Categorias de base Serie A

As revelações da Serie A 2017-18

O melhor Campeonato Italiano dos últimos anos também revelou muitos jovens jogadores. Assim como em temporadas anteriores, os clubes deram mais espaço a atletas de suas bases ou mesmo a peças que chegaram por empréstimo de outras equipes. A faixa etária do torneio também tem caído quando falamos de contratações vindas de outros países: em outros tempos, seria improvável que nomes como Antonín Barák (ex-Slavia Praga) e Timothy Castagne (ex-Genk) chegassem com idade tão baixa e já ganhassem espaço por Udinese e Atalanta, respectivamente.

Jogadores que já tinham uma razoável experiência prévia em outros campeonatos (de outros países ou na Serie B) não foram considerados no levantamento da temporada 2017-18. É o caso dos dois citados acima e de Rolando Mandragora, volante que surgiu três anos atrás no Genoa e, nesta semana, foi convocado para a seleção italiana. O mesmo vale para Rodrigo Bentancur (Juventus) e Yann Karamoh (Inter), por exemplo.

Várias jovens estrelas que brilharam este ano na Serie A já figuraram em levantamentos anteriores feitos pelo site e, por isso, não aparecem nesta lista. Jakub Jankto, da Udinese, e Mattia Caldara, da Atalanta, por exemplo, impressionaram no ano passado; não foram revelados agora. Nesta temporada, escolhemos os 15 nomes que mais chamaram atenção no campeonato e, surpresa: a maior parte deles atua no ataque. Confira a lista!

Alex Meret

Idade: 21 anos (22 de março de 1997)
Posição: goleiro
Jogos (minutos): 13 (1160)
Clube: Spal

Pode escrever o nome de Meret na lista de herdeiros de Buffon. O goleiro estreou profissionalmente pela Udinese, na Coppa Italia 2015-16, e foi emprestado para ganhar experiência na Spal. Após fazer parte da campanha vitoriosa na Serie B, o jovem de Údine chegou a ser convocado para treinamentos com a seleção italiana e teve a chance de provar seu valor na elite nesta temporada.

Meret só atuou 13 vezes por causa de problema físicos na região pélvica e nas costas, mas foi um dos destaques da equipe enquanto esteve em campo. Com ele no gol, os spallini viveram seus melhores momentos e engataram oito jogos de invencibilidade, com apenas cinco gols sofridos. No total, o atual titular da seleção sub-21 italiana sofreu 16 e teve um aproveitamento de 74,2% em defesas.

Nikola Milenkovic

Idade: 20 anos (12 de outubro de 1997)
Posição: zagueiro
Jogos (minutos): 16 (1256)
Clube: Fiorentina

A tradição recente de defensores sérvios ou montenegrinos na Fiorentina ganha mais um representante. Após Matija Nastasic, Stefan Savic e Nenad Tomovic, a equipe viola foi buscar Milenkovic no Partizan e tem colhido frutos. O jovem gigante de Belgrado, do alto de seu 1,95m, teve ótimas atuações nesta temporada, após estrear em dezembro, e mostrou grandes qualidades no jogo aéreo e na antecipação aos adversários.

Membro da seleção sub-21 sérvia, Milenkovic já chegou a ser convocado para o time principal eslavo, mas não chegou na Itália para ser titular. Inicialmente, tinha Davide Astori como seu tutor no clube, e foi ganhando espaço aos poucos – em algumas oportunidades, até atuou improvisado na lateral direita. A titularidade chegou após a trágica morte do camisa 13: desde a fatalidade, o sérvio só não entrou em campo uma vez e fez 11 jogos como titular, honrando a memória do capitão.

Filippo Romagna

Idade: 20 anos (26 de maio de 1997)
Posição: zagueiro
Jogos (minutos): 23 (1889)
Clube: Cagliari

Cria das bases de Rimini e Juventus, o zagueiro Romagna aportou em Cagliari neste verão, após ter sido emprestado pela Velha Senhora a Novara e Brescia. Vestindo branco e preto, conquistou o título da Copa Viareggio de 2016 e os vices da Coppa Italia e do Campeonato Primavera do mesmo ano, enquanto pelas seleções de base, adicionou a seu currículo o vice europeu sub-19 (como capitão) e o terceiro lugar no Mundial sub-20, em 2017. O loiro também é titular da seleção sub-21 e já foi convocado para estágios com o elenco principal da Squadra Azzurra.

