Outros torneios

Serie C: cinco destaques e um funeral

Finalmente: a terceira divisão do futebol italiano voltou a se chamar Serie C, depois de anos adotando a nada atrativa alcunha de Lega Pro. Assim, além de facilitar a vida de quem quer acompanhar as divisões inferiores da Bota e não tem familiaridade com as nomenclaturas, a terceirona unificada (não mais em C1 e C2), ganha seu nome original, que não era utilizado oficialmente há quarenta anos. Na competição que conta com 57 clubes divididos em três grupos, há alguns velhos conhecidos, como Alessandria, Livorno, Pisa e Siena no Grupo A, Modena, Padova, Triestina e Vicenza no Grupo B, Catania, Lecce e Reggina no Grupo C.

No primeiro grupo, Siena e Livorno têm campanhas invictas com, respectivamente, 18 e 17 pontos em oito e sete rodadas. Segundos colocados, os livorneses têm um brasileiro de 22 anos como destaque: o atacante Murilo Mendes, revelado pelo Grêmio Barueri, chegou do português Olhanense no ano passado e tem quatro gols na competição. A dupla é acompanhada por outro time da Toscana: o Pisa tem dois pontos a menos. A surpresa do início de torneio, três pontos atrás dos líderes, é o simpático Olbia, clube sardo que existe à sombra do Cagliari e é um dos poucos clubes de uniforme totalmente branco no futebol italiano.

Por sua vez, o Modena vive um calvário. O clube da tradicional cidade emiliana, que não respira a atmosfera da Serie A desde 2004, sofreu sete derrotas em sete rodadas e perdeu até por W.O. O clube teve a licença do estádio Alberto Braglia revogada pela prefeitura por causa da má administração, refletida no futebol dos canarinhos. O presidente Antonio Caliendo (ex-dono do Queens Park Rangers) chegou a ser agredido fisicamente após falsificar uma foto com um barista chinês, para induzir a torcida que a procura por novos sócios está acontecendo. Alguns torcedores também conduziram um funeral fictício do clube pelas ruas do centro da cidade.

No Grupo B, o líder é o bravo Pordenone, com 18 pontos e também invicto após oito partidas. Há dois anos a equipe neroverde do Friuli tem batido na trave por um inédito acesso à Serie B, e dessa vez ainda faz campanha espetacular na Coppa Italia. Após ter eliminado Venezia e Lecce, é o próximo adversário do Cagliari no final de novembro: o vencedor enfrenta a Inter nas oitavas de final.

Enquanto isso no Grupo C, que reúne as equipes do sul da Itália, Lecce e Catania lideram com 19 e 16 pontos em oito e sete rodadas respectivamente. Os primeiros colocados salentinos ,treinados por Fabio Liverani, têm o melhor ataque com 16 gols, enquanto os etnei de Cristiano Lucarelli têm a defesa menos vazada com apenas dois gols sofridos.

Desde a queda da elite em 2012, o clube da Apúlia tem batido na trave e não tem conseguido superar o duro play-off da terceira divisão. Por sua vez, o clube siciliano ainda pertencente ao corrupto Antonino Pulvirenti também nunca se recuperou da queda em 2014, mas vai renascendo após campanhas fracas em nas terceironas de 2016 e 2017. Quem sabe esta temporada traga ventos novos para as equipes do sul do Belpaese.

No mesmo grupo, no início do mês, o Cosenza acabou com um tabu incrível de 58 anos sem vencer fora de casa a tradicional Reggina, sua maior rival. No entanto, a situação da equipe segue ruim após ter perdido em seus domínios para a Casertana por 3 a 0 na última rodada. Os cossentinos ocupam a penúltima colocação, com cinco pontos em oito rodadas.

Deixe um comentário