Extracampo

Os livros essenciais para entender o futebol italiano

Em maio, o jornalista Bruno Rodrigues, que comanda o excelente Futebol Café, nos convidou para uma tarefa agradabilíssima: montar uma lista com livros essenciais para a compreensão do futebol italiano. Nelson Oliveira, Braitner Moreira, Arthur Barcelos, Charley Moreira e Murillo Moret, colaboradores ativos da Calciopédia, fizeram a curadoria das obras indicadas, que você pode conferir abaixo. O mitológico Gianni Brera, que aparece na foto que abre o texto, teve uma publicação selecionada, é claro. Divirta-se!

Azul Escuro (Azzurro Tenebra), de Giovanni Arpino (1977)

A referência é boa. Um dos melhores escritores italianos do século XX, Arpino foi o autor de “A Escuridão e o Mel”, romance no qual foram baseados o filme “Perfume de Mulher” (1974) e o seu remake (1992), que deu um Oscar a Al Pacino. Apaixonado por futebol, Giovanni também era jornalista esportivo e, por mais de uma década, foi repórter e enviado especial do jornal La Stampa, de Turim. Uma de suas coberturas mais importantes acabou lhe rendendo uma obra-prima.

Considerado por muitos o mais belo romance de todos os tempos sobre futebol na Itália, “Azzurro Tenebra” se passa durante a fracassada expedição da seleção italiana à Copa do Mundo de 1974, disputada na Alemanha Ocidental. Publicado em 1977, o livro vendeu cerca de 30 mil cópias à época, mas demorou três décadas para ser reimpresso, mesmo que continuasse sendo bastante procurado – mais ou menos o que aconteceu por anos com os álbuns da fase “racional” de Tim Maia.

Os personagens do livro cult são inventados, mas facilmente reconhecíveis em suas inspirações reais. Ferruccio Valcareggi, Enzo Bearzot, Giacinto Facchetti e Gigi Riva e jornalistas como o mítico Gianni Brera e o próprio Arpino são os protagonistas de uma derrota anunciada, pela grande desconexão entre os jogadores mais experientes e uma geração de jovens que havia sido recém-incorporada ao grupo da Nazionale. O fracasso é também o espelho da Itália daquela época, imersa nos radicalismos dos anos de chumbo, e não apenas da seleção de futebol. Segundo Dino Zoff, lenda italiana e goleiro da Squadra Azzurra na época, Arpino “não inventou nada”.

O Príncipe do Gramado (Il Principe della Zolla), de Gianni Brera (2015)

Brera é leitura obrigatória para qualquer um que queira saber mais sobre futebol italiano. Afinal, é o maior jornalista esportivo de todos os tempos na Bota: foi o primeiro que tratou de aspectos táticos no país e também foi o inventor de diversos termos utilizados pela mídia e pelo público, que também acabaram inseridos no contexto prático pelos treinadores.

Organizado por Gianni Mura, Il Principe della Zolla é uma coletânea dos melhores artigos e de passagens de romances do mestre Brera, que ficou na ativa por mais de 50 anos. O livro tem diversos textos sobre catenaccio, seu amigo Nereo Rocco, odes a Gianni Rivera e Gigi Riva e elogios aos aspectos épicos do futebol. Como bônus, os leitores têm acesso ao vastíssimo repertório do gênio e podem encontrar passagens sobre ciclismo (uma das maiores paixões do jornalista), histórias pessoais e crônicas sobre política, cachimbos e a sociedade italiana.

O restante da lista você pode conferir no Futebol Café, clicando na imagem abaixo.

Deixe um comentário