Serie A

12ª rodada: Líder, mas fora de forma

Pjanic quer ouvir: quem é a líder mesmo sem estar na melhor forma? (Getty)

Colaborou Nelson Oliveira

Novembro começou na Serie A, mas já tem pausa: com a data Fifa, o campeonato só volta em duas semanas. Até lá, a Juventus continua na liderança, mesmo que não venha apresentando o mesmo futebol das temporadas anteriores – curiosamente, a equipe de Turim que tem atuado melhor é o Torino, seu rival. Não importa: a Velha Senhora esbanja superioridade na Itália e vence jogos até sem ser brilhante. Por isso, mantém sua vantagem de quatro pontos sobre a Roma e de cinco sobre o Milan, que ocupam a segunda e a terceira posição, respectivamente. Em um campeonato em que Napoli, Inter e Fiorentina estão tropeçando, a briga europeia vai sendo enriquecida pelos surpreendentes times de Lazio, Torino e Atalanta. Confira o resumo da rodada.

Chievo 1-2 Juventus

Pellissier (pênalti) | Mandzukic (Cuadrado), Pjanic
Tops: Cuadrado e Pjanic (Juventus) | Flops: Higuaín e Lichtsteiner (Juventus)
A décima. Em 12 rodadas, ninguém venceu mais que a Juventus, que lidera com quatro pontos de vantagem. Mas, novamente, a Velha Senhora esteve abaixo dos seus padrões: se os adversários reconhecem a soberania e pouco buscam competir, a equipe de Allegri não tem jogado bem, especialmente por causa do meio-campo, menos sólido que em temporadas anteriores. Nesta partida, isso se explica um pouco pelas presenças dos reservas Sturaro e Hernanes, mas mesmo os titulares não conseguiram igualar o domínio dos meias bianconeri entre 2012 e 2016. Lógico que isso também ficou mais evidente desde que Dybala ficou fora do time por lesão: o argentino é a fonte criativa do time e não precisa ser acionado, pois é capaz de fazer jogadas individuais, quebrando a marcação.

Em meio à falta de criatividade e em dia nada inspirado de Higuaín, importante a contribuição de Cuadrado, que deu assistência para o gol do grandalhão croata Mandzukic, após roubada de bola na saída do Chievo. No dia do jogo 600 de Buffon na Serie A, outro veterano chegou a marca importante: Pellissier, no auge dos seus 37 anos, marcou seu gol 99 em 400 jogos na competição, aumentando sua liderança disparada na artilharia da modesta história gialloblù. E não é a primeira vez que o camisa 31 da equipe de Verona frustra Buffon: no jogo 300 do goleiro, o atacante marcou três vezes. Coube, então, a Pjanic decidir com gol de falta, respondendo às críticas – muitos o consideram flop, mesmo no clube há apenas três meses e participando mais do jogo do que na Roma. Apesar da vitória, a Juve teve uma notícia ruim: Barzagli sofreu luxação no ombro e só volta ao time em janeiro.

Palermo 1-2 Milan
Nestorovski (Diamanti) | Suso (Bonaventura), Lapadula (Suso)
Tops: Bruno Henrique (Palermo) e Suso (Milan) | Flops: Posavec (Palermo) e Bacca (Milan)
Há vida sem Bonaventura, quem diria. O camisa 5 milanista não esteve bem na Sicília, mas lá estava Suso para decidir e garantir a oitava vitória do time de Montella. Em dia de pequena participação do seu principal jogador e de outra má partida de Bacca, foi o espanhol que brilhou. Primeiro, aproveitou vacilo de Aleesami e Posavec para abrir o placar e, quando tudo estava complicado, arriscou de fora da área e viu Lapadula, substituto de Bacca e com poucos segundos em campo, emendar um toque de letra para marcar o gol da vitória, dando importante passo para ganhar moral e quem sabe ser titular.

Na corda bamba – como qualquer treinador sob o comando de Zamparini –, De Zerbi viu seu time reagir em momentos do jogo e pressionar o então vice-líder, exigindo novas participações decisivas de Donnarumma, a cada rodada mais maduro, regular e importante para o Milan, que sofreu o empate graças ao sexto gol do macedônio Nestorovski na Serie A. Vale destacar também a solidez de Bruno Henrique no meio-campo: na Itália vai se destacando como ladrão de bolas, tal qual no Corinthians. Porém, enquanto o Palermo chafurda na zona de rebaixamento, o próximo jogo do Milan, terceiro colocado, é nada mais, nada menos que o Derby della Madonnina contra a Inter.

