Serie A

21ª rodada: O melhor futebol da Serie A é do Friuli

O melhor futebol da Itália aparece a partir do jogo rápido, técnico e coletivo da Udinese. Jogo tão envolvente que freia até a arrancada da Inter (Getty Images)

Em rodada que favoreceu especialmente o Milan, foi a Udinese quem brilhou. Os friulanos encurralaram a Inter e não deram qualquer chance para que a atual pentacampeã italiana saísse do Friuli e mantivesse a invencibilidade desde que Leonardo foi contratado. Nos outros jogos da rodada, o Napoli não teve dificuldades para bater o Bari e continuar na perseguição ao Milan, enquanto a Lazio sucumbiu ao Bologna de Di Vaio e Juventus e Sampdoria tropeçaram nas próprias pernas em um jogo de baixo nível técnico. Confira o resumo da 21ª rodada.

Udinese 3-1 Inter
No melhor jogo da rodada, a Udinese mostrou que não deve ser descartada na briga por uma vaga nas competições europeias. Após um início de campeonato que trazia perspectivas assustadoras, com a tímida atuação no mercado e cinco tropeços consecutivos, Francesco Guidolin acertou o time, com um esquema que chega a lembrar o do Napoli, com três zagueiros e alas incisivos – no time de Údine, Isla e o ex-palmeirense Armero, que vivem grande fase. No ataque, Sánchez e Di Natale fazem combinação perfeita e evidenciaram a Leonardo os problemas defensivos que a Inter vive: desde o final de outubro, o time não passa um jogo sem sofrer gols. Com a suspensão de Córdoba, Ranocchia será titular contra o Palermo e pode assumir de vez a posição, ao lado de Lúcio, que precisa de um companheiro mais fixo na área para desenvolver melhor seu futebol.

Outro problema que ficou claro na Inter é a falta de um substituto para Milito. Pandev não vive um bom momento e já começa a ser contestado pelos torcedores. Mesmo que Domizzi, Zapata e Benatia tenham feito partida muito boa, Eto’o ficou fora do jogo o tempo inteiro – a bem da verdade, apenas Stankovic buscou algo na Inter e, além do gol que abriu o jogo, poderia ter feito o segundo, não fossem duas defesas de Handanovic. Ciente disto, a diretoria interista já busca um nome que deve ser contratado na última semana de mercado (fala-se em Luís Fabiano, Matri, Pazzini ou Di Vaio). A Udinese, por sua vez, não tem preocupações: o time joga bonito e só pode pensar para cima. O objetivo inicial, a salvezza, nem deve ser mais questão no clube, que deve conseguir segurar Sánchez e Inler deverão ao menos até o fim da temporada. No ataque, Di Natale – eleito melhor jogador italiano de 2010 no Oscar do Calcio – segue artilheiro da Serie A, com 15 gols. E, é bom lembrar, a Europa é logo ali.

Milan 2-0 Cesena
Mais uma vez, Ibrahimovic foi decisivo para a vitória do líder do campeonato, que tem quatro pontos de vantagem sobre o Napoli. Inspirado, o sueco foi a alma do time rossonero, que encontrou um Cesena disposto a lutar até o fim pelo resultado e um Antonioli disposto a estragar a noite de seu antigo clube. A blitz do Milan no primeiro tempo só conseguiu vencer o experiente goleiro cesenático quando Ibrahimovic pressionou o zagueiro Pellegrino, que chutou a bola contra as próprias redes e marcou seu segundo gol contra em oito dias – o outro havia sido contra a Roma.

Até os 92 minutos, quando Ibrahimovic marcou o segundo, a partida pareceu decidida: por mais que o Milan atacasse, Robinho, que fez boa partida como trequartista, desperdiçava chances que poderiam ter feito falta ao Diavolo. O Cesena também tentou ir para cima do líder, sobretudo com Schelotto e Malonga, que dão outra alma ao time. Ficcadenti, que tem pagado por não dar espaço aos jovens, recebeu clara mensagem de que, para lutar contra o rebaixamento, a força dos talentos à disposição será fundamental. O Milan, por sua vez, comemora a derrota da Inter e o fato de que a pressão está cada vez mais do lado azul e preto de Milão.

Bologna 3-1 Lazio
Sempre com Di Vaio, o Bologna continua conquistando bons resultados nesta temporada, que é a mais tranquila do clube nos últimos anos, ao menos dentro de campo. Se nos bastidores, os problemas societários são inúmeros e já custaram três pontos de penalização aos rossoblù, quando o assunto é futebol, o Bologna de Malesani merece méritos. Não fossem os três pontos deduzidos, ocuparia a nona posição, com 28 pontos. Contra a Lazio, além da doppietta decisiva e de outros incômodos mais do capitão, brilhou também a estrela de Viviano, que conseguiu manter o resultado positivo frente a Floccari. Méritos para Malesani também ao acertar o meio-campo da equipe, que nos últimos anos sofreu com a falta de criatividade, mas que sobrevive graças a jovialidade de Ramírez, Ekdal e Cesarini.

A derrota laziale deve repercutir ainda nas próximas semanas. Na confusão generalizada que rendeu três jogos de suspensão a Zárate (e dois a Giménez, do Bologna), André Dias foi expulso e ficará de fora da partida contra a Fiorentina, no Olímpico. A ausência de um dos titulares na zaga não traz bons presságios para os romanos, que costumam sofrer mais gols sem que Dias ou Biava estejam em campo. Logo após a expulsão do brasileiro, por exemplo, Biava errou feio e cedeu a Di Vaio a chance de decidir a partida. Sem Zárate na frente por tanto tempo (e fora da partida contra o Milan), Hernanes vai ter que se desdobrar para manter viva a impressão de que a Lazio pode se manter viva na briga pelo scudetto ou por uma vaga na Liga dos Campeões.

