Serie A

As revelações da Serie A 2023-24

Ano após ano, a Serie A tem revelado talentos em maior quantidade, seja porque os clubes vêm oferecendo mais espaço à garotada, seja porque a liga passou à condição de exportadora de talentos em grande volume. Em 2023-24, selecionamos 40 atletas com idade olímpica que se destacaram na competição.

Na atual temporada, vários atletas que destacamos no levantamento anterior se tornaram protagonistas. Casos de Marco Carnesecchi, Emil Holm, Valentín Carboni e Matías Soulé, por exemplo. Além disso, muitos atletas sub-23 que tiveram bom ou grande desempenho não foram considerados em nosso especial por já terem rodado bastante e até disputado fases finais de competições continentais por suas seleções, como a Eurocopa e a Copa Africana de Nações. Nesse grupo, podemos citar Tomás Suslov, Anthony Oyono, Zito Luvumbo. E ainda podemos elencar outros de menos experiência internacional que também se consolidaram – a exemplo de Gustav Isaksen, Juan Cabal, Mateusz Legowski, Stefan Mitrovic, Daniel Maldini e Carlos Alcaraz. Sem falar em Joshua Zirkzee, que estourou após não ter se destacado tanto no Parma, em 2021, ou no Bologna, em 2022-23.

O grande emplacador de atletas na nossa lista foi o Milan, que revelou cinco nomes – e ainda deixamos de fora o lateral-direito Álex Jiménez e o zagueiro Marco Pellegrino, que têm potencial, mas não foram muito bem nas chances que receberam; o segundo deles, inclusive, em empréstimo à Salernitana. O segundo lugar ficou dividido entre o surpreendente Bologna, que soube pescar talentos na Itália e em outras partes do mundo, e o Frosinone, que focou num projeto de investimento em jovens. Os dois times colocaram, cada, quatro nomes no especial. A seguir, confira os escolhidos.

Elia Caprile

Caprile, do Empoli (Getty)

Idade: 22 anos (25 de agosto de 2001)
Posição: goleiro
Jogos: 23 (2.253 minutos)
Clube: Empoli (emprestado pelo Napoli)

Apesar de ainda ser novo, Caprile já passou por quatro clubes – ainda que tenha atuado profissionalmente por somente dois deles. Revelado pela boa categoria de base do Chievo, o arqueiro chegou a passar pelo Leeds, da Inglaterra, antes de estrear pela Pro Patria, na terceirona italiana, e se destacar no Bari, que disputou a última Serie B e ficou a segundos de ser promovido à elite. Depois de ter sido reserva da seleção sub-21 italiana no Europeu da categoria, foi adquirido pelo Napoli, que tem o mesmo proprietário do time apuliano, e imediatamente emprestado ao Empoli. Na Toscana, ficou afastado por uma lesão no tornozelo e só conquistou a titularidade na reta final do primeiro turno do campeonato – pegando um pênalti aos 82 minutos do confronto direto com o Cagliari em sua segunda aparição. Nem sempre mostrou majestade nos gestos técnicos e no posicionamento, mas tem margem de evolução e contribuiu para a permanência dos azzurri.

Christos Mandas

Mandas, da Lazio (Getty)

Idade: 22 anos (17 de setembro de 2001)
Posição: goleiro
Jogos: 9 (781 minutos)
Clube: Lazio

Temos aqui alguém que aproveitou as chances que a vida lhe deu. Antes de chegar à Lazio, Mandas tinha passagem pelo selecionado grego sub-20 e alguns jogos por Atromitos e OFI Creta, times da elite de seu país. Nada comparável a estrear pelos biancocelesti num dérbi com a Roma – pelas quartas da Coppa Italia, sem levar gols e fazendo boas defesas na vitória de sua equipe. Depois, uma lesão do titular Ivan Provedel lhe lançou ao onze inicial dos aquilotti. Seguro e bastante eficiente sobretudo nas saídas por baixo, não foi vazado em cinco das nove partidas que realizou, manteve o posto na gestão de Igor Tudor mesmo depois da recuperação do dono da meta e, em maio de 2024, recebeu a primeira convocação para a seleção principal da Grécia.

Michael Kayode

Kayode, da Fiorentina (Getty)

Idade: 19 anos (10 de julho de 2004)
Posição: lateral-direito
Jogos: 26 (2.202 minutos)
Clube: Fiorentina

Você ainda vai ouvir o nome de Kayode durante muito tempo. Italiano de origem nigeriana, o lateral-direito foi descartado pela Juventus aos 14 anos e, em seguida, aproveitado pelo Gozzano, da região de Novara, onde nasceu. Aos 16 anos, Michael se destacou como titular dos rossoblù na Serie D e foi contratado pela Fiorentina, que o integrou à categoria Primavera, apesar de já ter cancha entre adultos. Durante seu biênio de maturação nos juvenis, marcou o gol da vitória da Itália na Euro Sub-19 de 2023 e recebeu uma chance de Vincenzo Italiano na equipe profissional gigliata. A agarrou com toda a força após a séria lesão do brasileiro Dodô e foi titular da Viola mesmo após a recuperação do concorrente. Muito eficiente no apoio, tendo o cacoete de pisar na área adversária, o que lhe permite atuar até como ponta, o jovem anotou um tento e forneceu uma assistência na Serie A e outra na Conference League, além de ter provocado gol contra, sofrido pênalti e ter aparecido na zaga para cortes providenciais. Na mira de times maiores e da seleção, está pronto para explodir.