Inter 3-0 Crotone
Perisic (Icardi), Icardi (pênalti), Icardi (Éder)
Tops: Icardi e Brozovic (Inter) | Flops: Candreva (Inter) e Ferrari (Crotone)
Antes tarde do que nunca. A Inter precisou de 85 minutos para abrir o placar contra o lanterna Crotone, depois de muita pressão – reflexo dos inúmeros passes errados. A boa participação de Brozovic, João Mário e Banega não significou facilidade para os nerazzurri, já que eles não conseguiram conectar bem as jogadas com Candreva, Perisic e Icardi – bastantes imprecisos ou, no caso do argentino, pouco participativo. Se Handanovic tocou na bola apenas com os pés e nem sujou o uniforme, seu companheiro de profissão, Cordaz, criado em Interello, foi importante para manter o placar zerado por tanto tempo.

No fim, acabou sofrendo gols pelos toques preciosos de Icardi: foram apenas 18, mas o camisa 9 nerazzurro foi decisivo, como de costume, e tudo em menos de 10 minutos. Primeiro, com belo lançamento para Perisic abrir o marcador; depois sofrendo e convertendo penalidade e, por último, com finalização precisa após jogada de Éder. Artilheiro do campeonato ao lado de Dzeko (ambos têm 10 gols), Icardi chegou 67 redes estufadas na Serie A e vitimou o 22º time na competição: falta apenas o Milan. Na espera de Stefano Pioli, o xará Vecchi, do sub-19, conquistou vitória que traz um pouco – muito pouco mesmo – de calma antes da data Fifa e do Derby della Madonnina. Fato inusitado na arbitragem: Marco Guida teve que ser substituído por Gianpaolo Calvarese, que seria um dos assistentes adicionais, enquanto Carmine Russo foi tirado da folga para auxiliar.

Roma 3-0 Bologna
Salah (Perotti), Salah (Strootman), Salah
Tops: Salah e Perotti (Roma) | Flops: Krafth e Masina (Bologna)
Saúdem Mohamed
Salah. O jogador que mais cria oportunidades de gol na Serie A também
desperdiça muitas chances claras, mas dessa vez, além de devorar o jovem
Masina e a defesa do Bologna, aproveitou as oportunidades e foi
protagonista na partida que fechou a rodada. Com três gols, o egípcio
deixou a Roma na segunda posição, a quatro pontos da Juventus. A
ausência de Paredes refletiu a falta de controle da equipe de Spalletti,
que teve menos a posse de bola e sofreu com as respostas do adversário,
que exigiu boas intervenções de Szczesny. Por outro lado, a Roma foi
devastante no último terço, graças não só a Salah, mas a Perotti, que
voltou ao time titular, após lesão, e só não esteve tão bem quanto o
egípcio, que completou sua jogada no primeiro gol, aproveitou
interceptação e passe de Strootman no segundo e completou rebote de
Dzeko no terceiro.
Napoli 1-1 Lazio
Hamsík (Ghoulam) | Keita (Parolo)

