Serie A

25ª rodada: vitórias de Milan, Roma e Torino esquentam disputa por vagas europeias

Numa rodada desfalcada, levaram a melhor o Milan, a Roma e o Torino, que ganharam terreno na busca de seus objetivos. A 25ª jornada teve apenas nove jogos, já que o duelo entre Lazio e Udinese foi adiado por conta do compromisso celeste pela Coppa Italia, na terça, e pelo fato de o Olímpico ter recebido a seleção italiana de rúgbi pelo torneio Seis Nações, no sábado.

Os capitolinos não entraram em campo, mas já sabem que milanistas e romanistas ganharam pontos e encostaram na Inter, ao passo que o Toro entrou de vez na luta por vagas em competições continentais. Os grenás foram aqueles que mais aproveitaram o final de semana, já que subiram três posições e entrou na zona de classificação para a Europa League.

Apesar da média de 2,6 gols por partida, os jogos de domingo de manhã foram marcados pela baixa produção ofensiva. Um dos expoentes dessa improdutividade foi a Juventus, que venceu o Bologna, mas não jogou bem. A vantagem de 13 pontos para o vice-líder Napoli continua, por mais que os azzurri tenham feito as pazes com as redes, ao golearem o Parma. Na parte de baixo da tabela a situação só piora para Chievo e Frosinone, que começam a arrumar a bagagem para a viagem à segundona. Confira a seguir o resumo dos nove jogos!

Milan 3-0 Empoli
Piatek (Çalhanoglu), Kessié (Castillejo) e Castillejo (Conti)

Tops: Castillejo e Conti (Milan) | Flops: Dragowski e Dell’Orco (Empoli)

A boa fase do Milan continua. A equipe rossonera conseguiu sua terceira vitória consecutiva ao bater, com muita tranquilidade, o Empoli. Determinantes desde que chegaram a Milanello, Piatek e Lucas Paquetá fizeram novamente uma boa partida, assim como o lateral-direito Conti, que se reinseriu muito bem após lesão – para a alegria do treinador Gattuso. O brasileiro chegou a marcar no primeiro tempo, porém o gol foi anulado pelo VAR. Não fez falta, já que o Milan teve total domínio da partida e definiu o placar no segundo tempo.

Piatek chegou ao quinto jogo consecutivo fazendo gol, e no quarto seguido como titular – igualando feito que Bierhoff havia obtido em 1998. Com seu 26º tento na temporada, contando aqueles anotados pelo Genoa,o polonês abriu o placar aos 49 minutos,. Rapidamente, Kessié ampliou a vantagem do Milan na partida. Castillejo, outro que fez uma boa partida, fez o seu aos 67 minutos de bola rolando. O time de Milão chega a 45 pontos e na próxima rodada enfrenta o Sassuolo, em casa. O Empoli continua com 21 pontos e é o primeiro time fora da zona de rebaixamento.

Frosinone 2-3 Roma
Ciano e Pinamonti (Ciano) | Dzeko, Pellegrini e Dzeko (El Shaarawy)

Tops: Ciano (Frosinone) e Dzeko (Roma) | Flops: Goldaniga (Frosinone) e Olsen (Roma)

A Roma teve dificuldades contra o penúltimo colocado, mas por muito pouco conseguiu manter a escrita de sempre vencer o Frosinone. A tortuosa partida romanista começou com uma clamorosa sucessão de falhas de reforços contratados no verão. Nzonzi saiu jogando errado na defesa e deu um presente para Ciano. O atacante ciociaro chutou e Olsen foi mal na bola, espalmando sem técnica, de forma a fazer a finalização estufar as redes.

Quem vacilou também foi a defesa do Frosinone, que viu Dzeko empatar a partida com um chute no canto direito do goleiro. O time visitante conseguiria a virada um minuto depois, quando a zaga gialloblù cochilou de novo e permitiu um chute cruzado de El Shaarawy. Sportiello defendeu parcialmente, mas a bola sobrou para Pellegrini botar para dentro, de carrinho. Com a vantagem, a Roma cozinhou o jogo até a entrada de Pinamonti, aos 67.

