Serie A

3ª rodada: A arca de Francesco

Totti voltou a sair do banco para abrir o tempo para a Roma (Ansa)

Depois de uma pausa de duas semanas para os compromissos das seleções, a Serie A voltou junto com dois temporais: Genoa e Fiorentina tiveram que ir para os vestiários mais cedo e precisarão completar outro dia a partida, que foi adiada. Já Roma e Sampdoria chegou a ser interrompida, mas foi concluída ainda mesmo no domingo, quando Totti reuniu seus súditos e comandou a arca romana rumo a uma vitória sofrida. Além disso, a rodada teve a Juventus batendo o Sassuolo e mantendo os 100% de aproveitamento, mais uma boa atuação do Napoli, a primeira vitória da Inter e mais um tropeço do Milan. Confira no resumo.

Roma 3-2 Sampdoria

Salah (Perotti), Dzeko (Totti), Totti (pênalti) | Muriel (Regini), Quagliarella (Álvarez)

Tops: Totti (Roma) e Muriel (Sampdoria) | Flops: Juan Jesus (Roma) e Skriniar (Sampdoria)

Nada
como um dilúvio para evitar outra romada – e nada como um rei para
trazer a bonança após a tempestade. Enquanto a partida entre Genoa e
Fiorentina era adiada por causa de forte chuva, a Roma levava virada
da Sampdoria no final do primeiro tempo. No intervalo, o cenário de
Gênova se repetia e o estádio Olímpico começava a ficar alagado. Mas depois de muita espera, a bola
voltou a rolar e Totti iniciou seu show.

A defesa sofreu com o lado
esquerdo formado pelos brasileiros Juan Jesus e Bruno Peres (improvisado), mas o ataque
também não foi eficiente com Salah, Perotti e El Shaarawy – apesar do gol
do egípcio, em jogada do argentino. Após a virada doriana e o longo intervalo, o eterno camisa 10 giallorosso mudou
o contexto do jogo juntamente com Dzeko, que novamente saiu bem do banco para
ser decisivo. Primeiro, graças a um magistral passe do infinito capitão, o bósnio empatou a peleja logo após a
pausa. No final, depois de muita pressão, a arbitragem assinalou pênalti questionável sobre o
camisa 9: o veterano de quase 40 anos, aos 92 minutos, cobrou com perfeição e foi comemorar junto com a torcida, emocionada. Já são 25 temporadas com gols de Totti pela Roma e é sempre ele que leva a equipe nas costas.

Juventus 3-1 Sassuolo

Higuaín (Dybala), Higuaín (Khedira), Pjanic | Antei

Tops: Higuaín e Pjanic (Juventus) | Flops: Matri e Peluso (Sassuolo)

100%. A única equipe que ganhou nas três rodadas só poderia ser mesmo a Juventus. Sem dar chance para novos tropeços, o time de Allegri é, até aqui, soberano no campeonato: não apenas pelas três vitórias, mas o desempenho seguro contra adversários complicados e a atitude de campeão que a equipe tanto tem mostrado nos últimos anos são a chave para tal domínio. Contra o Sassuolo, a Velha Senhora contou com um Higuaín arrasador por cinco minutos e liquidou a partida com menos de um terço do primeiro tempo.

Dybala, apesar dos gols do compatriota, também foi um dos melhores em campo, bem apoiado por Khedira e Lichtsteiner, e participou de dois gols – um deles foi de Pjanic, que marcou logo em sua estreia. Nem mesmo o gol de Antei, anotado em desatenção após escanteio, serviu para abalar o equilíbrio juventino. A equipe não voltou a ser ameaçada pelo time de Di Francesco, frágil e pouco agressivo com a ausência do craque Berardi, lesionado.

Pescara 1-2 Inter

Bahebeck (Zampano) | Icardi (Banega), Icardi

Tops: Caprari (Pescara) e Handanovic (Inter) | Flops: Benali (Pescara) e Perisic (Inter)

O
time de De Boer tem evoluído, mas isso não significa menos sofrimento para os interistas.
Depois de uma derrota e um empate, a Beneamata chegou à primeira vitória, dessa vez contra um adversário
encardido e com futebol para lá de competitivo e divertido. A equipe de Oddo junta
jovens técnicos e velozes com organização e agressividade, explorando,
especialmente, os bons Verre e Caprari, enquanto Bizzarri salva a lenta e
desconcentrada dupla de zaga. Enquanto a dupla italiana manteve o time
na partida e deu bastante trabalho para Miranda, Murillo e Handanovic, que estavam em boa noite e evitaram o pior, o
veterano goleiro argentino salvou os biancazzurri diversas vezes.

A Inter teve boa
produtividade ofensiva e boas participações de João Mário e Banega, mas
também cedeu muito na defesa por causa de passes errados e bolas perdidas em
busca de ataques mais rápidos, mas precipitados. Saído do banco de reservas, Bahebeck causou grande
impacto e surpreendeu ao abrir o placar no momento de maior pressão dos visitantes,
que demoraram a reagir e só o fizeram a partir das entradas dos atacantes Éder,
Jovetic e Palacio. O trio entrou em campo numa rara tripla substituição simultânea, mas a virada aconteceu única e exclusivamente através da dupla argentina
Banega e Icardi: criação do ex-Sevilla e gols marcados pelo capitão nerazzurro, que chegou aos 50 gols pelo clube. Uma vitória nos acréscimos para mudar o clima no clube? 