Niccolò Pierozzi

Pierozzi, da Salernitana (Getty)

Idade: 22 anos (12 de setembro de 2001)
Posição: lateral-direito
Jogos: 12 (930 minutos)
Clube: Salernitana (emprestado pela Fiorentina)

Lateral de muita propensão ofensiva e eficaz na bola aérea, Pierozzi se destacou como goleador na Pro Patria e na Reggina, das séries C e B, respectivamente. Na Fiorentina, porém, encontrou congestionamento no flanco direito e quase não foi utilizado – em 2023-24, atuou pela Viola somente em duas partidas da Conference League. Em janeiro, foi emprestado à Salernitana para amadurecer e estrear na elite, mostrando boas qualidades no apoio, apesar das imensas dificuldades que os grenás tiveram no campeonato. Niccolò ainda anotou, de cabeça, um tento no empate com a Juventus.

Filippo Missori

Missori, do Sassuolo (Getty)

Idade: 20 anos (24 de março de 2004)
Posição: lateral-direito
Jogos: 8 (286 minutos)
Clube: Sassuolo

Missori recebeu minutos esporádicos na gestão de José Mourinho na Roma e só no Sassuolo, que o comprou em definitivo, passou a atuar mais frequentemente. Ex-capitão das seleções sub-18 e sub-19 da Itália, o garoto romano foi campeão europeu pela segunda e acabou se transferindo ao clube neroverde. Na Emília-Romanha, teve de enfrentar as grandes dificuldades defensivas do time, que terminou rebaixado, e não atuou apenas em seu flanco de origem, mas também no oposto – o que já ocorrera bastante na base, inclusive na campanha do título continental. Com o descenso sacramentado, deve ganhar mais oportunidades para se desenvolver na Serie B.

Yann Bisseck

Bisseck, da Inter (Getty)

Idade: 23 anos (29 de novembro de 2000)
Posição: zagueiro
Jogos: 16 (979 minutos)
Clube: Inter

Um dos mais velhos da nossa lista, o “bistecão” Bisseck demorou para se firmar profissionalmente – apesar de ter uma medalha Fritz Walter de bronze, como terceiro melhor jogador alemão menor de 19 anos, em 2019, e da disputa da última Euro Sub-21 pela Alemanha. O grandalhão de 1,96 m só ganhou terreno no AGF, da Dinamarca, pelo qual disputou duas temporadas consistentes. Na Inter, uma lesão sofrida por Benjamin Pavard lhe deu mais chances do que o esperado no início de 2023-24 e permitiu ao beque de origem camaronesa dar um salto na carreira. Mostrando muita personalidade, bom poder de marcação e eficácia pelo alto, totalizou 21 partidas, sendo 16 na Serie A, e marcou dois gols importantíssimos: o que inaugurou a vitória contra o Lecce, na primeira metade do campeonato, e o que garantiu o triunfo fora de casa contra o fortíssimo Bologna. Deixou sua assinatura na conquista do scudetto nerazzurro e deve ganhar mais minutos no rodízio de Simone Inzaghi em 2024-25.

Dean Huijsen

Huijsen, da Roma (Icon Sport)

Idade: 19 anos (14 de abril de 2005)
Posição: zagueiro
Jogos: 15 (600 minutos)
Clube: Roma (emprestado pela Juventus)

A temporada 2023-24 foi bastante agitada para Huijsen. Nascido nos Países Baixos e com carreira nas seleções de base laranjas, o zagueiro optou por trocar de cores e representar a Espanha, nação para a qual se mudou aos cinco anos e da qual garantiu a nacionalidade. Ademais, estreou na Serie A pela Juventus, após uma trajetória na equipe Next Gen bianconera, da terceira divisão. Em janeiro, chegou a ter tudo acertado para ser emprestado ao Frosinone, mas as lesões que assolaram a retaguarda da Roma o levaram à capital, onde vestiu giallorosso e fez 14 das suas 15 partidas pelo certame. Dean mostrou muita qualidade com a bola nos pés, sendo capaz de contribuir para iniciar trocas de passes, além de demonstrar poder de finalização de longa distância e eficácia em jogadas aéreas – assim, marcou dois gols. Ainda precisa evoluir em termos de posicionamento e foco, mas tem grande margem de crescimento na carreira.

Ilario Monterisi

Monterisi, do Frosinone (Getty)

Idade: 22 anos (19 de dezembro de 2001)
Posição: zagueiro e lateral-direito
Jogos: 24 (1.627 minutos)
Clube: Frosinone

Formado no valoroso setor juvenil do Lecce, o versátil Monterisi estreou na Serie A em 2020, nos acréscimos de uma partida dos giallorossi contra o Parma. Na verdade, só viria a ter chances na elite após passar com sucesso pela Fidelis Andria, da terceirona, e chamar a atenção do Frosinone, que o integrou ao elenco para a disputa da última segunda divisão. Reserva na campanha do título dos canários, ganhou fôlego no trabalho de Eusebio Di Francesco, que notou sua qualidade no passe e no apoio para utilizá-lo como zagueiro pela direita numa linha de três que contribuía bastante com a construção de jogadas ou como lateral e ala pelo mesmo flanco. Por ali, o apuliano de 1,90 m se destacou sobretudo no primeiro turno do campeonato – não por acaso, na melhor fase dos giallazzurri durante o ano. Ilario valorizou o seu passe pelas atuações e pelo desempenho estatístico: marcou dois gols, forneceu duas assistências e ainda sofreu um pênalti.

