Seleção italiana

L’Italia s’è desta

Cassano e mais 10: com grandes atuações, Fantantonio recoloca a Itália no caminho das vitórias.
A seleção não vencia desde novembro de 2009 (Foto: Getty Images)

Após sete partidas e quase um ano de futebol feio e resultados ruins, a seleção italiana finalmente voltou a vencer. Os dois resultados positivos seguidos dão moral e tranqüilidade para Prandelli continuar seu trabalho. As vitórias vieram em hora importante: estreia do novo técnico em jogos oficiais. No amistoso contra a Costa do Marfim, mês passado, a seleção já mostrou grande melhora em relação à equipe de Lippi, apesar da derrota, mas a repetição de resultados ruins poderia causar desconfiança.

Não foi o que aconteceu. Os comandados de Prandelli mostraram bom futebol e disposição e venceram as seleções da Estônia e Ilhas Faroé, pelas primeiras rodadas das Eliminatórias da Eurocopa 2012. Na primeira partida, jogando fora, a Itália conseguiu imprimir seu ritmo e atacou o tempo todo. Mas quem abriu o placar foi o time da casa. Após cobrança de falta espalmada por Sirigu, Zenjov marcou para a Estônia. Comandada por Cassano, melhor jogador da partida, a Itália conseguiu a virada e saiu com resultado positivo. Fantantonio empatou de cabeça, em cobrança de escanteio, e depois deu passe genial, de letra, para Bonucci virar.

Em geral, o time teve atuação regular. Destaca-se a garra da equipe, que não mostrou a apatia de outrora e correu atrás da vitória. Os pontos negativos continuavam nas laterais. Molinaro e Cassani estão longe de ser a dupla ideal para a seleção. O segundo até tentou algumas investidas ao ataque, mas sem muito sucesso. No meio, Pirlo e Montolivo fizeram boas apresentações, enquanto, no ataque, Pepe e Pazzini deixaram a desejar.

Para o segundo jogo (ontem, contra Ilhas Faroé), Prandelli promoveu algumas mudanças: Viviano tomou o lugar de Sirigu, De Silvestri e Antonelli ocuparam as laterais, nos lugares de Molinaro e Cassani, e Gilardino e Rossi ficaram com as vagas de Pazzini e Pepe. A seleção melhorou e conseguiu aplicar uma goleada de 5 a 0, coisa que não acontecia desde janeiro de 1987. Gilardino, De Rossi, Cassano, Quagliarella e Pirlo marcaram no retorno de Prandelli a Florença. O técnico saiu aplaudidíssimo e se disse feliz em ver os torcedores empolgados com a seleção novamente.

Antonelli e De Silvestri conseguiram aumentar bem o rendimento pelos lados do campo e devem figurar em outras convocações. Montolivo e Pirlo deram qualidade ao passe e boa movimentação ao meio-campo, enquanto De Rossi vai recuperando a forma. Na frente, a volta de Gilardino deu mais corpo ao ataque. Cassano, aos 28 anos, finalmente alcançou a maturidade para jogar na seleção e deve ser o principal nome da equipe nos próximos anos.

Aos poucos, Prandelli vai solidificando seu trabalho e trazendo de volta o gosto de torcer pela seleção. Essas primeiras vitórias são importantes para dar tranqüilidade e respaldo. Tudo bem que as vitórias foram contra seleções fraquíssimas, mas quem não se lembra das dificuldades para vencer o Chipre e empatar com a Irlanda, nas Eliminatórias da Copa? Sem contar o empate com a Nova Zelândia e a derrota para a Eslováquia, já na África do Sul. Besteira questionar esse início de trabalho apenas por causa dos adversários.

Relato e gols da partida contra Estônia.
Relato e gols da partida contra Ilhas Faroé.

*O título do post é referência ao segundo verso do hino italiano. Significa “A Itália se levantou”.

3 comentários

Deixe um comentário