Pelas boas experiências mostradas na base, surpreendeu o fato de a Juventus ter negociado Romagna em definitivo. O Cagliari aproveitou a boa oportunidade de negócio e pode contar com um jogador que foi titular na maior parte do campeonato. Embora a defesa sarda nunca tenha se acertado e tenha ficado entre as piores da Serie A, Romagna conseguiu se destacar. Sempre bem posicionado, cometeu apenas 12 faltas em toda a temporada e não levou nenhum cartão amarelo. Além de intervenções precisas, o defensor marquesão também mostrou técnica e iniciava a construção das jogadas dos rossoblù. Em um time mais organizado, tende a ser ainda mais importante.

Rogério

Idade: 20 anos (13 de janeiro de 1998)
Posição: lateral esquerdo
Jogos (minutos): 13 (909)
Clube: Sassuolo

Oriundo da base do Internacional, Rogério deixou a equipe colorada em janeiro de 2016, depois de se destacar no Mundial sub-20 com a seleção brasileira. Sem vislumbrar a chance de estrear rapidamente como profissional no Beira-Rio, o lateral embarcou para Turim e assinou com a Juventus, atual proprietária do seu passe. Após amadurecer na Primavera bianconera e no time sub-19 do Sassuolo, ele retornou por empréstimo para o clube neroverde nesta temporada e, finalmente, recebeu suas primeiras oportunidades.

O garoto mato-grossense estreou em novembro, contra o Milan, mas só começou a atuar com frequência a partir da 30ª rodada, quando o técnico Giuseppe Iachini passou a usar o esquema 3-5-2 em definitivo. Neste período, Rogério foi titular em todas as partidas e o Sassuolo viveu seu melhor momento na temporada. Na ala esquerda, o brasileiro ofereceu velocidade e muita determinação, mas ainda precisa aprimorar os passes (teve 73% de precisão no campeonato) e ser menos faltoso: em 13 partidas, recebeu quatro amarelos.

Filippo Costa

Idade: 23 anos (21 de maio de 1995)
Posição: ala esquerdo
Jogos (minutos): 23 (1473)
Clube: Spal

Embora a Spal tenha passado todo o campeonato flertando contra o rebaixamento, o técnico Leonardo Semplici, ex-comandante do time sub-19 da Fiorentina, não se acanhou em usar jogadores jovens na campanha. Um deles foi o ala Filippo Costa, que já havia passado pelo Bournemouth e estreado na Serie A em 2016, pelo Chievo – pouco depois de ser campeão italiano sub-19 pelos clivensi. A verdade é que só pelos spallini o jogador vêneto teve chances reais.

Costa chegou a Ferrara em janeiro e foi fundamental na arrancada que devolveu a Spal à elite após 49 anos. Acabou permanecendo no elenco emiliano e continuou se mostrando um jogador muito voluntarioso, com bom poder de marcação e chegadas ocasionais ao ataque – devido ao futebol mais precavido praticado pelos estensi. Entretanto, para um jogador que atua pelos flancos, Costa ainda precisa ser mais efetivo em cruzamentos.

Andrija Balic

Idade: 20 anos (11 de agosto de 1997)
Posição: meia
Jogos (minutos): 21 (1077)
Clube: Udinese

Como é praxe, a Udinese coloca mais um nome entre as revelações da temporada. É verdade, o regista croata Andrija Balic apareceu menos que Jakub Jankto, presente na nossa lista de 2016-17, e o já experimentado Antonín Barák, autor de sete gols e três assistências neste campeonato. No entanto, o trabalho feito com discrição é uma marca do futebol do jogador, que faz o trabalho sujo no centro do campo sem provocar estardalhaço e ainda distribui bem o jogo: teve aproveitamento de 84% em passes na Serie A.

Balic começou a temporada no banco e só teve duas oportunidades com Luigi Delneri. A partir da chegada de Massimo Oddo, na 14ª rodada, o croata passou a ser utilizado com frequência, principalmente para cadenciar o jogo e organizar o setor de meio-campo. Para sua infelicidade, acabou sendo escalado mais vezes como titular durante a pior fase da Udinese e concluiu 2017-18 com uma lesão no ligamento colateral do joelho.

