Serie A

32ª rodada: A senhora que derruba comandantes

Juve supera mais um adversário complicado e se aproxima do pentacampeonato.
De quebra, derrubou Mihajlovic (Juventus.com)

O clássico entre Juventus e Milan era o jogo mais aguardado do final de semana. E confirmou as expectativas: além de ter sido o duelo que mais empolgou em campo, também provocou efeitos do lado de fora: Sinisa Mihajlovic não é mais o treinador rossonero. A Juve continua com vantagem de seis pontos na liderança e a Inter assumiu a quarta posição – estes são os principais fatos da rodada. Acompanhe no resumo.

Milan 1-2 Juventus
Alex (Balotelli) | Mandzukic (Morata) e Pogba (Marchisio)

Tops: Buffon e Pogba (Juventus) | Flops: Bonaventura (Milan) e Asamoah (Juventus)

Considerando os primeiros minutos da partida em San Siro, parecia que o Milan realmente poderia tirar pontos da Juventus, o que não acontece desde novembro de 2012 – desde então, a Velha Senhora sempre venceu na Serie A. As defesas espetaculares de Buffon, a bola na trave de Antonelli e o gol de Alex, em escanteio de Balotelli, motivavam essa sensação, logo destruída pela reação da Juve. Do lado do Milan, nem mesmo a boa partida segurou Mihajlovic no cargo. Impulsivo, Berlusconi decidiu demitir o treinador e escolheu Cristian Brocchi, ex-volante e técnico do sub-20 do clube, para substitui-lo.

Mesmo sem jogadores importantes como Dybala e Khedira, o time de
Allegri ainda é muito forte e mostrou capacidade de reação. O empate bianconero veio pouco depois do gol milanista. Defendendo baixo para contra-atacar, o Milan bloqueou a saída juventina, mas permitiu a Buffon fazer algo que não está mais acostumado, mas em que sempre foi muito bom: ligação direta. O goleiro lançou para o pivô de Mandzukic, que tabelou com Morata e teve facilidade para superar o jovem Romagnoli antes de tocar na saída de Donnarumma. O time de Mihajlovic perdeu gás, mas voltou a assustar no segundo tempo, e até chegou a fazer gol, mas de forma irregular: Balotelli, que jogou bem, tentou enganar a arbitragem com toque claro de mão na pequena área, no rebote de mais duas defesaças de Buffon. A virada veio com Pogba, justificando o hype com outro gol decisivo.

Para a Juventus, mais três pontos fundamentais em um jogo em que não foi bem e vantagem mantida sobre o Napoli – seis pontos e seis rodadas, uma diferença para lá de significativa. Para o Milan, é o quinto jogo sem vitórias, o que deixa a equipe a sete pontos do quinto lugar. De qualquer forma, a equipe provavelmente terá a vaga europeia, já que pode ganhar a Coppa Italia e ir direto para a fase de grupos da Liga Europa ou ficar em sexto e disputar a fase preliminar da competição. A não ser que Brocchi, recém-chegado, fracasse retumbantemente e deixe os rossoneri atrás do Sassuolo ou até da Lazio, que pode reagir nas últimas rodadas sob o comando de Simone Inzaghi.

Napoli 3-0 Verona
Gabbiadini, Insigne (pênalti) e Callejón (El Kaddouri)

Tops: Callejón e Hamsík (Napoli) | Flops: Albiol (Napoli) e Souprayen (Verona)

Sem Higuaín, mas não sem gols – apesar do grito “GON-ZA-LO” fazer falta no San Paolo. Exceto por um péssimo Albiol, o Napoli não teve muitas dificuldades contra seu rival Verona e praticamente definiu o rebaixamento do time de Delneri, que não conseguiu competir e segue a seis pontos do 17º lugar. Os napolitanos chegaram à 21ª vitória no campeonato e continuam com seis pontos de desvantagem para a Juventus, mas tiveram uma reação importante considerando o crescimento da Roma.

Ganhando voto de confiança, Gabbiadini mais uma vez esteve bem e chegou à melhor média de gols/minuto de um italiano no campeonato. Os gols demoraram a sair, mas com 14 minutos as traves já tinham balançado duas vezes. Então o próprio atacante aproveitou rebote do ótimo Gollini e marcou, após jogada de Hamsík e Callejón, os melhores em campo. As coisas ficaram mais fáceis após Souprayen ser expulso por fazer pênalti no espanhol, de novo após passe do eslovaco – Insigne converteu a cobrança. O camisa 7 voltaria a ser decisivo, e dessa vez protagonista, já no segundo tempo, definindo a vitória após jogada de El Kaddouri.

Roma 1-1 Bologna
Salah (Totti) | Rossettini (Zúñiga)

Tops: Salah (Roma) e Zúñiga (Bologna) | Flops: Rüdiger (Roma) e Pulgar (Bologna)

A série de vitórias consecutivas da Roma foi parada pelo Bologna – a série invicta, por sua vez, não: são 11 jogos sem perder. Os bolonheses, que perderam as últimas três partidas, fizeram uma partida de grande sacrifício defensivo e ainda contaram com a sorte para saírem do Olímpico com um valioso ponto. O resultado não foi bom para os romanos, que ficam 6 pontos atrás do Napoli (vice-líder) e 6 à frente da Inter (quarta colocada).

