Serie A

36ª rodada: Os donos da festa

Com o empate em Roma, o Milan conquistou seu 18º título e pode, após sete anos, voltar a estampar o scudetto na camisa (Getty Images)
No sábado, Palermo e Bari entraram em campo para abrir a rodada e até fizeram um bom jogo na Sícilia. Mas, como não poderia deixar de ser, pouco foram lembrados no resto do dia. A noite reservava espaço para o duelo mais esperado da semana: Roma x Milan, no jogo que poderia decidir o título do campeonato. E decidiu. O empate sem gols na capital foi suficiente para os rossoneri confirmarem o scudetto e reflete bem o estilo imposto pela equipe ao longo do campeonato: um time que sofre pouquíssimos gols e que sabe controlar o resultado que lhe favorece. Placar justo no Olímpico. Tão justo quanto o título do Milan, que foi o time mais consistente da competição e que merece comemorar. Vamos às análises dos jogos.

Roma 0-0 Milan
Às 20h45 (horário local), Roma e Milan iniciaram uma partida com objetivos bem distintos no Estádio Olímpico da capital. Enquanto a Roma entrou em campo em busca da vitória que a deixaria mais perto da vaga para a Liga dos Campeões e que, de quebra, ainda ajudaria a estragar a festa do rival, o Milan começou o jogo mais cauteloso e pouco partiu para cima dos donos da casa. Tanto que, na primeira etapa, as melhores chances foram romanistas, com Taddei e Vucinic.

Percebendo a situação desfavorável, Allegri sacou Gattuso e colocou Ambrosini para o início do segundo tempo. E foi aí que o jogo mudou de figura: o Milan passou a pressionar a Roma e teve a chance de abrir o placar em pelo menos duas oportunidades. Com maior domínio, era apenas uma questão de tempo para soltar o grito de “É campeão!”. O triunfo é merecido e reflete um bom trabalho feito por equipe, comissão técnica e diretoria. Nos bastidores, a diretoria deu respaldo ao trabalho do técnico recém-chegado com contratações essenciais para a transformação do Milan de um mero coadjuvante em um protagonista e tanto.

Ibrahimovic, Robinho e Boateng chegaram ainda no início da temporada e deram corpo ao time. Em janeiro, Van Bommel e Cassano apareceram como ótimas peças para composição do elenco. Assim, Allegri, com seu estilo pacato e de quem não liga muito para os holofotes, ia ajeitando a equipe e deixando os rossoneri cada vez mais perto do scudetto.

O técnico conquistou o respeito dos jogadores e, com certeza, foi peça importantíssima nessa conquista. Mas não foi a única. Thiago Silva, Van Bommel, Seedorf, Ibrahimovic, Pato, Robinho e até Cassano também foram essenciais. Para análise mais profunda dessa equipe, recomendamos que acompanhem o dossiê que Braitner Moreira está elaborando no Tripletta. A série começou ontem com a importância dos brasileiros na campanha. Foi um dia histórico e cheio de marcas notáveis. Com a conquista do 18 título, o Milan se iguala à Inter e coloca Allegri em um seleto grupo. Apenas Arrigo Sacchi (1987-88), Fabio Capello (1991-92) e Alberto Zaccheroni (1998-99) conseguiram conquistar o scudetto em seus primeiros anos no clube. O time de Allegri também será lembrado por ter conseguido, em 36 rodadas jogadas até aqui, não levar gol em 19 delas. E mais: no segundo turno, a equipe só sofreu seis gols. Se mantiver a marca até o fim do campeonato, se iguala ao time de Capello em 1993-94.

Individualmente, Ibrahimovic também alcançou marca histórica, ao vencer seu oitavo título nacional de forma consecutiva (considerando os dois com a Juventus, posteriormente revogados). Em território italiano, a força do time milanista é incontestável. O grande desafio para a próxima temporada é fazer com que o nome volte a assustar também em nível continental.

Palermo 2×1 Bari
No outro jogo do dia, o Palermo esteve perto de uma derrota, mas consseguiu uma boa virada contra o Bari. De olho no jogo do meio da semana contra o Milan, pela semifinal da Coppa Italia, Delio Rossi escalou um time misto e jovem, com Darmian, Garcia, Munoz, Kasami e Acquah entre os onze iniciais. No início, a inexperiência dos jogadores pesou um pouco e o já rebaixado Bari aproveitou para abrir o placar, com Bentivoglio. Com o passar do tempo, no entanto, os donos da casa melhoraram e passaram a atacar os pugliesi. Antes do fim da primeira etapa, Miccoli marcou o gol do empate.

Para aumentar o ímpeto rosanero, Delio Rossi colocou Ilicic e Hernadéz na volta do intervalo. Com os dois em campo a equipe ficou mais veloz e pressionou desde o início. Logo aos oito, então, alcançou o gol da virada, quando Bovo aproveitou boa jogada de Ilicic e marcou. Mais tarde, Miccoli ainda perderia pênalti de forma inacreditável, que, para sua sorte, não fez falta ao final do jogo. A partida marcou também a volta de Carrozzieri aos gramados. O jogador ficou suspenso por doping durante dois anos. A vitória não importa muito em termos de classificação na Serie A, mas dá um pouco de moral para o time enfrentar o Milan no meio da semana, de olho no único objetivo que ainda resta: o título da Coppa Italia.

Para resultados, escalações, classificação e estatísticas da 36ª rodada, clique aqui.
Para relembrar a 35ª rodada, clique aqui e aqui.

Deixe um comentário