O garoto formado pela Inter começou a dar um calor nos romanos e, aos 80 minutos de jogo veio o empate. Molinaro lançou Pinamonti, que ajeitou para Ciano: preocupada com o artilheiro do Frosinone, três defensores da Roma foram atrás dele e deixaram Pinamonti livre para receber e empatar a partida. O time da casa só não contava com a genialidade de De Rossi e os colhões (literalmente) de Dzeko. Aos 95, DDR achou um belo passe para El Shaarawy, que recebeu livre e cruzou para o bósnio desviar para o gol com seu púbis. Uma vitória importantíssima para a Roma, que na próxima rodada fará o Derby della Capitale contra a Lazio.

Estranho e decisivo, gol de Dzeko evitou tropeço da Roma (Getty)

Fiorentina 3-3 Inter
De Vrij (contra), Muriel e Veretout (pênalti) | Vecino (Nainggolan), Politano (D’Ambrosio) e Perisic (pênalti)

Tops: Chiesa (Fiorentina) e Politano (Inter) | Flops: Gerson (Fiorentina) e Dalbert (Inter)

A expectativa para este jogo era grande e se cumpriu: Fiorentina e Inter fizeram duelo cheio de gols e com polêmicas que vão render boas discussões no bar. A partida nem tinha começado direito quando o primeiro foi anotado. Dalbert, que seguramente ainda não havia percebido o apito inicial, viu Chiesa se infiltrar no espaço às suas costas e cruzar para Simeone: com a furada do argentino, De Vrij acabou levando azar e marcou contra o próprio patrimônio, com 16 segundos de bola rolando. Depois do susto, a Inter se organizou e empatou aos seis minutos, com direito a lei do ex: Vecino marcou de primeira, depois de levantamento esperto de Nainggolan. Perto do fim do primeiro tempo, Politano pegou a bola na lateral, cortou para o meio e bateu colocado, sem chances para Lafont.

O segundo período começou bem para a Beneamata, que teve um pênalti a favor depois de toque no braço de Edimilson Fernandes, sinalizado pelo VAR. Perisic foi para a cobrança e mandou a bola de um lado, o goleiro do outro. Biraghi chegou a marcar para o time da casa mas o VAR entrou em ação mais uma vez e anulou o gol por causa uma falta não marcada sobre D’Ambrosio, na origem do lance. O golaço da rodada teve a assinatura de Muriel, que anotou pela quinta vez na carreira contra a Inter: em falta cobrada de longe, o colombiano acertou o ângulo de Handanovic.

Os nerazzurri iam mantendo a vantagem e ficaram perto da vitória, só que aos 96 minutos de jogo, o árbitro Rosario Abisso marcou pênalti em uma bola que tocou o peito de D’Ambrosio antes de resvalar no braço. O apitador foi até o vídeo e confirmou a infração, contrariando a orientação da Fifa e deixando os interistas furiosos. Sem choro nem vela, Veretout cobrou e empatou a partida aos 101 – o gol mais tardio da história da competição.

Torino 2-0 Atalanta
Izzo e Falque (Meïté)

Tops: Izzo e Falque (Torino) | Flops: Ilicic e Hateboer (Atalanta)

A primeira partida no sábado aconteceu no Olímpico Grande Torino e marcou o centésimo confronto entre Toro e Atalanta. No duelo direto entre um dos sistemas defensivos mais sólidos dos últimos meses e o segundo melhor ataque, quem se deu bem foi o time da casa, que entrou de vez na disputa uma vaga na Europa League ao ficar com a mesma quantidade de pontos da adversária (38). Os grenás vivem grande momento e não sofreram gols pelo quinto jogo seguido – algo que só havia acontecido uma vez na história, em 1985.

