Serie A

38ª rodada: Despedida goleadora

Muito vinho em Roma: Lazio passa pelo Napoli e comemora ida à Champions (Eurosport)

Nada melhor do que se despedir em grande estilo, não é mesmo? E a Serie A deu até logo a seus fãs com um show: as redes balançaram 47 vezes, em uma média de quase cinco gols por jogo. Foi a rodada com mais tentos realizados neste ano, superando a 35ª, que teve 42. Uma amostra de que o papo de que o Campeonato Italiano é chato e tem poucos gols tem se tornado uma balela. A média geral da temporada foi de 2,69/jogo. Só a Bundesliga teve um número maior (2,75/jogo).

Os gols do último fim de semana de futebol italiano em 2015-16 não foram gols marcados apenas em jogos em que as equipes entravam em campo relaxadas, para cumprir tabela. Em jogos que valiam algo, como Napoli-Lazio, Inter-Empoli e Sampdoria-Parma, o mínimo de gols marcados foi quatro. Veja os vereditos definidos e, em seguida, acompanhe o resumo da 38ª rodada.

Vereditos da Serie A 2014-15

Campeã: Juventus

Liga dos Campeões: Juventus e Roma (grupos); Lazio (4ª fase preliminar)

Liga Europa: Fiorentina e Napoli (grupos); Sampdoria (3ª fase preliminar)*

Rebaixados: Cagliari, Cesena e Parma
Artilheiros: Luca Toni (Verona) e Mauro Icardi (Inter), com 22 gols


*O Genoa foi vetado por problemas financeiros e a Sampdoria herdou a vaga. Um recurso ainda será julgado, mas dificilmente os grifoni conseguirão reverter o quadro.

Napoli 2-4 Lazio

No jogo que mais valia alguma coisa na última rodada da Serie A, Napoli e Lazio faziam confronto direto por uma vaga na Liga dos Campeões. Aos romanos, um empate bastava para garantir a terceira posição e a honra de voltar aos gramados na principal competição continental, mas não houve conversa: o time de Pioli aproveitou as deficiências do Napoli, foi guerreiro, contou com um pouco de sorte em uma partida emocionante e jogará a LC sete anos depois de sua última participação. Para o Napoli, a partida foi a coroação de uma temporada falimentar, em que o clube brigou em todas as frentes até os momentos finais, mas decepcionou de todas as formas: eliminação nas semifinais para a zebra Dnipro na Liga Europa, queda para a mesma Lazio nas semis da Coppa Italia e apenas um quinto lugar na Serie A.

Em um San Paolo que só tinha torcedores napolitanos, por determinação da liga, o Napoli teve a primeira chance, mas desperdiçou. Callejón, sozinho frente a Marchetti, chutou para fora. O castigo veio depois que Parolo teve chute desviado e contou com colaboração de Andújar para abrir o placar. Ainda no primeiro tempo, Candreva finalizou contra-ataque mortal e fez 2 a 0. O Napoli, no entanto, reagiu no segundo tempo: Higuaín, monstro da grande área, empatou em 10 minutos. Parolo havia sido expulso e o momento do Napoli era ótimo: De Vrij precisou cortar uma bola em cima da linha e os gols do argentino mostravam isso. Mas Ghoulam conseguiu arrumar dois amarelos em quatro minutos e deixou ambos os times com 10. Isso não impediu que a Lazio continuasse nervosa. Lulic fez pênalti em Callejón, mas Higuaín bateu por cima do gol e jogou a vaga na “Europa que vale” no lixo. Desnorteado, o Napoli ainda cedeu dois gols por erros defensivos, a Onazi e Klose, vendo a vaga escapar. Enquanto a Lazio optará pela continuidade em 2015-16, o Napoli terá muitas mudanças: Benítez já deu adeus à cidade e nomes como Higuaín e Callejón também devem ser negociados. (Nelson Oliveira)

