Serie A

10ª rodada: Entrou água… ou quase

Mais uma vez, decisivo: na chuva de Turim, Pogba foi fundamental na vitória da Juventus (EPA)

O frio começa a tomar a Europa e, com ele, as fortes chuvas outonais assolam o território italiano. Neste meio de semana, todos os jogos da Serie A foram realizados debaixo de chuva e baixas temperaturas. No entanto, dentro de campo a chuva não diminuiu o ritmo dos jogos, e, com nenhum 0 a 0, a rodada teve ótima média de gols: foram 3,3 por jogo, a segunda maior na temporada. As grandes vitoriosas da rodada foram a Juventus, que segue líder, e a Inter, que assumiu a vice-liderança poucos dias antes do confronto direto contra os bianconeri. A se destacar, ainda, as ascensões de Fiorentina, Parma e Cagliari, contrastadas com a estagnação de Lazio, Roma e Napoli. Confira a análise.

Juventus 2-1 Bologna

Novamente a Juventus não fez um bom jogo, mas saiu com a vitória graças a Pogba, novo pupilo da torcida. O meia francês foi o melhor em campo, participou do primeiro gol, de Quagliarella, tendo sido responsável para o lançamento que possibilitou o passe de Giaccherini, e, no último minuto de acréscimo, apareceu bem na área para completar cruzamento de Giovinco e evitar que o confronto de sábado, contra a Inter, valha a perda da liderança para a Velha Senhora. De quebra, ainda marcou muito bem o seu compatriota Taïder, melhor rossoblù em campo, na ausência de Diamanti, e só o perdeu de vista no lance do belo gol bolonhês porque De Ceglie saiu jogando errado. Em um contexto de queda técnica da Juve, Pogba tem feito a diferença e pode ser o fiel da balança contra a Inter, já que Marchisio é dúvida para o jogo. Inclusive, o meia da seleção italiana que se cuide: com suas apresentações opacas, pode perder a vaga no time titular.

Inter 3-2 Sampdoria

No Giuseppe Meazza, com público
razoável – na média dos que vem recebendo nos últimos anos, na faixa de
40 mil
por jogo –, a Inter voltou a mostrar seu poder
de recuperação e saiu vitoriosa diante uma Sampdoria em franca queda –
são cinco derrotas consecutivas. É o oitavo triunfo consecutivo do time,
igualando as marcas das equipes de Trapattoni em 1988-89, Simoni em
1997-98 e Ranieri em 2011-12. Se conseguirá superar ou igualar o feito
de Mancini em 2007-08, tudo dependerá de uma vitória frente a Juventus, o
que não ocorre desde abril de 2010, ainda sob o comando de Mourinho. E,
claro, dependerá da quebra de invencibilidade de 49 jogos da Velha
Senhora. Nesta quarta, a Inter saiu atrás, após lance de sorte de
Munari, mas virou na segunda etapa, depois que Cambiasso entrou no lugar de Mudingayi. Juntamente a Guarín, melhor em campo, deu mais qualidade ao time. Outro facilitador para a Inter foi a expulsão de Costa, em pênalti sobre Milito. O argentino converteu a cobrança e, depois, viu Cassano dar duas assistências para Palacio e Guarín definirem a partida – mesmo que Éder tenha diminuído no fim. Segunda colocada, agora a Inter parte para Turim. (Arthur Barcelos)

Atalanta 1-0 Napoli

A Atalanta não tem conseguido fazer do Atleti Azzurri d’Italia seu caldeirão, como na última temporada, mas conseguiu uma excelente vitória nesta quarta, contra um dos adversários mais qualificados da Serie A. Os napolitanos pressionaram durante toda a partida para reverter o resultado negativo que acabaria na perda da vice-liderança, mas esbarraram em uma defesa bem postada, um pouco de má sorte e, sobretudo, na ótima prestação do goleiro Consigli. Logo no início do jogo, os nerazzurri abriram o placar graças a uma pérola de Carmona, que pegou um sem pulo da entrada da área, sem chances para De Sanctis, e, depois disso, passaram a agir em contra-ataques. Sem Cavani, mais uma vez o Napoli teve dificuldades, e teve em Hamsík o seu ponto de referência. Mas a falta de profundidade se faz sentir. Justamente quando a equipe precisa de gols para virar um jogo adverso.