Tops: Hamsík (Napoli) e Marchetti (Lazio) | Flops: Reina (Napoli) e Felipe Anderson (Lazio)
No Milik, no party. Apesar da boa participação de Mertens no centro do ataque, a ausência do polonês e a falta de alguém com o mesmo perfil segue minando o time de Sarri, que teve péssimo mês de outubro e começa novembro da mesma forma. Apesar da bela exibição de Hamsík – e novamente Diawara -, Insigne e Callejón estiveram muito mal e não deram continuidade ao que vinha sendo criado pelo meio-campo. Pior mesmo, apenas Reina, que voltou a falhar, dessa vez em chute de Keita, e cedeu o empate logo após o golaço do capitão napolitano. O senegalês da Lazio foi a principal ameaça dos visitantes junto a Immobile, já que Felipe Anderson e Lulic ficaram abaixo do esperado. Fundamental a participação de Marchetti, goleiro que teve mais defesas na rodada, fez duelo interessante com Hamsík e segurou a pressão no final. Outro grande resultado para a Lazio de Inzaghi, que não empolga, mas é quarta colocada, inclusive na frente do Napoli, apenas sexto.
Torino 5-1 Cagliari
Belotti, Ljajic (Belotti), Benassi (Baselli), Baselli (Ljajic), Belotti (pênalti) | Melchiorri (Pisacane)
Tops: Ljajic e Belotti (Torino) | Flops: Dessena e Storari (Cagliari)
Intensidade e nada de misericórdia. Em seu melhor trabalho como treinador, Mihajlovic vai conseguindo passar seus conceitos para o elenco do Torino, que simplesmente não tomou conhecimento do Cagliari e atropelou o rival, com um show de Belotti, Ljajic, Baselli e Benassi, além da luxuosa ajuda de Falqué, Valdifiori, Barreca e Zappacosta. Marcação alta, pressão e muita participação dos meias centrais na construção das manobras ofensivas e muito entendimento do agressivo trio de ataque: tudo isso foi visto no estádio Olímpico Grande Torino. Dessa vez, aproveitando as qualidades do regista Valdifiori e dos pontas criativos, a equipe até controlou a posse de bola e não construiu o resultado apenas com ótimos ataques em velocidade. O time grená tem 27 gols marcados e fica atrás apenas da Roma, que tem dois a mais e tem o ataque mais positivo da Serie A. No caso do Toro, estes tentos são bem distribuídos entre Belotti (8), Ljajic (5), Falqué (5), Baselli (4) e Benassi (4). Tamanha força ofensiva só poderia mesmo ter destruído a defesa mais vazada dessa temporada: são 29 gols sofridos na conta do Cagliari, que não foi vazado em apenas uma oportunidade e já coleciona quatro goleadas. 
Fiorentina 1-1 Sampdoria
Bernardeschi | Muriel (Regini)
Tops: Tatarusanu (Fiorentina) e Muriel (Sampdoria) | Flops: Kalinic (Fiorentina) e Linetty (Sampdoria)
Kalinic recuperou a forma, mas isso não significa que decidirá sempre. Dessa vez o croata jogou mal contra a Sampdoria, que fez outra boa partida e parece empolgada desde a vitória sobre o rival Genoa. Na ausência do bom futebol do seu camisa 9, a Fiorentina sofreu para ter chances de real perigo, mesmo com as jogadas criadas por Ilicic e Bernardeschi, que geraram o primeiro gol. Enquanto a viola parou no tento que abriu o placar, os visitantes responderam com uma boa atuação do seu coletivo e chegaram ao empate no segundo tempo com Muriel, mais uma vez bem em campo. A Samp, quem diria, fez Tatarusanu ter uma boa partida na Itália, e fez o goleiro segurar pelo menos o empate – o romeno foi providencial num dos últimos momentos do jogo, fazendo ótima defesa em finalização de Praet. De qualquer forma, continua o péssimo início de temporada do time de Paulo Sousa, que está no meio da tabela, com 17 pontos – dois a mais que os blucerchiati.
Sassuolo 0-3 Atalanta
Gómez, Caldara (Gagliardini), Conti
Tops: Conti e Caldara (Atalanta) | Flops: Lirola e Gazzola (Sassuolo)
Momento de reflexão para o Sassuolo: além dos tropeços na Liga Europa, o time de Di Francesco chegou à terceira derrota seguida e se aproximou da zona de rebaixamento. Sem o craque Berardi e sofrendo com a falta de reposição, a equipe está exausta já em novembro, já que a participação na Liga Europa inflou o calendário neroverde. O time emiliano não tem tido recuperação nem com as mudanças táticas promovidas pelo treinador, como a utilização da defesa a três, que segue sem garantir solidez defensiva e descanso para os atacantes. Prato cheio para a física Atalanta de Gasperini, que construiu o segundo 3 a 0 nesta temporada todo no primeiro tempo, a partir de gol irregular de Papu Gómez e dos jovens da base Caldara e Conti. Vale destacar ainda outra grande participação de outro produto do setor juvenil bergamasco, referência na Itália: Gagliardini, que foi convocado por Ventura para a seleção italiana após o corte de Marchisio. Com 21 pontos e a sétima vitória no campeonato – seis nas últimas sete rodadas –, a Dea é simplesmente a quinta colocada e está na zona europeia. Depois do sufoco no início, recuperação para lá de espetacular da equipe que tem a melhor campanha do campeonato desde outubro. Além da Atalanta, somente os times de Roma estão invictos desde setembro.
Genoa 1-1 Udinese
Ocampos (Edenílson) | Théréau (Widmer)
Tops: Orbán (Genoa) e Théréau (Udinese) | Flops: Miguel Veloso (Genoa) e Felipe (Udinese)
Como vinho, Théréau se torna cada vez mais importante para a Udinese e, aos 33 anos, tem correspondido desde a renovação de contrato por mais três temporadas. Completando cruzamento de Widmer, o francês abriu o placar no Marassi e foi um incômodo para a defesa da casa, que desde então se manteve intacta. Do outro lado, o time de Delneri mantém a solidez defensiva, mesmo após sofrer o primeiro gol de Ocampos na Serie A. O argentino, que passou de promessa a flop e agora tenta reerguer a carreira, aproveitou cruzamento do ex-friulano Edenílson, que parece ter ganhado a confiança de Juric e tem sido titular na ala direita, depois de começar a temporada na reserva. Com os sistemas defensivos tão seguros, pouco fizeram Pavoletti e Zapata, o que explica um jogo com poucas oportunidades entre duas equipes que poderiam ter criado mais.
Pescara 0-4 Empoli
Maccarone (Pucciarelli), Pucciarelli (Maccarone), Maccarone (Saponara), Saponara (Veseli)
Tops: Saponara e Maccarone (Empoli) | Flops: Aquilani e Zampano (Pescara)
O Empoli só tinha dois gols na Serie A, mas “lavou a égua” diante do Pescara e fez logo quatro. Pior ataque do campeonato, finalmente o time de Martusciello reencontrou Maccarone, Pucciarelli e Saponara: saindo dos braços de Morfeu, o trio protagonizou a goleada no Adriatico, aproveitando as poucas oportunidades que tiveram. O camisa 10 toscano, autor de um gol e uma assistência, até se emocionou e chorou ao marcar seu primeiro gol desde dezembro de 2015 e finalmente dar resposta à má fase. Essencial para a vitória na região central do pais, o garoto Dioussé superou amplamente o veterano Aquilani, que teve até que ser substituído no intervalo. Para o time de Oddo, mais um duro resultado diante da alta produção ofensiva, que obrigou nova participação decisiva de Skorupski. Ultrapassado pelo próprio Empoli, pela primeira vez o Pescara está na zona de rebaixamento e precisa dar uma resposta aos maus resultados.
*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols
Relembre a 11ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.
Seleção da rodada
Marchetti (Lazio); Cuadrado (Juventus), Conti (Atalanta), Caldara (Atalanta), Regini (Sampdoria); Baselli (Torino), Benassi (Torino), Saponara (Empoli); Salah (Roma), Icardi (Inter), Belotti (Torino). Técnico: Sinisa Mihajlovic (Torino).