Verona 2-2 Juventus
Com suas
posições já definidas no campeonato, Verona e Juventus entraram em campo
pela última rodada da Serie A basicamente para definir de que time teria o artilheiro da temporada. Luca Toni e Carlitos Tévez entraram em
campo com 21 e 20 gols, respectivamente, e quem se deu melhor foi o italiano. Toni fez o
gol do 1 a 1 da equipe da casa e terminou a competição com 22 gols
marcados. Tévez, por sua vez, perdeu um pênalti quando a Juve vencia por
2 a 1 – depois que Pereyra e Llorente já haviam marcado – e viu Juanito
empatar de novo para o Hellas aos 48 do segundo tempo. 
Toni terminou o
jogo muito aplaudido pela torcida, por ser um dos principais
responsáveis pelo campeonato tranquilo do time de Verona, e artilheiro. O
veterano só perdeu o posto de forma isolada no dia seguinte, quando Icardi marcou duas
vezes pela Inter e também chegou aos 22 gols na Serie A. Campeã, a Juve
agora entra na fase final de preparação para a final da Liga dos
Campeões, contra o Barcelona, no sábado. (Rodrigo Antonelli)
Toni levou a melhor sobre Tévez no confronto entre os artilheiros (Twitter)
 Inter 4-3 Empoli

Pazza Inter, no pior sentido do termo utilizado no
passado, até o último suspiro da temporada. Pra os interistas, mais um ano não para se
esquecer, mas para avaliar os muitos erros e tentar recomeçar de novo, naquela que foi a primeira temporada completa do presidente
Erick Thohir, e que foi picotada para o técnico Roberto Mancini. No último jogo do ano, e
estreando novo uniforme – retornando ao tradicional nerazzurro e em
homenagem ao último time de Trapattoni, Matthäus e companhia, da
temporada de 1990-91 -, a Inter recebeu o Empoli e fez primeiro tempo
apático, com o time de Sarri mais recuado que o normal e o de Mancini na
típica dificuldade em completar as jogadas e errando muito ao insistir
nas bolas para Icardi se tornar o artilheiro do campeonato.

Os donos da casa voltaram
com fome do intervalo e em três minutos fizeram 2 a 0, sempre com seu
artilheiro, primeiro sendo garçom de Palacio, após enfiada de bola de
Kovacic. Depois, Icardi completou outra jogada em profundidade do croata. A Inter relaxou
após a vantagem, e os visitantes, que ainda não tinham sequer chutado,
atacaram três vezes e empataram com Mchedlidze e Pucciarelli, em
erros clamorosos da defesa. Depois de voltar a tomar o controle do jogo,
a Inter desempatou com Brozovic, e
ampliou pouco depois novamente com sIcardi, dessa vez em passe de
Hernanes. Assim, o argentino, de apenas 21 anos, chegou aos 22 gols, mesmo número do veterano Toni. Para
não perder o costume, o Empoli ainda descontou, novamente com
Mchedlidze, fazendo seu quarto no campeonato – dois justamente em Milão,
porque assim é a Inter. Um dado curioso sobre o Empoli é que o zagueiro Rugani, de 21 anos, disputou todas as 38 partidas do campeonato do início ao fim e não levou cartões amarelos. Recorde. (Arthur Barcelos)

Fiorentina 3-0 Chievo
O último jogo da temporada foi de festa em
Florença. A Fiorentina terminou o campeonato em grande estilo, atuando
bem contra o Chievo e goleando por 3 a 0. O resultado, associado à
derrota do Napoli, levou a equipe viola à quarta posição no campeonato.

O
técnico Vincenzo Montella preteriu Mario Gómez pela vigésima vez no ano
e viu boas apresentações dos titulares Ilicic, Salah e Gilardino. O
esloveno marcou o primeiro com assistência do ponta emprestado pelo
Chelsea. Infelizmente Salah teve de deixar o jogo ainda no primeiro
tempo, machucado. Bernardeschi, o substituto, interrompeu um gol de
Gilardino porque tocou na bola em posição de impedimento. No entanto, o
jovem conseguiu deixar a sua marca depois de finalização defendida de
Mati Fernández, voltando de séria lesão com chave de ouro. Badelj
completou o resultado. (Murillo Moret)
Sassuolo 3-1 Genoa
Seguindo o
ritmo da rodada mais movimentada do campeonato em termos de placares, quatro gols saíram em
Reggio Emilia, e o Sassuolo deu um pouco mais de dignidade à sua
temporada, terminando com 49 pontos, 15 a mais do que em 2013-14 – algo impulsionado por quatro vitórias seguidas na reta final. Como não poderia
deixar de ser, vitória comandada por Berardi e Zaza: o primeiro se juntou à dupla do Palermo, Dybala e Vázquez, com dois
dígitos em gols e assistências (15 e 10, respectivamente), e o segundo chegou a dois dígitos em
gols (11) e superou a marca do ano passado.

