Serie A

37ª rodada: com a Roma na fase de grupos da Liga Europa, resta um veredito na Serie A



Com o título decidido, e nas mãos da Juventus, todas as atenções dos amantes do futebol italiano se voltaram para a briga por uma vaga direta na Liga Europa, disputada por Milan e Roma, e para a luta contra o descenso, protagonizada por Genoa e Lecce. Na 37ª rodada, pelo menos a situação na parte de cima da tabela foi definida.

A Serie A já sabia quem seriam os seus representantes na Liga Europa da próxima temporada, mas faltava saber em que fase cada um deles entraria no torneio. Com a derrota do Napoli para a Inter e com os triunfos rossonero e giallorosso, Roma e Milan garantiram a quinta e a sexta colocação respectivamente. Para os milanistas, a vitória só serviu mesmo para ficar à frente dos azzurri no campeonato pela primeira vez desde 2012. Romanos e napolitanos (estes, em virtude da conquista da Coppa Italia) entram na fase de grupos do torneio, enquanto os lombardos disputam os playoffs.

A Itália ainda não tem o seu último rebaixado. O Genoa, que iniciou a rodada dependendo apenas de si para escapar do rebaixamento ainda na quarta, perdeu para o Sassuolo, enquanto o Lecce venceu a Udinese e diminuiu a distância para os genoveses para apenas um ponto, deixando tudo para a última rodada. Os genoveses ainda são donos do seu destino na derradeira jornada. Confira a análise do que ocorreu no meio de semana.

Torino 2-3 Roma

Gols e assistências: Berenguer (Zaza) e Singo; Dzeko (Mkhitaryan), Smalling (Pérez) e Diawara (pênalti)
Tops: Dzeko e Smalling (Roma)
Flops: Verdi e Lyanco (Torino)

Torino e Roma fizeram o jogo mais animado da 37ª rodada. Dependendo apenas de si para garantir a classificação para a fase de grupos da próxima Liga Europa, o time de Paulo Fonseca foi competente e firme para assegurar a quinta colocação da Serie A. Com o melhor posto dentre os “mortais”, já que Juventus, Inter, Atalanta e Lazio passaram quase todo campeonato em outro patamar, os giallorossi terminam a temporada em ligeira alta, com um jogo que só ratificou a importância do capitão Dzeko para o plantel.

Os torcedores e a cúpula romanista devem olhar para o seu trabalho do ex-treinador do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, com certa satisfação. Apesar de alguns momentos de inconstância, Fonseca deu um padrão de jogo claro para a equipe em seu primeiro ano de casa, além de comandar um time que por muitas vezes sofria com jogadores no departamento médico. O triunfo contra um Torino bastante modificado, escalado com peças que tiveram poucas oportunidades na temporada – como Ujkani e Singo – acalma os ânimos na Roma. Apesar do bom ano do português, a equipe poderá sofrer economicamente na próxima temporada.

Sampdoria 1-4 Milan

Gols e assistências: Askildsen (Léris); Ibrahimovic (Rebic), Çalhanoglu (Ibrahimovic), Ibrahimovic (Çalhanoglu) e Rafael Leão (Bonaventura)
Tops: Ibrahimovic e Çalhanoglu (Milan)
Flops: Vieira e Bereszynski (Sampdoria)

Jogando fora de casa, no estádio Luigi Ferraris, em Gênova, o Milan venceu a Sampdoria por 4 a 1, com direito a mais uma atuação de gala de Çalhanoglu e Ibrahimovic – o sueco, por sinal, se tornou o primeiro jogador a fazer 50 gols pelos dois times de Milão. A vitória garantiu o Diavolo na sexta posição da Serie A e, consequentemente, entre os seis melhores do país pelo quarto ano seguido. Se o posicionamento não condiz com a história rossonera e significa que há sete temporadas o time da Lombardia não termina a competição no top 3, ao menos há uma luz no fim do túnel. Desde o retorno da Serie A, a equipe de Pioli apresenta um futebol dos mais agradáveis e aumentou a sua sequência invicta para onze partidas, acumulando oito vitórias e três empates nesse período.

