Liga dos Campeões

Juve bem, mas Chelsea passa

Sete pontos atrás da líder Internazionale no campeonato, a Juventus entrou em campo hoje com a difícil missão de vencer o Chelsea e tirar a invencibilidade de Guus Hiddink no comando do time inglês, pelas oitavas-de-final da Liga dos Campeões. Para isso, Ranieri optou por um time mais ofensivo, escalando Trezeguet e Iaquinta logo à frente de Del Piero. O empate de 2×2 no Olímpico, no entanto, não foi suficiente para dar a classificação ao time de Turim.

Saída precoce de Nedved em seu último jogo na LC derrubou esquema juventino

Depois de uma bela partida, com direito a baixa logo no início – Nedved saiu contundido aos 13, – bola que entrou (para os ingleses), mas não entrou (para os italianos) em cobrança de falta de Drogba, expulsão e pênalti, a Vecchia Signora deu adeus ao sonho de reconquistar o mais importante torneio europeu, depois de 13 anos. Foram dois banhos de água fria: nos acréscimos do primeiro tempo, com o gol de Essien, e o aos 35 do segundo, quando Drogba completou para o gol um cruzamento de Belletti.

A torcida juventina, contudo, não ficou totalmente decepcionada e soltou o grito de “grazie ragazzi” ao final da partida no Olímpico. Mostrando que a eliminação perante os ingleses não é uma vergonha. Muito menos nas circunstâncias na qual ocorreu, com um time que lutou até o fim, apresentando um bom futebol mesmo com um jogador a menos, e mostrou mais poder ofensivo do que muitos imaginavam Ranieri ser capaz de escalar.

Leva-se de positivo desse jogo essa postura de Ranieri, sem medo do adversário e lançando o time à frente; e a demonstração de que alguns jogadores “velhos”, como gostam de atacar alguns torcedores, ainda podem ser úteis ao time se mesclados com os jovens, como Giovinco, que hoje entrou muito bem na partida e mudou o ritmo do jogo.

Essien empata a partida pela primeira vez, ao fim do primeiro tempo

O problema é que, mais uma vez, as chances da Juve encerrar a temporada sem um título de expressão são grandes, já que o scudetto se encaminha, pela quarta vez seguida, para as mãos da equipe nerazzurra. Resta agora a torcida por uma virada sobre a Lazio na Coppa Italia, dia 22 de abril, para que os bianconeri não acabem a temporada com as mãos abanando.

1 comentário

  • Por mais que eu respeite o atual trabalho de Ranieri na Juventus, uma coisa é fato.

    Se a Juventus tiver, nesse fim de temporada, chance de trazer um treinador melhor que Ranieri, não pode titubear. tem que trazer.

    O Ranieri tem feito um trabalho muito acima do que eu esperava dele, quase irretocável. Mas, mesmo assim, ele não tem o perfil para fazer da Juve o que ela um dia já foi.

Deixe um comentário