Serie A

32ª rodada: Sob o signo das lendas

Pirlo corre atrás de Del Piero: na sua partida de número 700 pelo clube, Ale pode ter feito um dos gols mais importantes de sua carreira, um gol importante para o scudetto (Getty Images)

A rodada do meio de semana da Serie A foi uma boa forma de dizer que as lendas estão vivas. O destaque maior ficou por conta de Del Piero, que, em sua partida de número 700 pela Juventus, decidiu um jogo difícil e muito importante para a equipe de Turim, mantendo-a na ponta da tabela. Um gol que pode valer o 28º scudetto conquistado pela Velha Senhora.

Mas não foi só o lendário juventino que teve grande participação, entre os veteranos. Totti manteve sua ótima média contra a Udinese – é sua vítima preferida: marcou 13 gols contra os bianconeri – e aliviou a tensão no Olímpico, em um confronto direto que pode ter dado à Roma a força de brigar pela terceira vaga na Liga dos Campeões. Uma força que a Inter também procura ter, em grande parte, inspirada pelo veteraníssimo Zanetti, de quase 39 anos. O capitão chegou a sua 570ª partida na Serie A, igualando a marca de Dino Zoff, de terceiro maior número de presenças na Serie A. Ainda sobrou tempo para uma lenda mais alternativa: Bellini, capitão e jogador com maior número de presenças pela Atalanta, marcou gol no difícil jogo contra o Napoli, que dá tranquilidade definitiva à equipe, que fica no meio da tabela. Confira o resumo da rodada!

Juventus 2-1 Lazio

A Juventus pode não ser a melhor equipe e, inclusive, não conquistar a Serie A. Mas uma coisa é certa: Antonio Conte e suas variações táticas dão um banho nos adversários. Contra a Lazio, a equipe entrou com uma escalação que tanto permitia atuar no 4-3-3 quanto no 3-5-2. Pode parecer confuso, mas a presença de atletas versáteis como Lichtsteiner, De Ceglie e Pepe permitem que o treinador bianconero surpreenda a cada jogo. Na Lazio, Hernanes ocupou mais uma vez um lugar no banco de reservas. Até os dez minutos da primeira etapa, quem assistiu o jogo pela TV não soube a cor do uniforme de Buffon.

A Juve pressionou desde o apito inicial, mas errou muito o chamado “último passe”, graças a forte marcação laziale. Mas, aos trinta minutos, Pirlo descolou ótima assistencia para Pepe, o camisa sete matou no peito e, de bicicleta, abriu o placar. Logo depois, Vidal quase marcou um golaço do meio-campo e Quagliarella perdeu ótima chance – Marchetti fez duas defesaças, impedindo que o placar aumentasse. Na única chance clara de gol dos romanos, Mauri empatou, de cabeça, levando o jogo empatado à segunda etapa. A história continuou a mesma após o intervalo. Até que Del Piero entrou para completar 700 pela time de Turim e, de falta, garantiu a vitória da Juve e a volta à liderança. O segundo gol do capitão nesta Serie A pode ter sido um dos gols mais importantes de sua carreira. Um gol que vale um scudetto. (Anderson Moura)

Chievo 0-1 Milan

Extremamente desfalcado, o Milan visitou o Chievo em Verona. Quem agradeceu aos infortunios da equipe foi o lateral-direito De Sciglio, que fez sua estreia pelo rossonero em partidas válidas pela Serie A. Logo aos sete minutos, Muntari, com um chute de muito efeito, abriu o placar e acalmou as coisas para os comandados de Allegri. Embora tenha saído atrás, o Chievo foi melhor durante o jogo e criou muitas boas chances ao longo do jogo, dando trabalho para Abbiati, como em uma bomba de Pellissier, e tendo dois gols bem anulados – de Paloschi, no primeiro tempo, e de Acerbi, no segundo. Com certeza Allegri não ficou feliz com o futebol apresentado, mas com a lista de jogadores indisponíveis que tinha antes do jogo (13) e vindo de derrota para a Fiorentina, o resultado foi bom, mantém a equipe na briga liderança e, por hora, é isso o que importa. (AM)