No início do primeiro tempo só deu Roma: Salah acertou a trave duas vezes e El Shaarawy teve gol bem anulado. Só que, durante a blitz romanista, Rüdiger e Szczesny não foram bem e Rossettini aproveitou para abrir o placar. Após o intervalo, a entrada de Totti deu novo fôlego ao time da casa, que passou a jogar bem outra vez. Salah acertou a trave pela terceira vez, mas após um passe esperto do capitão, empatou o jogo.

Frosinone 0-1 Inter
Icardi (Perisic)

Tops: Kragl (Frosinone) e Perisic (Inter) | Flops: Blanchard (Frosinone) e Brozovic (Inter)

Um toque, um chute, um gol. Esse é Icardi, que garantiu a vitória nerazzurra no seu primeiro e único chute na partida – jogo que acabou por ser comemorativo em dose dupla, já que ele entrava em campo pela 100ª vez pela Inter e anotou seu 50º gol. A escassez de toques de Icardi foi também um retrato de uma Inter apática, mesmo contra o Frosinone: a Beneamata permitiu chances ao time da casa, muito inferior tecnicamente. Mas o time nerazzurro foi cínico o bastante para fazer 90 minutos ruins, com apenas Perisic e Jovetic reagindo, e marcar o gol da vitória pouco depois de o adversário acertar a trave duas vezes. Jogada do montenegrino, cruzamento do croata e cabeceio do argentino.

A Inter não só conseguiu escapar de um tropeço contra o pior time do campeonato e ficou com a vitória, como ultrapassou a Fiorentina e assumiu o quarto lugar, com dois pontos de vantagem. Já o Frosinone se mantém vivo na briga contra o rebaixamento, porque seus adversários também perderam. Com a grande distância para o 16º lugar, os últimos quatro colocados fazem campanhas de times que poderiam ser rebaixados, mas pelo menos um escapará da degola.

Empoli 2-0 Fiorentina
Pucciarelli e Zielinski

Tops: Pucciarelli e Zielinski (Empoli) | Flops: Rodríguez e Roncaglia (Fiorentina)

Quatro pontos em seis partidas, cinco vitórias em 2016 e agora o quinto lugar. A Fiorentina definitivamente não está bem, e não apenas pelos resultados, porque o time de Paulo Sousa está jogando mal. Os maiores indicativos estão na eliminação na Liga Europa e a goleada para a Roma, então adversária direta, mas agora a oito pontos de vantagem, além dos pontos perdidos para adversários mais fracos.

Também mal em 2016, o Empoli voltou a vencer depois de 12 partidas – foram apenas duas vitórias e 12 pontos neste ano – e não tinha contexto melhor para isso: fim do tabu contra a rival local, a qual não derrotava desde 1997. A vitória dos azzurri, com dois chutes secos (de Pucciarelli e Zielinski), contou com a colaboração florentina: erros defensivos dos visitantes, especialmente de Roncaglia e Rodríguez, foram fundamentais para o resultado. Mas não devemos esquecer que os principais fatores foram a solidez defensiva e a qualidade dos jovens azzurri na frente.

Palermo 0-3 Lazio
Klose, Klose e Felipe Anderson (Klose)

Tops: Klose e Biglia (Lazio) | Flops: Vitiello e Pezzella (Palermo)

Dia nada tranquilo em Palermo. Antes do jogo, briga entre as torcidas rivais de Palermo e Lazio, no centro da cidade. Durante, revolta dos ultras rosanero no Renzo Barbera, que paralisaram a partida com bombas por duas vezes e entoaram cânticos em sinal de revolta com a equipe e diretoria. Hoje, à espera da oficialização, a nona troca no comando técnico do clube de Zamparini, com Novellino dando lugar a Ballardini, que já esteve na Sicília e saiu brigado com os jogadores. Uma decisão para lá de esquisita – apenas mais uma das tantas de Zamparini, que vê o time em caos por causa da sua gestão caótica. A volta de Ballardini deve significar o afastamento do goleiro e capitão do time, Sorrentino: o experiente jogador, um dos melhores na posição no campeonato, foi o líder do elenco à época dos atritos com o técnico.

A Lazio, que não tem nada a ver com isso, aproveitou: Klose teve grande noite e foi protagonista nos três gols, que deram a primeira vitória para o time do estreante Simone Inzaghi, ex-treinador da Primavera biancoceleste e irmão do ex-ídolo do Milan. Biglia, Candreva e Keita também foram fundamentais para a ótima partida dos visitantes, que tiveram a maior porcentagem de posse de bola na temporada e chutaram oito vezes ao gol do heroico e líder Sorrentino, que levou três, mas evitou o pior e cumpriu seu papel de capitão. Com o resultado, a Lazio ainda mantém pequena chance de se classificar à Liga Europa, enquanto o Palermo fica afundado na zona de descenso.

