Seleção italiana

Um Kami-Kaladze para a Itália

Kaladze marcou forte Iaquinta: os gols de sábado só poderiam ser dele, oras

As perguntas sobre Cassano, as ironias de Cannavaro, os desentendimentos com Mourinho via imprensa, mais perguntas sobre Totti, Del Piero e Cassano. Não foi à toa que Lippi reclamou antes do jogo contra a Geórgia, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo: “se fala de tudo, menos de como jogamos”. Afinal, ninguém perguntou sobre o 4-4-2 que a Itália recuperou para a partida desse sábado – no papel, quase uma releitura do esquema que venceu a Copa, com Rossi fazendo o papel de Totti ao lado do centroavante.

Em campo, faltava o gol para um Itália que não marcava há três partidas. Gilardino, Toni, Iaquinta, Rossi, Di Natale… Esperava-se que meia Itália quebrasse a escrita, mas foi um capitão inesperado que encerrou o jejum com uma doppietta inacreditável: o milanista Kaladze. Com o resultado, os azzurri dão um passo fundamental rumo ao Mundial da África do Sul. A Itália foi a 17 pontos, enquanto a Irlanda tem 16 (com um jogo a mais) e a Bulgária, 11. As duas líderes se encontram em outubro, em Dublin, na penúltima partida do grupo 9, que deve decidir a vaga direta para a Copa. Na última rodada, Irlanda e Itália jogarão contra Montenegro e Chipre, respectivamente.

Mas nem o jogo com o Chipre (uma vitória e dois empates em sete jogos) são favas contadas. Afinal, a vitória de hoje em Tblisi foi bem sofrida – e sonolenta. A defesa continuou sólida, mas o poder ofensivo continuou perto do zero. Como postou Gian Oddi em seu blog, “Marchionni e Palombo, como já era de se esperar, faziam figuração no meio-campo. Participavam do jogo tanto quanto Totti e Cassano, que dormiam em seus sofás”. Palombo ainda descolou uma “assistência” para o primeiro gol de Kaladze, mas Marchionni nem isso. Quagliarella foi uma das poucas boas notas da noite, na meia hora em que esteve em campo.

Fato é que Lippi pode até não gostar de Cassano, que hoje é para a Itália o que Romário foi para o Brasil em 2002. Mas que o talento de Bari é ainda mais indispensável nessa seleção, se é.

Geórgia 0x2 Kaladze
GEÓRGIA (4-4-1-1): Lomaia; Lobianidze, Kaladze, Kizanishvili, Sanaia; Ananidze (58′ Vtsadze), Razmadze (73′ Tskitishvili), Khmaladze, Kobiashvili; Kenia; Dvalishvili. Técnico: Héctor Cúper.
ITÁLIA (4-4-2): Buffon; Zambrotta, Cannavaro, Chiellini, Criscito; Marchionni (57′ D’Agostino), Pirlo, Palombo, Camoranesi (72′ Santon); Iaquinta, Rossi (57′ Quagliarella). Técnico: Lippi.
Árbitro: Marcin Borski (Polônia)
Gols: 56′ Kaladze (contra) e 67′ Kaladze (contra)
Amarelos: Criscito e Khmaladze

3 comentários

Deixe um comentário