Liga Europa

Copo meio cheio: Lazio e Milan avançam na Liga Europa; Atalanta e Napoli caem de pé

O dia foi de emoções conflitantes para as equipes italianas participantes da Liga Europa. Os quatro times do país jogaram bem, mas apenas metade deles conseguiu avançar às oitavas de final. Lazio e Milan fizeram valer sua superioridade sobre times do Leste Europeu, enquanto Atalanta e Napoli colocaram adversários alemães nas cordas, mas não se classificaram por detalhes.

Em Roma, a Lazio obteve o resultado mais elástico de toda a fase de 16 avos de final: 5 a 1 sobre o Steaua Bucareste. Inzaghi vinha fazendo rodízio na Liga Europa, mas dessa vez não quis dar sopa para o azar e, como precisava vencer por pelo menos dois gols de diferença, escalou time quase completo para o duelo no Olímpico. O treinador recuou Luis Alberto para a linha de cinco meio-campistas e lançou Felipe Anderson como companheiro de Immobile no ataque, o que deixou a equipe muito incisiva. O resultado foi um massacre na primeira etapa.

Logo aos 7 minutos, Immobile aproveitou cruzamento de Lulic para fuzilar o goleiro Vlad. Já na reta final do primeiro tempo, em escanteio, Bastos testou com violência e ampliou. O terceiro saiu aos 42, depois que Felipe Anderson recebeu em profundidade e rolou para Immobile fazer, de bate-pronto. O show da dupla continuou no segundo tempo, quando o brasileiro deixou o dele e colaborou com mais uma assistência para a tripletta do atacante italiano – que só tem menos gols no futebol europeu do que Harry Kane, do Tottenham. Gnohéré deixou a sua marca novamente e fez o gol de honra da equipe romena.

Ao contrário da Lazio, o Milan já tinha feito a sua parte no jogo de ida. Após bater o Ludogorets por 3 a 0 na Bulgária, a equipe rossonera se deu ao luxo de poupar o time titular quase inteiro, afinal, no domingo a Roma será uma dura adversária pela Serie A. Espaço, então, para jogadores que pouco entraram em campo nesta temporada, como o goleiro Antonio Donnarumma e o meio-campista José Mauri, e para experiências, como a utilização de Cutrone como ponta-esquerda.

O jovem atacante disputou uma partida de generosidade numa função nova e foi o autor da assistência para o gol de Borini, aos 21. A partir daí, como o Ludogorets precisava marcar cinco vezes para avançar, o jogo se transformou em um amistoso de luxo, o qual André Silva (escalado como centroavante) não conseguiu aproveitar. Hoje, o português é um dos poucos problemas de uma equipe que soma 11 jogos de invencibilidade.

Tolói se recuperou das falhas em Dortmund, mas a Atalanta não conseguiu vaga nas oitavas (Image Photo Agency)

Se Lazio e Milan foram protocolares, a Atalanta foi a equipe que mais fugiu do óbvio nos 16 avos de final da Liga Europa. O time de Bérgamo, inclusive, também praticou o melhor futebol deste estágio da competição. Apesar dessas credenciais, acabou sendo eliminada pelo forte Borussia Dortmund por causa de dois gols nos minutos finais – tanto na partida de ida quanto na de volta.

Após dominar o confronto na Alemanha e perder por 3 a 2, Gasperini optou por um ataque sem referências de área em Reggio Emilia. A velocidade e a criatividade de Ilicic e Gómez, que deixaram a defesa aurinegra em afã na semana passada, voltaram a incomodar nesta quinta. O gol, no entanto, saiu de uma cobrança de escanteio: Bürki saiu mal do gol e Rafael Tolói se redimiu das falhas no Signal Iduna Park para empurrar a bola para as redes com a sola de sua chuteira.

O domínio atalantino não se traduziu em mais gols. Primeiro, Cristante recebeu um lançamento na medida de Gómez, mas cabeceou para fora, enquanto no segundo tempo Papu teve mais duas ótimas oportunidades, mas não ampliou. Bürki, a bem da verdade, apareceu com segurança no restante da partida. Ainda assim, a vaga estava ficando com o time italiano: o Dortmund não estava minimamente próximo de empatar.

Somente Batshuayi e Reus, que entrou no segundo tempo, geravam incômodo para os defensores da Atalanta. Foi graças ao criativo meia alemão que o Dortmund cresceu na fase final da partida: o camisa 11 criou boa jogada pela ponta e rolou para Schürrle chutar forte, exigindo defesa no reflexo de Berisha. O albanês, no entanto, acabou falhando no ataque seguinte.

Berisha tentou interceptar um passe fraco na marca do pênalti, mas não teve controle da bola no campo molhado e acabou soltando a esfera nos pés de Schmelzer, que só teve o trabalho de empurrar para o gol vazio. Gasperini foi para o tudo ou nada e lançou dois centroavantes de uma vez (Cornelius e Petagna substituíram De Roon e Tolói), mas não havia mais tempo e o Dortmund ficou com a vaga. Um final cruel para uma Atalanta extremamente organizada e lutadora.

A eliminação do Napoli não chegou a ter requintes de crueldade, mas também foi lamentada. A derrota para o RB Leipzig em casa por 3 a 1 na partida de ida deixou o time do sul da Bota em situação complicadíssima, mas Sarri buscou a reviravolta. O rodízio do treinador foi menor do que o esperado e a equipe atuou com Allan, Hamsík, Insigne e Mertens.

O primeiro gol, no entanto, não saiu dos pés de nenhum deles. Insigne tentou jogada pelo lado esquerdo, mas parou no goleiro Gulácsi: no rebote, coube a Zielinski conferir para as redes. Sem Orbán, Keïta e Forsberg, o Leipzig não jogava tão bem quanto podia e só ameaçava em verticalizações para Poulsen e Werner.

O Napoli pressionava, mas a boa e jovem dupla de defensores da equipe alemã, Upamecano e Konaté, conseguia resistir. Insigne marcou o segundo aos 41 da segunda etapa e incendiou o final do confronto, mas a chance de Tonelli nos acréscimos apenas assustou os donos da casa. No final das contas, placar agregado em 3 a 3 e Napoli eliminado, de cabeça erguida, por causa dos gols anotados pelo Leipzig no San Paolo. De positivo, a equipe azzurra conseguiu sua primeira vitória em nove jogos disputados na Alemanha. Agora, foco total na briga pelo scudetto.

Deixe um comentário