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.

2 comentários

  • Ufa, ate que enfim o pescara foi premiado por sua incompetência. Após dez rodadas sem vitória, entra, merecidamente na zona de rebaixamento. E é porque foi beneficiado pela punição do sassuolo aplicada pela FIGC na segunda rodada, em um confronto direto. Mas pelos últimos resultados todos já previam claramente que o pescara entraria logo na zona Vermelha no lugar do Empli, que vem de resultados regulares e muito melhores do que os do pescara. O Z3 está muito embolado, mas creio que daqui a pouquíssimas rodadas o Palermo estará clareando toda a serie A tim com a lanterna. E a briga ainda vai ficar um bom tempo entre esses tres, pois o primeiro acima da zona Vermelha, o empoli (que recebe a Fiorentina proxima rodada), está a três pontos do pescara. Quanto ao time do Ezio Scida, resistiu muito bem no Giuseppe Meazza por muito tempo ao insistente e poderoso ataque da inter. Nao é nenhuma vergonha um time lanterna perder para a inter em seus domínios. Se Bologna e sassuolo continuarem como estão, não demorará para simplesmente brigar para fugir da zona da degola. Os grandes Juventus, milan, inter e roma nao fizeram mais do que sua obrigação, batendo times teoricamente mais fracos. Em clássico é muito difícil dar opinião, mas o Napoli massacrou a Lazio que deveria ser goleada pelas oportunidades criadas e perdidas pelo time do san paolo. Mais uma vez a defesa do Cagliari mostra porque tem a pior defesa do campeonato disparada: foi uma mãe para Belloti e companhia. Se o Cagliari se aproximar da zona Vermelha, só há uma culpada: sua incompetente defesa. Enfim, meu destaque vai para a Atalanta, que ja estando na zona da liga Europa e ja podendo ser terceira colocada ao final da proxima rodada, dara muita dor de cabeça a Fiorentina, quando receberá esta no seu estádio carlo castelani. De olho na Atalanta. Nos meus ultimos comentários ja tinha chamado atenção para o time de Bergamo. Agora vamos nos voltar para a squadra nazionale e torcer firmemente para obter duas vitorias nos dois próximos jogos. Forza azzurri. Buona fortuna. Arrivederci.

  • Desculpe: na próxima rodada a Atalanta receberá em seu estádio Atleti azzurri D'Itália a Roma. O empoli receberá em seu estádio carlo castelani a Fiorentina.

Deixe um comentário