Serie A

25ª rodada: A campeã voltou

Time e torcida da Juventus comemoraram como um título ao final do jogo contra o Napoli (The Sun)
Depois daquele começo de temporada terrível, poucos acreditavam em uma reação da Juventus. Uma vaga na Liga dos Campeões seria considerado perfeito. Mas, aproveitando-se da instabilidade de Inter e Roma, o time foi subindo na tabela e encostando na ponta. A partida contra o Napoli foi tida como “decisão antecipada” e o clima sugeria isso. Tensão, nervosismo e uma história digna de uma final. Zaza, renegado ao longo dos últimos meses, saiu do banco e marcou o gol da vitória juventina, que valeu a 15ª vitória consecutiva e a tomada da liderança pela Velha Senhora – a Juve é a quinta equipe diferente a liderar o campeonato de forma isolada. Daqui para frente serão 13 jogos para a Juventus segurar sua vantagem e para o Napoli tentar fazer sua parte, além de torcer para que alguém consiga parar os bianconeri. A briga está aberta.

Juventus 1-0 Napoli
Zaza
Tops: Bonucci (J) e Callejón (N) | Flops: Morata (J) e
Insigne (N)
A Gazzetta dello Sport resumiu bem o jogo em uma frase. “Na
noite de São Valentim, uma paixão esmagadora explode de maneira incomum”. Assim
foi a festa de jogadores e torcedores ao final do jogo, minutos depois do gol
de Zaza. Sim, ele mesmo: preterido durante toda a temporada, o atacante entrou
apenas na metade do segundo tempo, no lugar do apagado Morata, e pouco fez além
de mostrar garra e vontade. Porém, num lance fortuito, achou um belo chute de
fora da área, que contou com um leve desvio em Albiol para matar Reina e
levar ao delírio o Juventus Stadium. Foi o quinto gol do atacante em sete jogos. Ele tem aproveitado os minutos em campo e é nome certo na Euro 2016.

O jogo em si foi bem nervoso, com poucas chances claras para
cada time, já que as duas equipes foram muito bem montadas e orientadas pelos seus treinadores. Higuaín e Albiol tiveram a chance de abrir o placar, mas Bonucci e
Buffon foram precisos e salvaram a Juve. No segundo tempo, foram os bianconeri
que tiveram a chance de inaugurar o marcador, mas o chute de Dybala passou
rente à trave. Com os nervos à flor da pele, Zaza garantiu a 15ª vitória
consecutiva do time de Allegri. Khedira tem sido uma espécie de talismã: com ele em campo, foram 16 jogos e 13 vitórias. Com o resultado, a Velha Senhora superou o Napoli na tabela e assumiu
a primeira colocação da Serie A. Para quem não acreditava, a campeã voltou. A resposta da torcida napolitana para com seus jogadores? O’ surdato innammurato, cântico que encanta e faz explodir o San Paolo. Foi quase uma prova de que os fanáticos napolitanos ainda acreditam no título e confiam nos seus jogadores. Mas agora terão de secar a Juventus.
Fiorentina 2-1 Inter
Borja Valero e Babacar | Brozovic (Palacio)
Tops: Bernardeschi (F) e Palacio (I) | Flops: Tello (F) e Icardi (I)
Encerrando a rodada, Fiorentina e Inter duelavam pela terceira colocação. Depois de empatar com o lanterna, o time de Mancini veio disposto e motivado a conseguir um bom resultado. Com Éder, Palacio e Icardi na frente, a intenção era sufocar a Viola, mas na prática não foi bem isso que ocorreu. A Fiorentina criou as primeiras chances de perigo, ambas com Ilicic. Primeiro, o bósnio parou em Handanovic. Na sequência, foi Alex Telles que salvou em cima da linha. Na primeira chegada com perigo, a Inter marcou, em jogada construída desde a defesa, que acabou nos pés de Palacio: o argentino cruzou e Brozovic bateu de primeira para abrir o placar. A
pressão viola continuou e deu resultado no início da segunda etapa.
Bernardeschi infernizava a defesa interista, mas foi a cabeça de Borja
Valero que deixou o jogo igual, após cruzamento.

O jogo caiu numa
morosidade em que a Inter até parecia melhor. A expulsão incorreta de Alex Telles e a entrada de Zárate deram outra cara ao jogo. O argentino deu mais movimentação no ataque e foi dele que saiu o gol da virada. Após jogada individual, ele bateu cruzado, Handanovic espalmou e Babacar empurrou com o peito para a festa da torcida viola. No final, o mesmo Zárate foi tolamente expulso e desfalcará o time na próxima rodada. Kondogbia, já com o jogo encerrado, também recebeu o cartão vermelho, por ter reclamado da arbitragem. O resultado é muito ruim para uma Inter nervosa, que tem refletido o estado de espírito do seu treinador. Em sete jogos a equipe caiu da primeira para a quinta posição, ficando quatro pontos atrás da zona Champions e com o Milan dois pontos atrás – reflexo dos nove pontos somados em nove jogos. Os nerazzurri decretaram a lei da mordaça, enquanto a Fiorentina, mais tranquila, é a terceira colocada.

