Serie A

34ª rodada: Autoridade de campeã

Juventus de Vidal voa: após goleada sobre a Roma e tropeço do Milan, título da Serie A ficou mais próximo (Reuters)

Ainda é um pouco cedo para falar, mas parece que temos um novo campeão na Serie A. Neste domingo, a Juventus massacrou a Roma e aumentou a vantagem sobre o Milan, atual campeão, para três pontos. Além de ter a vantagem na tabela e também no confronto direto, a Velha Senhora tem vantagem física e psicológica: fez menos jogos na temporada e joga com atitude de quem sabe que pode chegar ao scudetto, enquanto a equipe de Milão mostra muitas dificuldades nas últimas partidas e está nitidamente pressionada. Na parte de baixo da tabela, além da vergonhosa baderna provocada por torcedores extremistas do Genoa – cada vez mais com pinta de rebaixado -, Fiorentina e Lecce conseguiram bons pontos na luta pela permanência. Acompanhe nosso resumo.

Juventus 4-0 Roma

Para os milanistas, a Roma era a maior esperança de tropeço da Juve no caminho até o título. Afinal, é pouco provável que o time de Conte perca pontos contra Cesena, Novara, Lecce, Cagliari ou Atalanta, nas próximas rodadas. A facilidade com que a equipe de Turim superou os giallorossi, portanto, surpreendeu. Em ritmo avassalador, a Juventus alcançou seus dois primeiros gols antes dos 10 minutos de jogo e desestablizou os comandados de Luis Enrique. O chileno Vidal foi o autor dos gols-relâmpago, mostrando que, além de exercer importante papel na marcação, sabe se infiltrar na área com perigo. Mesmo com a vantagem, a Juve não tirou o pé e conseguiu envolver o time da Roma, com boas trocas de passes e ataques em velocidade. O terceiro gol saiu depois que Marchisio foi derrubado por Stekelenburg (que foi expulso) dentro da área e o juiz marcou pênalti. Pirlo teve sua cobrança defendida, mas não desperdiçou no rebote, fazendo 3 a 0 e praticamente liquidando a fatura ainda aos 30 minutos de jogo.

Com um a menos, a Roma não teve força para reagir e levou o quarto gol logo no início da segunda etapa, com Marchisio acertando bonito chute de fora da área. Se quisesse, o árbitro poderia ter terminado a partida aí. Del Piero entrou em campo, para a alegria da torcida juventina, mas Totti não saiu do banco, impedindo o que seria o último confronto entre os dois ídolos na Serie A. Com o resultado, a Juve abre três pontos de vantagem para o Milan, a cinco rodadas do fim, e coloca uma mão no scudetto. Mais, a Juve está a uma partida de igualar o recorde do Milan em 1991-92, quando ficou 34 jogos sem perder e foi campeão – a Serie A tinha 34 jogos naquela época. A Roma, por sua vez, permanece com 50 pontos e perde a chance de superar a Udinese na classificação. Agora, a vaga para a Liga dos Campeões fica a cinco pontos de distância e a briga parece que vai ser mesmo para conseguir um lugar na próxima Liga Europa. (Rodrigo Antonelli)

Milan 1-1 Bologna

Na coletiva pré-jogo, Massimiliano Allegri declarou que “perder para o Bologna seria um desastre”. Empatar também. No San Siro, a equipe rossonera jogou muito mal e só conseguiu igualar o marcador no fim, com um gol de Ibrahimovic, servido por Emanuelson. No primeiro tempo, o Bologna abriu o placar com Ramírez e se defendeu com maestria, frente a um Milan sem ideias, que não contava com Ibrahimovic em seus melhores dias. A entrada de Cassano, no segundo tempo, deu alguma melhor ao time da casa, mas o gol não saía. Chegou até a sair, quando o atacante sueco recebeu e tirou de Agliardi, mas um impedimento foi assinalado incorretamente. Agora, o Milan está três pontos atrás da Juve e terá, até o fim do campeonato, jogos mais complicados que a rival – incluindo um dérbi contra a Inter. Chegar ao bicampeonato será tarefa muito árdua.

