Serie A

As “donnas” do jogo

Atual campeã, a Torres defende título na temporada (Flickr: torrescalciofemminile)

Foi-se o tempo em que a cantora Rita Pavone reclamava por seu namorado jamais levá-la ao estádio em dia de futebol. Atualmente, as mulheres têm papéis de grande destaque no calcio, seja nas arquibancadas, nos campos de jogo por toda a Itália ou até como presidente de clubes. Nesta temporada, o Quattro Tratti vai trazer boletins mensais sobre o futebol feminino do Bel Paese. Informaremos sobre a Serie A, a copa nacional e o desempenho das representantes italianas nas competições europeias. Acompanhe conosco a novidade!

Histórico

A primeira equipe de futebol feminino italiano de que se tem notícia é o Gruppo Femminile Calcistico (GFC), que surgiu em 1933, em Milão. Era uma época em que todas as atividades esportivas da Itália contavam com um número baixo de mulheres praticantes e, sob a justificativa de que o encorajamento às atividades de grupos como GFC levariam a uma distorção do esporte, o futebol feminino foi suspenso pelo Comitê Olímpico Italiano (Coni).

Ainda assim, nos anos 1940 e 50 surgiram mais equipes para o futebol feminino em Nápoles e Trieste, o que deu vida à Associação Italiana de Futebol Feminino (AICF). A nova associação durou até 1959 e não conseguiu instituir um campeonato oficial. Em 1968, foi sucedida pela Federação Italiana de Futebol Feminino (FICF).

Sob a batuta da FICF, foram disputados os dois primeiros campeonatos oficiais, vencidos per Genoa e Roma. Aos poucos, a liga incorporava clubes às divisões femininas de Juventus, Milan e Lazio e ganhava times de praças importantes, como Lecce e Padova. Em 1975, surgiu a FIGCF, desdobramento da antiga federação.

Em 1986, o futebol feminino passou a ser administrado pela FIGC e foi normatizado como torneio amador na hierarquia do esporte, ficando a cargo da Lega Nazionale Dilettanti. Atualmente, é dividido em três categorias nacionais: Serie A, Serie A2 e Serie B; e duas regionais: Serie C e D. Além destas, acontece a disputa da Coppa Italia e da Supercoppa Italiana.

O sistema de disputa é o mesmo dos campeonatos masculinos: grupo único, com jogos em turno e returno. Campeão e vice representam a Itália na edição feminina da Women’s Champions League, enquanto as duas últimas classificadas amargam o rebaixamento para a Serie A2.

Praças de maior sucesso

Ao longo dos anos, o futebol feminino da Velha Bota consagrou inúmeras equipes de sucesso, mas que tiveram vida curta no cenário esportivo. O primeiro “supertime” de garotas foi o Gamma 3 Padova, de Pádua, bicampeão em 1972 e 1973.

A cidade de Verona é a recordista de títulos por praça. Ao todo, são sete títulos: os extintos Verona Günther e Foroni Verona conquistaram um e dois troféus, respectivamente, e o badalado Bardolino Verona já concentra quatro títulos. Entre as grandes equipes, a Lazio é a que detém o maior número de conquistas: são cinco, no total (1979, 1980, 1986-87, 1987-88 e 2001-02).

Atualmente, as atenções do futebol italiano estão centralizadas no Bardolino Verona, na Reggiana, atual campeã da Coppa, e na Torres, campeã nacional e da Supercoppa.

Participantes da Serie A em 2010-11

Bardolino Verona CF, de Bardolino (Verona, Vêneto)

Brescia CF, de Brescia (Brescia, Lombardia)

Calcio Chiasellis de Údine (Údine, Friul-Veneza Júlia)

Firenze ASD, de Florença (Florença, Toscana)

SS Lazio Femminile, de Roma (Roma, Lácio)

ASD Mozzanica, de Mozzanica (Bérgamo, Lombardia)

Orlandia 97, de Capo d’Orlandia (Messina, Sicília)

AC Reggiana Femminile, de Régio-Emília (Régio-Emilia, Emília-Romanha)

Roma CF, de Roma (Roma, Lácio)

Sudtirol Damen, de Bressanone (Trento, Trentino-Alto Ádige)

UPC Tavagnacco, de Tavagnacco (Údine, Friuli-Venezia Giulia)

Torino CF, de Turim (Turim, Piemonte)

Torres CF, de Sassari (Sassari, Sardenha)

ACF Venezia, de Veneza (Veneza, Vêneto)

Serie A – após uma rodada

A temporada 2010-11 nem bem começou e já foi marcada pela primeira surpresa: em Bardolino, as donas da casa, favoritas ao título, foram derrotadas pelo Chiasellis, formação modesta que espera apenas a manutenção na categoria. Os três gols do time friulano foram marcados por Evelyn Vicchiarello.

As atuais campeãs da Torres estrearam com uma boa vitória, em Brescia, e o Tavagnacco, que lutou pelo título na temporada passada, goleou o recém-promovido Firenze. Bom começo, também, para as equipes da capital, ambas vencedoras; Venezia, que conquistou pontos preciosos em sua busca pela salvezza; e Reggiana, que voltou de Turim com um ponto.

Classificação: Tavagnacco, Roma, Venezia, Torres, Lazio e Chiasellis (3 pontos); Reggiana e Torino (1); Bardolino, Orlandia, Brescia, Mozzanica, Sudtirol e Firenze (0).


Copa da Itália

No próximo dia 2, a Coppa Italia Femminile, competição que reúne as equipes das séries A, A2 e B, chega ao seu Terceiro Turno Eliminatório, fase que antecede as oitavas de final. Por enquanto, o grande destaque é a campanha da Imolese, equipe que participa do Grupo B da Segunda Divisão.

Liga das Campeãs

Respectivas campeã e vice-campeã na última temporada, Torres e Bardolino são as representantes do futebol italiano na Women’s Champions League, atualmente na primeira fase eliminatória. Nos jogos de ída, ambas atuaram fora de casa e conseguiram resultados contrastantes: as garotas de Sassari venceram o Zürich, da Suíça, por 3 a 2, enquanto o time de Bardolino foi goleado por 8 a 0 pelas dinamarquesas do Fortuna Hjorring e já se despede da competição. Os jogos de volta acontecem nos dias 13 e 14 de outubro.

3 comentários

Deixe um comentário