Bari 0-2 Napoli
De um lado a euforia do Napoli, que mesmo tendo perdido provisoriamente a vice-liderança para a Roma, convive todos os dias com o sonho de voltar à Liga dos Campeões. Do outro, um Bari desesperado e que parece cada vez mais conformado com o rebaixamento que fica cada vez mais iminente. Apesar de certa pressão em cima dos visitantes azzurri devido à perda da segunda posição, a tarefa de recuperá-la foi bastante tranquila em um duelo de praticamente um time só.

Sem maiores dificuldades, os napolitanos apenas cadenciaram a partida e esperaram o momento certo para definí-la, tornando-a um tanto quanto sofrível tecnicamente para seus espectadores. Com Lavezzi abrindo o placar após desviar bola na pequena área e Cavani completando o marcador, a equipe de Nápoles venceu por 2 a 0, voltou à segunda colocação e afundou ainda mais os biancorossi, que penam na última colocação, quatro pontos atrás do vice-lanterna Brescia. O técnico Gian Piero Ventura não tem conseguido acertar o time e já colocou o cargo à disposição. Mesmo que um novo técnico chegue e peça reforços, é a última semana de mercado e talvez seja tarde demais. (Leonardo Sacco)

Sampdoria 0-0 Juventus
Na volta de Del Neri ao Luigi Ferraris contra o ex-time, jogo fraco tecnicamente e muitas contusões: Traoré, Lucchini, Pazzini e Pozzi saíram de campo machucados. Com Pepe no ataque (Del Piero estava gripado e entrou só no segundo tempo), a Juventus não aproveitou os tropeços de Lazio e Inter e caiu para a sexta posição, deixando Milan, Napoli e Roma se distanciarem ainda mais. A Samp, por sua vez, permanece na zona intermediária da tabela, que parece ser sua sina nesta temporada, pela falta de ousadia de Di Carlo. O primeiro tempo foi de se esquecer. Esteve mais para um gol-a-gol do que para uma partida de futebol. Lançamentos longos e chutões para o alto não deixaram o jogo fluir.

No segundo tempo, alguma melhora. Logo no início, Pazzini desperdiçou chance ímpar e Del Neri trocou Krasic por Del Piero. Apesar de terem perdido a velocidade do sérvio, os bianconeri melhoraram um pouco. Bem pouco. O jogo continuou morno até os 40 da etapa final, quando a Juventus acordou e partiu para cima. Foram pelo menos três investidas pergiosas e, na última delas, Del Piero perdeu gol incrível. A vitória foi para o espaço e agora a Velha Senhora tem que ficar de olho no retrovisor, que já reflete Palermo e Udinese se aproximando. Na próxima rodada, jogo-chave com os friulanos, em Turim. E a briga pela Europa fica cada vez melhor. (Rodrigo Antonelli)

Chievo 0-0 Genoa
Nos últimos tempos, ao menos uma partida por rodada na Serie A tem sido abaixo da crítica. Não por acaso, elas costumam envolver ou Chievo ou Genoa, que estão empatados com 24 pontos e veem a zona de rebaixamento se aproximar. Os clivensi não vencem há oito partidas e já buscam alternativas no mercado para amenizar os problemas: Pulzetti, meia do Bari, e Uribe, artilheiro do último Campeonato Colombiano pelo Once Caldas.

Já o Genoa parece totalmente perdido: o ambiente do clube está caótico e a gestão de Preziosi parece próxima do fim. Ballardini, que começou bem no comando do time e conseguiu duas vitórias consecutivas, já vê seu cargo balançar: os grifoni tem jogado pior do que sob o comando de Gasperini e tem dificuldades claras de marcar gols. Em 20 partidas disputadas (o dérbi contra a Sampdoria foi adiado por causa de uma nevasca), em nove o time não balançou as redes. Ir ao mercado com tanta sede ao pote e aparentemente sem muitos critérios não parece ser a solução. A contratação de Floro Flores que o diga.

Fiorentina 1-1 Lecce
Não fosse o terceiro pênalti perdido por Di Michele em três cobranças no campeonato, a Fiorentina poderia ter amargado uma inconveniente derrota em casa, que a aproximaria da zona de rebaixamento. O Lecce fez um primeiro tempo muito superior ao dos donos da casa, que vinham de cinco vitórias em casa e confirmou a boa fase, depois de vitória contra a Lazio e um empate positivo contra o Milan. Com a sequência, os salentini deixam a zona de rebaixamento, com 20 pontos – um a mais que o Cesena. A Fiorentina, por sua vez, continua apresentando futebol opaco, mas deve ganhar um pouco mais de qualidade à medida que Montolivo for recuperando a forma física.

Para resultados, escalações, classificação e estatísticas da 21ª rodada, clique aqui.
Leia sobre os jogos de sábado aqui.
Para relembrar a 20ª rodada, clique aqui.

Seleção da 21ª rodada

Viviano (Bologna); Yepes (Milan), Bovo (Palermo), Domizzi (Udinese); Giovinco (Parma), Ekdal (Bologna), Inler (Udinese), Armero (Udinese); Di Natale (Udinese), Di Vaio (Bologna), Ibrahimovic (Milan). Técnico: Francesco Guidolin (Udinese).

4 comentários

Deixe um comentário