Jogadores

Alessandro Lucarelli parou após tirar o Parma do fundo do poço e devolvê-lo ao céu

Você já percebeu que grande parte dos filmes de superação termina com um final feliz? Extasiados com o que assistimos, buscamos construir em nossa vida narrativas semelhantes, na esperança de termos um desfecho parecido. Mas em 99% dos casos não é assim que acontece. E aí nos frustramos até traçarmos outros planos. Alessandro Lucarelli, no entanto, faz parte do 1% que atinge seu objetivo.

Após o Parma falir e ser relegado à quarta divisão do futebol italiano em 2015, o ex-zagueiro prometeu seguir no time emiliano para recolocá-lo na elite. Acredite: ele conseguiu, foi alçado à posição de lenda do clube e, aos 40 anos, pode descansar, tal como um herói que salva o mundo de malfeitores nos filmes hollywoodianos.

Natural de Livorno, Alessandro é irmão mais novo de Cristiano Lucarelli (ex-atacante e atual técnico do Livorno) e filho de pai estivador comunista. Ele começou sua trajetória no futebol nas divisões de base do Piacenza. Em 1995, foi integrado ao elenco profissional da equipe biancorossa, mas em duas temporadas não disputou nenhum jogo e, para ter mais oportunidades de atuar, acabou sendo emprestado ao Leffe – renomeado AlbinoLeffe após a fusão entre os clubes Albinese Calcio e Leffe, em 1998.

Lucarelli, então, fez sua estreia na Serie C2 durante a temporada 1997-98, aos 20 anos. Disputou 29 partidas pelos seriani e voltou ao Piacenza na época seguinte. Sua jornada na Serie A pelos papaveri iniciou com um empate em casa contra a Lazio, no dia 13 de setembro de 1998. Na temporada 1999-2000, o jovem entrou em campo 28 vezes, mas não conseguiu evitar o rebaixamento da equipe, que terminou a Serie A em último lugar.

Alessandro e Cristiano Lucarelli no Livorno; entre eles, o veterano Igor Protti (TMW)

A passagem dos biancorossi pela segunda divisão, contudo, foi um bate-volta: em 2001-02 eles já estavam novamente na elite. Lucarelli deixou o time em 2002, depois de 100 jogos e um gol marcado. No verão europeu daquele ano ele assinou com o Palermo, que estava na Serie B, disputando 28 partidas com a camisa rosanero na segundona. O clube siciliano terminou o certame fora da zona de classificação.

Em agosto de 2003, o zagueiro fechou com o Brescia, mas sua passagem pelos biancoazzurri durou somente dois jogos pela Copa Intertoto: vitória sobre o Gloria Bistrita, da Romênia, com 3 a 2 no agregado, e derrota para o Villarreal (3 a 1 no agregado). Essas são, inclusive, as únicas partidas do jogador em competições europeias. Assim, ainda no mês de agosto, Lucarelli reforçou a Fiorentina, outra agremiação que lutava para fugir da segunda divisão. Defendeu a Viola 31 vezes na competição e conseguiu a qualificação para o acesso à elite. Porém, optou por trocar de clubes na Toscana: rompeu com a Fiorentina para firmar vínculo com o Livorno, agremiação de sua cidade natal.

Pelo time amaranto, Lucarelli marcou seu primeiro gol na Serie A, contra a Reggina, fora de casa – sua equipe perdeu o duelo por 2 a 1. Além disso, balançou as redes mais três vezes ao longo da temporada 2004-05, na qual o Livorno encerrou a Serie A com uma ótima nona colocação. Como aconteceu nos anos anteriores, o defensor não ficou para disputar a segunda temporada, transferindo-se para a Reggina. Em duas épocas na agremiação, ajudou a equipe a fugir do rebaixamento e alcançar posições intermediárias na tabela da Serie A. Pelos calabreses, fez 71 jogos e cinco gols.

O oitavo time na carreira de Lucarelli seria o Siena. A negociação, oficializada em julho de 2007, levou o ex-trequartista Francesco Cozze de volta à Reggina, equipe pela qual havia atuado de 1999 a 2004. Entretanto, um mês depois, o Genoa pagou 1,9 milhões de euros ao Siena e contratou o zagueiro. Quatro dias após assinar contrato de três anos com os grifoni, o atleta estreou como titular no embate contra o Milan. A aventura no Luigi Ferraris terminou, de praxe, rapidamente: realizou 29 jogos e anotou um tento com a “peita” rossoblù.