Palermo 2-2 Milan

O Milan conseguiu uma ótima recuperação frente ao Palermo, no Renzo
Barbera, na terça-feira. Os rosanero permitiram o empate após abrir 2-0
no marcador. O sistema característico de Gasperini, o 3-4-3, deu muito
certo na primeira hora de jogo, mas depois o técnico resolveu se defender e acabou estragando a festa. Brienza e Miccoli infernizaram os três
zagueiros do time rossonero, enquanto o Milan errava
quase tudo o que criava, ora com Pato, ora com Flamini. A equipe da casa
abriu a contagem com Miccoli, após pênalti cometido por Abate. A
vantagem dobrou quando Brienza acertou um belo chute da esquina da área,
logo após a volta do intervalo. Allegri mexeu bem no time ao colocar
Emanuelson, Bojan e Pazzini antes dos 10 minutos. El Shaarawy e
Montolivo cresceram de produção, o Palermo recuou demais e sofreu o empate:
Montolivo, primeiro, e depois com El Shaarawy. O jovem, aliás, é o
artilheiro da competição, com sete gols. Talvez, se tivesse mais alguns minutos, a equipe de Milão até
conseguiria virar o jogo.  (Murillo Moret)

Lazio 1-1 Torino

A Lazio desperdiçou uma boa chance de encostar nos líderes. Jogando em casa, contra o Torino que lutará até o fim contra o descenso, não conseguiu ir além de um empate. Pesaram as ausências de Hernanes e Ledesma, expulsos no domingo. A equipe desperdiçou boas chances e deu espaço para o Torino, que aproveitou uma das poucas oportunidades, logo no início, com o zagueiro Glik. O gol forçou o time laziale a sair para o jogo, mas os atacantes não conseguiam balançar as redes e ainda deram espaço. Em contra-ataque, porém, Cerci desperdiçou chance incrível, frente a frente com Bizzarri. Somente aos doze minutos da etapa final que os biancocelesti chegaram ao empate, com Mauri. Rocchi ainda teve em seus pés a chance da vitória, mas não conseguiu aproveitar, muito por méritos de Rodríguez, que o atrapalhou na hora em que driblou Gillet, e que bloqueou um chute que ia no gol. O empate manteve a Lazio na quarta colocação, agora a dois pontos do terceiro colocado, o Napoli. (Caio Dellagiustina)

Parma 3-2 Roma

Num dos campos mais encharcados da rodada, o Parma contou com um Belfodil em estado de graça para virar a partida contra a frágil Roma de Zeman, e ultrapassar os capitlinos na tabela, assumindo a sexta posição. Os romanos saíram na frente, depois que Zaccardo afastou mal um cruzamento e Lamela, com habilidade, marcou seu sexto gol no campeonato. Mas, após a lesão de Amauri, o jovem Belfodil entrou em campo para mudar o rumo do jogo. Primeiro, marcou o gol de empate, e depois cruzou a bola que originou o gol de Parolo – que teve a ajuda de uma poça d’água. Em um campo que mais poderia ser utilizado para “batalha naval”, Parolo e Paletta foram dois dos herois parmenses. O outro poderia ser Belfodil, que também participou do terceiro gol, marcado por Zaccardo, mas arranjou uma expulsão tola, no fim do jogo, uma vez que a ausência de atacantes pode prejudicar o Parma na partida contra o Pescara. Na Roma, mais do mesmo: Totti ainda vitimou o Parma (seu adversário favorito) mais uma vez, ao descontar o 3 a 2, e Zeman corre sérios riscos de demissão.