Mirko Antonucci

Idade: 19 anos (11 de março de 1999)
Posição: ponta
Jogos (minutos): 21 (1954)
Clube: Roma

Apenas a qualidade apurada pode fazer um garoto de 19 anos recém-completados ganhar espaço no numeroso elenco da Roma. Antes mesmo de fazer aniversário, o garoto Antonucci estreou pelo time principal giallorosso fazendo barulho: entrou no final da partida contra a Sampdoria e, aos 46 do segundo tempo, cruzou uma bola na cabeça de Edin Dzeko, que marcou o gol que garantiu o empate no Marassi. Um belo cartão de visitas.

Antonucci realizou apenas três partidas na temporada – duas contra a Samp e uma contra o Liverpool, na Champions League. Apesar disso, não foi apenas a assistência que chamou a atenção. O ponta destro, que atua invertido pelo lado esquerdo, mostrou atributos como velocidade, objetividade e respeitável aproveitamento de dribles e passes. Na Serie A sub-19, o romano já colaborou com sete assistências e quatro gols. Para ter uma carreira duradoura no time capitolino, porém, Antonucci precisa melhorar nas finalizações.

Simone Edera

Idade: 21 anos (9 de janeiro de 1997)
Posição: meia-atacante
Jogos (minutos): 14 (318)
Clube: Torino

O autêntico prata da casa. O habilidoso Simone Edera chegou às categorias de base do Torino quando tinha apenas sete anos de idade e, em 2014-15, conquistou o Campeonato Primavera e a Supercopa sub-19 com o time grená. Após ganhar poucos minutos no time profissional em maio de 2016 e passar 2016-17 emprestado a Venezia e Parma, o meia-atacante finalmente foi integrado aos profissionais do Toro pasra esta temporada.

O canhotinho Edera gosta de atuar na ponta direita, para poder cortar para o centro e poder arrematar a gol. Foi assim que, em dezembro, ele marcou o seu primeiro gol pelo Torino: fechou a vitória por 3 a 1 sobre a Lazio com um chute potente. Nove dias depois, novamente no Olímpico, o camisa 20 mostrou poder de inserção e oportunismo para, de cabeça, ajudar a equipe granata a eliminar a Roma na Coppa Italia. Com passagens por todas as seleções de base da Itália – e vice-campeão europeu sub-19 –, não se espante se Edera for convocado por Roberto Mancini num futuro próximo.

Riccardo Orsolini

Idade: 21 anos (24 de janeiro de 1997)
Posição: atacante
Jogos (minutos): 16 (457)
Clube: Atalanta/Bologna

Formado pelo Ascoli, Orsolini fez uma Serie B muito boa pelo time de sua cidade natal e teve vários vídeos de dribles e jogadas viralizando pelas redes sociais. Contratado pela Juventus, o lépido atacante canhoto foi emprestado por dois anos à Atalanta para ganhar experiência, mas não se encaixou muito bem no time de Gian Piero Gasperini: fez nove jogos (um deles, pela Liga Europa), mas todos como reserva e sem incidir muito. Em janeiro, Juve e Atalanta concordaram em interromper o vínculo e Orsolini foi cedido por um ano e meio ao Bologna.

No time treinado por Roberto Donadoni, o habilidoso ponta direita teve mais oportunidades. Também atuou oito vezes pela Serie A, mas iniciou quatro jogos como titular e deu mais ímpeto a uma equipe normalmente muito pragmática, ao fazer uma boa dupla com Simone Verdi. Mostrando um futebol mais próximo ao que desempenhou em Ascoli e na campanha do terceiro lugar da Itália no Mundial sub-20 de 2017, Orsolini ganhou confiança e tende a ser mais importante para os rossoblù na próxima temporada.

Enrico Brignola

Idade: 18 anos (8 de julho de 1999)
Posição: atacante
Jogos (minutos): 18 (1358)
Clube: Benevento

Qualquer semelhança com Lorenzo Insigne não é mera coincidência. O baixinho do Benevento também atua pelos flancos, com muita velocidade e dribles curtos, além de gostar de cortar para dentro para finalizar – a única diferença é que, enquanto o napolitano é destro, Brignola é canhoto. Suas características e suas atuações foram fundamentais para que os sanniti pudessem reagir no segundo turno e se tornassem competitivos.