Carpi 1-3 Roma
Digne, Dzeko (Salah) e
Salah | Lasagna (Mbakogu)
Tops: Dzeko e Salah (R) | Flops: Mancosu (C) e El Shaarawy
(R)

A Roma quase aprontou das suas, mas garantiu sua quarta vitória seguida vencendo o Carpi com dois gols no final do jogo, encostando na terceira colocação, acirrando a disputa contra Inter e Fiorentina. Spalletti gostou do que viu: “É a Roma que eu quero”. Mas não fosse o resultado positivo, certamente viriam as críticas, sobretudo pela falta de qualidade e criatividade. Nainggolan voltou a atuar mais recuado e a responsabilidade pela criação ficou nos pés de Perotti, que deixou Pjanic no banco. Isso explica o fato de um primeiro tempo praticamente sem emoção.

A entrada do bósnio no lugar de El Shaarawy mudou a história do jogo e acertou alguns problemas na armação de jogo e dando mais velocidade na troca de bolas. Mas furar o bloqueio do Carpi era uma tarefa difícil. Só mesmo um belo chute de fora da área de Digne para abrir o placar. Se o ataque melhorou, a defesa continuou falhando, e na bobeira de Rüdiger, Lasagna empatou. Sem mudanças, Spalletti apostou em suas escolhas e elas deram resultado. Salah fez boa jogada e deixou para Dzeko reencontrar as redes após 82 dias e dar a vantagem novamente para a Roma. Salah, no minuto seguinte, aproveitou a sobra e definiu o placar.

Milan 2-1 Genoa
Bacca e Honda | Cerci
Tops: Montolivo e Honda (M) | Flops: Donnarumma (M) e Matavz (G)

Após o sétimo jogo sem derrota do Milan, a vaga na Champions tornou-se um sonho próximo. Jogando em casa, o time de Mihajlovic fez o que dele se esperava, bateu o desesperado Genoa e chegou à sexta colocação, a apenas seis pontos do terceiro colocado, a Fiorentina. Um deleite para Galliani, que falou que seu time poderá jogar como a Juventus em breve. Em campo, Bacca tratou de dar a tranquilidade que o time precisava, com um gol logo aos 5 minutos. Um gol que saiu graças ao esforço de Honda, um dos melhores em campo. O japonês recuperou seu bom futebol com Miha e vem se mostrando o trequartista que a equipe precisava. Foi dele, aliás, o segundo gol milanista, num chutaço de fora da área.

Os grifoni conseguiram diminuir apenas nos acréscimos com Cerci, ex-Milan, que aproveitou o vacilo de Donnarumma para completar ao gol vazio. A reação não passou disso e o Genoa chegou a à sua quinta partida sem vencer e segue na berlinda, na 16ª colocação. Nada que preocupe Gasperini, que viu evolução (?) em sua equipe e disse não se mostrar preocupado com o rebaixamento.

Lazio 5-2 Hellas Verona
Matri (Cataldi), Mauri (Cataldi), Felipe Anderson (Matri), Keita (Klose) e Candreva (pênalti) | Greco e Toni (Wszolek)
Tops: Cataldi e Felipe Anderson (L) | Flops: Hoedt (L) e Fares (V)
No jogo mais movimentado da rodada, a Lazio goleou o Verona e afastou a crise que rondava o lado celeste da Cidade Eterna, após três rodadas sem vencer. O resultado, porém, não foi muito verdadeiro, pois o Hellas deu trabalho aos laziali. O time de Delneri quase abriu o placar com Pazzini, mas acabou levando o primeiro gol já no final da primeira etapa, com Matri balançando as redes após 315 minutos de jejum. No segundo tempo, a Lazio abriu 3 a 0, em duas jogadas que envolveram a defesa dos mastini. Partida encerrada? Que nada! Em sete minutos o Verona anotou dois gols e chegou a sonhar com uma reação, como a que sofreu na última rodada, mas deixou muitos espaços na defesa e o time de Pioli matou o jogo em dois contra-ataques. No primeiro, Klose serviu Keita, que bateu de sem pulo e ampliou. Já nos minutos finais, Candreva sacramentou a vitória. Destaque para Felipe Anderson, que voltou ao time titular e foi um dos destaques da partida.