Genoa 0-1 Fiorentina

Com a vitória (a terceira em quatro jogos), a Fiorentina quebrou um tabu de 30 anos. Desde 1982 a equipe viola não vencia o Genoa no Marassi e, com a vitória, o time de Montella superou a Lazio na classificação, tomando o quarto posto, pelos critérios de desempate. Mesmo jogando fora de casa, a equipe florentina mandou no jogo, atacando muito bem com Ljajic e Cuadrado, protagonistas da vitória. Quem também foi bem foi o capitão Pasqual, que apareceu muito bem no ataque, aos 14 minutos, para receber lançamento de Rodríguez e encobrir Frey. O Genoa, que estava muito desfalcado, principalmente no ataque, segue sem vitórias desde que Delneri assumiu a equipe. Os rossoblù ocupam apenas a 16ª colocação, com 9 pontos.

Cagliari 4-2 Siena

Contrapondo as expectativas,
Cagliari e Siena fizeram um bom e movimentado jogo na Is Arenas. O nome
do jogo foi o brasileiro Nenê, que marcou dois gols – um em uma bela
cobrança de falta – e deu a assistência para Sau fazer o terceiro, em
rápido contragolpe. Pouco depois, o capitão e artilheiro do Siena,
Calaiò, viu sua
cobrança de pênalti ser defendida por Agazzi. Já nos minutos finais da
primeira
etapa, o mesmo Agazzi falhou na saída do gol e Bogdani, em
lance
confuso, desviou a bola para o gol vazio. No segundo tempo, o
descontrole emocional de Neto, expulso por falta violenta, definiu a
vitória. Thiago Ribeiro e Calaiò ainda marcaram para Cagliari e Siena, respectivamente, mas o jogo já tinha vencedor.
Desde a chegada da dupla Pulga-López, o Cagliari tem quatro vitórias
em quatro jogos, que levaram o time da lanterna à 8ª posição. O Siena, que além da punição em
seis pontos devido ao Calcioscommesse, não vence há cinco jogos e, com apenas três pontos, amarga a última posição. (AB)

Udinese 2-2 Catania

A campanha da Udinese anda meio decepcionante, muito em função do desarranjo defensivo e da falta de conexão entre os setores da equipe. Di Natale não tem sido devastador, mas segue marcando gols. Com os dois desta quarta, são oito na temporada, seis na Serie A. Depois do primeiro do capitão, após pênalti cometido por Spolli sobre Badu, o jogo ficou parelho, com o Catania tendo as melhores chances, sobretudo com Bergessio. No segundo tempo, depois de uma falha de Pereyra, que errou um corte dentro da área, Castro aproveitou e empatou o jogo. A Udinese, que havia perdido chance incrível de ampliar, ainda na primeira etapa, com Lazzari, estava com postura defensiva, o que promoveu o ataque siciliano. A equipe visitante chegou a virar o duelo nos minutos finais, com uma cobrança de falta de Lodi, mas Pereyra buscou a redenção. Já nos acréscimos, deu lindo passe para Di Natale, livre na área, fuzilar para o gol, empatando o jogo e fazendo a Udinese somar mais um ponto em busca de uma recuperação. (CD)

Chievo 2-0 Pescara

A partida era morna, apesar da incessante chuva, e o Chievo só conseguiu chegar a vitória no segundo tempo, depois de martelar, já que jogava com um a mais desde a expulsão de Romagnoli, aos 32 minutos do primeiro tempo. Pouco criativo, o time clivense perdeu as boas chances que teve com Théréau, e viu no brasileiro Luciano seu principal nome no jogo. O meia quase fez um golaço de fora da área e marcou o primeiro, depois de pênalti sofrido por Samassa. Depois, Théréau perdeu mais uma chance e, no rebote, Stoian fechou o placar. Com o resultado, os burros alados foram aos 10 pontos e deixaram a zona de rebaixamento. No entanto, as duas equipes seguem correndo riscos. Tanto risco quanto correram os jogadores nesta quarta, depois que uma ventania atirou placas de publicidade no gramado. Por sorte, ninguém se feriu.

Relembre a 9ª rodada aqui

Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada

Consigli (Atalanta); Bellini (Atalanta), Paletta (Parma), Rodríguez (Torino), Pasqual (Fiorentina); Pogba (Juventus), Parolo (Parma), Guarín (Inter); Di Natale (Udinese), Nenê (Cagliari), Cassano (Inter). Técnico: Ivo Pulga/Diego López (Cagliari).

Deixe um comentário