A melhora do Benevento ter acontecido a partir do momento em que Brignola ganhou espaço na equipe também não foi acaso. O jogador de 18 anos estreou no início de dezembro e, por causa da má forma física de Amato Ciciretti, foi recebendo as primeiras chances. Com a saída do camisa 10 para o Parma, o estilo do time giallorosso mudou e ficou mais dinâmico, sobretudo pelas arrancadas e puxadas de contra-ataque protagonizadas por Brignola, que ganhava metros com suas jogadas. O atacante, que diz se inspirar em Arjen Robben, terminou a temporada com três gols e duas assistências, valorizado pelas atuações (Fiorentina, Milan e Napoli avaliam sua contratação) e convocado pela primeira vez para a seleção sub-21 da Itália.

Orji Okwonkwo

Idade: 20 anos (19 de janeiro de 1998)
Posição: atacante
Jogos (minutos): 10 (203)
Clube: Bologna

Okwonkwo precisou jogar apenas metade da temporada para entrar na lista de revelações do campeonato e de principais goleadores do Bologna: ficou atrás apenas de Rodrigo Palacio, Mattia Destro e Simone Verdi. Vencedor do Mundial sub-17 com a Nigéria, em 2015, o atacante que prefere atuar pelos flancos foi contratado pelo time italiano em 2016 e estreou na Serie A na última temporada. Apesar disso, chamou a atenção apenas em 2017-18, quando precisou de somente cinco conclusões para balançar as redes três vezes. Estrela e bom poder de finalização o garoto tem.

Arma letal de segundo tempo, Orji só jogou uma vez como titular e se caracterizou por deixar a sua marca poucos minutos depois de entrar em campo: contra Sassuolo e Sampdoria foi assim. Todos os gols do veloz nigeriano aconteceram em vitórias da equipe felsinea e dois deles foram vitais para a conquista dos pontos. Em janeiro, pela grande concorrência no ataque do Bologna, foi emprestado para ganhar rodagem e acertou com o Brescia, da Serie B. Como o ataque bolonhês costumou ser improdutivo, a opção da diretoria não se mostrou muito compreensível: Orji poderia ter ajudado e recebido minutos no próprio clube. Um erro que deve ser corrigido na próxima temporada.

Musa Barrow

Idade: 19 anos (14 de novembro de 1998)
Posição: atacante
Jogos (minutos): 12 (446)
Clube: Atalanta

Quantos jogadores nascidos em Gâmbia você conhece? O pequeno e pobre país africano, encravado no território de Senegal, nunca disputou Copa do Mundo ou Copa Africana de Nações; em suma, não tem tradição alguma no futebol. Agora, está vendo nascer um craque em potencial: Musa Barrow, da Atalanta, tem todas as qualidades para se tornar um grande atacante em nível europeu e mostrou um pouco disso nessa temporada. Completo, Barrow atua centralizado ou partindo da esquerda para o centro e é muito eficiente na movimentação, no controle de bola e na finalização com a perna direita. Apesar de alto e forte, é leve e veloz. Um jogador para ficar de olho nos próximos anos – jornais italianos garantem que a Inter já avalia pagar 20 milhões de euros para assegurar seu futebol.

Desde que estreou profissionalmente, no fim de janeiro, conseguiu encantar quem o viu jogar, além de marcar três gols (contra Benevento, Genoa e Lazio) e dar uma assistência. O sucesso de Barrow, no entanto, não surpreendeu quem já acompanhava o futebol de base na Itália: só nesta temporada, Musa fez 23 gols e deu sete assistências. Monstro na categoria sub-19, foi o artilheiro da temporada regular do Campeonato Primavera e o principal nome da Atalanta na competição. A equipe nerazzurra liderou o torneio de ponta a ponta e, com a presença do gambiano, é favorita para ganhar o título na fase final, que acontece nos próximos dias.

