Serie A

Momento Band

Interrompemos nossa transmissão habitual para anunciar três novos endereços na web, todos na nossa coluna direita.

O primeiro é o retorno de Gian Oddi às postagens depois de um mês. Coordenando a operação de reforma do iG, ele deixa a Placar para dar uma nova cara ao A Bola na Bota, provavelmente o primeiro blog dedicado exclusivamente ao calcio em língua portuguesa. Só nos resta esperar que o ritmo de atualizações se mantenha constante – tanto por aqui quanto por lá, aliás.

Novidade é a cobertura do futebol feminino por Mozart Maragno, no Futebol das Mulheres. Blog de destaque a partir da goleira norte-americana Solo, comentado por quem entende do assunto de verdade e tem insistido em pedir apoio (haja eufemismo!) da CBF para que essa talentosa geração brasileira não passe em branco nos torneios internacionais.

Outra aposta na rede é o Olheiros, portal dedicado com exclusividade às categorias de base. Na ótima equipe, Dassler Marques, Marcus Alves, Gustavo Vargas, Maurício Vargas, Mozart Maragno, Nuno Almeida, Rafael Reis e Leandro Guimarães. Mensalmente, aliás, este que vos escreve fará uma aparição em alguma das seções. Na minha estréia, a Fique de Olho aborda não só o futebol, mas também as controvérsias envolvendo o jovem Russotto. Confira um aperitivo da coluna:

Em âmbito nacional, Andrea Russotto é uma das maiores esperanças para o futuro da Squadra Azzurra. A seu lado estão nomes mais conhecidos, como Daniele Dessena (Parma) e Giuseppe Rossi (Villarreal-ESP). Revelado no vivaio da Lazio, talvez Russotto pudesse ter encontrado um caminho menos tortuoso na carreira. E “talvez”, no futebol italiano, quase sempre dá idéia de algum fator extracampo. Não foi diferente com o jovem romano. Destacando-se pelos giovanissimi da Lazio e pelo selecionado sub-16, Russotto foi contatado pela Gea, sociedade de empresários italianos ligados ao futebol, como Alessandro Moggi e Andrea Cragnotti. Por sua notável influência na área, a Gea assistia a mais de 150 nomes nas duas primeiras divisões italianas, com direito a nomes do nível de Nesta, Materazzi e Mancini (nota: após o Moggiopoli, há pouco mais de um ano, a Gea se desintegrou e hoje cada um de dos empresários cuida pessoalmente de seus clientes). Ir contra a Gea aos quinze anos, porém, era como desistir da carreira de jogador profissional. E por muito pouco Russotto não teve esse destino.

Para lê-la por completo, é só clicar aqui.

1 comentário

Deixe um comentário