Mateus Lusuardi

Mateus Lusuardi, do Frosinone (Getty)

Idade: 20 anos (8 de janeiro de 2004)
Posição: zagueiro
Jogos: 4 (240 minutos)
Clube: Frosinone

Revelado pelo Criciúma, o canhoto Mateus Lusuardi estreou profissionalmente apenas com a camisa do Frosinone, que o contratou antes da temporada 2023-24. E o paulista debutou numa fogueira: devido a uma série de lesões no setor defensivo dos canários, teve de marcar Dusan Vlahovic, da Juventus, na apertada derrota por 2 a 1 do seu time. Ao longo do campeonato, o garoto brasileiro recebeu a maior parte de suas chances justamente naquela época, fim do primeiro turno, por conta dos desfalques na zaga giallazzurra – ele próprio sofreria com problemas físicos em seguida e perderia espaço. Com boa estatura, mostrou eficiência na bola aérea, além de também ter velocidade e qualidade no passe. Entretanto, ainda lhe falta experiência para se sobressair mais frequentemente nas disputas corpo a corpo com atacantes mais rodados.

Jan-Carlo Simic

Simic, do Milan (AFP/Getty)

Idade: 19 anos (2 de maio de 2005)
Posição: zagueiro
Jogos: 4 (165 minutos)
Clube: Milan

Sérvio nascido na Alemanha, o versátil Simic chegou à Itália apenas em 2022, mas já vem dando o que falar. Zagueiro de boa estatura (1,86 m), ambidestro e capaz de atuar também como volante e lateral-direito, Jan-Carlo foi titular absoluto na campanha do vice do Milan na Uefa Youth League e ainda recebeu chances entre os profissionais do Diavolo devido ao surto de lesões que acometeu a defesa de Stefano Pioli no fim de 2023. O garoto mostrou personalidade e estrela em seu debute, aparecendo como centroavante para marcar um dos gols da vitória dos rossoneri sobre o Monza. Em 2024-25, deve ganhar mais espaço entre os profissionais.

Pietro Comuzzo

Comuzzo, da Fiorentina (Getty)

Idade: 19 anos (20 de fevereiro de 2005)
Posição: zagueiro
Jogos: 4 (54 minutos)
Clube: Fiorentina

Joia da produtiva base da Fiorentina, Comuzzo jogou pouco na temporada – quatro partidas na Serie A e mais duas nas copas –, mas mostrou qualidade. Aliás, diante dos muitos problemas defensivos mostrados pela Viola e considerando os elogios feitos por Italiano, até poderia ter atuado mais frequentemente. Hábil na leitura das jogadas e, consequentemente, no posicionamento, Pietro também mostrou qualidades no mano a mano. Agora, o beque aguarda a avaliação de Raffaele Palladino, técnico gigliato para 2024-25.

Alan Matturro

Matturro, do Genoa (Getty)

Idade: 19 anos (11 de outubro de 2004)
Posição: zagueiro
Jogos: 6 (132 minutos)
Clube: Genoa

Bola de Prata do Mundial Sub-20 de 2023, vencido por seu Uruguai, Matturro não poderia faltar na nossa lista – apesar de ter feito, nos acréscimos, poucos minutos após entrar em campo, um gol contra bizarro em empate entre Genoa e Udinese, ao tentar cortar cruzamento para escanteio. Zagueiro canhoto e capaz também de atuar pela faixa lateral esquerda, o charrua de origem italiana tem boa técnica e capacidade de iniciar a construção de jogadas, mas acabou sendo pouco utilizado por Alberto Gilardino por dois motivos: problemas físicos que lhe levaram a fazer uma cirurgia no joelho, e a imposição de Mattia Bani e Johan Vásquez nos setores em que se sente melhor para desempenhar suas funções.

Giorgio Cittadini

Cittadini, do Genoa (Getty)

Idade: 22 anos (18 de abril de 2002)
Posição: zagueiro
Jogos: 7 (166 minutos)
Clubes: Monza e Genoa (emprestado pela Atalanta)

Cria da qualificada base da Atalanta e reserva da Itália na última Euro Sub-21, em 2023, o grandalhão Cittadini teve bons momentos pelo Modena, na Serie B passada. Por isso, se imaginava que teria espaço num Monza que, costumeiramente, dá oportunidades a talentos italianos. Não aconteceu: o zagueiro de 1,93 m estreou na elite apenas na 18ª rodada e, em seguida, foi emprestado ao Genoa. Assim como Matturro, ficou muito tempo sentado no banco devido ao acerto da sólida defesa rossoblù, que tinha figurinhas carimbadas em sua composição. Porém, seu histórico, sua qualidade na bola aérea e o envelhecimento de algumas peças da defesa biancorossa são fatores que devem fazer com que as suas chances de ser mais utilizado pelo clube da Lombardia cresçam na temporada 2024-25.

