Jogadores

Giuseppe Bergomi foi precoce e se tornou um símbolo da Inter

É provável que os admiradores mais jovens do futebol italiano tenham Fabio Cannavaro como exemplo de zagueiro. Rápido, veloz e inteligente, na maioria das vezes estava um passo a frente dos atacantes. Mas o especialista real nesse atributo surgiu há algumas décadas: Giuseppe Bergomi.

Apelidado de Lo Zio (o tio, em italiano) devido ao peculiar bigode e vastas sobrancelhas, Bergomi entrou nas categorias de base da Internazionale, em 1979, para nunca mais abandonar o clube. Estreou na equipe principal nerazzura em 1981, e, demonstrando consciência e desenvoltura de um veterano, participou no ano seguinte do título mundial da Squadra Azzurra, em 1982, com apenas 18 anos.

Titular em final de Copa com apenas 18 anos, Bergomi chega duro em Rummenigge, que seria seu companheiro na Inter (imago)

Na Copa, Bergomi teve atuações destacadas contra o Brasil de Zico, quando entrou na vaga de Collovati, machucado; e na final, contra a Alemanha. Na decisão, o jovem teve a ingrata e bem-sucedida missão de marcar Rummenigge, vencedor da chuteira de prata da competição.

E esta foi apenas a primeira das quatro Copas do Mundo de que participou. Em 1986, resistiu à renovação pela qual passou a equipe e chegou às quartas-de-final. Em 1990, com o prazer e a responsabilidade de ser o capitão do time que disputava o torneio em casa, ficou em terceiro lugar. Em 1998, sete anos após ser chamado pela última vez para defender a Itália, recebeu voto de confiança de Cesare Maldini e, aos 35 anos, foi titular na Copa do Mundo disputada na França – e novamente parou nas quartas-de-final.

Jogador de extrema precisão e bons posicionamento e antecipação, desarmava como poucos, com bastante lealdade e segurança, mas sem aliviar. Também teve a carreira marcada pelo profisisonalismo e pela fidelidade à Internazionale. Bergomi jogou em nerazzurro por 20 anos e formou uma dupla de zaga que impunha muito respeito, com outro Giuseppe Baresi. Mas conquistou poucos títulos, com destaque para a Serie A de 1989 sob o comando de Giovanni Trapattoni, único scudetto conquistado pelo jogador.

Bergomi abraça o rival Gullit no ano em que foi campeão italiano (imago/Magic)

Em 1999, aos 36 anos, se aposentou após defender a Inter em 758 jogos oficiais, o que o torna o jogador com mais presenças pelo clube, a frente de nomes como Javier Zanetti, Giacinto Facchetti e Giuseppe Meazza. Hoje, trabalha como comentarista da Sky Italia e por lá escolheu o melhor defensor que já viu jogar: Paolo Maldini, ícone do rival Milan.

Giuseppe Bergomi
Nascimento: 22 de dezembro de 1963, em Milão
Posições: zagueiro e lateral-direito
Clubes: Inter (1979-99)
Títulos: Serie A (1989), Coppa Italia (1982), Copa Uefa (1991, 1994, 1998), Supercopa Italiana (1989), Copa do Mundo (1982)
Seleção italiana: 81 jogos e 6 gols

8 comentários

Deixe um comentário