Serie A

De olho na Europa

Depois de uma modesta 14ª colocação na temporada passada, nem os mais otimistas torcedores do Cagliari contavam com um posto tão alto a essa altura do campeonato. Os rossoblù chegaram ao fim da 33ª rodada na sétima posição e apenas 3 pontos atrás da sexta colocada Roma, que ocupa a última vaga para a Copa da Uefa da próxima temporada.

O desempenho dos cagliaritani não é tão bom desde a temporada 1992-93, quando conseguiram a sexta colocação do nacional e se classificaram para a Copa, a sua última participação em ligas européias. Naquela temporada o time era comandado por Carlo Mazzone, que tinha no ataque suas principais peças: Luis Oliveira, o brasileiro naturalizado belga, e o uruguaio Enzo Francescoli.

Desde então, o time da ilha de Sardenha desempenhou apenas papéis coadjuvantes no futebol italiano, chegando a ter duas passagens pela Série B. A primeira durou só uma temporada, a de 1997-98, e a segunda, mais longa, durou de 2000-01 até 2003-04.

Agora os rossoblù têm, novamente, a chance de disputar uma vaga na Copa da Uefa. E devem isso, em grande parte, ao estreante na Série A Massimiliano Allegri. O jovem comandante assumiu o time no início dessa temporada, após receber o prêmio Panchina D’Oro de melhor técnico da Série C, pelo ótimo trabalho feito no comando do Sassuolo, no ano anterior. Contornando bem o ambiente conturbado de Cagliari, Allegri conseguiu resultados surpreendentes e vem fazendo uma temporada bem acima do esperado.

O calouro da Serie A: Massimiliano Allegri
A vitória sobre a Juventus, em Turim, ou até mesmo o fantástico empate com a Sampdoria, na rodada passada, são exemplos da ótima campanha que faz o time de Cagliari. Em um dos melhores jogos do domingo passado, os rossoblù começaram perdendo por 2 a 0, mas logo mostraram para seus torcedores que esse não é o Cagliari de tempos atrás e provaram sua força com uma grande virada em cima dos blucerchiati, que só não perderam o jogo por causa de um gol de Cassano, no fim, garantindo o 3 a 3.

De fato, Massimiliano Allegri é a grande revelação desse time, mas não podemos tirar o mérito dos jogadores, que se empenham e demonstram vontade de defender a equipe, devolvendo aos torcedores o prazer de assistir uma partida. O grupo cagliaritani não tem grandes talentos individuais, mas funciona muito bem em equipe. É o caso dos experientes Conti, Lopez e Agostini, que formam uma defesa consistente e segura ou mesmo de Pisano e Cossu, que são essenciais para o bom funcionamento do meio-campo rossoblù. Porém, as peças que se destacam nesse 4-3-1-2 montado por Allegri estão nos extremos do time. De um lado, o goleiro Federico Marchetti, que além de ser muito bem dotado tecnicamente, ainda contagia o time com um espírito campeão. Do outro, os atacantes Acquafresca e Jeda fazem a diferença. Os dois juntos já balançaram as redes 21 vezes até agora, totalizando mais da metade dos gols feitos pela equipe.

No entanto, nem tudo são flores em Cagliari. Para a próxima temporada, seus principais jogadores já são pretendidos por outros clubes. O brasileiro Jeda está na mira da Roma, Marchetti é pretendido por Juve e Milan e Acquafresca já tem contrato assinado com a Inter, sem saber, porém, se vestirá a camisa nerazurra já na temporada que vem. Essa dúvida do time de Milão poderia até ajudar na permanência do jogador em Cagliari, que ao invés de firmar um novo acordo com Fiorentina, Palermo, Genoa ou Udinese, poderia simplesmente continuar no Cagliari, onde já está adaptado ao ambiente.

Jeda e Acquafresca comemoram um dos gols contra a Juve
A solução pode vir da base. Na última Primavera, jogadores como Burrai, Pani, Sau e, principalmente, Daniele Ragatzu apareceram muito bem. O menino de ouro rossoblù, que teve a oportunidade de estrear no time principal com apenas 16 anos, já faz parte do elenco desde o ano passado. O importante agora é trabalhar bem o psicológico do garoto, sem pular etapas e perceber o momento certo de colocá-lo na equipe titular. Ragatzu é um atacante bem interessante, de boa técnica e pode ser uma peça muito importante para o futuro do Cagliari.

Em busca da vaga na Copa da Uefa, o Cagliari enfrenta o Palermo logo mais, fora de casa e torce contra a Roma, adversária do domingo que vem, dia 10, no Comunale Sant’Elia. Dois jogos decisivos para os cagliaritani, que podem se distanciar do Palermo e afundar a Roma de vez na crise, praticamente assegurando a tão desejada vaga.

Deixe um comentário