Thomas Kristensen

Kristensen, da Udinese (Getty)

Idade: 22 anos (17 de janeiro de 2002)
Posição: zagueiro
Jogos: 26 (2.264 minutos)
Clube: Udinese

Kristensen é o terceiro jogador mais alto da Serie A e o segundo entre os de linha – em empate com Simy e Milan Djuric. Logo, nem precisamos enfatizar que o jogo aéreo é o seu forte, correto? Porém, o jogador que atuou em todas as seleções de base da Dinamarca a partir da sub-18 e que, no AGF, se destacou numa zaga de grande estatura ao lado do interista Bisseck, conseguiu dar um importante salto de qualidade na Udinese. Eficaz para construir o jogo pelo lado direito da defesa, foi um dos atletas mais regulares numa campanha pouco chamativa da Udinese. Passou a impressão de que teria mais evidência numa equipe mais arrumada.

Saba Sazonov

Sazonov, do Torino (EnnE)

Idade: 22 anos (1º de fevereiro de 2002)
Posição: zagueiro
Jogos: 12 (413 minutos)
Clube: Torino

Compatriota de Khvicha Kvaratskhelia, o zagueiro Sazonov foi mais um da leva de jogadores da Geórgia que aportaram na Serie A nos últimos anos. Com poucas convocações para a seleção de seu país e uma temporada como peça importante do Dinamo Moscou, time de meio de tabela da Premier League russa, foi adquirido pelo Torino para ser alternativa a Alessandro Buongiorno e Perr Schuurs – ou seja, como opção sobretudo para a faixa central do tridente defensivo de Ivan Juric. Eficaz nas bolas aéreas e nos combates corporais, Saba, entretanto, teve minutagem reduzida devido ao altíssimo nível de jogo do primeiro dos colegas de clube citados. Apesar de atuações regulares, isso lhe fez perder a chance de disputar a Euro, por exemplo.

Patrick Dorgu

Dorgu, do Lecce (Getty)

Idade: 19 anos (26 de outubro de 2004)
Posição: lateral-esquerdo e ponta-esquerda
Jogos: 32 (1.700 minutos)
Clube: Lecce

Nascido na Dinamarca e oriundo de uma família de imigrantes nigerianos, Dorgu é um dos grandes exemplos do ótimo trabalho de prospecção do Lecce na gestão do diretor esportivo Pantaleo Corvino, um dos maiores descobridores de talentos da Itália. O jogador foi pinçado da base do Nordsjaelland em 2022, se integrou ao time Primavera dos apulianos e foi peça fundamental na campanha do inédito scudetto da categoria sub-19. No ano seguinte, ascendeu aos profissionais e mostrou muitas qualidades no apoio: é veloz, finaliza bem (marcou dois gols) e costuma chegar inteiro à linha de fundo para efetuar cruzamentos para seus colegas. Lateral-esquerdo de origem, ainda precisa sanar carências defensivas para se consolidar na função ou, quem sabe, mudar de vez: em 2023-24, atuou muito frequentemente como ponta e não fez os giallorossi sentirem falta do zambiano Lameck Banda, desfalque em parte da temporada por causa de uma lesão e de sua participação na Copa Africana de Nações.

Tommaso Corazza

Corazza, do Bologna (Getty)

Idade: 19 anos (29 de junho de 2004)
Posição: lateral-esquerdo e lateral-direito
Jogos: 9 (240 minutos)
Clube: Bologna

Pinçado por Thiago Motta, Corazza deixou o setor juvenil do Bologna e foi profissionalizado de vez em 2023-24. Sua estreia entre os adultos foi exuberante: marcou um gol na vitória sobre o Cesena, pela Coppa Italia. Lateral destro que pode atuar em ambos os flancos, o prata da casa rossoblù fez 12 partidas na temporada, sendo nove pela Serie A, e mostrou propensão ofensiva, capacidade de drible, boa participação na construção de jogadas, eficiência em verticalizações e sagacidade tática para defender e atacar, com destreza nos desmarques. Não à toa, ganhou suas primeiras chances na seleção sub-20 italiana.

Davide Bartesaghi

Bartesaghi, do Milan (Getty)

Idade: 18 anos (29 de dezembro de 2005)
Posição: lateral-esquerdo
Jogos: 6 (105 minutos)
Clube: Milan

Assim como ocorreu com Simic, a emergência na defesa do Milan deu a Bartesaghi, titular da seleção sub-19 da Itália, a oportunidade de estrear entre os profissionais. Utilizado como atacante na base, devido a sua estatura (1,93 m), a seu porte físico e a boa velocidade, se tornou um lateral-esquerdo de técnica e pés talhados para articular cruzamentos e jogadas de bola parada – a propósito, também é eficiente dentro da área, em lances pelo alto, e pode atuar como zagueiro, se for necessário. Prioritariamente integrado ao plantel adulto durante a metade inicial da temporada, o rossonero ainda fez parte da campanha do vice na Uefa Youth League, sendo utilizado no mata-mata da competição. É um dos talentos mais interessantes de sua geração.

Luca Lipani

Lipani, do Sassuolo (Getty)

Idade: 19 anos (18 de maio de 2005)
Posição: volante
Jogos: 8 (412 minutos)
Clube: Sassuolo

Lipani ainda não teve muitas chances como profissional, mas é um talento que tem tudo para chegar à seleção principal da Itália se o seu percurso evolutivo não for atrapalhado. Natural de Gênova e cria da base do Genoa, foi vice-campeão mundial sub-20 e faturou a Euro Sub-19 pelos azzurrini, sendo um dos líderes desses elencos. Em agosto de 2023, foi adquirido em definitivo pelo Sassuolo e, além de ajudar os neroverdi a ganharem seu primeiro scudetto da categoria Primavera, ganhou oportunidades na Coppa Italia e no returno da Serie A, pelos profissionais. Seguro e dotado de boa técnica, é um volante construtor que participa de linhas de passe e também gosta de finalizar de média distância. Se tivesse sido mais utilizado pelos emilianos, quem sabe o time não tivesse apresentado um futebol mais consistente e evitado o rebaixamento?

