Liga Europa

A remanescente

Após vencer o Galatasaray, Lazio é única equipe italiana viva na Liga Europa (LaPresse)

Semana ruim para a Itália. Na Liga Europa, só a Lazio superou os 16 avos de final, uma surpresa. A Fiorentina tinha um adversário complicado pela frente e saía em desvantagem, mas foi dominada pelo Tottenham. Já o Napoli, favorito, não mostrou sua força contra o Villarreal e também caiu. Curiosamente, no ano passado napolitanos e florentinos foram eliminados nas semifinais da competição, e dessa vez, foram eliminados juntos nos 16 avos. 

Os resultados também foram muito ruins para o coeficiente Uefa, que define as vagas das equipes nas competições da entidade: foram quatro vitórias inglesas contra uma italiana, o que aumentou a vantagem de pontos da Inglaterra sobre a Itália. A quarta vaga na Liga dos Campeões está mais distante.

Lazio 3-1 Galatasaray

Quem diria que a Lazio seria a única equipe italiana a chegar às oitavas da Liga Europa? Bem irregular em toda a temporada, o time de Pioli dominou o jogo contra o Galatasaray, administrou sua vantagem e garantiu a classificação ma segunda etapa.

Em noite de muita chuva em Roma, o primeiro tempo no Olímpico teve poucas chances. Dez minutos depois do intervalo, Matri acertou a trave e, na sequência, o jogo esquentou. Aos 13, Parolo aproveitou cobrança de escanteio e, com cabeçada violenta, abriu o placar. Em seguida, Felipe Anderson ampliou, ao concluir a boa jogada construída por Candreva e a assistência de Matri. Logo na saída de bola, o Yasin Öztekin foi esperto e, com o erro de Bisevac, reduziu a vantagem italiana. Foi aí que entrou a arma laziale para a passagem de turno: Klose substituiu Matri e quase fez um gol aproveitando a sobra do goleiro Muslera, ex-Lazio: deitado, viu Chedjou cortar quando a bola entrava. Mas o gol viria segundos depois: Radu apareceu bem na lateral esquerda e só ajeitou para o alemão anotar seu primeiro em 2015-16. Um gol muito importante.

Napoli 1-1 Villarreal

Momento de baixa do Napoli, que não vence há quatro jogos. O vice-líder da Serie A foi eliminado na Liga Europa, após uma derrota na Espanha e um empate na Itália. Na hora do vamos ver, os napolitanos caíram: valeu pouco ter vencido as seis partidas na fase de grupos.

 

A primeira boa chance foi do Submarino Amarelo. Reina salvou sobre Bakambu aos 13: o congolês foi deixado cara a cara por Soldado e perdeu. Três minutos depois, o Napoli abriu o placar. Hamsík aproveitou sobra do corte errado de Víctor Ruiz e mandou um sem pulo lindo, no canto do gol defendido por Aréola. Em meio a um jogo pegado, com alto número de amarelos, o Napoli foi superior, e criou duas chances com Mertens ainda no primeiro tempo. Aos 42, Mertens avançou com velocidade e cruzou rasteiro, Musacchio tentou cortar e acertou a trave. Dois minutos depois, o belga arriscou de fora da área e quase marcou o segundo. 

No início do segundo tempo, Reina salvou os azzurri outra vez. O goleiro interceptou cruzamento de Rukavina e tirou gol de Bakambu novamente. Mas o Villarreal empatou minutos depois. O cruzamento de canhota do destro Pina desviou em David López e encobriu o goleiro do time italiano. Os partoneopei precisavam de dois gols para se classificar, mas não conseguiram. Na reta final do jogo, Aréola fez duas ótimas defesas, em finalizações de Insigne e Mertens, garantindo a passagem do espanhol, que eliminou o favorito Napoli.

Tottenham 3-0 Fiorentina

Superioridade completa do Tottenham sobre a Fiorentina nas duas pernas do confronto. Depois do empate por 1 a 1 em casa, a Viola foi a Londres em uma difícil busca por um resultado favorável. As esperanças duraram pouco e os Spurs passaram o carro sobre o time italiano.

 

Ainda no primeiro tempo, Mason abriu o placar para os coys, aproveitando um buraco na defesa, por erro de posicionamento de Tomovic. Impreciso, Bernardeschi perdeu duas boas chances no segundo tempo, ao fazer a escolha errada no momento da decisão. O castigo veio com Lamela, que fez o segundo, com falha de Gonzalo Rodríguez. Já prestes a ser enterrada, a Fiorentina teve o último prego colocado em seu caixão quando o capitão argentino tentou interceptar passe para Alli e marcou contra. Sem amplitude nenhuma e em péssima apresentação, foi mais do que justa a queda florentina.

Deixe um comentário