No movimentado jogo no
Mapei Stadium, melhor para a precisão dos ataques do Sassuolo, que abriu
3 a 0 em 30 minutos, com direito a voleio do acrobata Zaza. O Genoa,
que atacou bastante e terminou com mais chutes a gol e posse de bola, só
descontou com Pavoletti, emprestado pelo Sassuolo, ainda no primeiro
tempo – o gol foi o seu sexto pelo Genoa, todos marcados nas últimas
sete rodadas, acompanhados de três assistências. Uma das surpresas do campeonato, o Genoa terminou na sexta posição, mas ainda não sabe se jogará a Liga Europa, porque a Uefa vetou as contas do clube.
Indefinição também para trio Berardi, Zaza e Sansone, com os dois
primeiros ligados à Juventus – Berardi em co-propriedade e Zaza com
opção de recompra – e o último, milanista, cavando um lugar em um dos times de Milão na
próxima temporada. (AB)

Sampdoria 2-2 Parma

Final feliz? O desempenho da Sampdoria caiu bastante no segundo turno desta Serie A – de quarta melhor campanha no turno, a equipe despencou 10 posições no comparativo do returno –, mas mesmo assim o clube pode acabar comemorando vaga na Liga Europa. A vaga europeia, que chegou a parecer certa em diversos momentos da temporada, depende da exclusão do rival Genoa da Liga Europa, já que os blucerchiati ficaram apenas com a sétima posição. Algo que quase caiu por terra, já que o time não foi bem contra o já rebaixado Parma e correu riscos de ser ultrapassado pela Inter – uma derrota mudaria tudo.

O Parma jogou melhor e colocou a Samp no sufoco. Aos 31, Viviano fez duas defesas no mesmo lance e ainda contou com a sorte, vendo chute de Mauri explodir no travessão. Na segunda etapa, Romagnoli completou cruzamento de Duncan e deu alívio à torcida no Marassi. Algo momentâneo, porque Palladino fez boa jogada individual e empatou em seguida. Mas ainda mais rápido foi o novo momento de tensão genovês, já que cinco minutos depois De Silvestri aproveitou uma sobra e fez o 2 a 1. Nos minutos finais, Varela empatou novamente e deu números finais à partida. Assim, Mihajlovic se despediu da Sampdoria com um resultado abaixo do esperado, mas que deve servir para o objetivo final, que é a vaga europeia. O técnico está sendo sondado por Milan e Napoli, e seu substituto deve ser Zenga, ex-jogador da equipe nos anos 90. (NO)

Icardi, 21 anos, artilheiro da Serie A ao lado de Toni (ESPN)

Atalanta 1-3 Milan
Em todo o elenco do Milan, apenas dois
jogadores tiveram uma temporada minimamente aceitável perante a situação
da equipe. O goleiro Diego López, que entre um vacilo ou outro, evitou
resultados ainda piores, e Bonaventura, meia que chegou da Atalanta com
pouca badalação, mas que ganhou a confiança de Inzaghi, seja atuando no
meio-campo ou no ataque. E foi justamente contra a ex-equipe que o
camisa 28 fez uma de suas melhores partidas, marcando dois gols e sendo o
responsável pela virada e último triunfo do Milan, na despedida de seu
treinador.

