Serie A

Os uniformes da Serie A 2017-18

Na próxima temporada da Serie A, as novidades serão o novato Benevento, o retorno da Spal após quase cinco décadas e o Hellas Verona, que bateu na segundona e logo voltou. Porém, outra novidade é o domínio da Macron na produção de material esportivo dos clubes da elite. Desde o início deste século no mercado do futebol, a marca bolonhesa cresce bastante, desde que o fornecimento de uniformes ao Napoli lhe abriu as portas, e hoje conta com três times campeões no seu portfólio: Bologna (desde 2001), Lazio (2012) e Cagliari (2016).

No ano passado, a Macron tinha três equipes representadas, ao lado de Joma, Kappa e Nike, e agora aumenta sua presença para quatro clubes. Para alcançar a superioridade no número de times patrocinados, a marca emiliana foi buscar uma nova cliente a pouco mais de 50 km de sua sede: a Spal, de Ferrara, campeã da última Serie B. A espanhola Joma, por sua vez, perdeu dois clientes, uma vez que Empoli e Palermo foram rebaixados, mas conseguiu um importante contrato com a Atalanta, desiludida com a parceria com a Nike. A gigante americana, por sua vez, conta com o retorno do Verona e se mantém com três clientes na elite – mesmo número da italiana Kappa.

Atualizaremos a postagem conforme forem divulgados novos uniformes.

Atalanta (Joma)
De volta à Europa depois de 26 anos, os nerazzurri de Bérgamo desistiram da parceria com a Nike, decidindo não renovar após a desilusão de materiais repetitivos e pouca presença no mercado. O clube de Antonio Percassi, ex-jogador e hoje importante empresário, assinou com a Joma para ter materiais exclusivos. Sem ousar, a espanhola acertou em cheio com os uniformes da Dea para a próxima temporada.

Benevento (Frankie Garage)
Depois de cinco anos, enfim uma equipe giallorossa que dê realmente destaque para o amarelo. Os uniformes do Benevento fabricados pela alternativa Frankie Garage Sports talvez não tenham muito bom gosto, mas remetem aos tempos do Lecce na elite e a sua camisa de entregador de pizza.

Bologna (Macron)
Seguindo a parceria de duas décadas, a Macron manteve as tradicionais listras rossoblù largas, mas inovou com o escudo: trouxe o emblema todo branco sobre fundo azul. A ideia funcionou muito bem na camisa, porém não foi tão bem recebida pelos torcedores. Além do calção branco, outra novidade são os meiões, normalmente azuis, que também serão brancos. Os uniformes alternativos ainda não foram lançados.

Cagliari (Macron)
Outro cliente rossoblù da Macron, o Cagliari não costuma inovar nos seu uniforme titular. O novo kit, aliás, não é nenhum segredo: já foi utilizado na última partida da Serie A 2016-17 e na festa de despedida do estádio Sant’Elia, em junho. O estádio será reconstruído e enquanto isso o time jogará na provisória Sardegna Arena, que está sendo levantada no estacionamento da velha praça esportiva.

O segundo uniforme tem como grande novidade as faixas rossoblù na horizontal e na altura do peito, enquanto o terceiro é todo vermelho. Mais uma vez a Macron acertou em cheio com as camisas do Cagliari.

Chievo Verona (Givova)
Aqui uma das grandes novidades: a nova camisa do Chievo não tem as mangas azuis, o que não acontecia desde 2002. A predominância da cor tinha se tornado um padrão do clube gialloblù desde seu segundo ano na Serie A, mas dessa vez a Givova parece ter optado por relembrar as origens dos clivensi. O novo uniforme foi apresentado pela grande contratação do time, o atacante Manuel Pucciarelli, mas nem tudo é novo: a fonte utilizada pela marca é a mesma de 2016-17.

Crotone (Zeus Sport)
Poucos perceberam, mas o Crotone mudou de uniforme ainda na temporada passada. Para ser mais preciso, em abril, quando começou sua arrancada rumo à salvezza na vitória em casa contra a Inter. Sem cerimônia de apresentação, a Zeus Sport trocou mais uma vez a camisa da equipe calabresa para 2017/18, com uma ligeira mudança no peito que passou despercebido por muitos. O grande destaque está mesmo na numeração, que tem o goleiro Marco Festa com a 3, o atacante Adrian Stoian com a 5 e o zagueiro Federico Ceccherini com a 7.

