante de Florenzi, já na segunda etapa. Quando ele não conseguiu defender, a trave ajudou. Foi quando Gervinho chegou cara a cara com o gol, mas foi travado por Regini. Na sobra, a bola escapou demais e o marfinense tentou, em vão, marcar o gol, mas a pelota tocou na trave e saiu. A Samp também teve suas chances, mas Gabbiadini teve gol bem anulado por impedimento e Okaka, sozinho na área, desperdiçou ótima jogada. (Nelson Oliveira)
 
Lazio 2-1 Torino
A Lazio de Pioli chegou à quarta vitória
seguida no campeonato, domingo, contra o Torino, e já mostra força para
competir na parte de cima da tabela, com time cada vez mais organizado e
competitivo. A volta às redes do atacante Miroslav Klose, que marcou o
gol da vitória dos albiceleste após quase sete meses sem balançar as
redes pela Serie A, deve melhorar ainda mais a equipe romana nas
próximas rodadas. Do meio para frente, o time produz muito (foram 11
gols nas últimas quatro rodadas). O desafio é ajeitar a defesa, que
ainda sofre com a desatenção em alguns momentos.

No Olímpico de
Roma, os mandantes fizeram um bom primeiro tempo, propondo o jogo e
criando as principais chances. Biglia abriu o placar em boa cobrança de
falta. No segundo tempo, o Torino encontrou um gol logo aos 8 minutos,
com Farnerud, e até sonhou com o empate. Mas a Lazio não titubeou e logo
fez 2 a 1, com Klose, depois de erro do goleiro Gillet. O Torino atacou
em busca do empate no fim, mas não conseguiu. Assim, a equipe de
Ventura estaciona na 12ª colocação, com apenas oito pontos. A Lazio, por
sua vez, chega aos 15 pontos, na 5ª posição. (Rodrigo Antonelli)

Napoli 6-2 Verona
O
competitivo Napoli da temporada passada ainda não tinha dado as caras
nesse campeonato. O futebol objetivo e vertical da equipe parece que
tinha ficado para trás, mas os comandados de Rafa Benítez deram uma
prova que ainda podem reencontrar os trilhos neste ano. Mesmo com alguns
deslizes, o jogo contra o Verona foi o melhor dos azzurri na temporada,
incluindo Serie A e Liga Europa. Bom toque de bola, subidas rápidas e
muito perigo para chegar ao ataque. E a melhora significativa tem clara
relação com a volta à boa forma de dois jogadores: Hamsík e Higuaín.

As
principais estrelas do time voltaram a brilhar, finalmente, depois de
início de temporada desanimador. Hamsík fez os dois gols da virada,
depois que Hallfredsson abriu o placar para o Verona logo no primeiro
minuto de partida, além de ter participado ativamente da construção de
jogadas napolitanas. Higuaín, por sua vez, marcou pela primeira vez no
campeonato e foram três de uma vez. A tripletta começou logo depois que
Nico López empatou momentaneamente para o Verona e deu tranquilidade
para os donos da casa. O argentino marcou mais duas vezes. Callejón fez o
outro. Assim, o Napoli vai a 14 pontos, na 7ª posição na tabela. Com a
segunda derrota seguida, o Verona cai da 8ª para a 10ª posição, com 11
pontos. (RA)

Milan 1-1 Fiorentina

Após já ter deixado pontos para trás contra Empoli e
Cesena, o Milan agora tropeçou frente à Fiorentina, em pelo San Siro, e perdeu
uma grande oportunidade – devido ao momento do adversário – de assumir a terceira
colocação e de quebrar o tabu contra a viola, em casa, que já dura quatro anos.
Para piorar, a equipe ainda viu a ultrapassagem de Udinese e Lazio, e ocupa
agora a sexta colocação.
Com Torres no banco – após a semana conturbada envolvendo uma
possível transferência para o Schalke 04, da Alemanha – e Ménez no comando de
ataque, o time ganhou em movimentação, mas pouco finalizou. El Shaarawy
arriscou e obrigou Neto a uma bela defesa. Na sequência, após cobrança de
escanteio, Zapata escorou para o meio e De Jong completou para o gol. A vantagem,
porém, fez com que o Milan abdicasse do ataque. A Fiorentina pouco pressionou e
quase não deu trabalho à Abbiati. Montela então colocou Ilicic em campo e o
esloveno, em poucos minutos, igualou o marcador num belo chute da entrada da
área. Torres foi a campo, mas, assim como toda equipe rossonera, mostrou-se
pouco criativo e impotente. E ainda protagonizou este lance bizarro. (Caio Dellagiustina)

Udinese 2-0 Atalanta

A Udinese jogou muito bem para bater a Atalanta por 2 a 0, no Friuli. Os dois gols foram marcados no primeiro tempo. Di Natale, com um lindo chute de fora da área, e Théréau, no meio de três marcadores, ficaram com os nomes assinados na súmula. O capitão da Udinese teve outras duas chances de gol, porém, não conseguiu mexer no resultado.

O time visitante melhorou bastante no segundo tempo com as entradas de Denis e Boakye. O atacante argentino teve oportunidade de marcar e Baselli teve uma finalização bloqueada no último instante por Heurtaux. Ademais, a defesa da Udinese se portou muito bem para proteger a meta defendida por Karnezis. (MM)

Cesena 0-1 Inter
Mais uma rodada, mais um jogo ruim da Inter.
Mesmo contra um adversário de nível muito inferior e com um a menos por
60 minutos, o time de Mazzarri jamais teve o controle de uma partida que
poderia ter sido bem mais tranquila para os nerazzurri, com chances até
de ter goleado no Manuzzi. Mas por uma série de fatores, viu a defesa
ter muito trabalho e Handanovic suar a camisa para não ser vazado.