Mohamed Kaba

Kaba, do Lecce (Getty)

Idade: 22 anos (27 de outubro de 2001)
Posição: volante
Jogos: 23 (1.471 minutos)
Clube: Lecce

Após dois anos pelo Valenciennes, na Ligue 2 da França, Kaba deixou o país em que nasceu para, na Itália, estrear num campeonato de primeiro nível. Volante marcador clássico e de razoável poder de organização de jogo, o franco-guineano rapidamente ganhou a titularidade do Lecce treinado por Roberto D’Aversa devido à robustez física, à capacidade de roubar bolas e de participar das transições. Fazia uma temporada regular até ser acometido por uma lesão ligamentar no joelho na 27ª rodada da Serie A, contra o Frosinone, e não teve mais condições físicas de atuar em 2023-24 – e também não trabalhou com Luca Gotti, que substituiu o técnico anterior. Sua titularidade e seu futuro na Apúlia estão ligado à avaliação do atual comandante.

Matteo Prati

Prati, do Cagliari (Getty)

Idade: 20 anos (28 de dezembro de 2003)
Posição: volante
Jogos: 26 (2.160 minutos)
Clube: Cagliari

Em sua primeira temporada na Serie A, Prati ratificou que tem potencial para chegar à seleção principal. Pilar da Itália vice-campeã mundial sub-20 e titular da equipe sub-21 dos azzurrini, o volante estreou na elite com o Cagliari, após destaque pelo Ravenna, na quarta divisão, e passagem pela Spal, na segunda. Matteo é um meio-campista bastante dinâmico, que trabalha bem na interceptação de passes e na marcação, mas que também avança alguns metros e encosta no ataque – inclusive, tem uma excelente capacidade de finalizar de fora da área, com potência e precisão. Peça importante do time de Claudio Ranieri, já está na mira de clubes maiores e parece pronto para dar este salto.

Giovanni Fabbian

Fabbian, do Bologna (Getty)

Idade: 21 anos (14 de janeiro de 2003)
Posição: meio-campista
Jogos: 27 (1.163 minutos)
Clube: Bologna

Quando nos referimos a Fabbian, falamos de um talento geracional do futebol italiano. Meia mais dinâmico de sua geração, alia boa estatura (1,86 m) a um poder de marcação bastante razoável e uma grande leitura espacial nas duas fases do jogo – sobretudo na ofensiva. Giovanni é um jogador que consegue se infiltrar e aproveitar lacunas nevrálgicas deixadas pelos adversários, de modo que tem números de goleador para um atleta de sua posição: na segundona, anotou oito gols pela Reggina e foi eleito como melhor jovem do torneio; pelo Bologna que se classificou à Champions League, guardou cinco, sendo dois deles fundamentais para vitórias nos acréscimos. De quebra, ainda forneceu duas assistências. Cedido aos rossoblù pela Inter, é bem provável que um dia o craque em potencial voltará a vestir a camisa nerazzurra: a Beneamata tem direito de recomprá-lo por módicos 12 milhões de euros.

Kacper Urbanski

Urbanski, do Bologna (Getty)

Idade: 19 anos (7 de setembro de 2004)
Posição: meio-campista
Jogos: 22 (1.014 minutos)
Clube: Bologna

Finalmente, a afirmação. Urbanski chegou ao Bologna em fevereiro de 2021, contratado junto ao Lechia Gdansk, quando ainda tinha 16 anos – embora já tivesse estreado profissionalmente pelo time da Polônia, seu país. Meio-campista central de boa chegada ao ataque e capacidade de cair pelas pontas, foi integrado ao setor juvenil dos veltri e teve pouquíssimos minutos na equipe adulta ao longo de duas temporadas e meia, totalizando somente dois jogos. Desabrochou na gestão de Thiago Motta e ganhou espaço a partir de meados do primeiro turno, tanto no centro do gramado quanto na ponta canhota. Assim, deu um salto: pilar da seleção sub-19 polaca, atuou em somente duas partidas nas duas categorias superiores e, em junho, não só estreou na principal como foi convocado para a Euro. Será peça importante para a renovação das águias e para os bolonheses na campanha da Champions League.

Oussama El Azzouzi

El Azzouzi, do Bologna (Getty)

Idade: 23 anos (29 de maio de 2001)
Posição: meio-campista
Jogos: 18 (624 minutos)
Clube: Bologna

Depois de atuar no Emmen, da segundona holandesa, e no Union Saint-Gilloise, da elite belga, El Azzouzi confirmou num nível de exigência maior o talento que havia mostrado em suas experiências anteriores. Meia central de boa chegada ao ataque, acabou recebendo menos oportunidades do que o esperado no Bologna porque o capitão Lewis Ferguson praticamente não deixou – era um dos pilares do elenco e só levantou bandeira branca após uma séria lesão no joelho. O marroquino, porém, aproveitou a minutagem que teve e passou a ser figurinha carimbada da seleção de seu país, pela qual disputou a Copa Africana de Nações, em 2024. Pela Serie A, Oussama marcou dois gols e forneceu duas assistências, obtendo brilho intenso ao decidir as vitórias do seu time sobre Lazio e Roma, em pleno Olímpico. A classificação dos rossoblù à Champions League teve suas digitais.