Palermo 1-3 Torino
Gilardino (Morganella)
| Immobile (pênalti), González (contra) e Immobile
Tops: Vázquez (P) e Immobile (T) | Flops: González e Rispoli (P)

O Torino quebrou um tabu que já durava mais de 50 anos sem
vencer no Renzo Barbera – a última vez tinha sido em 1962. Com dois gols de Immobile, os granata viraram que
poderia ser complicada. Logo aos 2 minutos Gilardino abriu o placar. Sorte do
Toro que Immobile, em sua 100ª partida com a camisa do clube, empatou minutos depois, cobrando pênalti
que ele mesmo sofreu. O Palermo sentiu o gol e não conseguiu mais jogar. Ainda no primeiro tempo, Bruno Peres cruzou e
González, contra, deu a vantagem para o time de Turim. O capitão Sorrentino teve de ser substituído antes do intervalo, após chocar-se com Andjelkovic e machucar o joelho – o jovem goleiro Alastra estreou e foi bem. Gilardino teve a chance
do empate, mas Padelli salvou o Torino, enquanto o goleiro palermitano ia mantendo seu time vivo do outro lado. Porém, em jogada individual, Immobile anotou
seu segundo gol e sacramentou a vitória do Toro. Com apenas dois pontos nos últimos quatro
jogos, o Palermo chamou de volta o técnico Iachini, após pedido dos jogadores.

Udinese 0-1 Bologna

Destro
Tops: Hallfredsson (U) e Destro (B) | Flops: Danilo (U) e Mounier
(B)

Depois de segurar o Milan, a Udinese voltou a tropeçar,
desta vez frente ao Bologna. Com um gol de Destro, no final do jogo, o time de Donadoni conquistou sua sexta vitória fora de casa, afastando de vez o
perigo do rebaixamento e já planejando um final de campeonato sem sofrimento. Diferentemente
da Udinese, que não vence há seis rodadas e segue no meio da tabela, contando com tropeços dos rivais. Em
campo, os rossoblù começaram melhor, criando algumas boas oportunidades que
foram desperdiçadas ou paradas por Karnezis. Aos poucos a Udinese foi chegando,
sempre na jogada aérea, especialmente com Théréau. Kuzmanovic ainda acertou a
trave de Mirante no primeiro tempo. Numa jogada que parecia morta, Destro
brigou, se livrou de Danilo e garantiu a vitória.

Empoli 1-2 Frosinone
Maccarone (Saponara) | D. Ciofani (Pavlovic)
e D. Ciofani (pênalti)
Tops: D. Ciofani e Leali (F) | Flop: Mário Rui (E)
Com dois gols do atacante Ciofani, o Frosinone conseguiu
uma importante vitória contra o Empoli, na Toscana. Stellone armou uma
defesa bem sólida, com quatro defensores e três jogadores à frente fazendo a
proteção, para não deixar espaços ao perigoso tridente do Empoli, com Saponara,
Maccarone e Pucciarelli. Deu resultado. No primeiro contra-ataque, Ciofani foi
mais esperto que a defesa e abriu o placar, em boa cabeçada. Lá atrás, Leali fez o que pode, só
não conseguiu evitar o belo gol de Maccarone, no início da segunda etapa. Quando o
Empoli parecia que conseguiria a virada, o Frosinone novamente achou seu gol.
Dionisi sofreu pênalti bobo de Mário Rui e Ciofani garantiu a primeira vitória dos canarini fora
de casa. Agora, a saída da zona de rebaixamento está a apenas três pontos.
Chievo 1-1 Sassuolo
Birsa (pênalti) | Sansone
Tops: Spolli (C) e Sansone (S) | Flops: Frey (C) e
Falcinelli (S)
Um jogo que pode ser resumido em um minuto. Birsa marcou de
pênalti aos 29, mas na saída de bola o Sassuolo empatou num lindo gol de
Sansone, que acertou um lindo chute de fora da área, mandando no ângulo e encobrindo Bizzarri. De resto, a partida em Verona foi marcada por poucas emoções e
atacantes sem pontaria. O Sassuolo bem que tentou sair com a vitória, mas os clivensi montaram um bunker na entrada da área e ficaram fechados, impedindo a entrada dos atacantes na área.
Sampdoria 0-0
Atalanta
Tops: Cassano (S) e Diamanti (A) | Flop: Pinilla (A)
Poucas emoções no Luigi Ferraris. Os dois times precisavam
da vitória para se afastarem das últimas colocações, muito em função do
retrospecto recente. Os blucerchiati conquistaram apenas um ponto dos últimos
18 e os nerazzurri ainda não venceram no returno. Se o primeiro tempo foi fraco, com
poucas oportunidades de gol, o segundo foi ainda pior. A Atalanta ainda
reclamou de um pênalti em cima de Pinilla, mas Antonio Damato assinalou
impedimento do avante argentino.

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Relembre a 24ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.

Seleção da rodada
Padelli (Torino); Barzagli (Juventus), Bonucci (Juventus), Gastaldello (Bologna); Honda (Milan), Cataldi (Lazio), Montolivo (Milan), Bernardeschi (Fiorentina); Salah (Roma), Ciofani (Frosinone), Immobile (Torino). Técnico: Massimiliano Allegri (Juventus).

Deixe um comentário