Roma 3-1 Udinese

A atuação decisiva nesta tarde por parte da Roma contra a Udinese, no Olimpico, fez com que o pouco de esperança em uma vaga europeia continuasse vivo. Não foi preciso muito tempo para que Osvaldo abrisse o marcador. Jogando melhor, a equipe da capital manteve o seu padrão ofensivo e aproveitou bem as brechas defensivas por parte do visitante, que se assustou com o primeiro gol sofrido. Pouco antes do intervalo, Fernandes marcou e deu razão aos que desconfiavam do bom futebol giallorosso. A partida continuou igual, mas com maior pressão por parte da Roma no segundo tempo. Somente aos 41 do segundo tempo, Totti fez soltar os gritos entalados na garganta dos presentes. Marquinho ainda marcou o terceiro, coroando sua ótima atuação. Com 51 pontos, um a mais do que o adversário de hoje, a Udinese soma apenas duas vitórias nos últimos onze jogos e vê se complicarem suas chances de irem à próxima Liga dos Campeões. Já a Roma segue irregular e é difícil cravar um prognóstico. (Felipe Portes)

Inter 2-1 Siena

Jogando mais uma vez com uma equipe experiente, como nas outras duas partidas sob o comando de Stramaccioni, a Inter foi aguerrida para vencer o Siena de virada. Forlán finalmente sentou no banco, abrindo vaga para Álvarez, em retorno aos campos após dois meses lesionado, e a partida até começou bem para a equipe nerazzurra. Até que Samuel cometeu erro bizarro e permitiu que o Siena marcasse, com D’Agostino. Foi aí que Milito apareceu para empatar, de cabeça, graças a falha de Pesoli. A Beneamata continuou melhor no jogo, principalmente por causa das boas partidas de Álvarez, Nagatomo (substituto de Samuel, lesionado) e Zanetti. No segundo tempo, a Inter criou muito, perdeu alguns gols, e chegou ao gol da virada após cobrança de pênalti de Milito. O argentino chegou aos 20 gols no torneio – dois a menos que a temporada do triplete -, dos quais 17 foram feitos em 2012. É na ótima fase do atacante que a Inter deve depositar suas esperanças na conquista de uma vaga na LC: a Lazio está seis pontos à frente. Já o Siena segue tranquilo no meio da tabela.

Napoli 1-3 Atalanta
O sonho de repetir a classificação para a LC só não fica distante do Napoli por um motivo: todos os concorrentes à vaga – incluindo a própria equipe azzurra – são muito irregulares. Por isso, a pesada derrota em casa para a boa Atalanta não teve grandes reflexos em termos de tabela, mas afeta o moral. Os problemas são muitos: Inler não é mais o mesmo do início da temporada e Cavani não tem aparecido. A montanha de problemas, que ainda tem a sempre frágil defesa partenopea e a falta de motivação pela eliminação na Champions frente ao Chelsea, tende a aumentar, já que Aurelio De Laurentiis, dono do clube, tem certo litígio com o técnico Mazzarri: o mandatário queria prioridade para o campeonato, enquanto Mazzarri pensa no título da Coppa Italia. A Atalanta, por sua vez, está mais do que tranquila no meio da tabela e mostrou não tremer no San Paolo. Saiu na frente com bonito gol de Bonaventura e não sentiu ao empate quase instantâneo de Lavezzi. Com a boa partida de Moralez, acabou não sendo missão impossível bater o Napoli em seus domínios. Coroada ainda, com um gol, a partida do lateral Bellini, que tem mais de 400 partidas pelo clube.

Catania 1-2 Lecce

O Catania, que era a coqueluche do momento, chegou à segunda derrota consecutiva no campeonato, depois de rodadas em que jogou o melhor futebol da Serie A. Porém, ao contrário do jogo contra o Chievo, no domingo, o time jogou bem – especialmente Barrientos, autor de uma partida endemoniada na armação das jogadas. O argentino quase marcou um golaço, mas acertou o travessão. Sorte dos rossoazzurri que Bergessio estava lá para concluir. Mas o Lecce não se abateu. Apesar de Barrientos tentar desequilibrar, os salentinos faziam bom jogo e foram buscar a vitória. Primeiro, Di Michele teve uma ótima chance, mas desperdiçou cobrança de pênalti. O lance não abaixou os ânimos giallorossi: Corvia entrou com vontade de decidir e colocou fogo no jogo, demolindo o muro siciliano. Marcou o gol que empatou o jogo e que valeu reclamação do goleiro Carrizo, que acabou expulso. Com o meio-campista Lodi improvisado no gol, o Catania não resistiu e acabou sofrendo o segundo, dois minutos depois. Di Michele se redimiu e colocou ainda mais lenha na fogueira da briga contra o rebaixamento.