A história do Milan é uma das mais bonitas da temporada 2019-20. Renascido das cinzas, o time de Pioli se reergueu como o gigante que é após a chegada de Ibrahimovic. Com triunfos que nem sempre vinham acompanhados de um bom futebol, o Milan começou a convencer a sua torcida e a sua diretoria, descobrindo Rebic como goleador e alavancando o futebol de Çalhanoglu para um outro nível. O turco é o grande destaque do campeonato desde a retomada em junho. O time termina a Serie A com vaga na Liga Europa da próxima temporada, mas vai ter que jogar os playoffs, já que a Roma ficou com a quinta colocação.

Desde a chegada de Ibrahimovic, o Milan cresceu de produção e se classificou à Liga Europa (LM/imago)

Lazio 2-0 Brescia

Gols e assistências: Correa (Immobile) e Immobile (Correa)
Tops: Correa e Immobile (Lazio)
Flops: Mateju e Ayé (Brescia)

A Lazio venceu o Brescia por 2 a 0 no estádio Olímpico de Roma e ampliou a sua sequência de vitórias para três partidas, enquanto o Brescia, já rebaixado, chegou à sua terceira derrota consecutiva. Com o resultado, a equipe celeste terminou a 37ª rodada com a mesma quantidade de pontos da Atalanta, terceira colocada, e ainda poderá ser vice-campeã a depender dos resultados na última jornada, na qual encara o Napoli.

Os 2 a 0 não reproduzem com exatidão o que foi a partida. A Lazio teve amplo domínio do jogo e terminou a peleja com 69% de posse de bola, sete oportunidades claras de gol criadas e 29 arremates contra a meta do bastante exigido Andrenacci. Apesar da derrota, o goleiro bresciano foi um dos grandes melhores da rodada em sua posição e os números corroboram com a afirmação. O arqueiro de 25 anos fez incríveis dez defesas, sendo sete delas de dentro da área. Com isso, acabou impedindo que Immobile superasse, nesta quarta, o recorde de 36 gols numa única edição da Serie A, pertencente a Higuaín. Ciro não estava com a mira tão calibrada, mas se tornou o primeiro italiano a marcar 35 vezes no campeonato e assumiu a liderança da Chuteira de Ouro.

Inter 2-0 Napoli

Gols e assistências: D’Ambrosio (Biraghi) e Martínez (Barella)
Tops: D’Ambrosio e De Vrij (Inter)
Flops: Milik e Elmas (Napoli)

Inconstante, o Napoli foi derrotado pela Inter por 2 a 0 no Giuseppe Meazza. Após vencer a Coppa Italia diante do seu grande rival e de bater a Roma na 29ª rodada, a equipe partenopea parecia suficientemente forte para terminar a Serie A entre os seis primeiros e chegar mais preparada para encarar o Barcelona, pelas oitavas de final da Champions League. Porém, cinco tropeços nos últimos dez jogos impediram a equipe de Gattuso de concluir o campeonato acima da sétima posição. A derrota na terça-feira foi pesada, já que quebrou um tabu de mais de 20 anos: desde 1997-98 a Inter não ganhava dos partenopei duas vezes na mesma temporada.

A Inter abriu o placar em uma jogada que tem a cara de Conte. Com dois homens de lado dentro da área, Biraghi, o ala pela esquerda, recebeu cruzamento de Candreva, ala pela direita, e passou rasteiro para D’Ambrosio, zagueiro/ala pela direita, balançar as redes. Com o tento que valoriza a força dos laterais na filosofia de Conte, a Inter se fechou e viu o Napoli crescer na partida. O time da casa sofreu com duas bolas que tiraram tinta da trave e se garantiu tanto pela postura defensiva quanto por conta de mais uma bela atuação de Handanovic. Isso até achar o segundo gol – e que gol – com Lautaro, aos 74 minutos. A vitória colocou a Inter na segunda colocação e fez com que o time nerazzurro só dependa de si para se sagrar vice-campeão. É “só” vencer a Atalanta, em Bérgamo.