Sassuolo 0-1 Genoa
Dzemaili

Tops: Sansone (Sassuolo) e Perin (Genoa) | Flops: Berardi (Sassuolo) e Suso (Genoa)

Enfim
os 40 pontos. Depois de passar por maus bocados e flertar com a zona de
rebaixamento, o Genoa cresceu e finalmente chegou às vitórias – são
quatro nas últimas cinco partidas. Com a pontuação de segurança, mesmo
que esteja bem claro que os últimos quatro jamais chegarão perto da
marca, o time de Gasperini ainda sobe para a primeira parte da tabela,
na 10ª posição. Para o Sassuolo, a derrota em casa significou a chance perdida de ultrapassar o Milan e a aproximação da Lazio, abrindo mais a briga por Liga Europa. O
time de Di Francesco precisa dar um passo a mais para ir além, mas nem sempre o trio
jovem Berardi, Defrel e Sansone está significando vitórias. Desta vez, um inspirado
Perin ainda atrapalhou os planos dos neroverdi, fazendo ótimas defesas.

Chievo 1-0 Carpi
Pellissier (Gamberini)

Tops: Pellissier (Chievo) e Belec (Carpi) | Flops: Floro Flores (Chievo) e Di Gaudio (Carpi)

De todas as coisas que você pode fazer às 13h de um sábado, ver Chievo e Carpi tem de ser a última opção. O baixíssimo nível técnico e o ritmo fraco apresentados fizeram a partida cumprir a expectativa de pior da rodada. De qualquer forma, lá está o Chievo rindo à toa com 44 pontos, na 9ª posição e com três vitórias consecutivas, graças ao veteraníssimo Pellissier. O capitão completou desvio de Gamberini na pequena área para anotar o único gol da partida. E o Carpi, apesar de tudo, segue fora da zona de rebaixamento, porque todos seus adversários também perderam.

Torino 2-1 Atalanta
Bruno Peres (Acquah) e Maxi López (Bruno Peres) | Cigarini (falta)

Tops: Bruno Peres (Torino) e Cigarini (Atalanta) | Flops: Obi (Torino) e Conti (Atalanta)

Sem muito o que disputarem neste restante de Serie A, Torino e Atalanta fizeram uma partida razoável, neste domingo. Jogando com um uniforme verde-limão, a equipe visitante começou melhor, e viu Pinilla perder duas chances claras e Padelli colocar para escanteio um chute perigoso de Dramé. Mas foi com Bruno Peres que a vitória grená chegou: o lateral direito recebeu enfiada de bola de Acquah para abrir o placar e, na volta do intervalo, lançou Maxi López, autor do segundo. Já na parte final do jogo, Cigarini descontou. Com 39 pontos, o Toro ocupa a 11ª posição, e os bergamascos vêm na 14ª, com 36.

Sampdoria 2-0 Udinese
Armero (contra) e Fernando (Cassano)

Tops: Quagliarella e Ranocchia (Sampdoria) | Flops: Piris e Hallfredsson (Udinese)

Três pontos para se garantir na Serie A e afastar qualquer perigo de rebaixamento. Apesar de tudo, a Sampdoria conseguiu reagir nas últimas rodadas e, contra a Udinese, fez boa partida para praticamente definir a salvezza, já que os dorianos têm 36 pontos. São oito de vantagem da Samp para a zona de rebaixamento: discurso não muito diferente para os visitantes, que apesar da derrota, tem seis à frente de Carpi e Palermo. Contra Zapata e Théréau, Ranocchia foi seguro atrás e participativo na saída de bola, fazendo ligações com Soriano, o motorzinho do time – além de Quagliarella, desequilibrando na frente. Os gols, porém, saíram com Armero, contra, e Fernando, em jogadas de Muriel e Cassano.

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Relembre a 31ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.

Seleção da rodada
Buffon (Juventus); Bruno Peres (Torino), Tonelli (Empoli), Ranocchia (Sampdoria), Zúñiga (Bologna); Pogba (Juventus), Biglia (Lazio), Hamsík (Napoli); Callejón (Napoli), Klose (Lazio), Pucciarelli (Empoli). Técnico: Marco Giampaolo (Empoli).

1 comentário

  • Apesar da impecável temporada da Juventus no Calcio, nem o seu mais otimista torcedor esperava uma Vitória no San Ciro. Mas tinha que ser assim (a juventus deveria ganhar mesmo), pois, teoricamente, a giornata era muito favorável ao Napoli, que recebeu e goleou o já rebaixado lanterna Hellas Verona. Porem acho que na próxima rodada a diferença entre ambos aumentará, é só ver a tabela. Na parte debaixo creio que já se tem os rebaixados: frosinone, Palermo (que não teve forças para fugir do buraco da zona Vermelha) e hellas Verona. Eu esperava mais da inter, no estádio Comunale, onde a mesma bateu um fraco frosinone só por um magro 1×0. Também decepcionou a Fiorentina, que não resistiu e sucumbiu diante do inexpressivo Empoli.

Deixe um comentário