Serie A

8ª rodada: enquanto a Juve dispara, pelotão intermediário vive briga intensa

As rodadas passam e a Juventus mantém sua vantagem na liderança da Serie A. A Velha Senhora continua com 100% de aproveitamento e seis pontos de frente em relação ao Napoli. A equipe azzurra, por sua vez, está – junto com a Inter – um pouco desgarrada de um pelotão intermediário. A Lazio, quarta colocada, tem apenas três pontos de vantagem sobre Milan, Genoa e Torino, que têm 12 e dividem o décimo posto. Acompanhe como foi o fim de semana na Itália.

Udinese 0-2 Juventus
Bentancur (Cancelo) e Cristiano Ronaldo (Mandzukic)

Tops: Ronaldo e Chiellini (Juventus) | Flops: Fofana e Nuytinck (Udinese)

E a Juventus desta temporada entrou para a história: se tornou a sexta equipe a vencer nas oito primeiras rodadas da Serie A; além de ser a única com 100% de aproveitamento no futebol europeu. Diante da Udinese, sua maior freguesa no campeonato, não foi nada difícil. Inclusive, não fosse o goleiro Scuffet, o placar teria sido ainda mais elástico para a Velha Senhora.

Após alguns chutes de fora da área, que foram para fora, a Juve abriu o placar com Bentancur, que completou de cabeça um belo contra-ataque juventino. Pouco depois, Scuffet operou seu primeiro milagre, defendendo um chute à queima-roupa de Mandzukic. Fiel escudeiro de Ronaldo, o croata trabalhou o tempo inteiro para o camisa 7 e lhe serviu na ocasião do segundo gol, obtido com uma bomba antes do intervalo. O time friulano assustou com um chute na trave de Barák, mas com Lasagna anulado por Chiellini, pouco pisou na área visitante – na única chance que teve, o atacante errou uma conclusão na pequena área. No segundo tempo, Scuffet ainda foi providencial em chutes de Bernardeschi, Ronaldo e Cancelo (neste último, a trave também ajudou) e evitou um passivo maior para os bianconeri de Údine.

Napoli 2-0 Sassuolo
Ounas e Insigne (Hysaj)

Tops: Insigne e Ospina (Napoli) | Flops: Locatelli e Magnani (Sassuolo)

O Napoli vai tentando não perder contato com a Juventus e continua somando pontos importantes para isso. Neste domingo, bateu um perigoso Sassuolo, graças ao poder de decisão de Insigne e a uma partida segura de Ospina. O placar até poderia ter sido mais elástico, mas os azzurri foram ineficazes ao aproveitar as muitas chances criadas.

O primeiro gol do jogo, logo aos 3 minutos, foi um presente neroverde. Locatelli errou um recuo de bola e deixou Ounas em condições de soltar um petardo e marcar o seu primeiro pelo clube. Depois disso, Mertens e Zielinski perderam chances cara a cara com Consigli. Insigne, que entrou no segundo tempo, também desperdiçou uma oportunidade ao tentar encobrir o goleiro, mas foi letal aos 72: de fora da área, finalizou no ângulo. Os visitantes foram aguerridos e incomodaram Ospina, sobretudo com Berardi, mas o colombiano estava atento. No final, a expulsão de Rogério por vermelho direto facilitou a vida dos partenopei, que garantiram os três pontos.

Icardi marcou dois gols e decidiu a favor da Inter (AFP)

Spal 1-2 Inter
Paloschi | Icardi (Vrsaljko) e Icardi (Perisic)

Tops: Lazzari (Spal) e Icardi (Inter) | Flops: Antenucci (Spal) e Miranda (Inter)

A Inter começou claudicante, mas vai recuperando terreno na Serie A: já são quatro vitórias seguidas na competição, que deixam a Beneamata no terceiro posto, com 16 pontos. Por sua vez, a Spal não vence desde a terceira rodada. Já são cinco derrotas consecutivas, mas a série negativa não chega a comprometer a situação dos biancazzurri na tabela – fruto do bom início de temporada, com 100% de aproveitamento nos três jogos iniciais.

Em Ferrara, a Inter venceu graças à conexão Croácia-Argentina. Logo aos 14 minutos, Vrsaljko deu sua primeira assistência pelo clube: cruzou na cabeça de Icardi, que ainda contou com desvio em Djourou para abrir o placar. A Spal teve chance de empatar após um pênalti bobo de Miranda sobre o zagueiro Felipe, mas Antenucci bateu para fora. A Spal partiu para cima após a chance desperdiçada, mas Handanovic se mostrou presente. Quem parecia distraído era Miranda, que esqueceu da marcação de Paloschi e permitiu o empate dos estensi. Para a sorte dos nerazzurri, Perisic mostrou que o entrosamento com Icardi continua afiado e deu um passe açucarado para o camisa 9 decidir a peleja.