Palermo 0-3 Napoli

Hamsík (Ghoulam), Callejón (Insigne), Callejón (Zielinski)

Tops: Zielinski e Callejón (Napoli) | Flops: Posavec e Aleesami (Palermo)

Este é o Napoli que tanto queríamos ver. O time partenopeu foi mal contra o Pescara, um pouco melhor contra o Milan, mas definitivamente o grupo de jogadores que praticam o melhor futebol do país foi visto neste sábado, na Sicília. Os gols demoraram a sair mais do que deveriam, mas o controle e domínio da partida duraram os 90 minutos. Callejón e Hamsík foram os artilheiros da noite, porém os coadjuvantes Zielinski e Ghoulam tiveram grande dia, ativando seus companheiros com ótimos apoios. Importante também a participação de Insigne, que fez boa partida após um início lento na primeiras rodadas.

Milan 0-1 Udinese

Perica (Badu)

Tops: Kums e De Paul (Udinese) | Flops: Bacca (Milan) e Théréau (Udinese)

Oh, Milan, Milan, Milan. Depois de 88 minutos de um controle sem eficiência e posse de bola estéril, o time de Montella sofreu um fatídico gol, que deu a primeira vitória para a Udinese diante dos rossoneri em San Siro depois de nove anos. Ex-Chelsea, o croata Perica, há um ano e meio entra nos minutos finais pelo time friulano e raramente tem chances entre os titulares, mas dessa vez marcou importante gol. A partida, meio insossa, teve os anfitriões com a bola, mas sem boas atuações de Suso, Boaventura e  Bacca. Sosa acertou a trave, mas esta foi a única chance clara do Diavolo, enquanto a Udinese, que estaria satisfeita com o empate, viu o uruguaio De Paul se destacar. O meia  agora conta com um companheiro à altura no setor: o regista belga Kums, que teve boa estreia.

Atalanta 2-1 Torino

Masiello, Kessié (pênalti) | Iago Falqué

Tops: Kessié (Atalanta) e Iago Falqué (Torino) | Flops: Freuler (Atalanta) e Hart (Torino)

Cenário
melhor impossível para um time treinado por Gasperini: um jogo sem controle e
caótico. A vitória veio apenas no fim, com gol decisivo de pênalti da
revelação Kessié, e também graças aos erros defensivos do Torino. O estreante Hart
falhou feio no gol de empate de Masiello, marcado logo após a bela cobrança de falta de
Iago Falqué, que deu a vantagem aos visitantes. No entanto, o goleiro inglês não foi o único reforço granata a vacilar: De Silvestri cometeu pênalti infantil em Papu
Gómez, convertido por Kessié. Bastante direto nos ataques, novamente o time de Mihajlovic
acertou bastante o gol adversário, mas dessa vez não tinha Belotti para descomplicar o jogo e
parou no excelente Sportiello, autor de seis defesas.

Bologna 2-1 Cagliari

Verdi, Di Francesco (Krejci) | Bruno Alves

Tops: Gastaldello e Krejci (Bologna) | Flops: Storari e Barella (Cagliari)

Goleada à parte sofrida para o Torino na última rodada, mais uma vitória para o Bologna de Donadoni, que dessa vez contou com ótima participação das suas novas contratações: Nagy, Krejci, Verdi e Di Francesco. Enquanto Destro está fora de forma e segue atuando em uma rotação abaixo do restante do time, os jovens foram decisivos na boa vitória contra o Cagliari. O time da Sardenha, por sua vez, paga pela tabela complicada, mas tem mostrado competitividade no retorno à elite e conta com boas participações dos seus veteranos jogadores.

Chievo 1-1 Lazio

Gamberini (Birsa) | De Vrij (Keita)

Tops: Gamberini (Chievo) e De Vrij (Lazio) | Flops: Lulic e Kishna (Lazio)

Chievo e Lazio provavelmente fizeram o jogo mais chato da rodada. Dois times com poucos critérios e argumentos ofensivos, muito mais físicos do que técnicos, consequentemente não proporcionaram um bom jogo. A Lazio segue sofrendo com um Biglia abaixo da média, e mesmo com Felipe Anderson, Immobile e Keita participativos, faltou mais eficiência e controle ao time treinado por Simone Inzaghi. Os gols do jogo acabaram saindo de boas paradas e conclusões dos zagueiros Gamberini e De Vrij.

Empoli 2-1 Crotone
Bellusci (Pasqual), Costa (Pasqual) | Sampirisi (Rohdén) 

Tops: Pasqual e Bellusci (Empoli) | Flops: Mauri (Empoli) e Dussenne (Crotone)

Em partida entre dois times que ainda não tinham somado pontos no campeonato, melhor para o organizado Empoli. A equipe toscana apostou muito nas jogadas de linha de fundo, com cruzamentos de Zambelli e Pasqual. Com dois cruzamentos perfeitos do ex-capitão da Fiorentina e dois gols de cabeça dos zagueiros Bellusci e Costa, os azzurri conquistaram os três pontos – embora Sampirisi tenha igualado o placar no final do primeiro tempo. A partida ainda valeu uma marca história para Gilardino, que chegou aos 500 jogos na Serie A.

Genoa-Fiorentina
Adiado pelo mau tempo.

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Relembre a 2ª rodada aqui.

Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada

Handanovic (Inter); Pasqual (Empoli), Gastaldello (Bologna), Gamberini (Chievo), Ghoulam (Napoli); Zielinski (Napoli), Banega (Inter), Pjanic (Juventus); Totti (Roma); Higuaín (Juventus), Icardi (Inter). Técnico: Maurizio Sarri (Napoli).

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.

Deixe um comentário