A zaga do Toro garante pontos ao não deixar os atacantes adversários em paz, mas também comparece no ataque. Izzo abriu o placar com 42 minutos de jogo depois de uma confusão na área: no bate-rebate, a bola sobrou para o napolitano, que pegou de qualquer jeito e abriu o placar. No primeiro minuto do segundo tempo, Falque chegou ao sexto gol em sete jogos contra os bergamascos. O espanhol, que não faz uma temporada muito prolífica, deixou o seu depois de um cruzamento rasteiro de Meïté e deixou a partida à feição do Torino. A equipe grená do Piemonte não vencia a Atalanta havia cinco partidas – três empates e duas derrotas.

Parma 0-4 Napoli
Zielinski (Hysaj), Milik, Milik e Ounas (Verdi)

Tops: Milik e Zielinski (Napoli) | Flops: Biabiany e Gagliolo (Parma)

A goleada da rodada ficou por conta do Napoli, que não tomou conhecimento do Parma e marcou dois gols em cada tempo. O primeiro veio em uma jogada bem trabalhada, na qual até os zagueiros participaram da troca de passes. Na conclusão, Zielinski tabelou com Hysaj e só teve o trabalho de deslocar o goleiro Sepe para abrir o placar. Em cobrança de falta, Milik bateu por baixo da barreira, surpreendendo a todos os crociati, e ampliou o placar. No futebol europeu, só o polonês e Messi anotaram três gols de falta em 2018-19.

Nos últimos 45 minutos de jogo, o domínio napolitano continuou. A arbitragem chegou a marcar pênalti para o Parma, mas o VAR foi acionado e a marcação acabou sendo revista. Sem perder tempo, Milik marcou o seu segundo do dia depois de um erro crasso de Biabiany na saída de bola do Parma. O quarto e último gol foi anotado por Ounas, que saiu do banco aos 80 minutos de jogo e marcou depois de uma tabelinha com Verdi. A distância dos azzurri para a líder Juventus se mantém com 13 pontos, enquanto o Parma permanece estacionado no meio da tabela.

Em ótimo momento, o zagueiro Izzo fez até dancinha após marcar contra a Atalanta (LaPresse)

Bologna 0-1 Juventus
Dybala

Tops: Sansone (Bologna) e Perin (Juventus) | Flops: Pulgar (Bologna) e Alex Sandro (Juventus)

Depois da derrota dolorida no meio de semana para o Atlético de Madrid, a Juventus foi até o Renato Dall’Ara, em Bolonha, e venceu apertado. Pra quem foi ver Cristiano Ronaldo, no primeiro tempo só deu Bologna: Sansone, Santander e Edera tiveram boas chances de abrir o placar mas faltou a pontaria estar em dia. A última vitória caseira do Bologna sobre a Juve ocorreu em 1998 – desde então, ocorreram 10 vitórias dos bianconeri e cinco empates. O tabu nunca esteve tão perto de cair, mas não foi dessa vez.

O primeiro responsável vitória juventina veio do banco de reservas. Dybala entrou no lugar do apagado Alex Sandro – que ao menos teve o mérito de tirar uma bola em cima da linha – e marcou seu gol depois de um cruzamento de Matuidi. A zaga felsinea afastou mal e o argentino, sozinho, colocou para dentro. Para manter a vantagem, a Juve contou com participações importantes do goleiro Perin, irreconhecível sem barba e de cabelos curtos. Com o resultado, a Velha Senhora igualou sua maior sequência de invencibilidade como visitante (25 jogos, obtida em 2012) e também conseguiu ser a primeira equipe da história capaz de triunfar em 22 das 25 primeiras rodadas do campeonato.

Sampdoria 1-0 Cagliari
Quagliarella (pênalti)

Tops: Quagliarella (Sampdoria) e Cragno (Cagliari) | Flops: Defrel (Sampdoria) e Pellegrini (Cagliari)

No primeiro jogo do domingo, a Sampdoria recebeu o Cagliari no Luigi Ferraris, em Gênova, e voltou a vencer após três derrotas seguidas na Serie A. Com o resultado, a Samp conseguiu também manter a invencibilidade contra o time sardo, que habitualmente lhe complica a vida – agora são cinco partidas sem perder. O primeiro tempo foi bem equilibrado. Barella fez boas jogadas e deixou Pavoletti na cara do gol, mas o centroavante não fez valer seu ótimo retrospecto contra os dorianos. Pelos mandantes, Quagliarella quase abriu o placar, mas demorou para finalizar e foi desarmado.

