Serie A

Jogando por música

Morandi e Ramazzotti acompanhados pelo falecido tenor Pavarotti: música e futebol unidos para ajudar a quem precisa (NazionaleCantanti.com)

Não é novidade para ninguém que italianos são apaixonados por futebol e por música. Torcidas comemoram gols cantando músicas populares no país, cantores declaram seu amor por clubes de futebol e alguns até assumem altos cargos – caso de Gianni Morandi, que é presidente de honra do Bologna desde o fim de 2010. No entanto, a maior ligação entre futebol e música no futebol do Belpaese é a seleção italiana de cantores, que se reúne para ações solidárias.

A ideia de formar uma seleção nacional formada por cantores surgiu 30 anos atrás, quando o letrista Giulio Rapetti Mogol teve a ideia de organizar uma seleção de cantores, que teria cunho beneficente. O primeiro a juntar-se foi justamente Gianni Morandi, um dos cantores mais famosos do país desde os anos 1960. Após o bolonhês, juntaram-se outros nomes de peso da música pop italiana, como Paolo Mengoli, Riccardo Fogli, Andrea Mingardi e Gianni Bella. Em 1984, juntaram-se ao time dois nomes fundamentais para o desenvolvimento da seleção ao longo dos anos: o juventino Eros Ramazzotti e o interista Enrico Ruggeri. Juntos, eles já marcaram 232 gols pelo combinado de cantores.

Em 1987, o que era apenas informal virou associação e ganhou ainda mais força, seja com a adesão de nomes populares no cenário musical italiano, como os interistas Luciano Ligabue e Biagio Antonacci, os juventinos Luca Barbarossa e Paolo Belli, além do viola Paolo Vallesi. As doações só cresciam e a Nazionale Cantanti começava a jogar fora do país: a primeira viagem foi a Belgrado, capital da antiga Iugoslávia.

No mesmo ano de 1987, “Si può dare di più”, música escrita e interpretada por Gianni Morandi, Enrico Ruggeri e Umberto Tozzi, que nasceu no ambiente da seleção italiana de cantores, foi a vencedora do Festival de San Remo, o maior festival da música italiana, comprovando que a união não ficava apenas dentro de campo ou em prol da solidariedade. Nos anos de seleção, outras parcerias surgiram, como as de Mogol e Morandi, Francesco Baccini e Paolo Belli ou a entre os bianconeri Barbarossa e Ramazzotti, fenômenos de venda e audiência na Península Itálica. Fenômenos também de gols: Barbarossa é o artilheiro da seleção, com 203 gols marcados, enquanto Ramazzotti vem atrás, com 128. O terceiro colocado é Ruggeri, com 104.

A partir de 1992, a associação realiza anualmente uma partida que é transmitida na televisão para toda a Itália, chamada Partita del Cuore, disputadas com frequência contra seleções formadas por árbitros, políticos ou pilotos de diversas categorias automobilistícas. Destacam-se, nestes encontros, os jogos contra a Itália campeã do mundo de 2006, além daqueles que envolveram combinados de amigos de Del Piero e Miccoli, ou o que reuniu os grandes jogadores da história do Napoli, como Careca e Maradona. Também já participaram de eventos promovidos pela Nazionale Cantanti jogadores como Dida, Sculli e Toni.

No entanto, a partida que mais chamou atenção do mundo foi a que reuniu combinado de israelenses e palestinos, realizado em 2000, com o intuito de promover a paz no Oriente Médio. Para este último jogo, estiveram presentes gente como Pelé, Sean Connery e Michael Schumacher, além dos premiês Yasser Arafat e Ximon Peres, vencedores do prêmio Nobel da Paz.

Até hoje a seleção italiana de cantores tem respaldo no país e recebe novos voluntários – como o napolitano Gigi D’Alessio. O selecionado voltará a entrar em campo logo após o encerramento das atividades do futebol profissional, com a final da Coppa Italia: jogará na vigésima edição da Partita del Cuore, ainda neste mês, no dia 30, em Parma. A partida que comemorará os 30 anos de existência da seleção, terá os fundos obtidos com a venda de ingressos, direitos de TV e doações revertidos para as fundações Parque da Mística e Telethon, financiada por Luca Di Montezemolo, chefe da Ferrari. Participarão do evento os pilotos da Ferrari, Fernando Alonso e Felipe Massa, além da seleção italiana de parlamentares.

Confira, abaixo, a listagem de músicos que tem mais de 100 participações com a seleção italiana de cantores e seus respectivos times do coração. Acesse este link para conferir todos os que já atuaram pelo time em prol da solidariedade.

Paolo Mengoli; 401 jogos – Bologna
Sandro Giacobbe; 375 jogos e 4 gols – Genoa
Gianni Morandi; 340 jogos e 54 gols – Bologna
Mogol; 296 jogos e 33 gols – Não localizado
Andrea Mingardi; 272 jogos e 40 gols – Bologna
Enrico Ruggeri; 260 jogos e 104 gols – Inter
Luca Barbarossa; 257 jogos e 203 gols – Roma
Pupo; 236 jogos e 25 gols – Fiorentina
Eros Ramazzotti; 223 jogos e 128 gols – Juventus
Riccardo Fogli; 211 jogos e 5 gols – Fiorentina
Paolo Vallesi; 189 jogos e 8 gols – Fiorentina
Paolo Belli; 181 jogos e 25 gols – Juventus
Luigi Schiavone; 143 jogos e 2 gols – Inter
Gianni Bella; 131 jogos e 21 gols – Não localizado
Biagio Antonacci; 101 jogos e 29 gols – Inter

Lado B
Luciano Ligabue – Urlando contro il cielo (Lambrusco coltelli rose & popcorn, 1991)

Publicado também no Lado B do Futebol.

Deixe um comentário