Na caça ao recorde de Higuaín, Immobile chegou à liderança da Chuteira de Ouro (Insidefoto)

Parma 1-2 Atalanta

Gols e assistências: Kulusevski; Malinovskyi e Gómez
Tops: Kulusevski (Parma) e Gómez (Atalanta)
Flops: Dermaku (Parma) e Sutalo (Atalanta)

A Dea viajou até Parma e bateu o time da casa, de virada, por 2 a 1. Comandados por um Kulusevski em forma magistral, os ducali se mantiveram na frente do placar por 70 minutos graças ao gol do jovem formado pela Atalanta. Contudo, Malinovskyi, de falta, e Papu Gómez, com uma belíssima jogada individual, deram a vitória para o time de Bérgamo. Malinovskyi, inclusive, pode ser considerado o grande destaque da Atalanta desde a retomada da Serie A por ter suprido a ausência de Ilicic – machucado, o esloveno deve perder o duelo das quartas de final da Champions League, contra o Paris Saint-Germain.

Com a derrota para a Atalanta, o Parma viu a sequência de duas vitórias seguidas ser interrompida. A equipe, que vinha em má fase, parece ter se encontrado nessa reta final de temporada. Depois de vencer Napoli e Brescia, a equipe de D’Aversa vendeu caro a derrota para a Dea, sofrendo a virada com apenas seis minutos para o fim do jogo. E, com bela jogada de Kulusevski, quase arrancou o empate: Hateboer salvou finalização de Dermaku em cima da linha. Com o triunfo, a Atalanta se mantém na briga pela segunda colocação, uma vez que Inter e Lazio também venceram na rodada. No fim de semana, a Dea consegue um inédito vice-campeonato nacional se superar a Beneamata no confronto direto.

Sassuolo 5-0 Genoa

Gols e assistências: Traorè (Berardi), Berardi (Bourabia), Caputo (Berardi), Raspadori (Berardi) e Caputo
Tops: Berardi e Caputo (Sassuolo)
Flops: Masiello e Romero (Genoa)

Assim como em 2018-19, o Genoa terá de evitar o seu rebaixamento na última rodada do campeonato. Dependendo apenas de si para garantir a permanência na Serie A para a próxima temporada, o time da Ligúria não foi capaz de segurar uma das melhores duplas da Bota e sofreu uma amarga derrota no Mapei Stadium. Liderado por Berardi e Caputo, o Sassuolo fez o que quis com a equipe treinada por Nicola.

Vindo de resultados ruins e que não correspondiam com o bom futebol praticado, o time treinado por De Zerbi foi o responsável pela maior goleada da rodada, contando tanto com a excelente fase de seus dois goleadores quanto com os muitos erros defensivos cometidos por Masiello, Goldaniga e Romero – uma das decepções da temporada. Com a segunda melhor campanha dentre os pequenos, o Sassuolo tem motivos de sobra para comemorar a excelente temporada que fez. Além disso, se conseguir manter algumas peças importantes, o centenário clube neroverde promete brigar novamente por vaga em competições europeias na temporada que vem.

Lautaro marcou um belo gol na vitória da Inter sobre o Napoli (imago)

Udinese 1-2 Lecce

Gols e assistências: Samir (De Paul); Mancosu (pênalti) e Lapadula (Barák)
Tops: De Paul (Udinese) e Lapadula (Lecce)
Flops: Troost-Ekong (Udinese) e Shakhov (Lecce)

Em um dos confrontos mais importantes da rodada, o Lecce jogava a vida contra a Udinese. Precisando vencer para não ser automaticamente rebaixada, a equipe do sul fez a sua parte e botou fogo na luta contra o descenso. O time de Liverani ainda contou com um empurrãozinho do Sassuolo, que goleou o Genoa, seu rival direto na briga contra a degola.

Para aumentar o drama que vem sendo esse final de temporada para o Lecce, a equipe saiu perdendo e só conseguiu a virada aos 81 minutos. A Udinese, liderada por De Paul, incomodou bastante o goleiro Gabriel, que manteve os salentinos na disputa. Mancosu voltou a garantir gols de pênalti, chegando a 14 tentos no campeonato, e Lapadula alcançou os 10 marcados após uma boa tabelinha com Barák, jogador emprestado pelo time friulano. Com o resultado, o time apuliano terminou a rodada a apenas um ponto do Genoa, deixando para a última rodada do campeonato a definição sobre quem fica e quem desce na Serie A.