Em Bérgamo, a Atalanta começou melhor e ainda
aproveitou as falhas defensivas milanistas para abrir o placar com
Baselli. A partir de então, brilhou a estrela de Bonaventura. Foi ele
quem começou a jogada que terminou em pênalti sobre Pazzini, que o
próprio atacante converteu. A virada veio ainda no primeiro tempo. Após
bate-rebate, Pazzini chutou na trave e a bola sobrou nos pés de
Bonaventura, que pôs o Milan em vantagem. No segundo tempo, a partida
teve um ritmo mais lento e quando a partida já seguia para o final,
novamente o ex-nerazzurro, contando com a ajuda da trave, marcou o
terceiro. (Caio Dellagiustina)

Roma 1-2 Palermo
Com as posições definidas, os dois times foram
escalados com mistões no Olímpico. Sorte do Palermo, azar de Astori.
Skorupski conseguiu salvar gol de Maresca com uma boa defesa, mas nada
pode fazer na finalização de Chochev desviada por Vázquez.

As chances do
Palermo durante boa parte dos tempos foram aumentando. Belotti, Jajalo,
Quaison… Até mesmo Vazquez, que parou no travessão quando mirou o
ângulo. Totti empatou a partida aos 40 do segundo tempo, após ótima
assistência de Nainggolan. Para ofuscar o 299º gol na carreira do
capitão giallorosso, um erro de Astori no último minuto permitiu que o
Palermo vencesse com tento de Belotti. (MM)

Torino 5-0 Cesena 

O
Torino chegou a almejar uma vaga na Liga Europa durante o campeonato,
mas não teve forças para se manter na disputa até o fim. Mesmo assim,
seus torcedores terminaram a temporada felizes e prepararam uma enorme
faixa com um recado para o presidente Urbano Cairo: “Com Ventura,
voltamos a sonhar. Ele precisa continuar”, anunciava a torcida, em
defesa ao treinador. Após o jogo, o técnico disse que quer continuar,
mas que tem que conversar com o presidente antes. 

Dentro de campo, o
time deu motivos para Cairo continuar com o trabalho de Ventura.
Martínez, Maxi López (duas vezes), Benassi e Moretti fizeram 5 a 0 para
fechar o campeonato com chave de ouro para o Toro e com um sabor amargo
para o rebaixado Cesena. Outro dado curioso é que o Toro deu uma surra sobre o time contra o qual garantiu seu último scudetto, nos anos 1970. (RA)

Cagliari 4-3 Udinese
Com festa e
comoção nas arquibancadas do Sant’Elia pelas despedidas de Daniele
Conti (16 temporadas na Sardenha), Francesco Pisano (11) e Andrea Cossu
(7), que deixarão o time após a queda, o Cagliari encerrou sua
participação na primeira divisão com uma bela vitória ante a Udinese. A
partida foi bastante movimentada, típica de final de temporada e antes
mesmo dos 20 minutos, o time rossoblù já vencia por 2 a 0, gols de Sau e
João Pedro. A Udinese reagiu e diminuiu ainda na primeira etapa, com
Aguirre.

No segundo tempo, a partida caiu de ritmo e os gols
tardaram a sair. Já com o jogo seguindo para seu final, M’Poku ampliou.
Bruno Fernandes marcou e voltou a dar esperanças, mas minutos depois o
jogador bianconero afastou mal o cruzamento de Avelar e colocou contra
as próprias redes. Théréau ainda anotou mais um para a Udinese antes do
final da partida, mas não evitou a derrota. Com a 16ª posição e a pior
campanha na Serie A desde a volta à elite, em 1995, a equipe friulana
viverá um período de incertezas e inevitáveis mudanças para a próxima
temporada. Além da possível aposentadoria de Di Natale, a equipe já
confirmou a troca de Andrea Stramaccioni por Stefano Colantuono. (CD)

Relembre a 37ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada

Rafael (Verona); Glik (Torino), Rodríguez (Fiorentina), Maksimovic (Torino); Candreva (Lazio), Kovacic (Inter), Benassi (Torino), Bonaventura (Milan); Maxi López (Torino), Icardi (Inter), Zaza (Sassuolo). Técnico: Stefano Pioli (Lazio).

Deixe um comentário