No segundo tempo, o ritmo do jogo se manteve. Primeiro, o apagado Defrel perdeu boa chance para os mandantes. Depois, Cragno operou um milagre com duas defesas à queima-roupa. O goleiro só não conseguiu repetir a façanha depois de Pellegrini derrubar Gabbiadini dentro da área. O artilheiro da Samp, o veterano Quagliarella bateu forte e voltou a marcar depois de três jogos de jejum. O time de Gênova volta a se aproximar da zona europeia, já que chegou aos 36 pontos, enquanto o Cagliari tem seis pontos de frente para a zona de rebaixamento.

De longe, Milik faz sua melhor temporada na Serie A (Getty)

Sassuolo 1-1 Spal
Peluso (Sensi) | Petagna (pênalti)

Tops: Peluso (Sassuolo) e Petagna (Spal) | Flops: Duncan (Sassuolo) e Floccari (Spal)

Sassuolo e Spal sofreram duras derrotas na última rodada e se enfrentavam em busca de redenção no Mapei Stadium, em Reggio Emilia. No final das contas, o empate não alterou muito a situação de ambos: os neroverdi continuam no meio da tabela, enquanto os spallini ampliam a distância para a zona de descenso para cinco pontos. O time da casa começou com boas jogadas e abriu o placar em uma cobrança de falta lateral. Sensi colocou na área e Peluso, sem deixar a pelota cair, anotou aos 43 minutos.

Já no segundo tempo, a Spal entrou no jogo e arrumou um pênalti, depois de uma cobrança de escanteio, bate-rebate e puxões dentro da área. A arbitragem recorreu ao VAR depois de muita reclamação e assinalou a penalidade, convertida por Petagna com um chute no canto superior direito do goleiro. O spallino, que tem sua melhor temporada como profissional, chegou a 10 gols na competição e se tornou o décimo jogador da história do clube a alcançar o duplo dígito de tentos em uma única temporada da Serie A – o último fora seu companheiro Antenucci, em 2017-18. A Spal ainda ficou perto de conseguir a virada, mas a cabeçada de Felipe bateu no pé da trave. O time da casa ainda teve Duncan expulso por dura falta em Missiroli.

Chievo 0-0 Genoa

Tops: Sorrentino (Chievo) e Sanabria (Genoa) | Flops: Barba (Chievo) e Rolón (Genoa)

Na partida mais fraca da rodada, o Chievo, último colocado, não dá sinais de que vai conseguir um milagre para escapar do rebaixamento. Tem apenas 13 pontos em 25 jogos, precisa de nove para sair e conta com a estatística contra si, já que nenhum time conseguiu escapar da queda sem que tenha vencido pelo menos dois jogos até esta altura do campeonato. A situação está feia para o time de Verona. Já o Genoa não conseguiu repetir a boa partida da rodada passada, contra a Lazio, e permanece no meio da tabela.

O jogo teve poucas chances para cada lado e nenhuma de grande perigo. Nas mais claras, Sorrentino se mostrou atento e demonstrou porque continua sendo o destaque do Chievo nesta temporada – se não fosse por ele, a situação clivense estaria vem pior. No final de semana que vem, o Chievo vai a Turim enfrentar o Torino, enquanto o Genoa recebe o Frosinone no Marassi.

Seleção da rodada
Cragno (Cagliari); Conti (Milan), Izzo (Torino), Nkoulou (Torino), Hysaj (Napoli); Castillejo (Milan), Kessié (Milan), Zielinski (Napoli), Falque (Torino); Milik (Napoli), Dzeko (Roma). Técnico: Walter Mazzarri (Torino).

Deixe um comentário