Kevin Zeroli

Zeroli, do Milan (SOPA Images Limited)

Idade: 19 anos (11 de janeiro de 2005)
Posição: meio-campista
Jogos: 3 (39 minutos)
Clube: Milan

A minutagem foi baixíssima, mas o talento é cristalino. Capitão do time sub-19 do Milan que foi vice-campeão da Uefa Youth League e nome importante da seleção italiana da mesma categoria, o ítalo-nigeriano Zeroli é um daqueles jogadores que devem entrar no radar da Nazionale em breve. Dinâmico, capaz de chegar bem à área adversária para finalizar e deixar seus golzinhos, além de ter bom poder de marcação, o meio-campista fatalmente ganhará mais oportunidades em 2024-25, no próprio Diavolo ou em empréstimo a um outro time.

Medon Berisha

Berisha, do Lecce (Getty)

Idade: 20 anos (22 de outubro de 2003)
Posição: meio-campista
Jogos: 6 (215 minutos)
Clube: Lecce

Meia versátil, Berisha ganhou espaço na Serie A apenas em sua reta final – antes, havia atuado apenas pela Coppa Italia. Nascido na Suíça, mas de raízes kosovares e albanesas, o jogador chegou ao Lecce em 2022, contratado junto ao Young Boys, como parte da política de prospecção do diretor Corvino. Após ajudar os salentinos a serem campeões italianos da categoria sub-19, foi alçado ao time principal e mostrou muita qualidade na distribuição do jogo e também em lançamentos, cobranças de falta e em arremates de longa distância. Com tal personalidade, capitaneou a seleção sub-21 da Albânia e já teve a oportunidade de estrear na principal. O brasileiro Sylvinho, inclusive, surpreendeu e o levou para a Euro, sinalizando que enxerga Medon como um dos talentos de maior futuro do país.

Warren Bondo

Bondo, do Monza (AFP/Getty)

Idade: 20 anos (15 de setembro de 2003)
Posição: meio-campista
Jogos: 25 (1.599 minutos)
Clube: Monza

Bondo surgiu bastante cedo no Nancy, da Ligue 2, e rapidamente ganhou espaço nas seleções de base da França – atuou nos três jogos da pobre campanha dos Bleuets no Mundial Sub-20 de 2023, por exemplo. Quando o Monza o contratou, em 2022, se imaginava um maior impacto inicial, mas o meio-campista demorou a se adaptar, atuando pouco pelos bagai e em empréstimo à Reggina. Depois de apenas oito aparições por dois clubes em um ano, o jogador de origem congolesa retornou à Lombardia e, aí sim, mostrou o futebol esperado. Intenso e hábil em atacar espaços, se caracterizou por grande entrega no meio-campo. Além disso, ainda marcou um belo gol contra o Milan, com uma finalização bem colocada no ângulo.

Samuele Vignato

Vignato, do Monza (Getty)

Idade: 20 anos (24 de fevereiro de 2004)
Posição: meia-atacante
Jogos: 10 (385 minutos)
Clube: Monza

O ítalo-brasileiro Samuele Vignato espera um futuro melhor do que o momento atual do irmão mais velho, Emanuel, que surgiu bem no Chievo, mas não progrediu ao ser adquirido pelo Bologna – ao contrário, vem rodando pela Itália e acumulando prestações opacas. O caçula também começou no time de Verona e se transferiu ao Monza em 2021, tendo alguns minutos na segundona e pouquíssimas oportunidades na elite, no ano anterior. Em 2023-24, após ganhar o Europeu Sub-19 pelos azzurrini, o meia-atacante de habilidade, rapidez e boa capacidade de tomada de decisões no terço mais avançado do campo atuou com maior frequência, até marcando um gol contra a Salernitana. Problemas físicos limitaram sua utilização ao primeiro turno da Serie A, mas certamente ele deixou boa impressão.

Gaetano Oristanio

Oristanio, do Cagliari (Getty)

Idade: 21 anos (28 de setembro de 2002)
Posição: meia-atacante
Jogos: 25 (1.201 minutos)
Clube: Cagliari (emprestado pela Inter)

Demorou, mas o canhotinho Oristanio finalmente estreou na Serie A. Cria da base da Inter, o habilidoso meia-atacante passou um biênio emprestado ao Volendam, da Holanda, pelo qual disputou a segunda e a primeira divisões. Em seu retorno à Itália, o jogador foi emprestado ao Cagliari e foi uma importante peça de rotação da equipe de Ranieri. A depender do contexto dos jogos, o treinador o utilizava como segundo atacante, ponta-direita ou como um 10 clássico, sempre levando em conta sua habilidade e sua capacidade de fornecer assistências ou finalizar a gol. Durante a campanha, Gaetano anotou dois tentos, iniciando a incrível virada por 4 a 3 sobre o Frosinone e selando o empate fora de casa com o Lecce. Ou seja, contribuiu diretamente para a obtenção de pontos que resultaram na permanência de seu time na elite.

