Serie A

24ª rodada: Farra de carnaval

Milan, com time misto e sem Ibrahimovic, atropelou Cesena e respondeu à prova de força dada pela Juventus no sábado (Getty Images)

A rodada carnavalaesca na Itália foi boa para o Milan. Depois de ver a Juventus, sua principal rival ao título, vencer o Catania de virada e à força, no sábado, a equipe rossonera não se intimidou com a ausência de Ibrahimovic e, visitando Cesena com um time misto, atropelou os donos da casa. Uma prova de força muito importante para este momento do campeonato, já que no próximo fim de semana, os milanistas, líderes com um jogo a mais e um ponto de vantagem sobre a Juve, recebem a Velha Senhora no San Siro, em confronto acirrado pelo título. O momento parece ser mais do time da casa, mas a parada será dura. Acompanhe o resumo da rodada, que ainda teve a goleada sofrida pela Lazio e o deflagramento de uma crise.

Cesena 1-3 Milan

Em franco período de crescimento, Milan não tem precisado de Ibrahimovic para resolver seus problemas – ao menos nos jogos menores. Quem tem sido fundamental para decidir é Robinho, que mesmo quando erra muito – como contra Arsenal e no domingo, contra o Cesena -, tira um coelho da cartola para definir. No Dino Manuzzi, o brasileiro foi o dono do toque de classe e principal referência de um time que atuou com muitos reservas e na base na coletividade. Com os gols do estreante Muntari e de Emanuelson, o Milan já assistiu a 17 jogadores diferentes marcarem um gol na Serie A. No segundo tempo, Robinho ainda aproveitou uma boa jogada de Abate para, da entrada da área, fazer bonito gol e definir a partida – que nem mesmo com o gol de Pudil, foi reaberta. Os resultados do fim de semana colocaram o Cesena na lanterna da Serie A, mesmo com um elenco superior à sua classificação. Daniele Arrigoni acabou demitido e deu lugar a Mario Beretta, que será o terceiro técnico dos cavalos marinhos na temporada.

Palermo 5-1 Lazio

Acabou a escrita: sempre que Kozák marcava, a Lazio não perdia. Desta vez, o tcheco até fez, mas foi o autor do gol de honra laziale, no finalzinho do massacre imposto pelo Palermo de Fabrizio Miccoli. Voando, o Romário do Salento chegou aos 11 gols e 11 assistências na Serie A – número mais que digno para seu apelido.Dessa vez, o trabalho do capitão rosanero acabou facilitado pelo fato de a Lazio ter contado apenas com André Dias (que acabou expulso) como zagueiro de ofício entre os disponíveis para a partida e Edy Reja inventou, escalando um 3-5-2 improvisando Ledesma e Zauri na linha de três zagueiros. Se a Lazio, desde a última temporada, sofre muito mais gols quando não tem um dos titulares da zaga, desta vez viu um desastre que pode acabar gerando a demissão de Reja. Ele entregou seu cargo pela segunda vez na temporada, mas Claudio Lotito negou o pedido. No Palermo, destaque para a atuação de Donati, que tem se provado uma boa contratação no mercado de janeiro, e do zagueiro Silvestre, que, argentino de nascimento, pode acabar sendo convocado para a seleção italiana.

Roma 1-0 Parma

Com um gol de Borini, possível nome na lista que Cesare Prandelli divulgará no domingo, após a rodada, a Roma venceu o Parma e deu continuidade à boa fase. São 10 jogos e apenas duas derrotas. A performance recente e os tropeços de Lazio e Udinese aproximam a equipe romana do grupo que disputa uma vaga para a Liga dos Campeões: a diferença agora é de apenas quatro pontos, sendo que o momento é de crescimento para os giallorossi e de estagnação para as concorrentes. Como observa Braitner Moreira, o 4-3-3 de Luis Enrique tem ganhado forma com um meio-campo equilibrado, formado por De Rossi, Gago e Pjanic. Regularidade, porém, não é a tônica do time, que saiu de um vexame em Siena para uma partida sólida e completamente dominante sobre o Parma.

