Serie A

2ª rodada: A noite de Bisoli

Na estreia de Ibrahimovic, o Milan parou no promissor Cesena (AP)

Na abertura da segunda rodada da Serie A, entraram em campo os times com compromisso na Liga dos Campeões durante a semana: Inter, Roma e Milan. Apenas a atual campeã se livrou do vexame. O personagem do dia é Pierpaolo Bisoli, técnico que assumiu o Cesena na Serie C1, comandou o time em duas ascensões e montou a base sólida para que a vitória sobre o Milan fosse possível. Enquanto seu ex-time vencia, Bisoli, agora no Cagliari, goleava a Roma. Ironicamente, encontrou na Sardenha a base deixada por Massimiliano Allegri, que levava um baile com seu Milan neo-galáctico.

Inter 2-1 Udinese

A Inter está em fase de reconstrução. Sem José Mourinho, passa pelas mãos de Rafa Benítez a mudança de estilo de um time que defende a Tríplice Coroa. A “nova Inter” joga com defesa mais alta e parece ocupar mais espaços do que a de Mourinho. Reflexo de um jogo lento e menos incisivo do que o que estava acostumada a fazer. O condicionamento físico ainda causa estranheza: Milito, Chivu e Cambiasso são apenas sombra do que eram há poucos meses. Sneijder também está longe da melhor forma. Sem Maicon, Stankovic e Thiago Motta, abriu-se espaço para Mariga. O queniano, com seus inúmeros passes errados, é a prova de que boa vontade não é suficiente para jogar em uma grande campeã. 

Os gols da vitória nerazzurra saíram em lances inesperados. No primeiro, Handanovic se atrapalhou na saída de um escanteio e espalmou para trás. Livre, Lúcio aproveitou. No segundo, o estreante Angella colocou a mão na bola na grande área e Eto’o chutou duas vezes para decidir. A Udinese de Guidolin tem um novo estilo. Di Natale se dedica mais à faixa esquerda do campo – e, livre, avança muito. Foram quatro impedimentos do capitão friulano, por exemplo. Enquanto isso, Pasquale recua demais na lateral e deixa um buraco no meio-campo. Foi o espaço que Mariga encontrou para a finalização que gerou o escanteio para o primeiro gol da Inter. Para um time que vai lutar contra o rebaixamento, é algo grave a se corrigir. 

Cagliari 5-1 Roma

Muito se falava sobre o retorno de Burdisso à zaga romanista. Preferido por Claudio Ranieri, a escolha causou problemas no grupo e tirou Mexès até do banco do jogo na Sardenha. De fato, Burdisso foi decisivo. Conti abriu o placar para o Cagliari com um golaço (quarto gol contra seu ex-time) e a Roma logo empatou com De Rossi. Um minuto depois, o zagueiro argentino foi expulso por uma entrada criminosa em Conti na grande área. Com 20 minutos de jogo, a Roma perdia por 2 a 1 – e com um jogador a menos. Quem fez bom papel foi Acquafresca, que reestreava no Sant’Elia e marcou o terceiro rossoblù. Atrás no placar, os romanistas já haviam perdido Castellini, com um problema muscular, e Totti, substituído por Claudio Ranieri para recompor a defesa com Guillermo Burdisso, irmão estreante do zagueiro expulso.

Depois do intervalo, continuou o show da nova equipe de Pierpaolo Bisoli. Contra uma Roma nervosa e fisicamente mal preparada, os donos da casa não tiveram dificuldades em dominar o jogo. Logo no primeiro minuto, Matri foi derrubado por Guillermo Burdisso. Cossu cobrou a falta na cabeça do mesmo Matri, que marcou pela segunda vez no jogo. A Roma ainda acordou e teve ótimas chances, mas parou em pelo menos três milagres de Agazzi e ainda levou o quinto gol, em um contra-ataque com cinco jogadores rossoblù contra apenas três romanistas. A pergunta que vai ficar: como um time finaliza 17 vezes, mas faz um só gol e sofre cinco?

Cesena 2-0 Milan

Há que se dar o devido crédito a Massimo Ficcadenti, que aproveitou a base de Bisoli e agregou a ela alguns bons jogadores. E outros inesperados, como o albanês Bogdani, 33 anos. Há uma década na Itália, o centroavante sempre foi notícia pelo alto salário e o baixo número de gols. Nas últimas três temporadas, marcou seis vezes. Hoje, foi essencial para a vitória dos cavalos marinhos sobre o poderoso Milan, que começou com Pato, Ibrahimovic e Ronaldinho e ainda teve Robinho e Inzaghi entrando no segundo tempo. Bogdani antecipou Sokratis para marcar o dele e ainda fez um lançamento primoroso para Giaccherini, o melhor em campo, dobrar o placar.

Do quinteto do Milan, o único a se salvar foi Alexandre Pato. O brasileiro teve dois gols bem anulados pela arbitragem, por impedimento, mas se movimentou bastante e procurou o jogo. Na outra ponta, esteve Ronaldinho. Maestro contra o Lecce, hoje o camisa 80 parou em Colucci. Irritado, ainda tentou atingir Pellegrino com um soco quando o segundo gol de Pato foi anulado, mas o lance passou despercebido pela arbitragem. A estreia de Ibrahimovic ficará marcada por um pênalti acertado na trave e alguns chutes imprecisos. A de Robinho, passou despercebida. Outro estreante, Sokratis, fez a torcida lamentar as lesões crônicas de Nesta: nervoso, o zagueiro falhou nos dois gols e quase entregou o terceiro.

Relato e gols das vitórias de Inter, Cagliari e Cesena.

Para resultados, escalações, classificação e estatísticas da 2ª rodada, clique aqui.

Para relembrar a 1ª rodada, clique aqui.

2 comentários

Deixe um comentário