Serie A

A Babel da Serie A 2017-18

Este artigo foi enviado uma semana antes para os assinantes da Calciopédia Pro. Clique aqui para conhecer o serviço.

Com o fechamento da janela de transferências, no dia 31 de agosto, e as contratações de agentes livres que aconteceram em setembro, os elencos da Serie A estão fechados – os clubes ainda podem assinar com jogadores sem clube até os primeiros dias de outubro, mas é improvável que alguma movimentação aconteça. Portanto, já sabemos o número de jogadores estrangeiros inscritos: são 307, três a menos em relação a toda a temporada 2016-17.

O número representa uma média de 15,35 jogadores não italianos por equipe. Considerando que cada clube pode inscrever 25 atletas e mais oito jogadores sub-21, os estrangeiros representam quase metade desse número. E se você acha que a equipe com mais “gringos” é a Inter, se enganou. Se acha que o maior número de nacionalidades diferentes em um elenco é de um gigante, errou feio também.

De onde vêm os “gringos” da Serie A

Brasil – 41*
Argentina – 28
Croácia e França – 14
Uruguai – 13
Sérvia e Polônia – 12
Espanha – 11
Portugal – 10
Bélgica – 9
Bósnia e Holanda – 8
Albânia, Eslovênia, Gana, Senegal e Suécia – 7
Colômbia, Chéquia, Romênia e Suíça – 6
Alemanha, Eslováquia e Nigéria – 5
Argélia e Marrocos – 4
Bulgária, Costa do Marfim, Dinamarca e Grécia – 3
Chile, Finlândia, Hungria, Mali, Paraguai, Turquia e Venezuela – 2
Angola, Austrália, Camarões, Coreia do Sul, Costa Rica, Equador, Guadalupe, Guiné, Iraque, Islândia, Japão, Liechtenstein, Lituânia, Macedônia, México, Moldávia, Montenegro, Noruega e Reunião – 1

* Foram considerados jogadores naturalizados, como Éder e Jorginho.

Os mais cosmopolitas

O elenco com o maior número de nacionalidades diferentes é o do Bologna, com 17 países representados. Em seguida vem a Udinese, com atletas de 15 pátrias diferentes. No entanto, entre jogadores da lista principal e da sub-21, são 26 nascidos fora da Velha Bota.

Os mais “provincianos”

Cagliari, Spal e Sassuolo são os times que têm menos jogadores de fora da Itália no elenco. Enquanto os dois primeiros contam com seis atletas (no caso cagliaritano, de apenas quatro nacionalidades), apenas quatro jogadores não nascidos no Belpaese pertencem aos neroverdi. A Spal ainda é a equipe mais italiana do campeonato, com 22 jogadores, seguida pelo Sassuolo (21).

Os estrangeiros dos grandes

Lazio: 22 estrangeiros; 14 nacionalidades
Roma: 21 estrangeiros; 13 nacionalidades
Napoli: 20 estrangeiros; 13 nacionalidades
Fiorentina: 19 estrangeiros; 13 nacionalidades
Juventus: 16 estrangeiros; 12 nacionalidades
Inter: 15 estrangeiros; 11 nacionalidades
Milan: 12 estrangeiros; 10 nacionalidades

Deixe um comentário