Genoa 0-1 Chievo
O Genoa não se recuperou da derrota por 4 a 0 para o Catania, na última rodada, e voltou a perder em casa após quatro vitórias seguidas em seus domínios. Já é a terceira derrota seguida da equipe de Marino, que faz um campeonato medíocre, e agora está em sua pior fase na competição. Sem Gilardino no time, o ataque praticamente não existiu e o time pouco agrediu o visitante Chievo. Para piorar, a defesa não inspira confiança ao goleiro Frey, que tomou gol nos últimos 11 jogos do time. Do outro lado, um Chievo bem organizado aproveitou essa fragilidade rossoblù e marcou o gol da vitória ainda na primeira etapa, com Théréau. No resto da partida, a defesa dos visitantes se mostrou muito eficiente e não deu espaços para o Genoa, que finalizou com perigo apenas uma vez em todo o jogo. Os dois times têm 30 pontos e ocupam a parte de meio da tabela. (Rodrigo Antonelli)

Novara 0-0 Atalanta
Na luta contra o rebaixamento, o Novara fez difícil jogo contra a Atalanta, mas não cedeu e lutou de igual para igual durante toda a partida. Os torcedores que foram ao Piola na tarde de domingo viram um jogo bem movimentado e com chances para os dois lados. Denis acertou o travessão de um lado, enquanto Caracciolo esbarrou na trave do outro, nas melhores chances. Assim, o Novara já chega ao terceiro jogo sem sofrer gols e evidencia um bom trabalho do técnico Mondonico pelo menos na fase defensiva. Para efeito de comparação, nas 21 primeiras rodadas, o time sofreu gols em todos os jogos. Com o ponto conquistado, a equipe chega aos 17 e já supera o Cesena na tabela, que agora é o último colocado. O Siena é o primeiro fora da zona de rebaixamento e tem seis pontos à frente. A Atalanta de Colantuono continua se mostrando difícil de bater e muito regular. (RA)

Lecce 4-1 Siena
Em duelo direto pela salvezza, o Lecce surpreendeu o Siena com jogo envolvente e objetivo, conquistou três pontos importantíssimos e quebrou um tabu: o time não vencia por quatro ou mais gols de diferença desde maio de 2005. A equipe da casa saiu atrás ainda na primeira etapa (gol de Del Grosso), mas não demorou para retomar as rédeas do jogo e virar a partida. A dupla colombiana Muriel e Cuadrado, somada à efetividade de Di Michele, foi a grande responsável por isso. Os três marcaram gols. Cuadrado, além disso, chegou ao impressionante número de 80 dribles certos nesta Serie A (pelo menos 14 mais do que qualquer outro jogador do campeonato) e se firma como importante peça desse time. O outro gol da equipe foi de Brivio, já no final. Com o resultado, o time de Cosmi chega aos 22 pontos e fica apenas um atrás do Siena, primeiro fora da zona da degola. Se o Lecce conseguir se manter na Serie A após o fim da temporada, este jogo certamente será indicado como o que virou o jogo para o lado gialloblù. (RA)

Udinese 0-0 Cagliari
Nesta rodada, ficou comprovado (mais uma vez) que a Udinese não incomoda sem Di Natale. Foi a segunda rodada que o atacante não jogou e a segunda vez que o time empatou por 0 a 0. O aproveitamento de vitórias da equipe sem o artilheiro, da temporada 2009-10 para cá, é de míseros 10%. Totò não jogou apenas 10 vezes nas últimas duas temporadas e meia e seu time só venceu uma sem ele. É impressionante. Contra o Cagliari, em casa, não foi diferente e os bianconeri não venceram de novo. Já é a terceira partida sem vitória da equipe de Guidolin, que, ao menos recuperou a terceira colocação, por causa da derrota da Lazio. Para a preocupação dos torcedores da Udinese, o atacante não deve se recuperar antes da 28 rodada. Se quiser mesmo a vaga na Liga dos Campeões, é bom o time aprender a jogar sem o ídolo. E rápido. (RA)

Seleção da 24ª rodada

Gillet (Bologna); Britos (Napoli), Silvestre (Palermo), Chiellini (Juventus); Hamsík (Napoli), Pirlo (Juventus), Gago (Roma); Di Vaio (Bologna), Cavani (Napoli), Robinho (Milan), Miccoli (Palermo). Técnico: Serse Cosmi (Lecce).

Deixe um comentário