 

Fiorentina (Le Coq Sportif)
Depois dos belos uniformes da temporada passada, a Le Coq Sportif acertou em cheio novamente com a Fiorentina. Além da tradicional camisa viola, que ganhou novos detalhes na manga e na gola, a fornecedora francesa inovou com o uniforme reserva – ou melhor, os quatro uniformes reservas. As cores branca, vermelha, verde e azul representam quatro bairros de Florença e uma tradição da cidade toscana: o aguerrido Calcio Fiorentino, praticado desde o século 16 por equipes das quatro zonas, identificadas por estas colorações.

Genoa (Lotto)
Sem surpresas. A Lotto entregou um uniforme no padrão Genoa, com a tradicional divisão rossoblù na camisa e o resto do kit todo em azul escuro. A novidade fica por conta da fonte do nome e do número, que está muito bonita. O uniforme do goleiro também não tem grandes mudanças, enquanto o segundo, ainda a ser lançado, segue com a listra rossoblù horizontal na altura da barriga e o escudo do clube no centro.

Hellas Verona (Nike)
De volta à Serie A e com direito a reviver a dupla Pazzini-Cassano, o Hellas Verona apresentou seus uniformes de forma muito simpática, reunindo torcedores de diferentes idades que já adquiriram o carnê de ingressos para a temporada. Diferentemente dos últimos anos, a Nike entregou uniformes bastantes simples nas tradicionais cores gialloblù, que remetem aos utilizados em 1985-86, ano seguinte ao inesquecível scudetto da equipe. Além do primeiro (azul) e segundo (amarelo) uniformes, o Verona terá uma terceira opção de camisa: branca, com detalhes auriazuis.

Inter (Nike)
A mais longa parceria da Serie A continua a fôlego pleno – embora estremecida com a torcida. A Nike fornece os materiais esportivos da Inter desde 1998 e novamente não agradou os interistas. No uniforme principal, estreado na última rodada da temporada passada, o tradicional nerazzurro voltou, além dos meiões pretos, mas as listras mais parecem um código de barras com as cores do clube.

A segunda camisa é branca e tem outra novidade: as mangas são coloridas; de um lado o azul, do outro, o cinza. O terceiro, que será lançado somente em setembro, deve ser cinza com uma espécie de camuflagem e detalhes em amarelo.

Juventus (Adidas)
Na primeira camisa da Juventus após a mudança da marca e o inédito hexacampeonato, a Adidas entregou um uniforme bastante simples, com listas mais tradicionais e detalhes em dourado, mas que combinaram muito bem com o novo escudo. Os poréns ficam para a estranha disposição dos distintivos do campeonato e da copa e pela utilização de Bonucci, negociado com o Milan, como um dos garotos-propaganda.

A maior novidade ficou por conta do segundo uniforme. Em homenagem à bandeira de Turim, a Adidas aposta na volta do amarelo com detalhes em azul, o que não acontecia desde 2013. Esta homenagem é uma marca do clube há muito tempo e esteve em diversas camisas do juventinas nos anos 1980, por exemplo. O terceiro, ainda não lançado, será um tanto estranho: verde escuro e com detalhes em bianconero.

Com um verde militar inspirado no desenho de uma torcedora, o terceiro uniforme da Juventus deixou a desejar muito mais pela cor escolhida do que pelo desenho. A camisa tem uma faixa bianconera na altura do peito, combinando com o novo escudo.

Lazio (Macron)
Os novos uniformes da Lazio são um convite ao passado. Além do retorno da patrocinadora Sèleco, que aconteceu já no final da última temporada, a Macron foi muito bem ao resgatar o carismático escudo dos anos 1980 na camisa titular, que tem um desenho muito simples e bonito. O terceiro uniforme, por sua vez, relembra 1999-2000, temporada de centenário do clube, na qual os celestes ficaram com o scudetto e o título da Coppa Italia. Naquele ano, o kit foi utilizado na Liga dos Campeões e, dessa vez, será vestido pelos jogadores na Liga Europa. Um detalhe sobre a camisa é que, por força de um nova regra da Uefa, ela é inteiramente branca na parte de trás.

Para o segundo uniforme, lançado por último juntamente com outros dois uniformes para os goleiros – um vermelho e outro laranja, no mesmo padrão do preto titular -, a Macron acertou em cheio mais uma vez com um tom mais escuro do azul em degradê de cima para baixo.

Milan (Adidas)
Embalado pela nova direção e por contratações promissoras, o retorno à Europa do Milan será com um belíssimo uniforme produzido pela Adidas. O desenho remete ao auge do clube nos anos 1980 e 1990, com listras vermelhas e pretas mais finas, e com a volta dos calções e meiões em branco. Ou seja, sem confusão no Derby della Madonnina como na última temporada.