Sem
um jogo definido, a Inter depende exclusivamente que seus meias,
Kovacic e Hernanes, criem chances de gol, que por outro lado dependem
que os alas e atacantes criem condições pra isso, e que zagueiros e
volante suportem tudo isso e entreguem a bola na frente. Os meias até
criaram, mas Palacio e Icardi foram incapazes de fazer gols, enquanto os
alas tiveram má performance. No fim das contas, o único gol da partida
saiu numa penalidade inexistente de Leali sobre Palacio, com o goleiro
expulso, e que Icardi converteu. Leali ainda desfalcará os romanholos
por três jogos, graças ao vermelho direto. (Arthur Barcelos)

Empoli 0-4 Cagliari
Enfim,
Zemanlandia. Vitória com autoridade do time de Zeman na Toscana,
dominando por completo um Empoli incapaz de fazer o seu jogo, com posse
de bola, movimentação na frente e alto número de oportunidades de gol.
Por seu lado, o Cagliari foi eficaz sem a bola, não permitindo ao time
da casa ter o primeiro passe limpo e destruindo as jogadas antes de a
bola chegar na sua intermediária. Com a bola, a agressividade de sempre,
e uma vitória definida em apenas sete minutos.

Depois de minutos
de marasmo, o Empoli acertou o gol de Cragno com chute de fora da área,
obrigando o goleiro a defender bem. Logo em seguida os visitantes
responderam, e abriram o marcador em bela jogada de Sau, que marcou seu
quarto gol no campeonato. Cinco minutos depois, falta na intermediária
para o Cagliari, e cobrança perfeita de Danilo Avelar. Não bastasse, no
ataque seguinte Ekdal foi derrubado por Valdifiori, e Avelar converteu o
pênalti, chegando a três gols nos últimos dois jogos. Já nos acréscimos
do primeiro tempo, após boa trabalhada dos sardos, Ekdal tabelou com
Sau e definiu o placar final. (AB)

Parma 1-3 Sassuolo
Por onde anda o competitivo Parma das últimas temporadas? Com três desfalques importantes desde o início da temporada, a equipe caiu demais de produção e, com sete derrotas em oito jogos – cinco das quais, consecutivas – é a lanterna isolada da Serie A, com três pontos, o que faz o técnico Donadoni balançar no cargo. E o pior é que os defensores Paletta e Cassani, além do atacante Biabiany só devem voltar a jogar perto da virada do ano. O pequeno e bravo Sassuolo, que nada tem a ver com isso, não quis nem saber e aplicou uma surra no duelo emiliano.

Já no primeiro tempo, os comandados de Di Francesco abriram 2 a 0, e demoraram pouco para fazer o terceiro, no início da segunda etapa. Todos os gols foram marcados por jogadores “renascidos”. O primeiro, de Floccari, que substituiu um machucado Zaza: o atacante não balançava as redes desde as últimas rodadas do campeonato passado. Depois, também em bola levantada na área, foi a vez de Acerbi, de volta aos campos após vencer um câncer testicular e uma suspensão por doping. Após o intervalo, Taïder, que dominava o meio-campo e já havia dado uma assistência, mandou um foguete no ângulo de Mirante, marcando um golaço e fazendo a Inter pensar que talvez não tenha sido uma boa emprestá-lo. Cassano ainda descontou, mas não deu alegria nem aos parmenses nem parou a euforia dos neroverdi. (NO)

Chievo 1-2 Genoa

No Marc’Antonnio Bentegodi, o Chievo até saiu na frente, mas
com gols de Matri e Pinilla, o Genoa virou e manteve a boa campanha fora de
casa, somando oito pontos. Em campo, o Chievo estreava o técnico Rolando Maran, ex-Catania, foi melhor na primeira etapa e
conseguiu o gol com Zukanovic.

Com outra postura, o Genoa melhorou no segundo tempo
e em dois minutos tudo mudou para o time veronês. Primeiro, Matri igualou o
placar e no lance seguinte, Radovanovic cometeu pênalti sobre o mesmo Matri,
levando o segundo amarelo, deixando o campo mais cedo. Pinilla foi para
cobrança, mas Bardi defendeu. O chileno se redimiu dez minutos depois, quando,
de cabeça, fez o segundo gol e deu a vitória para os genoveses. Sem vencer desde maio em casa, o Chievo dá mostras de que,
por mais um ano, brigará contra o rebaixamento. Com apenas um ponto nos últimos
seis jogos, os gialloblù ocupam a penúltima colocação com míseros quatro
pontos. O Genoa por sua vez, chegou à 9ª colocação com 12 pontos. (CD)

Relembre a 7ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Romero (Sampdoria); Vrsaljko (Sassuolo), Albiol (Napoli), De Vrij (Lazio), Danilo Avelar (Cagliari); Taïder (Sassuolo), Biglia (Lazio), Hamsík (Napoli); Sau (Cagliari), Di Natale (Udinese), Higuaín (Napoli). Técnico: Zdenek Zeman (Cagliari).

1 comentário

Deixe um comentário