Fiorentina 0-0 Palermo

A torcida da Fiorentina se iludiu. Após a grande vitória em Milão, o time de Florença só conseguiu repetir a ótima atuação no primeiro tempo – e até acertou a trave com o zagueiro Nastasic -, não chegou ao gol e acabou vendo a zona de rebaixamento se aproximar novamente. No “jogo dos desiludidos”, como definiu o presidente do Palermo, Maurizio Zamparini, Delio Rossi e Amauri, que fizeram história com os rosanero, enfrentavam a ex-equipe, enquanto o goleiro Viviano, torcedor da Fiorentina, lutava contra o coração. Com tantas ligações afetivas e desilusões, o 0 a 0 ficou de bom tamanho. Mesmo que Amauri tenha tentado ludibriar a arbitragem e tenha marcado um gol  maroto com a mão, bem anulado pelo bandeira.

Genoa 1-1 Cesena
No jogo entre a pior defesa e o pior ataque do campeonato, deu empate. Em jogo que era para vencer, o Genoa mais uma vez tropeçou e ampliou sua série negativa: já são 10 partidas sem vitória. Dessa vez, o tropeço aconteceu diante de uma equipe praticamente rebaixada – o descenso matemático do Cesena já pode acontecer na próxima semana, em caso de derrota e empate do próprio Genoa, ante o Milan. No Marassi, o que se viu foi uma partida dominada pelos donos da casa no primeiro tempo, no qual Marco Rossi colocou a equipe em vantagem. Na segunda etapa, porém, o panorama mudou e os cavalos marinhos acabaram merecendo o empate, que veio com  Mutu. Antes, Guana e Renella tinham desperdiçado ótimas chances. Agora, mais do que nunca, a equipe de Gênova vê a zona de rebaixamento bem de perto. Caso perca para o Milan, no San Siro, e o Lecce vença o Napoli, em casa, os rossoblù passarão à 34ª rodada entre os três últimos colocados.

Parma 2-0 Novara

No Tardini, deu o lógico: o Parma passou fácil pelo Novara e evitou que o Lecce se aproximasse – a distância continua de quatro pontos. Na partida, Giovinco teve o destaque de sempre e chegou a seu 11º gol no campeonato. Quem surpreendeu e também jogou bem foi o brasileiro Jonathan, que deu a assistência para o gol do Formiga Atômica e ainda foi o autor do segundo do jogo. Não bastassem as participações importantes, o lateral emprestado pela Inter ainda fez ótima partida defensiva, com boa intensidade. Outro destaque do jogo foi o goleiro Mirante, que na segunda etapa defendeu cobrança de pênalti de Rigoni. Os crociati ganharam duas posições – ocupam a 15ª, agora -, enquanto o Novara segue em penúltimo, 11 pontos atrás do primeiro time fora da zona de rebaixamento. Horas contadas para a confirmação da volta à Serie B.

Bologna 1-0 Cagliari
O jogo que finalizou a rodada valia pouco tanto para Bologna quanto para Cagliari. Muito dificilmente as equipes serão rebaixadas e, por enquanto, buscam apenas a certeza matemática da salvação, que deve chegar em poucas rodadas, com o mínimo de esforço. O jogo não empolgou muito e foi decidido apenas na segunda etapa, quanto Diamanti acertou cobrança de falta e decretou o placar magro. Poderia ter dado empate, porque pouco depois Larrivey acertou cabeçada no travessão. Com o resultado, o Bologna foi aos 40 pontos, ultrapassando o Cagliari, que ficou com 38.

Para estatísticas, escalações e resultados da 32ª rodada, clique aqui.

Para relembrar a 31ª rodada, clique aqui.

Seleção da 32ª rodada
Marchetti (Lazio); Jonathan (Parma), Zaccardo (Parma), Nesta (Milan), Zanetti (Inter); Marquinho (Roma), Pirlo (Juventus), Bonaventura (Atalanta); Del Piero (Juventus), Osvaldo (Roma), Milito (Inter). Técnico: Antonio Conte (Juventus).

Deixe um comentário