Genoa 1-4 Siena

O Genoa demonstrou ter torcedores tão ridículos quanto a atual forma de sua equipe. Quando o jogo estava 4 a 0, o árbitro Paolo Tagliavento teve de interromper a partida porque cerca de 60 torcedores ultrà, parcela radical e organizada da torcida, atiraram sinalizadores no campo e começaram a exigir que os jogadores tirassem suas camisas e as entregassem. Impediam, também, a saída dos atletas de campo – o árbitro e os jogadores do Siena puderam sair. O espetáculo absurdo continuou até que Sculli conversou com um dos torcedores, recuperou os uniformes e pode dar continuidade ao jogo, que ficou interrompido por mais de 30 minutos – sobre o caso, Leonardo Bertozzi dá parecer interessante

Em campo, o Genoa até marcou um gol de honra, mas Malesani acabou demitido 20 dias depois de reassumir. Agora, a tarefa de salvar a equipe fica a cargo de Luigi De Canio, que fez ótimo trabalho no Lecce nas últimas temporadas. Terá de fazer isso sem receber torcedores no Marassi nos jogos restantes e visitando Bologna, Udinese e Milan, já na próxima rodada. O Siena, por sua vez, está praticamente livre e deve atingir seu recorde de pontos em uma temporada na elite. No jogo, destaque para Brienza, autor de dois gols e uma assistência.

Lazio 1-1 Lecce

A Lazio dominou, mas não conseguiu capitalizar suas chances contra um Lecce aguerrido, mas abaixo de suas últimas prestações. No primeiro tempo, Candreva acertou um chute no travessão e Benassi fez milagre duplo, mais uma vez sobre Candreva, e também com Rocchi. No segundo tempo, o Lecce cresceu e também acertou o travessão, com Cuadrado. Sem Hernanes, substituído pela 21ª vez na temporada – desta vez, a explicação oficial foi um estiramento -, a Lazio teve Alfaro como um atacante a mais, mas só foi chegar ao gol a oito minutos do fim, com cabeçada de Matuzalém. Guerreiro, o Lecce empatou nos acréscimos, com um redivivo Bojinov. Empate que não foi lamentado por nenhuma das equipes, já que os objetivos – Liga dos Campeões para os biancocelesti e salvezza para os giallorossi – continuam mais que vivos.

Fiorentina 0-0 Inter

Quem foi ao Artemio Franchi na hora do almoço, na Itália, ou acordou às 7h30 para ver o duelo entre florentinos e milaneses, se arrependeu. Em um dos piores jogos da temporada, as duas equipes praticaram um futebol muito lento, digno de quem decepcionou na temporada. Na Inter, os pontos positivos foram as voltas de Maicon e Sneijder aos campos, depois de um mês de inatividade, além do pênalti que Júlio César defendeu, depois de cometer. Foi o terceiro pênalti defendido pelo brasileiro na temporada. Na Fiorentina, a boa partida de Cerci não foi suficiente, mas o ponto conquistado foi bom, sobretudo porque o Genoa perdeu mais uma e o Lecce não venceu.

Cesena 2-2 Palermo

Apenas pela quarta vez na temporada, o Cesena marcou mais de um gol em uma partida. Um pequeno presente para sua torcida, que havia comemorado os 72 anos de fundação da sociedade no dia anterior. Quase rebaixada, a equipe romanhola mostrou ao menos garra para virar a partida, em dois minutos e com gols de Santana e Rennella, que perdia por 1 a 0. Tudo de importante aconteceu na vivaz primeira etapa – após o intervalo, não foi registrado um único chute no alvo. Nos acréscimos, o zagueirão Silvestre marcou seu quarto gol no campeonato – todos após cobranças de escanteio – e deu números finais à partida.

Para estatísticas, escalações e resultados da 34ª rodada, clique aqui.

Para relembrar os jogos do sábado, clique aqui.
Para relembrar a 32ª rodada, clique aqui.

Seleção da 34ª rodada

Handanovic (Udinese); Garics (Bologna), Acerbi (Chievo), Terzi (Siena), De Ceglie (Juventus); Vidal (Juventus), Bradley (Chievo), Lodi (Catania); Santana (Cesena); Brienza (Siena), Vucinic (Juventus). Técnico: Antonio Conte (Juventus).

Deixe um comentário