Patrick Cutrone

Idade: 20 anos (3 de janeiro de 1998)
Posição: atacante
Jogos (minutos): 28 (150)
Clube: Milan

O Milan gastou um caminhão de dinheiro para contratar Nikola Kalinic e André Silva, mas o artilheiro da temporada foi um moleque da base. O garoto em questão não é um qualquer: Cutrone tem potencial para ser o dono da camisa 9 rossonera por toda a sua carreira. Poucos jogadores têm presença de área e tanta habilidade de marcar gols com um único toque quanto a revelação milanista, que dividiu com Kylian Mbappé um feito importante: nesta temporada, os dois foram os únicos nascidos a partir de 1998 a alcançarem a cota de 10 gols anotados em um dos cinco maiores campeonatos europeus.

No início da temporada, Vincenzo Montella surpreendeu por escalar o jovem como titular na primeira partida da Serie A, contra o Crotone. O camisa 63 respondeu com seu primeiro gol no campeonato – dias antes, na terceira fase preliminar da Liga Europa, já havia feito o primeiro pelo clube. Desde então, Cutrone só cresceu, mas não foi titular absoluto com Montella ou Gennaro Gattuso: eles continuaram a dar chances aos badalados Kalinic e Silva, como se para justificar o investimento do clube. Cutro terminou 2017-18 com 10 gols na Serie A (16 no total) e um tento decisivo no dérbi vencido contra a Inter na Coppa Italia. Fenômeno.

Dawid Kownacki

Idade: 21 anos (14 de março de 1997)
Posição: atacante
Jogos (minutos): 22 (811)
Clube: Sampdoria

Nunca a Polônia teve tantos jogadores na Serie A: só nesta temporada foram 12. O doriano Kownacki é um dos representantes desta boa leva, que mostra como o futebol branco e vermelho tem crescido nos últimos anos. O centroavante chamou a atenção da diretoria blucerchiata após boas aparições pelo Lech Poznan, um dos principais times do país, e foi utilizado por Marco Giampaolo como opção a Duván Zapata. O grandalhão polonês saiu do banco em 17 jogos e manteve o nível do colombiano.

Em sua primeira temporada na Itália, Kownacki não sofreu com problemas de adaptação e contribuiu com oito gols (cinco na Serie A), sendo o terceiro artilheiro da Sampdoria, atrás de Fabio Quagliarella e Zapata. Apesar de ser um jogador de área, que privilegia o contato físico e é bom nas jogadas aéreas, Kownacki mostrou técnica razoável. Também deixou claro que sabe sair da área para dialogar com os companheiros e contribuir na articulação das jogadas – tanto é que fechou a temporada com duas assistências. Com o envelhecimento de Quagliarella, o polonês deve ganhar mais minutos em 2018-19 e, consequentemente, mais chances na seleção: ele é capitão do time sub-21 e foi convocado pela primeira vez para a equipe principal da Polônia em março.

Marco Tumminello

Idade: 19 anos (6 de novembro de 1998)
Posição: atacante
Jogos (minutos): 9 (211)
Clube: Roma/Crotone

Um dos problemas do Crotone em sua campanha foi o ataque: até o nigeriano Simy começar a marcar gols, na parte final do campeonato, Marcello Trotta e Ante Budimir não vinham correspondendo. Se o jovem Marco Tumminello estivesse disponível, a situação poderia ter sido diferente e o time calabrês talvez não tivesse amargado o rebaixamento. Durante a temporada, Tumminello só pode atuar em quatro meses: em agosto fez uma partida pela Roma, e em setembro, abril e maio entrou em campo pelo Crotone. No restante do ano, precisou se recuperar de uma ruptura de ligamento no joelho.

Mesmo com pouco tempo para mostrar serviço, o centroavante criado na base romanista marcou três gols e ficou entre os quatro principais marcadores dos tubarões. Atacante de físico privilegiado e grandes dotes como finalizador, o siciliano ficou marcado por ter dado uma cabeçada em um árbitro na reta final do Campeonato Primavera, mas não é um simples garoto esquentadinho: Tumminello tem passagens por todas as seleções de base da Itália do sub-15 ao sub-19 e já faturou títulos nacionais pela Roma. Na próxima temporada, dificilmente terá espaço com Eusebio Di Francesco e será cortejado por muitas equipes da Velha Bota.

Deixe um comentário