Serie A

Em nome de Rossi


“Existem apenas duas maneiras de ver a vida. Uma é pensar que não existem milagres e a outra é que tudo um milagre.” Esta é uma das frases mais intrigantes de Albert Einstein, e cabe bem à forma com que a imprensa italiana fez o pré-jogo entre Dinamo Bucuresti e Lazio, no encontro da última fase preliminar da Liga dos Campeões. Enquanto vários comentaristas (este que vos escreve, inclusive) preferiam acreditar que não haveria milagre para colocar a Lazio na fase de grupos do torneio continental, a torcida biancoceleste resolveu apostar no improvável. E acabou vencendo.

A Lazio entrou em campo sem vários titulares, por problemas de contusão e de suspensão. Entre os que foram a campo, Stendardo teve de deixar o gramado ainda no primeiro tempo devido à deficiência de suas condições e Cribari jogou com proteção no nariz, devido a uma intervenção cirúrgica recente. Ainda por cima, durante a semana que antecedeu o jogo, chegou-se a cogitar a expulsão do clube da competição devido às manifestações racistas dos ultrà. Ao fim do primeiro tempo, o meio de campo apresentava muita dificuldade em fazer a transição para o ataque e os defensores estavam completamente vendidos nos contrastes com os velozes atacantes do Dinamo. E os nervos à flor da pele em todos os setores. Os romenos souberam anular os principais escapes laziali, e jogadores como Del Nero e Zauri não conseguiram dominar a bola com liberada em algum momento.

É nesse momento em que o bom técnico age. Mesmo sem qualquer alteração durante o intervalo, o time da Lazio retornou com outra postura. Sem nervosismo, mas com a cabeça em pé, pronto para lutar até o fim pela classificação. Dizem que um milagre só ocorre quando você o busca. E Năstase tratou de interver pelo bem dos italianos, cometendo um pênalti bobo em Rocchi logo no primeiro minuto da ripresa. A situação então se inverteu: o time da Lazio passou a ter posse de bola, inverter jogadas e tentar mais verticalizações. Por outro lado, o Dinamo não conseguia chegar mais nem nos contra-ataques puxados por Bratu. Em questão de tempo, a Lazio liquidou a partida com mais dois gols em noite inspirada da dupla Rocchi-Pandev e só passou a administrar.

Vale lembrar que as investigações sobre as movimentações racistas dentro do Stadio Olimpico ainda não foram encerradas. É verdade que tudo aponta para uma punição apenas financeira, mas uma reincidência pode ser fatal. No campo esportivo, a Lazio larga atrás de seus concorrentes. Seu elenco é reduzido e os titulares não possuem substitutos à altura. E vários jogadores importantes iniciam a temporada no departamento médico, o que invariavelmente prejudicará seus rendimentos a médio e longo prazo. Os três grandes reforços prometidos por Claudio Lotito serão fundamentais caso a Lazio busque não só chegar às oitavas-de-final da Liga dos Campeões, mas também tentar a classificação para a próxima temporada. Entre as opções mais prováveis, Kompany, Adriano, Stovini e Muslera.

2 comentários

  • Também acho que sem alguns reforços a Lazio não terá um bom time pra brigar na champions league, e também não conseguirá uma nova classificação para a edição 08/09. De fato a Lazio não tem jogadores para substituir os titulares sem perder qualidade.

    Kompany = DEUS no CM/FM.. mas de verdade acompanhei pouquíssimos jogos dele, então me abstenho de maiores comentários.

Deixe um comentário