O segundo uniforme também não ousa e terá o tradicional branco com detalhes rossoneri na manga e na gola.

Já o terceiro é uma criação dos torcedores rossoneri. O resultado é uma mistura de vários desenhos em uma camisa predominantemente preta, com detalhes em vermelho e listras horizontais em cinza.

Napoli (Kappa)
Enquanto esperamos algum desenho mais ousado no terceiro uniforme do Napoli ainda a ser lançado, a Kappa entregou o principal sem fugir do padrão partenopeo. Dessa vez, um tom um pouco mais claro e também uma gola diferente, além da faixa mais escura na lateral. No geral, mais do mesmo – e assim está excelente.

Lançado por último e utilizado no amistoso contra o Atlético de Madrid, o segundo uniforme foi uma surpresa, desta vez amarelo. No padrão da Kappa, sem nenhum detalhe destacável e absolutamente monocromático.

Da mesma forma, o terceiro uniforme é bastante simples e bonito, com um tom mais escuro de azul e detalhes no tradicional azul partenopeo. O kit foi utilizado no último amistoso dos treinos de pré-temporada dos napolitanos.

Roma (Nike)
Utilizado na despedida de Totti, o novo uniforme da Roma tem a volta de um tom de vermelho mais caro ao clube, um pouco mais claro em relação aos primeiros produzidos pela Nike. Além disso, depois de sete anos os meiões retornam ao preto. Mas como nem tudo é boa notícia com a fornecedora americana, a bermuda segue vermelha, e não branca, como tradicionalmente.

O uniforme reserva dos romanistas será todo branco, exceto pela camisa, que tem algumas listras mais escuras e um desenho um pouco estranho.

Sampdoria (Joma)
“A camisa mais bonita do mundo” para muitos e para os próprios dorianos, que fizeram questão de registrar a frase na parte interna do uniforme. Em mais um bonito desenho da Joma, a nova camisa da Sampdoria conta o brasão de Gênova estilizado nas cores dos blucerchiati e o escudo aplicado na manga, como já aconteceu algumas vezes em outros uniformes da Samp. Já utilizado na última rodada da temporada passada, o kit principal por enquanto foi o único lançamento do clube.

Utilizado no amistoso contra o Manchester United, o segundo uniforme da Sampdoria é mais uma obra-prima da espanhola Joma, que retrata muito bem as cores do clube em um fundo branco.

Sassuolo (Kappa)
Sem cerimônia de apresentação, os novos uniformes do Sassuolo feitos pela Kappa acabaram passando batido, mas o material está à venda desde o início do mês. A estreia aconteceu na terceira fase da Coppa Italia, contra o Spezia, e o modelo segue o desenho dos outros uniformes fabricados pela Kappa.

O segundo uniforme foi utilizado na segunda rodada da Serie A, contra o Torino, e tem novidades nas mangas, em verde e preto, e no calção – totalmente verde.

 

 

Spal (Macron)
Utilizando uniformes improvisados da Macron, enfim a Spal teve seu uniforme lançado e mais uma vez a fabricante de Bolonha acertou em cheio, com desenhos simples e tradicionais ao clube de Ferrara. O primeiro traz listras biancoazzurri finas, o segundo é vermelho com duas listras azuis e brancas no lado esquerdo, enquanto o terceiro é preto com detalhes nas cores dos spallini.

Torino (Kappa)
Sem ‘Il Gallo’ Belotti como garoto-propaganda, mas com direito ao sérvio-brasileiro Lyanco, o Torino não traz grandes inovações em seu uniforme. O kit produzido pela Kappa é mais do mesmo, sem nenhuma notável mudança na camisa, exceto por um touro em um tom mais escuro próximo à barra, enquanto o resto segue o mesmo: bermuda branca e meia preta, como a Kappa muito bem voltou a usar desde o ano passado, após algum tempo com o monocromático granata.

Já utilizado na pré-temporada, o segundo uniforme do Torino tem como maior novidade a manga granata, enquanto a cor principal segue branca. Já o terceiro é dourado com detalhes em granata.

Udinese (HS Sport)
A Udinese ainda não lançou o uniforme principal ou o reserva, mas já se antecipou ao divulgar o terceiro kit. A HS optou por uma versão bianconera, com detalhes em degradé na parte preta do uniforme.

Lançado no primeiro dia de agosto, o primeiro uniforme da Udinese é um retrato mais fiel à tradicional camisa bianconera dos friulanos e a HS Sport dessa vez entregou um material mais simples.

Deixe um comentário