Outros torneios

A Lazio encontrou o melhor momento para quebrar o jejum contra a Juventus

A vingança é um prato que se come frio. Para a Lazio, eram dez partidas consecutivas não apenas sem vencer a Juventus, mas com derrotas em todas elas. No último domingo, então, enfim a equipe celeste voltou a vencer a Velha Senhora, e com requintes de crueldade. Os donos da casa foram gigantes para derrubar os favoritos na partida de abertura da temporada 2017-18, válida pela Supercoppa Italiana, que reúne os vencedores da Serie A e da Coppa Italia – ou nesta ocasião, a campeã Juventus e a vice da copa, a Lazio.

Em que pese o início agressivo do time de Massimiliano Allegri, com Strakosha evitando três gols em cinco minutos, a Juventus mais uma vez começou o ano de forma lenta. Isso se deve, em grande parte, à preparação física mais tardia dos bianconeri – que acontece para dar mais tempo de férias às estrelas, empenhadas até mais tarde por causa da Liga dos Campeões. A Lazio de Simone Inzaghi, ao contrário, se preparou para estar tinindo já no primeiro jogo da temporada.

Em melhores condições físicas, a equipe romana tomou controle do jogo, mesmo sem a bola – ou melhor, principalmente sem a bola. Enquanto Pjanic e Dybala foram distanciados do gol, Cuadrado, Higuaín e Mandzukic mal participaram do jogo. Em contrapartida, cada ação ofensiva da dupla Milinkovic-Savic e Luis Alberto era um perigo, especialmente com um Immobile sedento por vingança contra sua ex-equipe.

Aos 32 minutos, o sérvio Milinkovic-Savic recuperou a posse de bola no meio do campo e lançou o centroavante italiano em profundidade. Immobile avançou até forçar o contato com Buffon e sofrer o pênalti: na cobrança, batida perfeita no canto esquerdo do veterano goleiro. Na sequência, por muito pouco (ou pela falta de pontaria de Basta) não veio o segundo gol. Após grande passe de Luis Alberto, o ala sérvio chutou em cima de Buffon e, no rebote, o estreante Lucas Leiva testou Gigi mais uma vez, com forte chute de longa distância. O segundo gol, aliás, ficou mesmo para o segundo tempo. Aos 53 minutos, Parolo levantou a bola na área e somente assistiu o cabeceio firme de Immobile deslocar o arqueiro juventino.

Allegri respondeu com De Sciglio e Douglas Costa nos lugares de Benatia e Cuadrado, mantendo o 4-2-3-1 com a entrada dos estreantes. No entanto, a postura continuou a mesma e o time ofereceu pouco perigo, ainda que o brasileiro tenha participado muito mais do que o colombiano e Strakosha tenha feito intervenções importantes por mais duas vezes. Na reta final, espaço para outra estreia: Bernardeschi, substituindo o também apagado Mandzukic. Do outro lado, Marusic e Lukaku deram novo fôlego para as laterais e Murgia substituiu Lucas, que fez boa partida e levou a melhor sobre Dybala e Pjanic.

O argentino, aliás, roubou a cena aos 84 minutos. O novo camisa 10 da Velha Senhora diminuiu em uma cobrança de falta espetacular, em uma posição em que, teoricamente, seria melhor para o bósnio. Depois de impressionar com o chute que fez a curva por fora da barreira e balançou as redes do Olímpico, Dybala surgiu de novo. Aos 89 minutos, Marusic foi ingênuo e cometeu pênalti sobre Alex Sandro, que antecipou a jogada e forçou a falta. La Joya empatou a partida já nos acréscimos, com uma cobrança tranquila no lado oposto de Strakosha, e tudo parecia indicar para a prorrogação. Mas ainda faltavam dois minutos.

Dois minutos em que a Lazio não poupou esforços para chegar à merecida vitória, antes tão próxima. No ataque seguinte ao segundo gol de Dybala, saiu o gol do título. Em uma ação de muita paciência iniciada por De Vrij, Lukaku superou De Sciglio, invadiu a área pela linha de fundo e tocou rasteiro para o jovem Murgia decidir, quase da marca do pênalti.

O prata da casa fez o gol mais importante de sua curta carreira e ajustou o resultado à atuação das águias, sem deixar margem a questionamentos, que poderiam surgir em caso de derrocada. Afinal, a vitória ainda foi conquistada sem a participação de Felipe Anderson (poupado) e Keita, cortado de última hora porque seu agente (que tem uma proposta da Juve) pediu salário de 5 milhões anuais para renovar o contrato do senegalês.

Para a Juventus, alguns alarmes soam. Chiellini e Allegri foram flagrados pelas câmeras ao final do jogo, desabafando sobre o erro de De Sciglio no lance que definiu o resultado. Assim como o lateral, Bernardeschi e Benatia também falharam em lances capitais – deslizes que não aconteciam antes. Ainda é início de temporada e é natural que os novos contratados ainda não tenham o mesmo ritmo de competição de seus antecessores. Apesar disso, é fato: o treinador terá um longo caminho de reconstrução pela frente.

Juventus 2-3 Lazio

Juventus (4-2-3-1): Buffon; Barzagli, Benatia (De Sciglio), Chiellini, Alex Sandro; Khedira, Pjanic; Cuadrado (Douglas Costa), Dybala, Mandzukic (Bernardeschi); Higuaín. Treinador: Massimiliano Allegri

Lazio (3-5-2): Strakosha; Wallace, De Vrij, Radu; Basta (Marusic), Parolo, Lucas (Murgia), Milinkovic, Lulic (Lukaku); Immobile, Luis Alberto. Treinador: Simone Inzaghi

Gols: Immobile (pênalti), Immobile (Parolo), Dybala, Dybala (pênalti) e Murgia (Lukaku)

Local: Estádio Olímpico, Roma, Itália
Árbitro: Davide Massa

Deixe um comentário