Loum Tchaouna

Tchaouna, da Salernitana (Getty)

Idade: 20 anos (8 de setembro de 2003)
Posição: ponta-direita
Jogos: 33 (2.275 minutos)
Clube: Salernitana

Um dos poucos a se salvarem na péssima temporada da Salernitana foi o franco-chadiano Tchaouna, que já vinha de uma boa experiência na seleção sub-19 da França, com a qual foi terceiro lugar no Europeu da categoria, em 2023. Ex-jogador de Rennes e Dijon, o ponta-direita mostrou força física e velocidade, de modo a ser um arrastador de defensores, habilidade nos dribles e uma excelente capacidade de finalização: centralizando jogadas para arrematar com a perna esquerda, deu trabalho para os adversários e balançou as redes quatro vezes; além disso, forneceu três assistências. Capaz de atuar em ambos os flancos e também como segundo atacante, foi um dos vice-artilheiros da equipe grená e entrou na mira de times maiores – está em negociações avançadas com a Lazio, a propósito.

João Costa

(Arquivo/AS Roma)

Idade: 19 anos (28 de março de 2005)
Posição: ponta-direita
Jogos: 3 (27 minutos)
Clube: Roma

Brasileiro de passaporte português, o ponta João Costa foi muito elogiado por Mourinho, que o integrou ao plantel profissional. O paranaense de Umuarama fez bons jogos pelo sub-19 da Roma e ganhou alguns minutinhos na equipe de cima, com a qual atuou em três partidas da Serie A e em duas da Coppa Italia. Muito rápido com a bola nos pés, tem o drible como seu ponto forte e, assim, pode desequilibrar defesas para criar oportunidades cristalinas de gol – até porque finaliza bem. Comparado a Douglas Costa, deve ganhar mais oportunidades no ano que vem.

Zanos Savva

Savva, do Torino (Getty)

Idade: 18 anos (26 de novembro de 2005)
Posição: ponta-direita
Jogos: 2 (34 minutos)
Clube: Torino

Savva certamente tem estrela. Com menos de 10 minutos como profissional, marcou o seu primeiro gol e ajudou o Torino a virar um jogo contra o Verona. O talento cipriota atuou muito pouco na Serie A, mas suas escassas oportunidades na reta final da competição deram resultado e mostraram o que ele já vinha produzindo na base: capaz de atuar nas duas pontas ou como segundo atacante, o canhoto marcou 10 gols e forneceu 12 assistências na equipe sub-19 grená. Membro da seleção sub-21 de seu país, Zanos tem uma excelente estrutura física e estatura elevada (1,88 m), o que o torna perigoso nas bolas paradas. Disciplinado taticamente, também é capaz de ajudar o time defensivamente e contribuir nas transições ofensivas, pois tem velocidade.

Chaka Traorè

Traorè, então no Milan (Getty)

Idade: 19 anos (23 de dezembro de 2004)
Posição: ponta-esquerda
Jogos: 2 (24 minutos)
Clube: Milan (atualmente emprestado ao Palermo)

Com minutagem baixíssima, Traorè conseguiu marcar um gol na goleada sobre o Empoli e outro no triunfo sobre o Cagliari, pela Coppa Italia. Personalidade, tem demais. Por isso, o Palermo, time controlado pelo City Football Group, decidiu contratá-lo por empréstimo junto ao Milan e, em janeiro de 2024, integrou o marfinense ao plantel que lutou pelo acesso à Serie A. O canhotinho não atuou tanto pelos rosanero e deve voltar à Lombardia, mas é muito novo e conserva as qualidades que lhe fizeram estrear na elite pelo Parma em 2021, quando ainda tinha 16 anos. Rápido, driblador e eficiente nas finalizações, é um talento para se observar.

Arijon Ibrahimovic

Ibrahimovic, do Frosinone (Getty)

Idade: 18 anos (11 de dezembro de 2005)
Posição: ponta-esquerda
Jogos: 16 (535 minutos)
Clube: Frosinone (emprestado pelo Bayern Munique)

Alemão de raízes kosovares e albanesas, Ibrahimovic é um ponta que atua dos dois lados, e também pode jogar como um autêntico 10. Veloz, habilidoso e ciscador, foi decisivo na vitória do Frosinone sobre o Empoli, com um gol e uma assistência no 2 a 1, e ainda guardou outro bonito tento no triunfo sobre o Torino, pela Coppa Italia. Apesar desses grandes momentos em novembro, Arijon acabou perdendo espaço com Di Francesco a partir da virada de ano. Muito jovem e vinculado ao Bayern Munique, tende a evoluir em suas próximas experiências.

Kenan Yildiz

Yildiz, da Juventus (Arquivo/Juventus FC)

Idade: 19 anos (4 de maio de 2005)
Posição: atacante
Jogos: 27 (1.052 minutos)
Clube: Juventus

Craque em formação. Quem vê Yildiz jogar até se assusta com o fato de o Bayern Munique ter permitido que ele saísse de graça para a Juventus, em 2022, após ter ficado 10 anos no setor juvenil bávaro. Ninguém notou o quão gabaritado ele poderia se tornar? Em Turim, Kenan evoluiu na equipe Next Gen e, em 2023-24, foi alçado ao time principal bianconero por Massimiliano Allegri. Seu talento é tão evidente que nem mesmo precisou ter atuado como titular pela Velha Senhora para estrear e se firmar pela seleção da Turquia – com a qual disputará a Euro. Segundo atacante insinuante, ciscador e com ótima finalização, marcou uma beleza de gol sobre o Frosinone em sua estreia no onze inicial piemontês e terminou a temporada com quatro tentos no total, sendo dois pela Serie A. Ainda é pouco e ele certamente pode melhorar neste quesito. Entretanto, não recebeu à toa a bênção de Alessandro Del Piero, seu ídolo, que lhe decretou como legítimo herdeiro da camisa 10.