Cagliari 2-0 Juventus

Gols e assistências: Gagliano (Mattiello) e Simeone (Gagliano)
Tops: Gagliano e Cragno (Cagliari)
Flops: Buffon e Bernardeschi (Juventus)

Água no chopp bianconero! O Cagliari recebeu a Juventus na Sardegna Arena e venceu os atuais campeões por 2 a 0. Jogando mal, a Juve viu o time sardo anotar os únicos dois gols da partida ainda no primeiro tempo. Com o resultado a favor, os mandantes se fecharam e viram o seu goleiro ser metralhado pelo time de Turim. Porém, mesmo com mais de 30 finalizações, a Velha Senhora não conseguiu furar a meta de Cragno.

O Cagliari precisava de uma vitória para interromper o jejum de seis jogos sem triunfos. Aproveitando a “ressaca” pós-título juventina, o time da Sardenha se mostrou bastante eficiente, principalmente quando comandado por Gagliano, que participou diretamente dos dois gols. E se o garoto, em seu terceiro jogo como profissional, comandou o ataque, Cragno reinou na defesa. O jovem goleiro italiano defendeu dez finalizações, sendo quatro delas de dentro da área, garantindo, assim, a primeira derrota bianconera desde que o scudetto pousou, mais uma vez, em Turim.

Vivo: Lecce virou sobre a Udinese e ainda pode escapar do rebaixamento na última rodada (Getty)

Fiorentina 4-0 Bologna

Gols e assistências: Chiesa (Dalbert), Chiesa, Milenkovic (Pezzella) e Chiesa (Kouamé)
Tops: Chiesa e Milenkovic (Fiorentina)
Flops: Denswil e Sansone (Bologna)

A Fiorentina venceu o Dérbi dos Apeninos após atropelar o Bologna no segundo tempo. A Viola não tomou conhecimento da equipe rossoblù nos últimos 45 minutos de jogo, período em que anotou todos os quatro gols, e contou com uma tripletta de Chiesa. Federico, assim, alcançou um feito do seu pai, Enrico, e a família entrou para uma lista seleta de pais e filhos que marcaram três vezes num jogo de Serie A – ranking que só tinha Valentino e Sandro Mazzola.

Mesmo tendo dominado no segundo tempo, a Fiorentina poderia ter saído em desvantagem cedo, já que a partida começou equilibrada, com o Bologna apresentando um futebol decente, mesmo sem grandes destaques individuais. Duas chances muito claras foram criadas, mas Sansone e Domínguez não aproveitaram. Chiesa também teve oportunidade, mas Danilo cortou no momento decisivo. O time de Mihajlovic não manteve o nível do primeiro tempo e sucumbiu à superioridade técnica dos comandados por Iachini na segunda metade do confronto. Vindo de dois confrontos difíceis (e sem triunfos) contra Inter e Roma, o time de Florença se reconciliou com a vitória e terminou a rodada na décima colocação.

Verona 3-0 Spal

Gols e assistências: Di Carmine (Lazovic), Di Carmine (Dimarco) e Faraoni (Dimarco)
Tops: Dimarco e Di Carmine (Verona)
Flops: Tomovic e Bonifazi (Spal)

Depois de uma sequência de sete jogos sem vencer, o Verona, enfim, se reencontrou com os três pontos. A equipe veronesa não teve dificuldades para vencer a lanterna Spal no estádio Marcantonio Bentegodi com boas atuações de Di Carmine e Dimarco. O primeiro foi eficiente no centro da área, enquanto o segundo teve ótima interação com Lazovic e Eysseric para dominar o flanco esquerdo do campo, setor pelo qual o Hellas construiu sua vitória.

Se o jogo não valia para alterar significativamente a tabela – uma vez que o Verona não tem mais grandes pretensões no campeonato e que a Spal já está rebaixada – servia para que as equipes tentassem, de alguma forma, resgatar seu moral. Como os dois times vinham de longos períodos sem vencer, era possível que, neste confronto, um dos dois desse adeus aos resultados ruins e voltasse a sorrir. Não deu para a Spal, que segue em péssima forma, mas serviu para o Verona ganhar ânimo para a próxima temporada, que não demorará para começar.

Seleção da rodada

Cragno (Cagliari); Gabbia (Milan), Smalling (Roma), D’Ambrosio (Inter); Kulusevski (Parma), Çalhanoglu (Milan), Gómez (Atalanta), Chiesa (Fiorentina); Berardi (Sassuolo), Caputo (Sassuolo), Ibrahimovic (Milan). Técnico: Stefano Pioli (Milan).



Deixe um comentário