Após rodar por várias equipes, Lucarelli se firmou no Parma (LaPresse)

Em julho de 2008, Lucarelli iniciou sua caminhada no Parma. Mal sabia ele que se tornaria a maior bandeira do clube neste século. A diretoria dos ducali pagou 1,2 milhão para contar com os irmãos Lucarelli, o zagueiro Alessandro e o atacante Cristiano. Depois de 18 anos na elite, o Parma se encontrava na Serie B. Mas o beque e seu irmão matador foram essenciais para o retorno: das 42 rodadas da segundona, Alessandro jogou 37 e marcou dois gols, enquanto Cristiano foi o artilheiro do time ao lado de Alberto Paloschi, ambos com 12 tentos. O Parma terminou o campeonato na vice-liderança. Foi a terceira vez que Alessandro Lucarelli ascendeu da segunda para a primeira divisão.

À medida que o tempo passava, Lucarelli ganhava mais simpatia da torcida crociata. Na temporada 2011-12, tornou-se vice-capitão da equipe; pegou a braçadeira para si na sua sexta época pelo clube, já que seu o último capitão, Stefano Morrone, estava deixando o Ennio Tardini. Até que veio à tona a falência do Parma e o rebaixamento à Serie D. O clube se encontrava em uma pindaíba: jogadores e funcionários sem receber salário, dívidas acumuladas, ausência de equipamentos no centro de treinamento, mudanças de presidentes… Sem dinheiro em caixa, os credores decretaram a falência da agremiação em março de 2015.

Forte idealista, muito em função de seu pai e seu irmão, Alessandro prometeu jogar a quarta divisão com o time emiliano. “Em qualquer caso, estou preparado para permanecer no Parma mesmo na liga amadora e continuar usando a braçadeira. O Parma está dentro de mim agora”, admitiu o capitão, em entrevista concedida à Gazzetta dello Sport em fevereiro de 2015.

E assim aconteceu. O defensor não fugiu da raia, recusou propostas de equipes da Serie A e, aos 38 anos, iniciou o trajeto com um rebatizado Parma Calcio 1913 na Serie D. Alinhado à sua profissão principal, Lucarelli aceitou a proposta da Mediaset Premium para ser comentarista do Premium Calcio, do canal Premium Sport. Em dezembro de 2016, ele balançou as redes na vitória sobre o Lumezzane, fora de casa, pela Lega Pro, e se tornou o primeiro jogador da história do Parma a ter marcado gols em todas as divisões do futebol italiano – ou seja, da Serie D até a Serie A.

Lucarelli decidiu se despedir do futebol após devolver o Parma à elite (Getty)

Em junho de 2017, Lucarelli iniciou em Coverciano, Florença, o curso de treinadores da Uefa, categoria A, para poder treinar equipes juvenis e times da Lega Pro. Quatro dias depois, os ducali venceriam a Alessandria por 2 a 0 na final e subiriam para a Serie B. Feliz com o feito, o camisa 6 renovou contrato por mais um ano, claramente no intuito de ajudar os crociati a voltarem para a primeira divisão. Em setembro, concluiu com êxito o teste para se tornar técnico.

Dois meses depois, Lucarelli superaria Ermes Polli e entraria para a história do Parma como o atleta que mais vezes vestira a camisa gialloblù em todas as categorias do Campeonato Italiano, com 311 partidas. O melhor ainda estaria por vir, no entanto. Na última rodada da Serie B, uma combinação de resultados e a vitória por 2 a 0 sobre o Spezia completaram a epopeia.

Jogando os 90 minutos da peleja e trajando a braçadeira de capitão, Alessandro Lucarelli pôde festejar o terceiro acesso consecutivo, um feito inédito no futebol italiano. Afinal, ele era o único remanescente do time que fora relegado à Serie D em 2015. A comemoração e o choro intenso após o soar do apito do árbitro fizeram aquele dia se tornar ainda mais especial.

“Eu fiz uma promessa. Eu disse que traria o Parma de volta à Serie A. Eu cumpri a minha promessa”, declarou o beque, às lágrimas, à Sky Sport Italia. “Agora eu posso parar”, completou. E assim foi: Lucarelli, com quase 41 anos, parou, depois de dez temporadas, 350 jogos e 22 gols pelo clube. Como forma de homenagem, o Parma aposentou a camisa 6.

No mesmo dia 2 de agosto em que foi homenageado pelo clube, Alessandro Lucarelli trocou o uniforme pelo terno e gravata para ser dirigente do Parma. Um final feliz com roteiro de filme de sucesso.

Alessandro Lucarelli
Nascimento: 22 de julho de 1977, em Livorno, Itália
Posição: zagueiro
Clubes: Piacenza (1995-97 e 1998-2002), Leffe (1997-98), Palermo (2002-03), Brescia (2003), Fiorentina (2003-04), Livorno (2004-05), Reggina (2005-07), Genoa (2007-08) e Parma (2008-18)
Títulos: Serie D (2016)

2 comentários

Deixe um comentário