Lazio 1-0 Fiorentina
Immobile (Radu)

Tops: Immobile (Lazio) e Veretout (Fiorentina) | Flops: Wallace (Lazio) e Pjaca (Fiorentina)

Lazio e Fiorentina vinham fazendo partidas abarrotadas de gols nos últimos anos – um 5 a 3 em 2017-18 foi o ápice –, mas dessa vez as redes foram balançadas apenas uma vez. Não por falta de chances, já que os dois times criaram o suficiente para que mais gritos de gol saíssem das gargantas dos torcedores. Jogando em casa, a Lazio foi melhor e conseguiu sua sétima vitória nos 10 jogos mais recentes contra a viola, subindo para a quarta posição, com 15 pontos. Os toscanos têm 13, na sétima colocação.

Os celestes quase abriram placar no primeiro minuto, com um chute perigosíssimo de Parolo. Na sequência, Wallace deu mole na zaga e Benassi não aproveitou: sozinho, na cara do gol, finalizou em cima de Strakosha. Não teve a verve artilheira de Immobile, que aproveitou um passe de cabeça de Radu para aparecer no segundo pau e marcar o primeiro da carreira contra a Fiorentina. Os visitantes buscaram o empate depois do descanso, mas de forma bastante infrutífera. Foi até a Lazio que levou mais perigo, já no final, com um chute de Correa – que Lafont espalmou, com dificuldade.

Empoli 0-2 Roma
N’Zonzi (Pellegrini) e Dzeko (El Shaarawy)

Tops: Pellegrini e Ünder (Roma) | Flops: Caputo e Veseli (Empoli)

Sábado foi dia de a Roma obrigar o Empoli a amargar mais um ano de jejum: já são 11 sem vitórias contra os giallorossi. Hegemônica contra os azzurri, a equipe de Di Francesco anotou seu sexto gol em jogadas de bola parada (é a líder no quesito) e chegou aos 14 pontos, embolada no pelotão de equipes que brigam por vagas europeias. Os principais artífices da vitória foram Pellegrini e Ünder. O primeiro dominou o meio-campo e deu o ritmo da equipe, enquanto o segundo foi sempre perigoso em suas conclusões – numa delas, já na etapa final, acertou a trave.

A essa altura, a partida já estava com o placar de 1 a 0, graças a uma cabeçada de N’Zonzi, que apareceu para concluir cobrança de falta de Pellegrini. Foi também na bola parada que o Empoli assustou, acertando a trave com Bennacer. Pouco depois, a equipe desperdiçou sua mais cristalina oportunidade de empate, com o artilheiro Caputo. O camisa 11 teve pênalti para cobrar, mas chutou para fora; na sequência, em outra jogada, mostrou que estava mesmo descalibrado neste sábado e perdeu outra chance frente a frente com Olsen. Dzeko, por outro lado, foi letal. Na única boa chance que teve, deu números finais à partida, anotando seu segundo nesta Serie A.

Milan 3-1 Chievo
Higuaín (Suso), Higuaín (Suso) e Bonaventura (Suso) | Pellissier

Tops: Higuaín e Suso (Milan) | Flops: Barba e Bani (Chievo)

A maior freguesia em jogo nesta rodada foi ampliada. O Milan foi a campo contra o Chievo com um retrospecto de apenas duas derrotas e 24 triunfos contra os clivensi. Uma série positiva que foi ampliada com uma vitória muito tranquila em San Siro, com direito a show de Suso e Higuaín – ainda que a defesa rossonera tenha vacilado mais uma vez. Com 12 pontos, o Diavolo está no meio da tabela; ao passo que o Ceo é o último, com -1 ponto. A má campanha levou à demissão de Lorenzo D’Anna, que deve ser substituído por Gian Piero Ventura.

O Milan definiu seu triunfo já na etapa inicial. O bombardeio começou com tentativas de Bonaventura e Suso, que pararam nos bloqueios de Sorrentino e Depaoli. Na sequência, porém, Suso começou a iluminar os rossoneri: aos 27, passou para Higuaín, livre, completar para o gol e, sete minutos depois, deixou Pipita de frente para o crime com um belo passe. Com 2 a 0 no placar, o Milan continuou colocando pressão e ampliou, com chute de média distância de Bonaventura. O time de Gattuso, no entanto, mais uma vez não manteve suas redes intactas: uma saída de bola precipitada da zaga permitiu a Pellissier diminuir a contagem.

Higuaín e Suso destruíram o Chievo no domingo (Getty Images)

Atalanta 0-1 Sampdoria
Tonelli (Ramírez)

Tops: Tonelli e Ramírez (Sampdoria) | Flops: Hateboer e Castagne (Atalanta)

A Atalanta continua sua sina negativa nesta temporada. Encostada na zona de rebaixamento, a equipe nerazzurra faz seu pior início de campeonato desde a chegada do técnico Gasperini e nem mesmo quando faz uma partida decente, consegue pontuar. Melhor para a competente Sampdoria de Giampaolo, que é uma das sensações desta Serie A, na qual já ocupa a quinta posição.