Francesco Camarda

Camarda, do Milan (Getty)

Idade: 16 anos (10 de março de 2008)
Posição: atacante
Jogos: 2 (24 minutos)
Clube: Milan

Aos 15 anos, oito meses e 15 dias, em 25 de novembro de 2023, Camarda entrou para a história como o mais novo atleta a estrear na Serie A. Mas é bem provável que esta data também se eternize como aquela em que um craque geracional teve sua primeira oportunidade. Afinal, pelo que mostra entre os juvenis, todos esperam que o jovem milanês se torne o camisa 9 da Itália do momento em que vestir a malha azzurra até que decida se aposentar. O talento cristalino do atacante tem feito com que ele seja capaz de pular várias etapas em sua formação pelo simples fato de que ele parece pronto para tais saltos e maiores desafios. Aos 16, já é titular do sub-19 do Diavolo e tem levado as assombrosas atuações das categorias menores para a corrente. Vale destacar ainda que o rossonero foi eleito como MVP da Euro Sub-17, na qual anotou quatro gols, sendo dois na decisão contra Portugal.

Lorenzo Lucca

Lucca, da Udinese (Getty)

Idade: 23 anos (9 de setembro de 2000)
Posição: atacante
Jogos: 37 (2.781 minutos)
Clube: Udinese (emprestado pelo Pisa)

Um gigante. Com 2,01 m, Lucca foi o mais alto jogador de linha da última Serie A e o segundo no geral, com um centímetro a menos do que o goleiro Vanja Milinkovic-Savic. Obviamente, ajudou muito a Udinese em jogadas aéreas e, habitualmente através delas, mas não só, marcou seus gols e criou jogadas de perigo. No geral, o grandalhão colocou oito bolas na casinha e forneceu quatro assistências, inclusive a que resultou no tento de Keinan Davis, responsável pela salvação dos friulanos na última rodada, em confronto direto com o Frosinone. Lorenzo despontou como uma joia no Palermo e teve bons momentos no Pisa, nas divisões inferiores da Itália, mas não confirmou expectativas no Ajax. Agora, após uma boa temporada de estreia na elite do Belpaese, parece ter se firmado. Não à toa, foi contratado em definitivo pelos bianconeri.

Marvin Çuni

Çuni, do Frosinone (Getty)

Idade: 22 anos (10 de julho de 2001)
Posição: atacante
Jogos: 22 (617 minutos)
Clube: Frosinone

Cria da base do Bayern Munique, apesar de jamais ter vestido a camisa do time principal dos Roten, Çuni chegou ao Frosinone após um bom desempenho pelo Saarbrücken, da terceira divisão alemã. Marcar a mesma quantidade de gols que conseguiu no país em que nasceu não seria tarefa fácil e, de fato, isso não se concretizou: de nove tentos, passou para apenas um, sobre o Empoli, além de ter acrescentado à sua conta um pênalti sofrido contra o Bologna. Entretanto, o camisa 9 clássico mostrou bons atributos como pivô e homem de área. Foram estas características que fizeram com que Sylvinho o convocasse uma vez para a seleção da Albânia.

Stiven Shpendi

Shpendi, do Empoli (Getty)

Idade: 21 anos (19 de maio de 2003)
Posição: atacante
Jogos: 12 (457 minutos)
Clube: Empoli

Terceiro albanês da nossa lista, Shpendi não marcou gols – teve um impedido, apenas. Não repetiu os bons números que obteve pelo Cesena, na Serie D (anotou 12), mas ele não é como seu irmão gêmeo, Cristian. Este, sim, é centroavante e goleador: com 20, foi um dos artlheiros da terceirona e destaque do acesso do antigo clube de Stiven. Porém, se não balançou o barbante em 2023-24, muito por conta dos problemas ofensivos do Empoli, o camisa 7 mostrou boa movimentação e qualidades interessantes para um segundo atacante, como velocidade, agressividade no ataque dos espaços e boa capacidade de diálogo com os colegas. Membro da seleção sub-21 da Albânia, deve ser aproveitado no ciclo pós-Eurocopa.

Kingstone Mutandwa

Mutandwa, do Cagliari (Getty)

Idade: 21 anos (5 de janeiro de 2003)
Posição: atacante
Jogos: 5 (67 minutos)
Clube: Cagliari

O zambiano Mutandwa foi descoberto pelos olheiros do Cagliari no Atletico Lusaka, de seu país, e contratado na janela do verão europeu de 2023. Inicialmente integrado às categorias de base dos isolani, se destacou no Campeonato Primavera devido ao seu estilo físico e de boa técnica, a ponto de ganhar as primeiras chances no time principal dos casteddu na reta final de 2023-24. No último jogo da temporada, inclusive, marcou um bonito gol com um chute cheio de curva, na derrota para a Fiorentina. Em crescimento, deve ganhar espaço na Sardenha na próxima campanha e, claro, mais oportunidades na seleção de Zâmbia – sua estreia pelos balas de cobre ocorreu em junho.

Compartilhe!

Deixe um comentário