A primeira chance de gol do jogo foi um preâmbulo do que a Samp faria a seguir. Linetty cabeceou bem e o goleiro Gollini foi buscar. Depois disso, a Atalanta colocou duas bolas na trave ainda no primeiro tempo, com Zapata e Gómez, e só teve o que lamentar depois. Aos 76, Tonelli subiu mais alto que a defesa atalantina e marcou o gol da vitória. Triunfo que foi garantido por defesas de Audero nas últimas tentativas de abafa do time da casa.

Genoa 1-3 Parma
Piatek (Lazovic) | Rigoni (Siligardi), Siligardi e Ceravolo (Barillà)

Tops: Siligardi e Sepe (Parma) | Flops: Spolli e Radu (Genoa)

Duas das equipes mais interessantes do segundo escalão dessa Serie A, Genoa e Parma abriram o domingo de futebol na Itália com uma partida de alto ritmo, definida ainda na etapa inicial. A vitória não só fez com que os parmenses ultrapassassem os genoveses e se aconchegassem no meio da tabela, com 13 pontos – contra 12 do Genoa –, mas também encerrou um jejum de sete partidas sem triunfos contra os rossoblù. Ademais, o Parma também consolidou seu melhor início de temporada nesta década, após passar pelo inferno das divisões inferiores.

A partida começou com algo já habitual. Aos 6 minutos, o artilheiro Piatek fez um gol de cabeça, tirando do goleiro Sepe, e se tornou o primeiro jogador a marcar em sete partidas consecutivas da Serie A desde Gabriel Batistuta, em 1994-95. Dez minutos depois, o Parma empatou com Rigoni, e levou um susto na sequência: Piatek, novamente de cabeça, acertou a trave, e a bola só não entrou por mílimetros, graças à defesa de Sepe. Em duas jogadas num arco de cinco minutos, os crociati mataram o jogo, contando com desatenções da defesa da casa e finalizações espertas de Siligardi e Ceravolo. O Genoa buscou o empate, mas teve um gol bem anulado por impedimento e também parou em Sepe.

Torino 3-2 Frosinone
Rincón (Zaza), Baselli e Berenguer | Goldaniga (Ciofani) e Ciano (Campbell)

Tops: Zaza (Torino) e Ciano (Frosinone) | Flops: Aina (Torino) e Perica (Frosinone)

O Torino se esforçou para tropeçar no fraco Frosinone, mas não conseguiu. Embora tenha sofrido dois gols do time que menos chuta e que tem o pior ataque da Serie A, o Toro venceu o jogo depois de tomar um susto. Méritos para Zaza, que participou dos três tentos da equipe grená e vai ofuscando Belotti – inclusive, foi chamado por Mancini para a seleção, enquanto o Galo ficou de fora da lista azzurra.

Quem começou brilhando, no entanto, foi Belotti, que acertou a trave de Sportiello. O Toro marcou o primeiro depois de uma bomba de Rincón, no primeiro tempo, e ampliou com Baselli, que aproveitou rebote de chute de Zaza. O time da casa, então, adormeceu. O Frosinone correu atrás e dimiuiu num lance polêmico, em que o VAR foi acionado para detectar falta de Goldaniga em Sirigu. Seis minutos depois, Aina se descuidou na marcação e Ciano cabeceou muito bem para o gol. Aos 71, porém, Berenguer aproveitou uma sobra e chutou no ângulo, decidindo a partida e levando o Torino à cola dos times situados em zona europeia.

Cagliari 2-0 Bologna
João Pedro (Castro) e Pavoletti (Castro)

Tops: Castro e João Pedro (Cagliari) | Flops: Danilo e Dijks (Bologna)

O Cagliari rompeu uma sequência de sete partidas sem vencer o Bologna para conquistar seus primeiros três pontos como mandante na Serie A. Dominante durante toda a partida na Sardenha, os casteddu ultrapassaram os petroniani na tabela e se afastaram um pouco da zona de rebaixamento.

O grande nome da partida foi o meia Castro, que deu duas assistências. A primeira veio aos 22 minutos, num cruzamento perfeito para João Pedro, que se livrou da marcação de Danilo e anotou seu segundo no campeonato. O brasileiro ainda teve duas boas oportunidades de deixar sua marca novamente, mas cabeceou por cima do gol na etapa inicial e, após o intervalo, parou em Skorupski. Quem não deu chances para o polonês foi Pavoletti, que recebeu cruzamento de trivela de Castro e cabeceou para as redes. Vale destacar ainda as boas intervenções do goleiro Cragno, mais uma vez chamado para a seleção: fez três defesas importantes, quando chamado em causa.

Seleção da rodada
Ospina (Napoli); Malcuit (Napoli), Romagna (Cagliari), Chiellini (Juventus), Cancelo (Juventus); Castro (Cagliari), Pellegrini (Roma); Suso (Milan), Ronaldo (Juventus), Higuaín (Milan); Icardi (Inter). Técnico: Marco Giampaolo (Sampdoria).

Deixe um comentário